AS PERSPECTIVAS DO SISTEMA PÚBLICO DE SAÚDE NO BRASIL Marcus Pestana Deputado Estadual Ex-Secretário de Estado de Saúde Go...
Saúde/Emprego/Segurança Cidadania CONSTITUIÇÃO DE 1988 SAÚDE   PRIORIDADE Nº 1 Qualidade de Vida   Pesquisas
CONTEXTO HISTÓRICO  NASCIMENTO DO SUS Redemocratização Democracia Substantiva Liberdade + Direitos Sociais
OPÇÃO FEITA ANTES DEPOIS DE 1988 Excludente Centralizado (Autoritário) Hospitalocêntrico e medicalizado Fragmentado Univer...
PRINCÍPIOS E ESTRATÉGIA <ul><li>Universalidade  </li></ul><ul><li>Integralidade  </li></ul><ul><li>Equidade </li></ul><ul>...
CONTRADIÇÃO CENTRAL <ul><li>FINANCIAMENTO INSUFICIENTE </li></ul><ul><li>Parâmetros para comparação : </li></ul><ul><li>Sa...
CENÁRIOS POSSÍVEIS <ul><li>“ Empurrar com a barriga” </li></ul><ul><li>Rever princípios constitucionais </li></ul><ul><li>...
DESAFIOS <ul><li>Modelo de Atenção – Inversão  Prevalência Doenças Crônicas  </li></ul><ul><li>Modelo de Financiamento </l...
<ul><li>D) Modelo Organizacional (Oferta X Demanda) </li></ul><ul><li>Fragmentação Excessiva – Escala/Qualidade </li></ul>...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

AS PERSPECTIVAS DO SISTEMA PÚBLICO DE SAÚDE NO BRASIL

1.193 visualizações

Publicada em

Dr. Marcus Pestana

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.193
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

AS PERSPECTIVAS DO SISTEMA PÚBLICO DE SAÚDE NO BRASIL

  1. 1. AS PERSPECTIVAS DO SISTEMA PÚBLICO DE SAÚDE NO BRASIL Marcus Pestana Deputado Estadual Ex-Secretário de Estado de Saúde Governo de Minas Gerais (2003/2009) Julho de 2010
  2. 2. Saúde/Emprego/Segurança Cidadania CONSTITUIÇÃO DE 1988 SAÚDE PRIORIDADE Nº 1 Qualidade de Vida Pesquisas
  3. 3. CONTEXTO HISTÓRICO NASCIMENTO DO SUS Redemocratização Democracia Substantiva Liberdade + Direitos Sociais
  4. 4. OPÇÃO FEITA ANTES DEPOIS DE 1988 Excludente Centralizado (Autoritário) Hospitalocêntrico e medicalizado Fragmentado Universal Descentralizado Centralidade da atenção primária (PSF) + vigilância em saúde Único e integração federativa
  5. 5. PRINCÍPIOS E ESTRATÉGIA <ul><li>Universalidade </li></ul><ul><li>Integralidade </li></ul><ul><li>Equidade </li></ul><ul><li>Municipalização </li></ul><ul><li>Controle e participação </li></ul><ul><li>Cooperação Federativa Integrada </li></ul>
  6. 6. CONTRADIÇÃO CENTRAL <ul><li>FINANCIAMENTO INSUFICIENTE </li></ul><ul><li>Parâmetros para comparação : </li></ul><ul><li>Saúde Suplementar e Orçamento per capita de outros países </li></ul><ul><li>Sintomas (filas, subdiagnóstico, problemas de qualidade, tensões sindicais, judicialização da saúde etc.) </li></ul><ul><li>DUPLO DESAFIO </li></ul><ul><li>Mais recursos </li></ul><ul><li>Melhoria da gestão </li></ul>CUSTOS CRESCENTES Incorporação Tecnológica Transição Demográfica (Doenças Crônicas) MARCO CONSTITUCIONAL GENEROSO
  7. 7. CENÁRIOS POSSÍVEIS <ul><li>“ Empurrar com a barriga” </li></ul><ul><li>Rever princípios constitucionais </li></ul><ul><li>Financiamento adequado </li></ul>
  8. 8. DESAFIOS <ul><li>Modelo de Atenção – Inversão Prevalência Doenças Crônicas </li></ul><ul><li>Modelo de Financiamento </li></ul><ul><li>Modelo de Gestão - Responsabilidade inequívoca (nova descentralização) </li></ul><ul><li> - Formato institucional dos prestadores de serviço </li></ul><ul><li> (OSSs, Consórcios, Novas Fundações Públicas etc.) </li></ul><ul><li>Carga doença </li></ul><ul><li>Infecciosas - 12% </li></ul><ul><li>Externas - 13% </li></ul><ul><li>Maternas - 9% </li></ul><ul><li>Não transmissíveis - 64% </li></ul>Regionalização Cooperativa
  9. 9. <ul><li>D) Modelo Organizacional (Oferta X Demanda) </li></ul><ul><li>Fragmentação Excessiva – Escala/Qualidade </li></ul><ul><ul><li>D.1 – Hospitais = 600 Minas Gerais </li></ul></ul><ul><ul><li> 1/3 – Até 30 leitos </li></ul></ul><ul><ul><li> 60% – Até 50 leitos </li></ul></ul><ul><ul><li> Apenas 79 + 100 leitos (escala ideal) </li></ul></ul><ul><ul><li>D.2 – Laboratórios </li></ul></ul><ul><ul><li> Fragmentação – perda de eficiência </li></ul></ul><ul><li>E) Modelo de Participação – Controle Social </li></ul><ul><li>F) Modelo de Incorporação Tecnológica – Gestão da Clínica </li></ul><ul><li>G) Modelo de Organização do Mercado de Trabalho </li></ul>

×