EDITORIAL                                                                            ENTREVISTA DE IVAN PINHEIRO         É...
Então, quando se pergunta como foi a                                   UJC/RJ: Diante dessas avaliações e desseatuação da ...
SEÇÃO CULTURA        O           futebol,expressão cultural quemobiliza     milhões      depessoas pelo mundo –seja pelo a...
SEÇÃO MOVIMENTOS SOCIAIS                                                                      na pauta dos interesses dos ...
SEÇÃO INTERNACIONAL  NOTA POLÍTICA DA UJC SOBRE A                                                                     apre...
SEÇÃO MUNDO DO TRABALHO JOVENS TRABALHADORES: ATAQUES À VISTA!        O Relatório da Organização Internacionaldo Trabalho ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

O jovem-proletario alterado

678 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
678
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
48
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O jovem-proletario alterado

  1. 1. EDITORIAL ENTREVISTA DE IVAN PINHEIRO É com orgulho que a União da Juventude PARA A UJC, REALIZADA EMComunista (UJC)/ RJ lança o primeiro número de seu DEZEMBRO DE 2010jornal, retomando suas atividades históricas de agitaçãoe propaganda, tão fundamentais para uma organizaçãocomunista que, como tal, necessita divulgar suas idéias Ivan Pinheiro é Secretário-Geral do Partidoe ações da maneira mais ampla possível. Comunista Brasileiro e foi candidato à Presidência Neste primeiro número, abrimos o jornal com da República pelo PCB, em 2010.entrevista ao Secretário Geral do Partido ComunistaBrasileiro (PCB), o camarada Ivan Pinheiro, que faz umbreve balanço da participação da esquerda nas UJC/RJ:eleições 2010 e das projeções para o governo que Gostaríamos queassume em 2011, em termos dos seus rebatimentos você fizesse umsobre as condições de vida da população trabalhadora. balanço, breve, daA entrevista está disponível, na íntegra, no blog da UJC participação das(http://ujcriodejaneiro.blogspot.com/). esquerdas Na Seção Cultura, o jornal traz reflexões sobre apenetração da lógica capitalista no âmbito do futebol, nas eleições de 2010, o que você destacaque se torna a cada dia mais elitizado e inacessívelpara o conjunto dos trabalhadores. como mais importante? A Seção Movimentos Sociais divulga entrevista Ivan: Essa eleição, do ponto de vistarealizada com o membro da direção nacional do do PCB, após fazermos um balanço,Movimento Nacional de Luta pela Moradia (MNLM) e chegamos à conclusão que nãomilitante da UJC, Marco Abreu, que apresenta uma cometemos erro ao termos lançado umaavaliação sobre o processo de especulação imobiliária -acirrada no contexto pré-Olimpíadas, no Rio de Janeiro, chapa própria; na realidade, não tivemose pré-Copa do Mundo, no Brasil -, além de uma outra alternativa. Nosso plano A era umadiscussão sobre o atual quadro de cooptação dos frente de esquerda anticapitalista que fossemovimentos sociais, apontando para a necessidade de para além das eleições, mas isso não foiuma ação política que se projete para além de possível, houve uma série de problemasquestões imediatas. internos do PSOL. Tentamos uma última Na Seção Internacional, O Jovem Proletário negociação ao apagar das luzes mas nãoapresenta a nota política de balanço sobre a houve maturidade para isso.participação da UJC e das demais juventudes mundiais Então, nossa campanha foi parano Festival Mundial das Juventudes e dos Estudantes fazer um contraponto, ela já começou(FMJE), da Federação Mundial das Juventudes dizendo que era uma campanha política eDemocráticas (FMJD) – da qual a UJC é membrofundador –, que realizou seu 17o Festival entre os dias não eleitoral, de modo que foi uma boa13 e 21 de dezembro de 2010, na cidade de Pretória, contribuição que demos para dialogar comna África