Trabalho de Biologia - THC

11.416 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
11.416
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3.501
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
112
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Trabalho de Biologia - THC

  1. 1. THC Eduardo Morales João Betti Luiz Eduardo Antonioli Rafael Macedo Rodrigo Laroca 3ºF 2008
  2. 2. O que é o THC e como ele atua no nosso sistema nervoso?
  3. 3. Histórico da Maconha A maconha é uma das mais antigas drogas extraídas das plantas. Os registros mais remotos vêm de 2.723 a. C., quando foi destaca na Farmacopéia chinesa. Outros registros evidenciam a existência da maconha em uma cerâmica, com marcas da fibra da planta, encontrada a mais ou menos 6.000, no norte da China central. A partir daí a erva começou a difundir-se gradualmente para Índia, Oriente médio, Europa e chegando até as Américas. Até então o uso da planta era para fins medicinais e têxteis. Por volta do século XVI, os escravos que eram trazidos para o Brasil da África eram acostumados a fumar maconha. Aqui no Brasil ela também teve fins medicinais e para produção de cordas e velas para navios. Os navios portugueses, espanhóis, holandeses, franceses e ingleses dependiam tanto da fibra para produzir velas e cordas que espalharam a semente pelo mundo inteiro.
  4. 4. Motivações intelectuais A partir do século XIX, no ocidente, a maconha começou a ser consumida por escritores e artistas e restringia-se a pequenos círculos boêmios das grandes cidades. No século XX, os cientistas identificaram os efeitos colaterais da maconha e seu uso acabou restringido ou excluído nas farmacopéias, sendo proibido por leis em vários países. Mesmo assim, pesquisas mostram que a maconha é a droga mais consumida pelos jovens estudantes colegiais e universitários.
  5. 5. A droga popularmente conhecida como maconha, na verdade é um grupo de plantas como a Cannabis sativa , a Cannabis indica e a Cannabis ruderalis . Pela própria planta é produzida uma substância chamada THC(tetrahidrocanabinol) que é o que causa os “efeitos” da maconha. A concentração de THC varia a cada tipo da planta. Para que sejam obtidos os efeitos da planta, a maconha pode ser consumida através do fumo, em forma de cigarros ou em cachimbos, ou pode ser ingerida, como ingrediente de bolos, ou outros tipo de comida. Além disso, apesar da proibição em alguns países, a erva pode ser usada para fins medicinais, como principio ativo de remédios que, entre outras coisas, servem para abrir apetite. O que é
  6. 6. Locais de atuação do THC <ul><li>Em muitas regiões do nosso cérebro podemos encontrar o que ficou conhecido como receptores para maconha, onde a droga, mas precisamente o já mencionado tetraidrocanabinol (THC),age sobre as superfícies do neurônio. </li></ul><ul><li>A parte azul na figura abaixo representa tal região . </li></ul>
  7. 7. Substituição <ul><li>E são nessas superfícies dos neurônios que podemos analisar uma substituição na sinapse, uma vez que o THC faz a função da anandamina, neurotransmissor responsável pela passagem de impulso nervoso. </li></ul><ul><li>A conseqüência deste processo invertido esta na intensidade do impulso nervoso que se desloca com maior velocidade, fazendo assim que se estimule em maior quantidade os impulsos, alterando as funções psíquicas superiores podendo provocar alucinações sonhos ou sensações de paz e angustia. </li></ul>
  8. 8. No entanto <ul><ul><li>Os efeitos mentais causados pela cannabis variam conforme o contexto psicológico e fisiológico do usuário. </li></ul></ul><ul><ul><li> Podem ser diferentes, ou até mesmo opostos, conforme o estado de humor antes de consumir a droga. Isso se deve a variações na composição relativa dos difererentes componentes ativos da maconha e da forma como eles interagem com os circuitos neuronais.. </li></ul></ul><ul><ul><li>A planta pode causar efeitos mentais como a melhora de humor, redução de ansiedade e relaxamento – qualidades desejadas no tratamento de muitas doenças. </li></ul></ul>
