Cultura e diversidade cultural

45 visualizações

Publicada em

Slide produzido com base no livro de Tomazi Sociologia e Sociedade.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
45
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cultura e diversidade cultural

  1. 1. 23/02/11 1 Cultura Profa. Edenilce Oliveira Prof. Antonio Tavares edenilceoliveira2@yahoo.com.br toni.atc@hotmail.com
  2. 2. 23/02/11 2 Diversidade cultural
  3. 3. 23/02/11 3 Conceito antropológico • Bronislaw Malinovski: antropólogo inglês concebia as culturas como sistemas funcionais e equilibrados formados por elementos interdependentes que lhes davam características próprias, principalmente no tocante às necessidades básicas, como alimento, proteção e reprodução.
  4. 4. 23/02/11 4 • Claude Lévi-Strauss, a cultura deve ser considerada como o conjunto de sistemas simbólicos, entre os quais se incluem a linguagem, as regras matrimonias, a arte, a ciência, a religião e as normas econômicas. Esses sistemas se relacionam e influenciam a realidade social e física das diferentes sociedades.
  5. 5. 23/02/11 5 A cultura no cotidiano • Cultura é conjunto de conhecimentos, crenças, arte, moral, direito, costumes e hábitos que o homem adquire como membro das sociedades; • É a maneira de falar (língua), a maneira de vestir, de morar, de comer, de trabalhar, de rezar, de se comunicar, etc.
  6. 6. A cultura é o segundo padrão da organização social. Como a estrutura social ela se desenvolve, na interação ao longo do tempo; determina boa parte do que faz o indivíduo e permite a continuidade, a estabilidade e a previsibilidade entre as pessoas.
  7. 7. A cultura é aprendida Nossas idéias a respeito do mundo, são aprendidas dos outros por meio da interação entre famílias, escola e toda forma de organização social, elas têm como alicerce nossa vida em grupo. Nascemos em uma família e a cultura que possuímos em comum nessa família, torna-se fundamental para nosso modo de pensar.
  8. 8. Os cenários culturais em que nascemos e amadurecemos, influenciam nosso comportamento, mas isso não significa de que os humanos são privados de sua individualidade ou do seu livre arbítrio, o fato é que do nascimento até a morte, estamos em interação com os outros, certamente isso condiciona nossa personalidade, os valores que sustentamos e os valores que nos engajamos. Nesse contexto também levamos em conta os meios de comunicação.
  9. 9. A cultura é uma herança social Muitas organizações em que ingressamos existem a muito tempo; as pessoas que nela têm poder nos ensinam suas “verdades” estabelecidas de longa data, para que nos tornemos bons membros e para a organização social continuar. A cultura é uma herança social, consiste em idéias que podem ter se desenvolvido muito antes de nascermos. Nossa sociedade por exemplo, tem uma história mais longa do que a idade de qualquer indivíduo, as idéias desenvolvidas no decorrer dos tempos são ensinadas a cada geração.
  10. 10. As organizações também têm uma história, assim como as comunidades e grupos. Podemos contribuir com idéias próprias, mas sempre seremos confrontados, com uma força poderosa, uma cultura que se desenvolveu antes de entrarmos em cena e teremos pouca escolha além de aceitá-la se quisermos continuar a interagir na organização social.
  11. 11. Cada organização, tem um modo de definir o mundo, um modo de pensar e um conjunto de regras.
  12. 12. Diversidade cultural • Não são apenas as crenças culturais que diferem através das culturas. A diversidade das práticas e do comportamento humano também é notável. Formas aceitáveis de comportamento variam amplamente de cultura para cultura. Há notáveis contrastes culturais.
  13. 13. Exemplos de contrastes • Enquanto nós adotamos filhotes de cachorros e gatos como bichinhos de estimação e quase membros da família, em um mercado chinês por exemplo são vendidos como especiarias. • No Ocidente moderno crianças entre 12 e 13 anos, como sendo muito novas para o casamento, mas em algumas culturas, casamentos são arranjados entre crianças dessa idade como algo natural.