do Sul. o povo, com a esquerda e ajudar a criar um A Seção Mundo do Trabalho apresenta uma ambiente favorável à criação de umadiscussão sobre a precariedade das relações de frente.trabalho e sobre a flexibilização dos direitos De lá pra cá, aumentaram ostrabalhistas, que atingem de maneira incisiva aos contatos, que ainda estamos fazendo, comtrabalhadores, com foco na situação da juventude, que a esquerda que nós chamamosé atingida nesse processo, dentre outras formas, com revolucionária. Não a esquerda queenormes índices de desemprego, refletidos também acredita numa possibilidade de reformasnas relações de estágio. graduais do capitalismo e uma transição Aproveitem a leitura e enviem sugestões, pacífica, mas a revolucionária, que achacríticas e - principalmente - artigos para a próximaedição do O Jovem Proletário! E, lembrem-se, só que não dá para reformar o capitalismo eatravés da organização e da luta, mudaremos o quadro nem superá-lo através apenas daque ora abordamos neste jornal. institucionalidade. Saudações comunistas!UJC/RJ: ujcriodejaneiro.blogspot.com | ujcrio@yahoo.com.br | Twitter: @UJC_Rio UJC NACIONAL: uniaodajuventudecomunista.blogspot.com
  2. 2. Então, quando se pergunta como foi a UJC/RJ: Diante dessas avaliações e desseatuação da esquerda nas eleições temos que cenário de crise que se aproxima qual a posição dodividi-la em duas: nessa que chamamos de governo Dilma para com os movimentos sociais erevolucionária, apesar das divergências e nessa demais organizações dos trabalhadores?que reconhecemos como reformista. Ivan: O PCB indicou o voto na Dilma no 2º Já que falamos aqui da esquerda turno sem nenhuma ilusão, sem fazer campanha erevolucionária, houve um evento durante a sem condições. A decisão foi mais difícil que a de 2006campanha que ajudou a criar um clima de respeito (entre Lula e Alckmin); a diferença, naquela ocasião,mútuo entre as organizações, que foi o debate era maior do que a diferença Dilma x Serra hoje!promovido pelo jornal ‘’Brasil de Fato” entre os A diferença entre ambos é forma de gestão decandidatos a presidente do PCB, PCO e PSTU. O um mesmo projeto. A decisão que tomamos foi corretaPSOL não compareceu e fizemos uma crítica por 3 pontos que destacamos já naquele documento:pública à ausência do companheiro Plínio; não 1 - A questão da privatização, que já não tem láqueriam se “nivelar” aos partidos que não tinham tanta diferença, pois, o grosso foi privatizado na eradireito de ir aos debates e que não tem FHC.parlamentares. Nos 8 anos de governo Lula, além dele não ter Esse debate serviu para quebrar o gelo e contribuído para a reabertura da discussão sobre estapropiciou a realização de reuniões bilaterais entre questão, ele privatizou boa parte de nosso petróleoas organizações. O Comitê Central do PCB está com base no marco regulatório do governo tucano.discutindo um texto, que será lançando 2 - Política internacional - Não que o governobrevemente, chamando por uma frenteantiimperialista e anticapitalista no Brasil. E uma Lula tenha tido uma política externa antiimperialista;das propostas é realizar no ano que vem, com não nos enganemos: parte da burguesia nacional quecalma, um seminário com representantes da o apóia era favorável a uma aproximação maior aesquerda revolucionária. países considerados anteriormente problemáticos por Já a esquerda reformista se comportou nas interesses em negociar com os mesmos. É um enganoeleições como ela se comportou nos últimos 8 acharmos que entre os setores da burguesia não hajaanos, sem fazer qualquer restrição ao governo contradições.Lula. A campanha da Dilma queria comparar as 3-A questão da criminalização dos movimentospolíticas assistencialistas e os índices macro- sociais - O governo Lula foi tão conciliador que, aoeconômicos, pois sabemos que o governo Lula invés de reprimir, optou pela cooptação de