TEOLOGIA
ESPIRITUALIDADE
O ESPECÍFICO DO
Ofício Divino = liturgia das Horas
É fazer memória da páscoa nas
HORAS DO DIA
especialmente manhã e tarde/...
Nas horas do relógio recordamos as
HORAS DE DEUS na vida de Jesus e em
nossa vida...
Cada HORA
articulando-se com:
O DIA – ofício do domingo dos dias da semana
• O TEMPO LITÚRGICO e SANTORAL – ofício
do adve...
A interrupção do trabalho pela oração,
regularmente, é salutar,

liberta o TEMPO,
para que não seja preenchido apenas com ...
Somos lembrados/as
pelas horas
que todo o tempo pertence a Deus.
Voltando nossa atenção ao mistério de cada
hora, associada às HORAS de Jesus,
permitimos que a vida se ordene
segundo os P...
De TARDE,
com o sol poente,
FAZEMOS MEMÓRIA DA PÁSCOA DE CRISTO
NA CEIA E NA CRUZ
• Ofício de Ação de graças
Rendemos graças

pelas vitórias
conquistadas
e intercedemos pelas
necessidades do
mundo.
De manhã,

COM O SOL NASCENTE,
Fazemos
Memória de Jesus
Cristo em sua
RESSURREIÇÃO.
•

Ofício de Louvor
Dirigimos a Deus
Nossa prece de
LOUVOR
pela luz do novo dia...
Renovamos nossa adesão ao Cristo
assumindo nossas responsab...
• Portanto,
O Ofício divino, como todas as ações
litúrgicas da Igreja,
é memória da páscoa de Cristo
e da páscoa do povo.
Ao fazer
memória,
participamos “da mesma piedade do
unigênito do Pai, daquela oração que ele
dirigiu durante a sua vida terrena e que
agora ...
O OFÍCIO DIVINO É ORAÇÃO
DO POVO DE DEUS:
• Não é reservado aos clérigos e monges, mas pertence a
toda comunidade cristã (...
É
Fonte de piedade
e alimento da
oração pessoal
(cf. SC 90 e 14)
• A Reforma do Concílio Vaticano II é
teológica, pastoral e espiritual:
A reorganização dos diversos elementos que
compõem...
A SC fala de participação:
•
•
•
•

Ativa
Interna e externa
Consciente
Plena e frutuosa

Trata-se de vivenciar a ação litú...
• Sinais sensíveis:
o gesto litúrgico é ação corporal
• Sentido teológico: acompanhar
com a mente o que faz o corpo
• Atit...
Chegada:
Silêncio e oração pessoal
Abertura
- Invocação de Deus e convite à
adoração e ao louvor
- Resposta à Iniciativa de Deus.
Recordação da vida
Lembrança de fatos: sinais da páscoa em
nossa história
Sentido do mistério (tempo litúrgico, santo ou
m...
Hino
Expressa louvor a Deus,referindo-se ao
mistério celebrado: sentido da hora, das
festas e memórias, do tempo litúrgico...
SALMOS

O texto em si:
- relação com a história: Êxodo, exílio...
- relação de aliança – diante de Deus sem maquiagem

O s...
• Leitura bíblica
– Evangelho do dia - aclamação
– Outras leituras da liturgia diária ou conforme
indicado no livro - Vers...
CÂNTICO EVANGÉLICO
de manhã: Cântico de Zacarias,
de tarde: Cântico de Maria,
de noite: Cântico de Simeão,
vigília festiva...
• PRECES
– Resposta à Palavra de Deus meditada nos
salmos e na leitura bíblica.
– Como povo sacerdotal, unido a oração de
...
A BÊNÇÃO
- Conclui o ofício
- Pede bênção de Deus para o ofício divino na
vida.
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Teologia da liturgia das horas

1.030 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.030
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
73
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Teologia da liturgia das horas

