Setor Automóvel: inovar para vencer       Depois da crise de 2009, produção automóvel apresenta crescimento na ordem dos 4...
A driving-force do setor automóvel em Portugal deu-se com a adesão de Portugal à Comunidade Europeia      (1986). O salto ...
Contudo, interessa referir que o mercado de automóveis em Portugal contraria totalmente esta tendência      de crescimento...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Setor Automóvel: inovar para vencer

851 visualizações

Publicada em

Artigo de análise e reflexão sobre os últimos anos do setor automóvel, um dos mais dinâmicos, inovadores e exportadores da economia portuguesa, e responsável por cerca de 138 mil postos de trabalho direto.

Publicada em: Negócios, Turismo
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
851
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Setor Automóvel: inovar para vencer

  1. 1. Setor Automóvel: inovar para vencer Depois da crise de 2009, produção automóvel apresenta crescimento na ordem dos 47% Por UPMAN – business advisers, Agosto2011 Outros 0,01% A ACAP – Associação Automóvel em Serviços 0,40% Portugal não hesita ao apresentar o Saúde 1,50% setor automóvel como “um dos mais dinâmicos e inovadores da economia Ind. Extrativas 1,75% nacional”. Se dúvidas houver, basta Agricultura 2,17% pensar que o setor automóvel abrange Sectores de Actividade Energia 6,22% um universo de cerca de 33 mil Alimentar 8,83% empresas, que representam 138 mil Metalurgia e Metalomecânica 8,98% postos de trabalho directo, ou seja, Ind. Florestais 9,77% 2,7% do total de emprego em Automóvel 13,18% Portugal. Estas empresas são Têxteis, Vestuário e 13,98% responsáveis, por um volume de Calçado negócios de 24 mil milhões de euros, Electrónica 14,54% 18,67% cerca de 15% do PIB português Ind. Transformadoras (curiosamente 25% do total da ajuda Percentagem nas exportações financeira que Portugal receberá do Contributo de cada sector económico para o total das exportações portuguesas em 2010 | Fonte: INE; Análise: UPMAN FMI e do Banco Central Europeu). Este peso estatístico foi consubstanciado num investimento regular e sustentado em I&D, capaz de acrescentar valor ao produto final e, consequentemente, antecipar necessidades ao cliente, bem como na aposta na exportação de veículos automóveis e seus componentes, representando, em 2010, 11,7% do volume total de exportações portuguesas. DRIVING-FORCE DO SETOR DECORRE DA ADESÃO DE PORTUGAL À CEE Mas considerar o setor automóvel como um setor que goza de excelente saúde financeira, que se carateriza por um crescimento sustentado e que está fortemente enraizado na economia portuguesa remete-nos um pouca mais atrás no tempo. UPMAN – business advisersPorto | Rua do Passeio Alegre, 20 | Centro Empresarial do Porto | 4150-570 Porto T. +351 220 108 012 | F. +351 220 108 013S. João da Madeira | Rua Comendador Raínho, 1192 | 3700-231 S. João da Madeira T. +351 256 826 234 | F. +351 256 826 252 E. geral@upman.com.pt | Web: www.upman.com.pt
  2. 2. A driving-force do setor automóvel em Portugal deu-se com a adesão de Portugal à Comunidade Europeia (1986). O salto qualitativo e quantitativo do setor automóvel verificado, pela atribuição de diversos fundos estruturais europeus, bem como pela ampliação e diversificação do mercado, permitiu a abertura de novas fronteiras. Impulsionadas pela produção automóvel, surgiram uma série de outras indústrias a montante e a jusante da cadeia de valor, fundamentalmente na concepção e produção de componentes para automóvel, passando igualmente a contribuir de forma decisiva para o sucesso e expansão do setor, tornando-o cada vez maior, mais competitivo e mais importante para a economia portuguesa. Interior AutoEuropa Contudo, é apenas em 1990 que se dá o verdadeiro