inúmerasapresenta exuberantes números de dinamização entidades hoje descaracterizadas, como a CUT e ado capitalismo no Brasil; ainda sim, a campanha UNE. Mas, mesmo não reprimindo, conciliou com apetista fez aquele discurso rebaixado em assuntos repressão judicial que ocorreu em alguns estados.como homofobia, aborto, UPPs e segurança Então esses três pontos, em que pesem aspública e veio o 2º turno. Por que para a burguesia limitações e a degeneração do PT, foramé sempre interessante o 2º turno, é claro que boa determinantes para a nossa posição no 2º turno, semparte da burguesia estava com Serra, porém, a ilusão alguma com o 3º governo petista. A postura domaior parte apoiou a candidatura da Dilma. Serra no tocante a Cuba e a Bolívia, por exemplo, seria É bom lembrar que a candidatura do PT muito preocupante e em relação aos movimentosarrecadou mais recursos que a do PSDB. Essa sociais o seu discurso durante a campanha ficou bemparte da burguesia política mais preconceituosa, à direita que o da candidata petista.que não consegue enxergar as vantagens de Sobre as projeções, nós vemos o que acontece“terceirizar” seu serviço nas mãos do PT, levou na Europa: A repressão é a mesma! Seja na França doSerra para o segundo turno e mesmo não o direitista Sarkozy, seja na Grécia ou Portugal, onde háelegendo, esse setor saiu vencedor, pois a Dilmateve que rebaixar ainda mais o seu programa e partidos denominados socialistas no exercício doabandonou as poucas bandeiras de cunho poder! A Espanha também! E esse caso é ainda maisprogressista que o PT ainda tinha. cretino: Partido Socialista Operário Espanhol! A Agora vemos a composição do ministério, repressão é a mesma!com Antonio Palocci, da direita petista, Nelson Então, eu acho que sem luta, quer dizer, semJobim, que como ministro do Lula, articulou e MUITA luta os trabalhadores não vão atingir seusassinou o acordo militar Brasil-EUA! objetivos e não podem esperar nada desses governos Então, o desenho do governo eleito é que que aí estão, a não ser rebaixamento de direitos.pode ser até mais conservador do que foi o UJC/RJ: E como você avalia a participação dagoverno Lula.Não devemos analisar a pessoa UJC nessas últimas eleições e na vida partidária em(Dilma); o fato é que a crise que está varrendo a geral?Europa e os EUA vai chegar ao Brasil e esse Ivan: Foi muito boa. É um orgulho muito grandeperíodo de bonança dentro de uma economia para o PCB a reorganização, a partir de 2006, da UJC,capitalista vai se tornar um tsunami política e o que teve um papel de elevada importância, não só nopapel dessa equipe extremamente conservadora processo eleitoral, pois nosso partido não vive emnesse cenário é fundamental para se realizar os função de eleições, mas também em levar à frente a“ajustes” necessários para o capitalismo superar política do partido. É isso que quero destacar: a UJCsua crise. tem um papel fundamental em levar para o conjunto do movimento de massas a linha política do partido.UJC/RJ: ujcriodejaneiro.blogspot.com | ujcrio@yahoo.com.br | Twitter: @UJC_Rio UJC NACIONAL: uniaodajuventudecomunista.blogspot.com
  3. 3. SEÇÃO CULTURA O futebol,expressão cultural quemobiliza milhões depessoas pelo mundo –seja pelo amor ao time docoração, pela rivalidadecom o adversário, pelatensão num clássico oupela explosão no grito dogol –, se torna, cada vezmais, espaço depredomínio da lógica domercado. Isso não se dápor acaso, afinal a buscaconstante por lucrosubordina todas asrelações sociais emanifestações culturais,o que não seria diferentecom o futebol, campofértil para o domínio eavanço de interessesparticulares. Todos os anos o futebol se torna cada vezmais inacessível ao conjunto dos trabalhadores: CBF Ricardo Teixeira, o qual, através de uma “jogada”os ingressos passam por um processo de jurídica, pode abocanhar até 100% dos lucros doencarecimento