Arte publicitária i cores

601 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
601
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
17
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Arte publicitária i cores

  1. 1. Arte Publicitária IArte Publicitária I Uso e Aplicação das CoresUso e Aplicação das Cores
  2. 2. Uso das CoresUso das Cores As cores exercemAs cores exercem diferentes efeitosdiferentes efeitos fisiológicos sobre ofisiológicos sobre o organismo humano,organismo humano, e tendem, assim, ae tendem, assim, a produzir váriosproduzir vários juízos e sentimentos.juízos e sentimentos.
  3. 3. Percepção das CoresPercepção das Cores • Porque você acha que os restaurantes como Mac Donald’s e Habibs são vermelhos? • Já viu algum site de instituição religiosa vermelho? Incrível o que são as cores em nossa vida.
  4. 4. Significado de Cada CorSignificado de Cada Cor
  5. 5. Existem algumas indicaçõesExistem algumas indicações seguras quanto ao uso das coresseguras quanto ao uso das cores em publicidade...em publicidade...
  6. 6. VermelhoVermelho Aumenta a atenção, é estimulante, motivador. Indicado para uso em anúncios de artigos que indicam calor e energia, artigos técnicos e de ginástica.
  7. 7. LaranjaLaranja Indicado para as mesmas aplicações do vermelho, com resultados um pouco mais moderados.
  8. 8. AmareloAmarelo Combinada com o preto pode resultar eficaz e interessante. Geralmente indicada para aplicação em anúncios que indiquem luz, é desaconselhável seu uso em superfícies muito extensas.
  9. 9. VerdeVerde Estimulante, mas com pouca força sugestiva; oferece uma sensação de repouso. Indicado para anúncios que caracterizam o frio, azeites, verduras e semelhantes.
  10. 10. AzulAzul Possui grande poder de atração; é neutro nas inquietações do ser humano; acalma o indivíduo e seu sistema circulatório. Indicado em anúncios que caracterizem o frio.
  11. 11. RoxoRoxo Acalma o sistema nervoso a ser utilizado em anúncios de artigos religiosos, em viaturas, acessórios funerários etc. Para dar a essa cor maior sensação de calor, deve-se acrescentar vermelho; de luminosidade, o amarelo ou o branco; de calor, o laranja; de frio o azul; de arejado o verde.
  12. 12. Púrpura e OuroPúrpura e Ouro Cores representativas do valor e dignidade. Devem ser aplicadas em anúncios de artigos de alta categoria e luxo.
  13. 13. MarromMarrom Esconde muito a qualidade e o valor e, portanto, pouco recomendável em publicidade.
  14. 14. VioletaVioleta Entristece o ser humano, não sendo, portanto, muito bem visto na criação publicitária.
  15. 15. CinzaCinza Indica discrição. Para atitudes neutras e diplomáticas é muito utilizado em publicidade.
  16. 16. PretoPreto Deve ser evitado o excesso em publicações a cores, pois tende a gerar frustração.
  17. 17. Azul e BrancoAzul e Branco Estimulante, predispõe à simpatia; oferece uma sensação de paz para produtos e serviços que precisam demonstrar sua segurança e estabilidade.
  18. 18. Azul e VermelhoAzul e Vermelho Estimulante da espiritualidade; combinação delicada e de maior eficácia na publicidade.
  19. 19. Azul e PretoAzul e Preto Sensação de antipatia; deixa o indivíduo preocupado; desvaloriza completamente a mensagem publicitária e é contraproducente.
  20. 20. Vermelho e VerdeVermelho e Verde Estimulante, mas de pouca eficácia publicitária. Geralmente se usa essa combinação para publicidade rural.
  21. 21. Vermelho e AmareloVermelho e Amarelo Estimulante e eficaz em publicidade. Por outro lado as pesquisas indicam que pode causar opressão em certas pessoas e insatisfação em outras.
  22. 22. Verde e AmareloVerde e Amarelo Produz atitude passiva em muitas pessoas, sendo ineficaz em publicidade. Poderá ter resultado eficaz se houver mais detalhes coloridos na peça.
  23. 23. Arte Publicitária IArte Publicitária I Uso e Aplicação das CoresUso e Aplicação das Cores (Psicologia das Cores)(Psicologia das Cores)
  24. 24. As cores na HistóriaAs cores na História • As cores sempre estiveramAs cores sempre estiveram presentes desde o começo dapresentes desde o começo da história do homem. Elashistória do homem. Elas faziam parte mais dasfaziam parte mais das necessidades psicológicas donecessidades psicológicas do que das estéticas, como porque das estéticas, como por exemplo, na história dosexemplo, na história dos egípcios que sentiam na coregípcios que sentiam na cor um profundo sentidoum profundo sentido psicológico, tendo cada corpsicológico, tendo cada cor como um símbolo.como um símbolo.
