Instrumental Permanente e Descartável para NLPC

2.523 visualizações

Publicada em

Instrumental Permanente e Descartável para NLPC - Análise Crítica -

Dr. Marcos Vinícius Tefilli
Serviço de Urologia HMD
Porto Alegre RS

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.523
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Instrumental Permanente e Descartável para NLPC

  1. 1. Instrumental Permanente e Descartável para NLPC - Análise Crítica - <br />Marcos Vinícius Tefilli<br />Serviço de Urologia HMD<br /> Porto Alegre RS<br />
  2. 2. Passos da NLPC<br />. Cateterismo ureteral retrógrado<br />. Acesso percutâneo/punção<br />. Dilatação do trajeto<br />. Fragmentação e retirada do cálculo<br />. Drenagem<br />
  3. 3. NLPC<br />Cistoscópio<br />Nefroscópios<br />Pinças<br />Dilatadores coaxiais<br />Fontes de energia<br />Cateteres<br />Fio guia<br />Dilatadores<br />Fibras<br />Sondas paranefrostomia<br />
  4. 4. PercutaneousNephrolithotomy<br />. Occlusionballooncatheter (1)<br />. Guidewires (2)<br />. PercutaneousNephrostomy set (1)<br />. Torqueablecatheter (1)<br />. Co-axial dilation set (1)<br />. High-pressureballooncatheter (1)<br />. Tricep-Hooked-ProngGraspingForceps (1)<br />. GraspitNitinolstoneretrievalbasket (1)<br />. ZerotipNitinolstoneretrievalbasket (1)<br />. Escape Nitinolstoneretrievalbasket (1)<br /> (basket - laser)<br />
  5. 5.
  6. 6.
  7. 7. Cateterismo ureteral <br />. Cateterismo ureteral retrógrado <br />. Injeção de soro/ar ou contraste<br />.Cateter ureteral simples ou com balão <br />
  8. 8.
  9. 9.
  10. 10. Acesso percutâneo/Punção<br />. Agulha para punção renal <br />. Comprimento adequado<br />. Preferencialmente não utilizar agulha biselada<br />
  11. 11. Punção renal<br />.<br />
  12. 12. Fios guia<br />. Safetyguidewire / workingguidewire<br />. Guias hidofílica<br /> preferida pois é flexível e maleável <br /> idealmente avançada até o ureter /uretra<br /> alternativa – utilizar um cateter angiográfico ` (COBRA) para direcionar a guia para a pélvis<br />. Guias teflonadas<br />
  13. 13.
  14. 14.
  15. 15.
  16. 16. Dilatação do trajeto<br /><ul><li> Dilatadores metálicos para telescopagem
  17. 17. Dilatadores semi-rígidos
  18. 18. Balões dilatadores</li></li></ul><li>Dilatadores metálicos<br />. Método válido<br />. Barato / re-esterilizável<br />. Usam uma haste metálica com risco de lesão <br />. Requer alguma habilidade e cuidado para seu uso<br />. Ideal para casos com intensa fibrose local<br />
  19. 19. Dilatadores semi-rígidos<br />
  20. 20.
  21. 21. Balão Dilatador <br />. são mais caros<br />. rápidos e seguros/ one-stepprocedure<br />. menores índices de sangramento e transfusões <br />. difícil em pacientes com fibrose local<br />. limitação no diâmetro <br />
  22. 22.
  23. 23.
  24. 24. Nefroscopia<br />. Temos dado preferência ao sistema aberto de trabalho<br /> bainha de Amplatz com nefroscópio rígido<br /> menor absorção de fluido<br /> fácil inserção e remoção<br /> fácil retirada de cálculos e fragmentos<br />. Não utilizamos o sistema fechado com nefroscópio e sua bainha servindo como mantenedor do trajeto<br />. Nefroscopia flexível para cálculos em cálice de difícil acesso tentando evitar novas punções<br />
  25. 25. Fragmentação do cálculo<br /><ul><li>Eletrohidráulico -
  26. 26. instrumentos flexíveis
  27. 27. Laser –
  28. 28. instrumentos flexíveis</li></ul>Campo limpo<br /><ul><li>Ultrassônico– </li></ul>muito efetivo <br />somente em instrumentos rígidos<br />aspiraçao concomitante<br /><ul><li>Balístico – </li></ul> somente em instrumentos rígidos<br />Durabilidade<br /> Baixo custo<br />- Balístico/Ultrassônicoconjugados -<br />
  29. 29.
  30. 30. Retirada do cálculo<br />. Pinças tridentadas rígidas<br /> durabilidade<br />baixo custo <br /> facilidade de uso<br />. Sondas descartáveis<br /> menor risco de lesão renal<br />custo elevado<br /> uso em nefroscópioflexível<br />
  31. 31. Graspitnitinolstoneretrievalbasket<br />
  32. 32. Zerotipnitinolstoneretrievalbasket<br />
  33. 33.
  34. 34. Drenagem pós-NLPC<br />. Nefrostomia de drenagem pós-NLPC<br /> são rotina<br /> objetivo tamponar sangramento<br /> drenagem urinária<br /> permitir novo acesso se necessário<br />
  35. 35. Tipos de nefrostomia<br />. Simples – sem sistema de fixação /Robinson<br />. Fixação – Malecot/ pigtail<br />. Kayetamponadeballoncatheter<br />. Sonda Foley<br />. Drenagem em arco – loop -<br />
  36. 36.
  37. 37.
  38. 38.
  39. 39.
  40. 40.
  41. 41. NLPC/Materiais<br />. Custo-benefício do material utilizado<br />. Atenção crítica a todo material lançado<br /> “ é novo, mas é melhor ? ”<br />. A maioria dos pacientes pode ser tratada com nefroscópio rígido e material básico clássico <br />. Litotritor é fator importante para o sucesso do procedimento <br />
  42. 42. Nitinol<br />
  43. 43. PCNL<br />. Cateter ureteral com ou sem balão (1)<br />. Agulha de punção<br />. Fio guia hidrofílico (2)/ Sensor<br />.Kit de dilatação Amplatzou Balão de dilatação (1)<br />. Litotridor<br />. Pinça tridente<br />. Sonda de nefrostomia (Foley)<br />

×