cada vez maior, as meia-entradas Comitê Organizador Local da Copa de 2014 (COL). Nosão reduzidas, o transporte em dia de jogo (como contrato social do COL estão presentes dois sócios: aem todos os outros dias) é precário. Tudo isso é CBF e Ricardo Teixeira. O primeiro detém 99,99% dasreflexo do ataque constante que o conjunto de cotas e o segundo 0,01%, porém, há uma “jogada”direitos conquistados historicamente pelos estatutária no Parágrafo Primeiro, do Capítulo V quetrabalhadores vem sofrendo. O salário-mínimo, diz que: “Os resultados apurados no final de cadahoje estipulado em R$ 510, que não dá conta exercício social deverão ter o destino que vier a sernem das necessidades mais básicas determinado pelos sócios. A distribuição de lucros(alimentação, vestimenta, moradia, locomoção), poderá ser feita, a critério dos sócios, sem guardartão pouco nos permite acompanhar nosso time no proporção com as respectivas participações no capitalestádio. Isso sem falar que o próprio salário- social”. Ou seja, Ricardo Teixeira como um dos sóciosmínimo é uma realidade distante para a maior e como mandatário da outra parte da sociedade, temparte dos trabalhadores brasileiros, que vivem de plenos poderes de dirigir (ou digerir) os lucros destaempregos informais. sociedade. Vale lembrar que a Copa da Alemanha, em Até assistir aos jogos na TV é um desafio: 2006, rendeu lucros de R$ 263,6 milhões.a transmissão é restrita porque quem define o No entanto, em meio a denúncias de “malasjogo que vamos assistir não somos nós, mas as brancas” e “malas pretas”, corrupção e de todo ograndes emissoras, guiadas por seus interesses processo de elitização que atinge ao futebol - comopor lucro. São os canais Globo-Sportv que afeta inúmeras instâncias da vida social -, ele não édefinem os horários das partidas - o que faz com imune a formas de resistência, que buscam fazer umque os jogos sejam muito tarde, com espaço contraponto a essa lógica. Neste sentido, se fazsomente depois da novela - e também quais necessária a luta contra a elitização do futebol e pelapassarão na TV aberta. transparência nas relações políticas que envolvem este A corrupção é algo presente e corriqueiro esporte. Desta maneira, como produto inexorávelno mundo do futebol, como um metabolismo desse embate, se espera conseguir uma maiorselvagem das volumosas transações que são democratização no acesso ao esporte, seja ele atravésmovimentadas nesse “rentável negócio”. dos estádios ou da TV, além do fim da corrupção, queRecentemente tivemos exposta uma denúncia parece ter criado raízes profundas no seio dasfeita pelo sítio LANCENET! envolvendo o estruturas administrativas do futebol – expressãopresidente da própria das relações sociais na sociedade capitalista.UJC/RJ: ujcriodejaneiro.blogspot.com | ujcrio@yahoo.com.br | Twitter: @UJC_Rio UJC NACIONAL: uniaodajuventudecomunista.blogspot.com
  4. 4. SEÇÃO MOVIMENTOS SOCIAIS na pauta dos interesses dos capitalistas, que só visam ENTREVISTA REALIZADA COM ao lucro e só se interessam pela questão habitacional se ela se apresentar como uma mercadoria. A atuação MARCO, EM NOVEMBRO DE 2010 dos movimentos deve ter como foco o ataque à lógica do capital, a partir da luta pela democratização do solo, Marco é estudante de Ciências Sociais na UERJ e da reforma urbana e da formação cotidiana das bases militante do Movimento Nacional de Luta pela com vistas ao comunismo. Moradia e da União da Juventude Comunista UJC/RJ: Como é a dinâmica das remoções no Rio de Janeiro? Ela se caracteriza pela truculência? E, UJC/RJ: Fale um pouco sobre o na sua avaliação, quais os rebatimentos que osmovimento de luta pela moradia. preparativos para as Olimpíadas terão sobre os Marco: A partir de 2002 a região de São movimentos pela moradia na cidade?Cristóvão passou a sofrer o processo de Marco: A dinâmica é de criminalização. Éespeculação