  25. 25. O estudo das coresO estudo das cores Posteriormente nas artes,Posteriormente nas artes, Vincent van Gogh conferiuVincent van Gogh conferiu às suas pinturas sensaçõesàs suas pinturas sensações cromáticas que traduzemcromáticas que traduzem intensas cargas emotivas eintensas cargas emotivas e psicológicas de seupsicológicas de seu autor. Mas, foi só no séculoautor. Mas, foi só no século XIX que houve um interesseXIX que houve um interesse maior em estudarmaior em estudar cientificamente a cor, atécientificamente a cor, até mesmo com a participaçãomesmo com a participação de filósofos e escritores. de filósofos e escritores. 
  26. 26. Cores e ImaginaçãoCores e Imaginação As cores enfim, têm aAs cores enfim, têm a capacidade de liberar umcapacidade de liberar um leque de possibilidadesleque de possibilidades criativas na imaginaçãocriativas na imaginação do homem, agindo nãodo homem, agindo não só sobre quem admirarásó sobre quem admirará a imagem, mas tambéma imagem, mas também sobre quem a produz.sobre quem a produz.
  27. 27. Funções das CoresFunções das Cores Impressionar a retina,Impressionar a retina, Provocar uma reaçãoProvocar uma reação Construir uma linguagemConstruir uma linguagem própria comunicandoprópria comunicando uma idéia, tendo valor deuma idéia, tendo valor de símbolo e capacidade.símbolo e capacidade.
  28. 28. A comunicação da corA comunicação da cor • Independe de fala;Independe de fala; • Independe de idiomaIndepende de idioma • Independe de escritaIndepende de escrita
  29. 29. O clima e as coresO clima e as cores • Nas artes, o clima é umNas artes, o clima é um grande influenciador nagrande influenciador na utilização das cores. Noutilização das cores. No Brasil, por exemplo, issoBrasil, por exemplo, isso pode ser percebido atravéspode ser percebido através da arte do nordestino emda arte do nordestino em contraste com a do sulista.contraste com a do sulista. Observe as imagens ao lado.Observe as imagens ao lado.
  30. 30. Influência das Cores na PublicidadeInfluência das Cores na Publicidade • Para que uma marca, umPara que uma marca, um título, ou uma informação,título, ou uma informação, tenham legibilidade é precisotenham legibilidade é preciso que se analise a cor de fundoque se analise a cor de fundo deles para que haja umdeles para que haja um contraste. Do contrário, terãocontraste. Do contrário, terão a visibilidade prejudicada ea visibilidade prejudicada e dificilmente serãodificilmente serão memorizados.memorizados.
  31. 31. A influência do SolA influência do Sol • Podemos dizer quePodemos dizer que o Sol é o grandeo Sol é o grande regente na orquestraregente na orquestra das cores, visto quedas cores, visto que precisamos sempreprecisamos sempre dele para uma boadele para uma boa visualização delas.visualização delas.
  32. 32. A Psiquê das CoresA Psiquê das Cores • É claro que há umÉ claro que há um peso psicológico napeso psicológico na escolha dessa ouescolha dessa ou aquela cor, que éaquela cor, que é definido pelodefinido pelo sistemasistema neurofisiológico deneurofisiológico de cada indivíduo.cada indivíduo.
  33. 33. Teoria de Young-HelmholtzTeoria de Young-Helmholtz Thomas Young procurou aThomas Young procurou a existência das três cores primáriasexistência das três cores primárias na constituição do homem, e nãona constituição do homem, e não na natureza da luz como outrosna natureza da luz como outros teóricos fizeram. Para ele, ateóricos fizeram. Para ele, a maioria dos fenômenosmaioria dos fenômenos relacionados à cor deve-se àrelacionados à cor deve-se à existência de estímulos deexistência de estímulos de excitação do olho humano,excitação do olho humano, sensíveis à luz que reagem, aosensíveis à luz que reagem, ao azul-violeta, ao verde e aoazul-violeta, ao verde e ao vermelho-alaranjado.vermelho-alaranjado.
  34. 34. Teoria de Young-HelmholtzTeoria de Young-Helmholtz Desenvolveu mais as teoriasDesenvolveu mais as teorias das cores de Young, edas cores de Young, e inventou o oftalmômetro e oinventou o oftalmômetro e o telestereoscópio. Helmholtz,telestereoscópio. Helmholtz, além de ser o autor doalém de ser o autor do “Manual de óptica“Manual de óptica fisiológica”, que, apesar de serfisiológica”, que, apesar de ser do século 19, é ainda umado século 19, é ainda uma obra básica de estudo eobra básica de estudo e consulta.consulta.