kick-off do setor automóvel, e da reforma que viria a sofrer até se transformar naquilo que hoje conhecemos dele. Esse marco resulta da joint-venture Ford- Volkswagen (a AutoEuropa). Com a AutoEuropa proliferaram ainda mais as indústrias de componentes, dinamizou-se a investigação e o desenvolvimento tecnológico, promoveu-se a formação profissional dos colaboradores e, socialmente, desempenhou um importante papel na dinamização e o desenvolvimento de uma região. Não sendo o único player no ramo da produção automóvel nacional, a AutoEuropa é, contudo, a grande força motriz do setor, sendo a principal responsável (aprox. de 60%) pelo crescimento de 46,8% da produção automóvel no mês de Junho 2011, comparativamente com o período homólogo. ESTATÍSTICAS A RETER De facto, e de acordo com os dados estatísticos mais recentes avançados pela ACAP, a produção automóvel em Portugal tem vindo a crescer sistematicamente. Se em Junho se registou um aumento de 46,8% é interessante verificar que este crescimento acompanha a tendência do semestre em que “a variação homóloga da produção acumulada no primeiro semestre de 2011 (…) registou um crescimento de 33,2 %, o qual foi determinado pelo crescimento da produção de todos os tipos de veículos”. UPMAN – business advisersPorto | Rua do Passeio Alegre, 20 | Centro Empresarial do Porto | 4150-570 Porto T. +351 220 108 012 | F. +351 220 108 013S. João da Madeira | Rua Comendador Raínho, 1192 | 3700-231 S. João da Madeira T. +351 256 826 234 | F. +351 256 826 252 E. geral@upman.com.pt | Web: www.upman.com.pt
  3. 3. Contudo, interessa referir que o mercado de automóveis em Portugal contraria totalmente esta tendência de crescimento, encontrando-se em queda sistemática desde o início do ano. Segundo a ACAP no mês de Junho o mercado contraiu cerca de 34,1%, “a maior queda mensal dos últimos dois anos”. Os número são claros e expressivos: 99% dos 16.710 veículos produzidos em Junho passado destinaram-se ao mercado internacional. No que se refere à produção acumulada dos primeiros seis meses de 2011, houve um aumento de 35% nas exportações em relação ao mesmo período de 2010, sendo que “a UE-27 absorveu 82,8% do total destas exportações”, apresentando-se a França, a Alemanha e o Reino Unido como os mercados-cliente com maior relevo. INOVAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO COMO ALAVANCA DE CRESCIMENTO Apesar de, aparentemente, muito tempo ter passado desde a crise gigantesca que o setor automóvel atravessou em 2009 é preciso realçar que, apenas um setor fortemente direccionado para a inovação como é o automóvel saberia reinventar-se e crescer em tempos de crise. Fato particularmente encorajador face à conjuntura atual que a economia portuguesa atravessa. A recuperação do setor automóvel apresenta-se como o sinal de que é possível atravessar momentos menos favoráveis, através de uma aposta ininterrupta em inovação, adaptação, formação e investigação. O aumento de produção daí decorrente, bloqueado pela contração do mercado nacional obriga a um reforço da aposta na EXPORTAÇÃO inerentemente e historicamente associada ao setor. Neste contexto, sendo o objetivo último de qualquer acionista, rentabilizar os capitais investidos, o alinhamento estratégico da gestão de topo, das direções e operacionais para a internacionalização, é chave do sucesso para a sustentabilidade no Abordagem UPMAN à Internacionalização mercado nacional cada vez mais restrito e competitivo. UPMAN – business advisersPorto | Rua do Passeio Alegre, 20 | Centro Empresarial do Porto | 4150-570 Porto T. +351 220 108 012 | F. +351 220 108 013S. João da Madeira | Rua Comendador Raínho, 1192 | 3700-231 S. João da Madeira T. +351 256 826 234 | F. +351 256 826 252 E. geral@upman.com.pt | Web: www.upman.com.pt

×