imobiliária, com a remoção das truculenta porque se dá através do despejo, do choqueocupações existentes no local para a construção, de ordem, da ação do aparelho repressor. Na Baixada,por grandes empreiteiras, de condomínios as milícias estão associadas às grandes empreiteiras efechados, especialmente nos arredores da Quinta funcionam como instrumentos de repressão a seuda Boa Vista. As ocupações, até então, não se serviço, intimidando lideranças do movimento edavam através de uma ação política organizada, desarticulando suas bases. Com as Olimpíadas, amas pela necessidade de moradia. No entanto, tendência é que as remoções aumentem e a repressãoem contrapartida à ofensiva às ocupações, os também. Já estamos organizando comissões demoradores começaram a se organizar e a se vistoria de violações dos direitos humanos nas capitaismobilizar para resistir às remoções, boa parte que receberão a Copa do Mundo, porque já esperamosaderindo ao Movimento Nacional de Luta pela pelo aumento da repressão e da violência sobre osMoradia (MNLM). O MNLM já existe há 20 anos. movimentos sociais. O projeto do trem bala, que ligaráEu entrei em 2008. o Rio a São Paulo, passa exatamente por cima da UJC/RJ: A conjuntura, no país, aponta ocupação em que eu moro. É claro que sofreremospara uma tendência à cooptação dos movimentos pressões ainda maiores para desocupar o lugar.sociais e seu atrelamento ao governo. Como o UJC/RJ: E para o próximo governo federal,MNLM se insere nesse contexto? quais as perspectivas? Marco: O MNLM está organizado em 18 Marco: Será uma continuação do Lula. A Dilmaestados, a maioria atrelada às políticas de vem com um discurso técnico – até porque ela é umahabitação governamentais, através da gestão de técnica – de ampliação dos programasprogramas como o Minha Casa Minha Vida, que governamentais. Ela diz que serão construídas maistambém são geridos por setores do tantas mil casas, mas não coloca em questão queempresariado, em especial aqueles vinculados à essas casas serão construídas em locais cada vezconstrução civil. No entanto, no Rio de Janeiro, mais distantes das regiões centrais e dos nossos locaisem Pernambuco, em Tocantins e no Rio Grande de trabalho. São construções que respondem aosdo Sul, o MNLM tem como ação central a interesses da especulação imobiliária e que não tocamresistência aos processos de remoções por meio no problema do déficit habitacional que existe no país,da ocupação direta e da mobilização, com uma pois não toca nas grandes propriedades.postura crítica ao atual governo, tendo como Marco: É importante registrar que, no mês deperspectiva a construção do socialismo – novembro, a ocupação Manuel Congo foi regularizada.bandeira que vem sendo fortemente atacada por Foi uma grande vitória para nós, pois foi a primeiracorrentes reformistas no interior do movimento. ocupação a ser regularizada no Centro da cidade do UJC/RJ: Os movimentos sociais, em Rio de Janeiro. Isso nos dá mais força para barrar ageral, lutam por questões imediatas – como o limpeza que vem acontecendo no Centro e dá um gásacesso à moradia – enquanto necessidades ainda maior para o movimento.legítimas e fundamentais para a própriasobrevivência. No entanto, como é possível ____________________________________________ultrapassar o imediatismo e pautar umaintervenção política mais organizada e Mais informações dadas pelo Marco: O déficitconseqüente, baseada num horizonte político habitacional no estado do Rio de Janeiro, hoje, é deestratégico? 400 mil moradias, porém existem cerca de 600 mil Marco: A organização e a mobilização têm imóveis fechados pela especulação. No Brasil o déficitum peso político fundamental. Elas precisam é de 8 milhões de moradias, enquanto existem 16estar articuladas à luta contra a lógica do capital, milhões de imóveis sem função social. São dadosporque não é possível lutar por moradia sem oficiais. Na verdade, deve ser muito mais do queatacar o capitalismo. O direito à moradia não está divulgam.UJC/RJ: ujcriodejaneiro.blogspot.com | ujcrio@yahoo.com.br | Twitter: @UJC_Rio UJC NACIONAL: uniaodajuventudecomunista.blogspot.com
