1. Por que os problemas econômicos fundamentais (o quê, quanto, como e para quem
produzir) originam-se da escassez de recu...
6. Defina economia para o Direito.
É uma ciência social que estuda como o indivíduo e a sociedade decidem empregar
recurso...
Os elementos que caracterizam o capitalismo são a acumulação permanente de
capital; a geração de riquezas; o papel essenci...
Os sistemas econômicos podem ser classificados em:
A) Sistema capitalista, ou economia de mercado, é aquele regido pelas f...
14. Diferencie argumentos positivos de argumentos normativos.
A Economia é uma ciência social e utiliza fundamentalmente u...
Geográficos e climáticos. Ela nos permite avaliar fatores muito úteis à análise
econômica, como as condições geoeconômicas...
Geográficos e climáticos. Ela nos permite avaliar fatores muito úteis à análise
econômica, como as condições geoeconômicas...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Questionc3a1rio gabarito-aula-1-e-2

140 visualizações

Publicada em

Questionário gabarito-aula-1-e-2

Publicada em: Direito
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
140
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Questionc3a1rio gabarito-aula-1-e-2

  1. 1. 1. Por que os problemas econômicos fundamentais (o quê, quanto, como e para quem produzir) originam-se da escassez de recursos de produção? Porque em qualquer sociedade, os recursos ou fatores de produção são escassos, enquanto as necessidades humanas são ilimitadas e sempre se renovam. Com isso, há a necessidade de escolher entre alternativas de produção e distribuição dos resultados. Tal escolha leva às questões referidas de O que e quanto produzir (dada a escassez, nem todos os bens poderão ser fabricados e mesmo a quantidade dos bens a serem fabricados será limitada pela disponibilidade de fatores de produção); Como produzir ( a sociedade deverá escolher, dados os fatores de produção - insumos produtivos e tecnologia - disponíveis, o método que maximiza o produto e minimiza o custo de produção) e finalmente para quem produzir (qual o mecanismo de repartição do produto). 2. O que mostra a curva de possibilidade de produção ou curva de transformação. Pode ocorrer fundamentalmente tanto em função do aumento da quantidade física de fatores de produção quanto em função de melhor aproveitamento dos recursos já existentes, o que pode ocorrer com o progresso tecnológico, maior eficiência produtiva e organizacional das empresas e melhoria no grau de qualificação da mão-de-obra. 3. Defina custo de oportunidade. A transferência dos fatores de produção de um bem A para produzir um bem B implica um custo de oportunidade que é igual ao sacrifício de se deixar de produzir parte do bem A para se produzir mais do bem B. O custo de oportunidade por representar o custo da produção alternativa sacrificada, reflete em um custo implícito. 4. A economia é uma ciência não normativa? Explique. Sim. Economia é uma ciência social, pois estuda a situação econômica da sociedade. 5. Conceitue bens de capital, consumo, intermediários e fatores de produção. Bens de Capital: são aqueles utilizados na fabricação de outros bens, mas que não se desgastam totalmente no processo produtivo. Exemplo: Máquinas, Equipamentos e Instalações. Bens de Consumo: destinam-se diretamente ao atendimento das necessidades humanas. De acordo com sua durabilidade, podem ser classificados como duráveis. (geladeiras, fogões, automóveis) ou como não – duráveis (alimentos, produtos de limpeza). Bens Intermediários: são aqueles que são transformados ou agregados na produção de outros bens e que são consumidos totalmente no processo de produtivo (insumos, matérias-primas e componentes). Fatores de Produção: São constituídas pelos recursos humanos (trabalho e capacidade empresarial), terra, capital e tecnologia.
  2. 2. 6. Defina economia para o Direito. É uma ciência social que estuda como o indivíduo e a sociedade decidem empregar recursos produtivos escassos na produção de bens e serviços, de modo a distribuí-los entre as pessoas e grupos da sociedade, a fim de satisfazer as necessidades humanas. Em qualquer sociedade, os recursos ou fatores de produção são escassos; contudo as necessidades humanas são ilimitadas, e sempre se renovam. Isso obriga a sociedade a escolher entre alternativas de produção e de distribuição dos resultados da atividade produtiva aos vários grupos da sociedade. 