  14. 14. Não podemos falar em cultura sem falar em folclore, principalmente no folclore brasileiro que é muito rico e vasto. Podemos definir folclore como: conjunto de mitos, crenças, histórias populares, lendas, tradições e costumes que são transmitidos de geração em geração e fazem parte da cultura popular.
  15. 15. Algumas lendas, mitos e contos folclóricos do Brasil Boitatá, Boto, Curupira, Mãe d'agua, mula sem cabeça, saci pererê e etc.
  16. 16. 23/02/11 16 Cultura Material • Para sobreviver, o homem tem de entrar em relação com a natureza e as suas ações acontecem em dois níveis: prática econômica e simbólica. • Prática econômica (cultura material): o homem produz coisas que se transformam em bens materiais e consumíveis para se manter vivo. • Ex. alimento, roupa, abrigo, artefatos domésticos, meios de transporte, ferramentas, etc
  17. 17. 23/02/11 17 Cultura não-Material • Prática simbólica (cultura não- material): a Produção de bens simbólicos que o ajudam a dar significado às suas ações e às coisas por ele produzidas. • Ex. valores, idéias, leis, regras morais, linguagem, sonhos, fantasias, religião, costumes, ideologia, artes, ciência, etc...
  18. 18. 23/02/11 18 • Cultura popular: É a cultura do povo. Encontra expressão nos mitos e contos, danças, música de sertaneja à cabocla, artesanato rústico e cerâmica ou de madeira ou pintura. • Inclui também expressões urbanas recentes como os grafites, o hip hop e sincretismos musicais oriundos do interior ou das grandes cidades.
  19. 19. 23/02/11 19 Cultura Erudita: Fazem parte de uma elite social, econômica, política e cultural e seu conhecimento ser proveniente do pensamento científico, dos livros, das pesquisas universitárias ou do estudo em geral (erudito significa que tem instrução vasta e variada adquirida sobretudo pela leitura).
  20. 20. 23/02/11 20 • Abrange expressões artísticas como a música clássica de padrão europeu, as artes plásticas, escultura e pintura, o teatro e a literatura de cunho universal.
  21. 21. 23/02/11 21 INDÚSTRIA CULTURAL E OS MEIOS DE COMUNICAÇÃO DE MASSA • A expressão indústria cultural, foi utilizada inicialmente por Theodor Adorno (1903-1969) e Max Horkheimer (1895-1973) na década de 40.
  22. 22. 23/02/11 22 • Este conceito permitia explicar o fenômeno da exploração comercial, vulgarização da cultura, indústria da diversão de massa, veiculada pela televisão, cinema, rádio, revista, jornais, propagandas, músicas e etc. • A mídia não se voltava apenas para suprir as horas de lazer ou dar informações, mas fazia parte do que eles chamaram de industria cultural. • A IC equivaleria a qualquer indústria, organizada para atender uma massa: Ex. discos, as reproduções de pinturas, músicas...
  23. 23. 23/02/11 23 IC - CARACTERÍSTICAS • Remete à idéia de produção em série, comercialização e lucratividade; • Põe a felicidade imediatamente nas mãos dos consumidores mediante a compra de alguma mercadoria ou produto cultural; • Leva à dependência, a alienação dos homens ao maquiar o mundo nos anúncios que divulga. • Seduz e convence as massas para o consumo das mercadorias culturais; • Fuga da realidade – faz com que o indivíduo se aliene aceitando a exploração do sistema capitalista.
  24. 24. 23/02/11 24 • No Brasil a influência da televisão pode ser facilmente constatada no dia-a-dia, com a adoção de gírias (criados por personagens dos programas de maior audiência), gracejos, e modas, lançadas principalmente pelas telenovelas...
  25. 25. 23/02/11 25 CULTURA DE MASSA • Cultura de massa: de multidões, padronizadas e homogêneas.
  26. 26. 23/02/11 26 CULTURA DE MASSA • A expressão cultura de massa designa o conjunto de comportamentos, mitos e representações, produzidos e difundidos conforme uma técnica industrial que acompanha a expansão das mídias. • O desenvolvimento da tecnologia, principalmente nos meios de comunicação, passou a atingir um grande número de pessoas, dando origem à “cultura de massa”.