  5. 5. SEÇÃO INTERNACIONAL NOTA POLÍTICA DA UJC SOBRE A apresentaram um Painel sobre os 65 anos da FMJD e FMJE os Festivais. O Seminário de Solidariedade Internacional promovido pela UJC foi a única atividade nacional preparatória ao XVIIº Festival Mundial da Juventude e dos Estudantes. Aconteceu, entre os dias 13 e 21 de Delegação Brasileiradezembro de 2010, o XVIIº Festival Mundial da A delegação brasileira ao XVII FMJE foiJuventude e dos Estudantes (FMJE), na cidade composta por artistas, desportistas e militantes dede Pretória – África do Sul. A União da Juventude diversas correntes políticas. Do campo da OposiçãoComunista esteve presente no Festival Independente estiveram presentes além da UJC, aapresentando um manifesto intitulado “Pelo JCA, a JLIBRE, a juventude do MST e a juventude daSocialismo e pela Paz Mundial!”. A delegação da APS. Das juventudes governistas estiveram presentesUJC foi composta por quatro camaradas: Paulo a UJS, JSPDT, JPPL, JPMDB, JSB e JPT.Vinicius, Suzana, Thiago Jorge e Túlio Lopes. Duas visões distintas foram apresentadas pela O Festival ocorreu nas dependências da delegação brasileira. Enquanto as juventudes ligadasUniversidade de Tecnologia Tshwane. A cerimônia ao governo federal buscavam promover ede abertura contou com a presença do presidente propagandear o Governo Lula, a UJC e outrasda África do Sul, Jacob Zuma membro do organizações procuraram apresentar as lutas travadasCongresso Nacional Africano. Atividades culturais, em nosso país como às campanhas nacionais: Oesportivas, marchas, passeatas, seminários, Petróleo tem que ser nosso!, Nenhum direito a menos!conferências, reuniões bilaterais e o tradicional Avançar rumo a novas conquistas!, a luta por umaTribunal Antiimperialista marcaram o XVIIº Universidade Popular e a luta contra a criminalizaçãoFestival Mundial da Juventude e dos Estudantes. dos movimentos sociais. Organização membro plena da Federação Federação Mundial das JuventudesMundial das Juventudes Democráticas desde Democráticas (FMJD)1945, a União da Juventude Comunista/ Brasil A UJC participou da primeira reuniãoparticipou efetivamente das principais atividades internacional preparatória realizada em Caracas nodo Festival e participou de reuniões bilaterais com mês de abril e da última reunião internacionalvárias juventudes comunistas presentes. A luta preparatória realizada no dia 12 de dezembro, um diaantiimperialista impulsionada por diversas antes da abertura do Festival. Na reunião da FMJDorganizações presentes ganha força com a durante o Festival foi aprovada a proposta deexitosa realização deste XVIIº Festival Mundial da Declaração Final do XVIIº Festival Mundial daJuventude e dos Estudantes. Juventude e dos Estudantes. Atividade preparatória da UJC - Do Brasil, somente a UJC (PCB), a UJSSeminário de Solidariedade Internacional (PCdoB) e a JPPL (Ex-MR8) participam como A UJC realizou no dia 26 de novembro em membros plenos da Federação Mundial dasBelo Horizonte (Minas Gerais) um Seminário de Juventudes Democráticas. Outras organizações sãoSolidariedade Internacional como atividade consideradas como organizações amigas da FMJD empreparatória para o XVIIº Festival Mundial da nosso país.Juventude e dos Estudantes. O Seminário contou Juventudes Comunistascom a presença de representantes das principais A UJC realizou reuniões bilaterais comentidades nacionais que possuem atuação na juventudes comunistas de vários países. Participamosárea da efetiva solidariedade internacional como o também de uma reunião das juventudes comunistas daComitê Democrático