  35. 35. Teoria de Young-HelmholtzTeoria de Young-Helmholtz
  36. 36. Teoria de HeringTeoria de Hering Ewald Hering,Ewald Hering, fisiologista alemãofisiologista alemão (1834-1918). Trabalhou(1834-1918). Trabalhou especialmente sobre aespecialmente sobre a fisiologia do sentido dafisiologia do sentido da vista, da percepção dovista, da percepção do espaço e das cores.espaço e das cores.
  37. 37. Teoria de HeringTeoria de Hering Hering, defende a teoria daHering, defende a teoria da existência de três variedades deexistência de três variedades de cones de dupla ação. Um doscones de dupla ação. Um dos grupos seria responsável pelagrupos seria responsável pela formação das luzes azul e amarela;formação das luzes azul e amarela; outro pelas luzes verde e vermelha,outro pelas luzes verde e vermelha, e o terceiro seria excitado pelase o terceiro seria excitado pelas luzes preta e branca. Essa teorialuzes preta e branca. Essa teoria expressa que, as cores verde, preta eexpressa que, as cores verde, preta e azul refazem a substância dasazul refazem a substância das células, porém essa mesmacélulas, porém essa mesma substância é destruída pelo branco,substância é destruída pelo branco, pelo vermelho e pelo amarelo.pelo vermelho e pelo amarelo.
  38. 38. Christine Ladd FranklinChristine Ladd Franklin Christine LaddChristine Ladd Franklin, psicóloga,Franklin, psicóloga, realizou nos Estadosrealizou nos Estados Unidos vários estudosUnidos vários estudos sobre a evolução dasobre a evolução da sensação da cor.sensação da cor.
  39. 39. Teoria de Ladd FranklinTeoria de Ladd Franklin A visão da cor é um processoA visão da cor é um processo de evolução do homemde evolução do homem primitivo, que só distinguia oprimitivo, que só distinguia o branco, o preto e o cinza.branco, o preto e o cinza. Ocorreu uma evolução e osOcorreu uma evolução e os bastonetes se transformarambastonetes se transformaram em dois tipos distintos deem dois tipos distintos de cones, que podiam distinguircones, que podiam distinguir os demais tipos de cores.os demais tipos de cores.
  40. 40. Sensações Visuais AcromáticasSensações Visuais Acromáticas As sensações visuais que têmAs sensações visuais que têm apenas a dimensão daapenas a dimensão da luminosidade são chamadas deluminosidade são chamadas de acromáticas. Incluem-se todas asacromáticas. Incluem-se todas as tonalidades entre o branco e otonalidades entre o branco e o preto, quer dizer, o cinza-claro, opreto, quer dizer, o cinza-claro, o cinza e o cinza-escuro, formandocinza e o cinza-escuro, formando a chamada escala acromática.a chamada escala acromática.
  41. 41. Sensações Visuais CromáticasSensações Visuais Cromáticas As sensações visuaisAs sensações visuais compostas por todas as corescompostas por todas as cores do espectro solar, sãodo espectro solar, são denominadas cromáticas.denominadas cromáticas. Podemos dizer que as coresPodemos dizer que as cores quentes derivam doquentes derivam do vermelho-alaranjado e asvermelho-alaranjado e as cores frias do azul-cores frias do azul- esverdeado.esverdeado.
  42. 42. Teoria de BamzTeoria de Bamz O psicólogo espanholO psicólogo espanhol Juan Basílio Gomez,Juan Basílio Gomez, mais conhecido como J.mais conhecido como J. Bamz, defende o fatorBamz, defende o fator idade versus preferênciaidade versus preferência na manifestação de umana manifestação de uma pessoa por determinadapessoa por determinada cor.cor.
  43. 43. Vermelho: de 01 a 10 anosVermelho: de 01 a 10 anos Idade da espontaneidade e da efervescênciaIdade da espontaneidade e da efervescência
  44. 44. Laranja: 10 a 20 anosLaranja: 10 a 20 anos Idade da aventura, excitação, imaginaçãoIdade da aventura, excitação, imaginação
  45. 45. Amarelo: 20 a 30 anosAmarelo: 20 a 30 anos Idade da força, da potência, da autoconfiançaIdade da força, da potência, da autoconfiança
  46. 46. Verde: de 30 a 40 anosVerde: de 30 a 40 anos Idade da diminuição do fogo juvenilIdade da diminuição do fogo juvenil
  47. 47. Azul: de 40 a 50 anosAzul: de 40 a 50 anos Idade da inteligência e do pensamentoIdade da inteligência e do pensamento
  48. 48. Lilás: de 50 a 60 anosLilás: de 50 a 60 anos Idade da lei, do juízo, do misticismoIdade da lei, do juízo, do misticismo
  49. 49. Roxo: A partir dos 60 anosRoxo: A partir dos 60 anos Idade da benevolência, do saber, da experiênciaIdade da benevolência, do saber, da experiência

×