Manejo laparoscópico do cisto renal

5.043 visualizações

Publicada em

Manejo laparoscópico do cisto renal

Dr. Tibério M. Siqueira Jr
Coordenador do grupo de laparoscopia urológica- Hospital Getúlio Vargas, Recife, PE

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.043
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Manejo laparoscópico do cisto renal

  1. 1. VI Jornada Alagoana de Urologia Manejo laparoscópico do cisto renal Tibério M. Siqueira Jr Coordenador do grupo de laparoscopia urológica- Hospital Getúlio Vargas, Recife, PE
  2. 2. Cisto renal Introdução <ul><li>Achado radiológico comum: </li></ul><ul><ul><li>± 50% acima dos 50 anos </li></ul></ul><ul><ul><li>Incidência > com a idade </li></ul></ul><ul><li>Cistos renais simples: </li></ul><ul><ul><li>Maioria: assintomáticos->observação </li></ul></ul><ul><ul><li>Minoria: sintomáticos ->tto radiológico ou cirúrgico </li></ul></ul>Terada et al. J Urol; 167: 21-23, 2002 Laucks et al. Br J Radiol; 54: 12-14, 1981
  3. 3. Cisto renal Classificação de Bosniak Sim >20 Muitas Muitos Muito espessa IV Não 0-20 Moderadas Muitos Pouco espessa III Não 0-20 Poucas Não-poucos Fina II Não 0-20 Não Não Fina I Ganho de intensidade Densidade pré-contraste (UH) Calcificação Septos Parede Tipo
  4. 4. Cisto renal Tratamento <ul><li>Cisto renal simples sintomático ( BosniaK I ): </li></ul><ul><ul><li>Punção percutânea com escleroterapia (tto mais comum) </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Cura radiológica em ± 70% dos casos </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Contra-indicação: cistos peri-pélvicos </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Decorticação laparoscópica: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Falha da punção com escleroterapia </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Cistos peri-pélvicos </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Múltiplos e/ou grandes cistos </li></ul></ul></ul>Liatsikos et al. J Endourol; 14: 257-61, 2000 Pearle et al. Urol Clin North Am; 27: 661-73, 2000 Roberts et al. Urology; 58: 165-69, 2001
  5. 5. Cisto renal Tratamento BOSNIAK II Assintomático Imagem com 3-6meses Imagem anual Piora radiológica Decorticação laparoscópica Estável OK Nx parcial ou radical Sem tumor Com tumor Paterson RF, Siqueira TM Jr, Shalhav AL. La paroscopic Urologic Oncology, 2003.
  6. 6. Cisto renal Tratamento BOSNIAK II Sintomático Decorticação laparoscópica OK Nx parcial ou radical Sem tumor Com tumor Paterson RF, Siqueira TM Jr , Shalhav AL. La paroscopic Urologic Oncology, 2003.
  7. 7. Cisto renal Tratamento BOSNIAK III COM Possibilidade de enucleação ou Nx parcial Doença benigna Positivas Nx radical Margens cirúrgicas Negativas Paterson RF, Siqueira TM Jr, Shalhav AL. La paroscopic Urologic Oncology, 2003. Doença maligna Seguimento OK
  8. 8. Cisto renal Tratamento BOSNIAK III SEM Possibilidade de enucleação ou Nx parcial Baixa suspeita de malignidade Citologia e/ou Histologia + Nx radical laparoscópica Paterson RF, Siqueira TM Jr, Shalhav AL. La paroscopic Urologic Oncology, 2003. Decorticação laparoscópica Alta suspeita de malignidade
  9. 9. Cisto renal Tratamento BOSNIAK IV Nx radical laparoscópica Paterson RF, Siqueira TM Jr, Shalhav AL. La paroscopic Urologic Oncology, 2003. Nx parcial laparoscópica
  10. 10. Cistos renais indeterminados Resultados 8% - - 31% 13 14% 7 30 Cloix, 1996 - - I ou II 100% 4 80% 5 20 Wilson, 1996 - - - 57% 7 0 4 15 Aronson, 1991 0 T1 - 3% - 25% - 32 Roberts, 2001 - - - 20% - - - 10 Rubenstein, 1993 0 T1 - 11% - - - 9 Lifson,1998 0 T1 (9) T2 (2) I ou II 28% 29 11% 28 57 Limb, 2002 % recorrência/ metástase Estágio CA renal (Grau) % CA renal (patologia) Bosniak III (TC) % CA renal (patologia) Bosniak II (TC) Nº Autor
  11. 11. Cisto renal Associação Européia de Urologia <ul><li>Tratamento laparoscópico do cisto renal: </li></ul><ul><ul><li>Indicações: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Bosniak II </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Recorrência após aspiração percutânea </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Nível de evidência: 3 </li></ul></ul><ul><ul><li>Grau de recomendação: B </li></ul></ul>Doublet et al. GUIDELINES ON LAPAROSCOPY, 2002. ww.uroweb.nl/files/uploaded_files/guidelines/laparoscopy.pdf
  12. 12. Cisto renal Técnica cirúrgica <ul><li>Acesso retroperitoneal </li></ul><ul><ul><li>Cistos na superfície posterior </li></ul></ul><ul><li>Acesso transperitoneal </li></ul><ul><ul><li>Cistos na superfície anterior </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Fatores variáveis: </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Tamanho </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Número </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Possibilidade de malignidade </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Cirurgia abdominal prévia </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Experiência do cirurgião </li></ul></ul></ul></ul>
  13. 13. Cisto renal Técnica cirúrgica Acesso retroperitoneal
  14. 14. Cisto renal Técnica cirúrgica Decorticação E Decorticação D
  15. 15. Cisto renal Técnica cirúrgica Abertura da cápsula de Gerota
  16. 16. Cisto renal Técnica cirúrgica Punção do cisto
  17. 17. Cisto renal Técnica cirúrgica Dissecção do cisto
  18. 18. Cisto renal Técnica cirúrgica Ressecção do cisto
  19. 19. OBRIGADO

×