7. Analisando a economia de mercado observa-se os fluxos real e monetário. Explique como esse sistema funciona conjuntamente com a renda. Para entender o funcionamento do sistema econômico, vamos supor uma economia de mercado que não tenha interferência do governo e não tenha transações com exterior ( economia fechada ). Os agentes econômicos são as famílias e as empresas. As famílias são proprietárias de fatores de produção e os fornecem às empresas, através do mercado dos fatores de produção. As empresas, através da combinação dos fatores de produção, produzem bens e serviços e os fornecem às famílias por meio do mercado de bens e serviços.No entanto, o fluxo real da economia só se torna possível com a presença da moeda, que é utilizada para remunerar os fatores de produção e para o pagamento dos bens e serviços.Desse modo, paralelamente ao fluxo real temos um fluxo monetário da economia. 8. Numa economia centralizada: a) Como são determinados os 3 problemas básicos da economia? São determinados pelos órgãos planejadores centrais como exemplo a IBGE e ONU. b) Como é formulado o planejamento nesse tipo de economia? Primeira fase faz-se um inventário das necessidades humanas a serem atendidas. Segunda fase faz-se um inventário dos recursos e das técnicas disponíveis para a produção. Terceira fase com base nessas disponibilidades, faz-se uma seleção das necessidades prioritárias e fixam-se as quantidades de cada bem a serem produzidas – são as chamadas metas de produção/ consumo. c) Quais as funções do sistema de preços? Verificar o custo da produção e o valor que o mesmo será vendido para o consumidor final. 9. Quais os elementos de uma economia capitalista?
  3. 3. Os elementos que caracterizam o capitalismo são a acumulação permanente de capital; a geração de riquezas; o papel essencial desempenhado pelo dinheiro e pelos mercados financeiros; a concorrência, a inovação tecnológica ininterrupta e, nas fases mais avançadas de evolução do sistema, o surgimento e expansão das grandes empresas multinacionais. A divisão técnica do trabalho, ou seja, a especialização do trabalhador em tarefas cada vez mais segmentadas no processo produtivo, é também uma característica importante do modo capitalista de produção, uma vez que proporciona aumento de produtividade. O modelo capitalista também é chamado de economia de mercado ou de livre empresa. 10. Em relação as necessidades humanas como podemos dividi-las? Explique cada uma delas. Necessidade Humana: é a sensação de carência de algo unida ao desejo de satisfazê- la. Tipos de necessidades: Necessidades do individuo - Natural: por exemplo, comer. - Social: decorrente da vida em sociedade; por exemplo, festa de casamento. Necessidades da sociedade – Coletivas: partem do individuo e passam a ser da Sociedade; por exemplo, o transporte. Publicas: surgem da mesma sociedade; por exemplo, a ordem pública. Necessidades vitais ou primarias: destas depende a conservação da vida; por exemplo, os alimentos. Necessidades civilizadas ou secundárias: são as que tendem a aumentar o bem-estar do indivíduo e variam no tempo, segundo o meio cultural, econômicos e sociais em que se desenvolvem os indivíduos; por exemplo, o turismo. 11. Quais são os sistemas econômicos e como se caracterizam?
  4. 4. Os sistemas econômicos podem ser classificados em: A) Sistema capitalista, ou economia de mercado, é aquele regido pelas forças de mercado, predominando a livre iniciativa e a propriedade privada dos fatores de produção. B) Sistema socialista ou economia centralizada, ou ainda economia planificada, é aquele em que as questões econômicas fundamentais são resolvidas por um órgão central de planejamento, predominando a propriedade pública dos fatores de produção. 12. Represente graficamente o fluxo real e monetário. Fluxo Real da Economia Mercado de Bens e Serviços Demanda Oferta Famílias Empresas Oferta Demanda Mercado de Fatores de Produção Fluxo Monetário da Economia Pagamento dos bens e serviços Famílias Empresas Remuneração dos Fatores de Produção 13. O que é economia sustentável? Economia sustentável: aquela em que as decisões de desenvolvimento, políticas e práticas não destruam os recursos do planeta Terra e sejam implementadas com respeito às várias culturas do mundo. Desenvolvimento sustentável é o desenvolvimento que satisfaz as necessidades do presente sem comprometer a capacidade de as futuras gerações satisfazerem suas próprias necessidades. Uma das novas teorias de desenvolvimento seria, justamente, a que combina eficiência econômica, justiça social e prudência ecológica. O que precisa acontecer, para essa "Sustentabilidade" realmente ocorrer, é uma mudança geral de comportamento e estilos de vida, principalmente em padrões de consumo e produção. Pretende-se levar os alunos, e as pessoas em geral, a compreender a complexidade do ambiente resultante das interações nos seus aspectos biológicos, físicos, sociais e culturais, criando um modo de interpretarem isoladamente esses diferentes elementos no espaço e no tempo, a fim de que futuramente realizem uma utilização mais criteriosa e prudente dos recursos naturais. E, também, que percebam a relação e a importância do meio ambiente nas atividades de desenvolvimento econômico, social e cultural, favorecendo a participação de todos no momento de conceber e aplicar decisões.