Palestino – Brasil, a Casa da América Latina convocada pelos camaradas daAmérica Latina e a Associação Cultural José Juventude Comunista do Equador.Martí. COMUNISMO É A JUVENTUDE DO MUNDO! Representantes da Juventude Comunista Era o lema da bonita faixa da JuventudeAvançando ligada a Corrente Comunista Luís Comunista da Grécia, que simbolizou a forte presençaCarlos Prestes e da Juventude do Movimento dos das juventudes comunistas no XVIIº Festival MundialTrabalhadores Rurais Sem Terra também da Juventude e dos Estudantes principal encontroestiveram presentes no Seminário de internacional da juventude que luta contra oSolidariedade Internacional da UJC. Os imperialismo, pelo socialismo e pela paz mundial.camaradas Zé Ângelo e Túlio LopesUJC/RJ: ujcriodejaneiro.blogspot.com | ujcrio@yahoo.com.br | Twitter: @UJC_Rio UJC NACIONAL: uniaodajuventudecomunista.blogspot.com
  6. 6. SEÇÃO MUNDO DO TRABALHO JOVENS TRABALHADORES: ATAQUES À VISTA! O Relatório da Organização Internacionaldo Trabalho (OIT) constata um significativoaumento da taxa de desemprego de jovenseconomicamente ativos com idade entre 15 e 24anos, em comparação ao ano de 2009. De acordocom projeções da OIT, a taxa de desempregoglobal da juventude, no ano de 2010, atingiu13,1% e pode apresentar um declínioinexpressivo para 12,7%, em 2011. Os governos dos países em criseliberaram verbas públicas para salvar empresas ebancos, além disso, isentaram de inúmerostributos tais setores, dentro do jargão liberal:destravou-se a produção. Porém, a conta doauxílio foi cobrada: nada disso foi o bastante paragarantir o emprego de milhões de trabalhadores,agora endividados e desempregados. Reflexos da crise econômica que chegou O ano de 2011, para os trabalhadoresao Brasil, e que o Estado brasileiro tentou ocultar, brasileiros, promete ser de ofensiva do capital aosforam as demissões em massa, a redução de direitos trabalhistas e de arrocho salarial. Na Europa esalários, a flexibilização dos direitos trabalhistas nos EUA as tão alardeadas “medidas de austeridade”de inúmeras categorias e a marginalização da já estão sendo tomadas. No entanto, é do velholuta sindical classista, privilegiando o sindicalismo continente que vem a saída: só com muita luta,de resultado e seus acordos de cúpula (centrais organizada e conseqüente, podemos barrar a onda desindicais) com governo e empresários, ataques e atentar que, no bojo da luta CAPITAL Xdesmobilizando o conjunto da classe TRABALHO, só a perspectiva revolucionária apresentatrabalhadora, a colocando como mera “torcedora” a saída para a superação dos principais problemas dedo governo para um bom desfecho para a crise. ordem estrutural do capitalismo: A CONSTRUÇÃO DO Como alternativa para atenuar o problema SOCIALISMO.do desemprego entre jovens no Brasil, temos aLei do Primeiro Emprego, nº 10/940, de 27 deagosto de 2004, e a Lei do Estágio, 11/788, de 25 UJC/RJ Blog: ujcriodejaneiro.blogspot.comde setembro de 2008, as quais criam facilidades E-mail: ujcrio@yahoo.com.brpara “inserção” (como se o enorme contingente Twitter: @UJC_Riode trabalhadores desempregados não cumprisseum importante papel) no universo do trabalho. UJC Blog: Nacional uniaodajuventudecomunista.blogspot.com As Leis são insuficientes e refletem umatendência que se intensifica nos últimos anos: aprecarização do trabalho. O estágio, por muitasvezes, não está relacionado à área do cursoestudado, e, na tentativa de aprender um oficio,os estagiários acabam deparando-se com EXPEDIENTEcondições inadequadas e que não apresentamnenhum conteúdo profissionalizante. Fica claro, portanto, que o conjunto da Produção e entrevistas: UJC/RJlegislação, em grande medida, serve como formade contratar força de trabalho barata e sem o Diagramação: Dario da Silvapeso dos (indesejáveis e ameaçados) direitostrabalhistas. Tiragem: Periódico eletrônico e impresso.

×