  27. 27. 23/02/11 27 • A cultura de massa não está ligada a nenhum grupo social específico, pois é transmitida de maneira industrializada, para um público generalizado, de diferentes camadas sócio-econômicas. • A cultura de massa destrói culturas coletivas centenárias ou milenares quando tenta impor uma lógica de pensamento único.
  28. 28. 23/02/11 28 Trocas culturais • O desenvolvimento das tecnologias de comunicação: o cinema, a televisão e a internet, tornaram-se instrumentos de trocas culturais intensas. • Ex. Comemorações, Culinária, música...
  29. 29. 23/02/11 29 ETNOCENTRISMO • O etnocentrismo pode ser definido como uma “atitude emocionalmente condicionada que leva a considerar e julgar sociedades culturalmente diversas com critérios fornecidos pela própria cultura. • Os indivíduos vêem seu sistema de valores, crenças e normas como melhores do que os dos outros (Super valorização da própria cultura).
  30. 30. Observa-se grande dificuldade na aceitação das diversidades, em uma sociedade ou entre sociedades, pois os seres humanos tendem a tomar seu grupo ou sociedade como referência para avaliar as demais. Ou seja cada grupo considera-se superior e olha com desprezo ou desdém os outros tidos como estranhos.
  31. 31. 23/02/11 31 • “Todas as culturas são diferentes... não há nem pode haver uma civilização mundial no seu sentido absoluto, porque civilização implica na coexistência de culturas que oferecem o máximo de diversidade entre elas”. • Cada cultura tem um modo de vida específico e particular. • Não há normas e valores absolutos. (relatividade cultural). • Um costume pode ser válido num ambiente cultural e não em outro. Ex. Andar de mãos dadas, beijo na boca.
  32. 32. 23/02/11 32 Conseqüências • O etnocentrismo leva à intolerância, e a esta leva aos conflitos e às tensões; • Pode ser manifestado no comportamento agressivo, atitudes de superioridade e hostilidade. • Outras formas de expressar o etnocentrismo: discriminação, violência, agressividade verbal, preconceito racial, nacionalismo, preconceito de classe ou de profissão, intolerância religiosa.
  33. 33. 23/02/11 33 “Por incrível que pareça, alguns papas chegaram a autorizar a escravização dos africanos. A Igreja Católica alegava que essa era uma maneira de fazer os africanos "abandonarem as religiões do diabo e conhecerem o cristianismo".” (Schmidt, 1999:102)
  34. 34. 23/02/11 34 • Na antiguidade os romanos chamavam de “bárbaros” aqueles que não eram de sua cultura. • Os europeus quando tiveram contato com os povos americanos passaram a chamá-los de “selvagens”. • Nos dias atuais manifesta-se pela ideologia racista da supremacia do branco sobre o negro, ou de uma etnia sobre a outra.
  35. 35. Compressão espaço-tempo e identidade Que impacto tem a ultima fase da globalização sobre as identidades nacionais? Uma de suas características principais e a “compressão espaço-tempo”, a aceleração dos processos globais de forma que se sente que o mundo é menor e as distâncias mais curtas.
  36. 36. Que os eventos em um determinado lugar, têm um impacto imediato sobre as pessoas e lugares situados a uma grande distância
  37. 37. Quanto mais a vida social se torna mediada pelo mercado global de estilos, lugares e imagens, pelas viagens internacionais, pelas imagens de mídia e pelos sistemas de comunicação, globalmente interligados, mais as identidades se tornam desvinculadas.
  38. 38. Desvinculadas- desalojadas- de tempos, lugares, histórias e tradições específicas e parecem “flutuar livremente”. Somos confrontados com uma gama de diferentes identidades, dentre as quais parece possível fazer uma escolha. Foi a difusão do consumismo, seja como realidade seja como sonho, que contribuiu para esse efeito de mercado cultural.

×