Novos conceitos em ejaculação precoce

2.145 visualizações

Publicada em

Luiz Otavio Torres
Ex Presidente da SBU-MG
Ex Presidente da Sociedade Latinoamericana de Medicina Sexual

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.145
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
18
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Novos conceitos em ejaculação precoce

  1. 1. NOVOS CONCEITOS EMEJACULAÇÃO PRECOCE<br />Luiz Otavio Torres<br /> Ex Presidente da SBU-MG<br /> Ex Presidente da Sociedade Latinoamericana de Medicina Sexual<br />
  2. 2. Fisiologia da ejaculação Teoria Clássica<br />Emissão<br />Formação da câmara de pressão<br />Expulsão<br />
  3. 3. Fisiologia da Ejaculação<br />Novos Conceitos<br />Pré-ejaculatória<br />Contração do colo vesical e esfíncter interno<br />Ejaculatória<br />Distensão uretra prostática<br /> Deposição das secreções (deferentes, próstata e vesículas seminais)<br /> Aumento da pressão uretra prostática<br /> Relaxamento do esfíncter externo e contração dos músculos <br /> bulboesponjosos e perineais <br /> Expulsão do sêmen<br />Pós-ejaculatória<br />Manutenção da contração do esfíncter interno e do colo vesical<br />
  4. 4. Definição ISSM<br />Ejaculação Precoce é uma disfunção sexual masculina caracterizada pela ejaculação que ocorre sempre ou quase sempre antes de, ou dentro de aproximadamente um minuto após a penetração vaginal; e, incapacidade de retardar a ejaculação em todas ou quase todas as penetrações; e, consequências pessoais negativas, como sofrimento, incômodo, frustração e/ou evitação de intimidade sexual <br />Ad Hoc Committee of ISSM for the Definition of Premature Ejaculation – Novembro 2007<br />
  5. 5. Teoria Neurobiológica da EP<br />A Serotonina central (5-HT) estáamplamentedistribuída no cérebro, medula, tronco, e formação reticular<br />A serotonina tem um papelinibitóriosobre a conduta sexual masculina<br />A injeção de um inibidorseletivodarecaptaçãodaserotonina (SSRI) no hipotálamo lateral de ratosaumentaosníveis de 5‑HT e retarda a ejaculação<br />A administração de um agonistaseletivo dos receptores de 5-HT (8‑OH‑DPAT) diminuiosníveis de 5‑HT e provoca a ejaculaçãonaprimeiraousegundapenetraçãotornando-os “ejaculadoresrápidos”<br />GENÉTICA (Waldinger)<br />Ahlenius S, et al. Behavioral pharmacology of 5‑HT. Hillsdale: 1989<br />Haensel SM, et al. Pharmacol Biochem Behav 1991;40:221‑8<br />
  6. 6. Teoria Neurobiológica da EP<br />Estímulo de receptores 5-HT2C<br /> Retarda a ejaculação<br />Estímulo dos receptores 5-HT1A<br /> Reduz a latência ejaculatória<br />(Waldinger M. BJU 2004; 93:201-7)<br />
  7. 7. Teoria Neurobiológica da EP<br /> Hiposensitividade dos receptores 5-HT2C<br /> Hipersensitividade dos receptores 5-HT1A<br />(Waldinger MD et al., Behav Brain Res 1998)<br />
  8. 8. Uso dos Inibidores da PDE5 na EP<br />Efeito Especulativo<br />Inibição Periférica da resposta contátil dos ductos deferentes, vesículas seminais, próstata e uretra<br />Diminuição dos estímulos simpáticos centrais<br />Mais Provavelmente devido a<br />A melhora da função erétil e diminuição da ansiedade de performance em homens com DE leve<br />McMahon CG (2004) Pharmacological treatment of ejaculatory disorders (ISSIR Round Table discussion)<br />
  9. 9. TEMPE<br />Topical EuteticMixture for PrematureEjaculation<br />Associação de lidocaína e prilocaína em spray: cada uso libera 7,5 mg de lidocaína e 2,5 mg de prilocaína<br />Aplicada na glande: diminuir sensibilidade ?<br />BJU Int .2007 Feb;99(2):369-75<br />
  10. 10. Dapoxetina: Priligy<br />A Dapoxetina é o primeiro medicamento desenvolvido especificamente para EP<br />A Dapoxetina é administrada sob demanda, evitando a necessidade de tratamento diário<br />A Dapoxetina tem um perfil farmacocinético único, com uma rápida absorção e eliminação<br />Tmax ~ 1 hora<br />t1/2 = 1,2 horas<br />Após 24 horas seu nível plasmático é < 5% do concentração plasmática máxima<br />
  11. 11. Farmacocinética da Dapoxetinaapós administração oral<br />(Ronfeld et al, Clin Pharmacokinet 1997; 32 Suppl 1; Zoloft® prescribing Information(C-2004-010)<br />
  12. 12. Dapoxetina<br />Andersson et al. BJU Int. 2006;97:311–5 <br />
  13. 13. A Farmacocinética da Dapoxetina não é afetada pela idade<br />Dapoxetina 60 mg<br />(C-2002-038)<br />
  14. 14. A Farmacocinética da Dapoxetina não é significativamente afetada pela alimentação<br />Alimentado Jejum<br />(C-2002-037)<br />
  15. 15. A Farmacocinética da Dapoxetina não é afetada pelo Etanol (0.5 g/kg)<br />Placebo Etanol<br />(C-2002-036)<br />
  16. 16. A Dapoxetina melhora significativamente o controle da ejaculação<br />*<br />*<br />Placebo(n = 772)<br />Dapoxetina30 mg (n = 800)<br />Dapoxetina60 mg (n = 769)<br />*P <0.0001 vs placebo.<br />
  17. 17. Eventos adversos mais comuns que ocorreram em mais de 5% dos pacientes<br />(C-2002-012 and C-2002-013 pooled data)<br />
  18. 18. A Náusea após a Dapoxetina é na maioria leve e moderada<br />Prevalência relatada (%)<br />(C-2002-012 and C-2002-013 pooled data)<br />

×