  5. 5. 14. Diferencie argumentos positivos de argumentos normativos. A Economia é uma ciência social e utiliza fundamentalmente uma análise positiva, que deverá explicar os fatos da realidade. Os argumentos positivos estão contidos na análise que não envolve juízo de valor, estando esta estritamente limitada a argumentos descritivos, ou noções científicas. Por exemplo, se o preço da gasolina aumentar em relação a todos os outros preços, então a quantidade que as pessoas irão comprar de gasolina cairá. É uma análise do que é. Definimos também argumentos normativos, que é uma análise que contém, explicita ou implicitamente, um juízo de valor sobre alguma medida econômica. Por exemplo, na afirmação “o preço da gasolina não deve subir” expressamos uma opinião ou juízo de valor, ou seja, se é uma coisa boa ou má. É uma análise do que deveria ser. Suponha, por exemplo, que desejemos uma melhoria na distribuição de renda do país. É um julgamento de valor em que acreditamos. O administrador de política econômico dispõe de algumas opções para alcançar esse objetivo (aumentar salários, combater a inflação, criar empregos etc.). A Economia Positiva ajudará a escolher os instrumentos de política econômica mais adequado. Esse é um argumento positivo, indicando que aumentos salariais, nessas circunstâncias, não constituem a política mais adequada. Dessa forma, a Economia positiva pode ser utilizada como base para escolha da política mais apropriada, de forma a atender os objetivos individuais ou da nação. 15. Qual a inter-relação da economia com as demais áreas de conhecimento? Economia : Apesar de ser uma ciência social, a Economia é limitado pelo meio físico, dado que os recursos são escassos, e se ocupa de quantidades físicas e das relações entre as quantidades, como a que se estabelece entre a produção de bens e serviços e os fatores de produção utilizados no processo produtivos. A Economia apresenta muitas regularidades, sendo que algumas relações são invioláveis. Por Exemplo: O consumo nacional depende diretamente da renda nacional. A quantidade demandada de um bem tem uma relação inversamente proporcional com o seu preço. As exportações e as importações dependem da taxa de câmbio. A área que está voltada para quantificação dos modelos é a Econometria, que combina Teoria Econômica, Matemática e Estatística. * Economia e Política: São áreas muito interligadas, tornando-se difícil estabelecer uma relação de casualidade entre elas. A estrutura política se encontra muitas vezes subordinadas ao poder econômico. Citemos alguns exemplos: Poder Econômico dos latifundiários, poder dos oligopólios e monopólios, poder das corporações estatais. * Economia e História: A pesquisa histórica é extremamente útil e necessária para Economia, pois ela facilita a compreensão do presente e ajuda nas previsões para o futuro com base nos fatos do passado. As guerras e revoluções, por exemplo, alteraram o comportamento e a evolução da Economia. * Economia e Geografia: A Geografia não é o simples registro de acidentes
  6. 6. Geográficos e climáticos. Ela nos permite avaliar fatores muito úteis à análise econômica, como as condições geoeconômicas dos mercados, a concentração espacial dos fatores produtivos, a localização de empresas e a composição setorial da atividade econômica. * Economia, Moral, Justiça e Filosofia: Na pré-economia, antes da Revolução Industrial do século XVIII, que corresponde ao período da Idade Média, a atividade econômica era vista como parte integrante da Filosofia, Moral e Ética. A Economia era orientada por princípios morais e de justiça.
  7. 7. Geográficos e climáticos. Ela nos permite avaliar fatores muito úteis à análise econômica, como as condições geoeconômicas dos mercados, a concentração espacial dos fatores produtivos, a localização de empresas e a composição setorial da atividade econômica. * Economia, Moral, Justiça e Filosofia: Na pré-economia, antes da Revolução Industrial do século XVIII, que corresponde ao período da Idade Média, a atividade econômica era vista como parte integrante da Filosofia, Moral e Ética. A Economia era orientada por princípios morais e de justiça.

×