  9. 9. Uso farmacêutico <ul><li>O THC pode ser usado farmacêuticamente, pois causa analgesia, relaxamento muscular, imunossupressão, como anti-inflamatórios, anti-alérgicos, sedativos, para melhorar o humor, como estimulante do apetite, anti-emético, diminuidores da pressão intra-ocular, broncodilatação, neuroproteção e efeitos anti-neoplásicos. </li></ul><ul><li>Atualmente é usado um THC sintético, o dronabinol, com duas indicações terapêuticas: náuseas e enjôos induzidos pela quimioterapia e anorexia associada a SIDA. </li></ul><ul><li>Algumas pesquisas também sugerem que o THC pode estar indicado em caso de epilepsia, depressão, doença bipolar, ansiedade, consumo excessivo de álcool, sintomas de retirada, assim como distúrbios do comportamento na doença de Alzheimer, mas revela-se necessária uma investigação mais aprofundada. </li></ul><ul><li>Provas crescentes demonstram a efetividade dos efeitos do THC contra os espasmos provocados pela esclerose múltipla, lesão no cordão espinal e na síndrome de Tourette. </li></ul>
  10. 10. Efeitos colaterais <ul><li>Entretanto, os benefícios citados ainda sofrem certa relutância em serem aceitos pela comunidade médica, uma vez que também causam efeitos que não são saudáveis </li></ul><ul><li>Muito tem se estudado os efeitos gradativos da maconha não só em relação aos comportamentos psíquicos do usuário quanto aos danos que ela pode causar ao corpo humano. </li></ul><ul><li>Observou-se que a maconha denigre o sistema imunitário comprometendo a ação dos linfócitos T , e assim diminui a destruição tanto de células cancerígenas quanto de organismos estranhos ao corpo humano. </li></ul><ul><li>Observou – se também que uma vez utilizada a maconha ocorre a destruição dos macrofágos alvelares, o que aumenta a exposição a infecções pulmonares e a irritação dos alvélos aumentando a incidência de efisemas. </li></ul>
  11. 11. Evidências <ul><li>Ao se estudar os possíveis danos ao corpo humano, conclui-seque o uso da maconha pode causar: </li></ul><ul><li>Deficiência respiratória durante a prática de exercícios; </li></ul><ul><li>Efeitos na Cognição (pensamento): </li></ul><ul><li>Danos na memória </li></ul><ul><li>Dificuldade de concentração </li></ul><ul><li>Diminuição da capacidade para organizar e integrar informação complexa </li></ul><ul><li>OBS.: dependendo da freqüência de consumo da substância os efeitos nos cérebro são reversíveis, se consumido em pouca quantidade ou irreversíveis, se consumido em largas quantidades. </li></ul>
  12. 12. Mais efeitos <ul><li>Efeitos Psicóticos: </li></ul><ul><li>Depressão </li></ul><ul><li>Ansiedade </li></ul><ul><li>Síndromes de Confusão </li></ul><ul><li>Aparecimento e/ou agravamento de esquizofrenias. </li></ul><ul><li>OBS.: O consumo na adolescência potencializa os efeitos acima descritos. </li></ul><ul><ul><li>Efeitos durante a gravidez: </li></ul></ul><ul><ul><li>Está comprovado o aumento do risco de malformações fetais e de danos cognitivos </li></ul></ul>
  13. 13. Bibliografia <ul><li>Livro: Drogas por três penas, coleção Argo I volume. </li></ul><ul><li>Entrevista de Drauzio Varella com o Dr. Elisaldo Carline médico psicofarmacologista que trabalha no Centro Brasileiro de Informação sobra Drogas(CEBRID) e é professor da Universidade Federal de São Paulo(UNIFESP) </li></ul><ul><li>Sites: </li></ul><ul><li>www.qmc.ufsc.br </li></ul><ul><li>www.brasilescola.com </li></ul><ul><li>Revista Mente e Cérebro. </li></ul>

×