  1. 1. TEOLOGIA ESPIRITUALIDADE
  2. 2. O ESPECÍFICO DO Ofício Divino = liturgia das Horas É fazer memória da páscoa nas HORAS DO DIA especialmente manhã e tarde/noite
  3. 3. Nas horas do relógio recordamos as HORAS DE DEUS na vida de Jesus e em nossa vida...
  4. 4. Cada HORA articulando-se com: O DIA – ofício do domingo dos dias da semana • O TEMPO LITÚRGICO e SANTORAL – ofício do advento, natal, páscoa...
  5. 5. A interrupção do trabalho pela oração, regularmente, é salutar, liberta o TEMPO, para que não seja preenchido apenas com o trabalho.
  6. 6. Somos lembrados/as pelas horas que todo o tempo pertence a Deus.
  7. 7. Voltando nossa atenção ao mistério de cada hora, associada às HORAS de Jesus, permitimos que a vida se ordene segundo os PASSOS de Jesus...
  8. 8. De TARDE, com o sol poente,
  9. 9. FAZEMOS MEMÓRIA DA PÁSCOA DE CRISTO NA CEIA E NA CRUZ • Ofício de Ação de graças
  10. 10. Rendemos graças pelas vitórias conquistadas e intercedemos pelas necessidades do mundo.
  11. 11. De manhã, COM O SOL NASCENTE,
  12. 12. Fazemos Memória de Jesus Cristo em sua RESSURREIÇÃO. • Ofício de Louvor
  13. 13. Dirigimos a Deus Nossa prece de LOUVOR pela luz do novo dia... Renovamos nossa adesão ao Cristo assumindo nossas responsabilidades na preservação do mundo.
  14. 14. • Portanto, O Ofício divino, como todas as ações litúrgicas da Igreja, é memória da páscoa de Cristo e da páscoa do povo.
  15. 15. Ao fazer memória,
  16. 16. participamos “da mesma piedade do unigênito do Pai, daquela oração que ele dirigiu durante a sua vida terrena e que agora continua, sem interrupção, em toda Igreja e em cada um de seus membros, em nome e pela salvação da humanidade” (IGLH 7)
  17. 17. O OFÍCIO DIVINO É ORAÇÃO DO POVO DE DEUS: • Não é reservado aos clérigos e monges, mas pertence a toda comunidade cristã (cf. IGLH 270). • Cada comunidade, ou um pequeno grupo, ou mesmo uma pessoa, o faz como Igreja, em nome de Jesus, pela humanidade (IGLH 7).
  18. 18. É Fonte de piedade e alimento da oração pessoal (cf. SC 90 e 14)
  19. 19. • A Reforma do Concílio Vaticano II é teológica, pastoral e espiritual: A reorganização dos diversos elementos que compõem o rito, tem como finalidade levar o povo de Deus a participar do mistério pascal de Cristo, nas horas do dia.
  20. 20. A SC fala de participação: • • • • Ativa Interna e externa Consciente Plena e frutuosa Trata-se de vivenciar a ação litúrgica em três dimensões:
  21. 21. • Sinais sensíveis: o gesto litúrgico é ação corporal • Sentido teológico: acompanhar com a mente o que faz o corpo • Atitude espiritual: liturgia é fé em ação
  22. 22. Chegada: Silêncio e oração pessoal
  23. 23. Abertura - Invocação de Deus e convite à adoração e ao louvor - Resposta à Iniciativa de Deus.
  24. 24. Recordação da vida Lembrança de fatos: sinais da páscoa em nossa história Sentido do mistério (tempo litúrgico, santo ou mártir)
  25. 25. Hino Expressa louvor a Deus,referindo-se ao mistério celebrado: sentido da hora, das festas e memórias, do tempo litúrgico...
  26. 26. SALMOS O texto em si: - relação com a história: Êxodo, exílio... - relação de aliança – diante de Deus sem maquiagem O salmo como oração de Jesus sentido cristológico O salmo como oração nossa: em nome de Jesus, na fé da Igreja, a partir da nossa história.
  27. 27. • Leitura bíblica – Evangelho do dia - aclamação – Outras leituras da liturgia diária ou conforme indicado no livro - Versos de resposta • Meditação Responso, refrãos, silêncio, partilha...
  28. 28. CÂNTICO EVANGÉLICO de manhã: Cântico de Zacarias, de tarde: Cântico de Maria, de noite: Cântico de Simeão, vigília festiva: Cântico de Maria ou Simeão
  29. 29. • PRECES – Resposta à Palavra de Deus meditada nos salmos e na leitura bíblica. – Como povo sacerdotal, unido a oração de Jesus e do seu Espírito, no louvor e na súplica, pelas necessidades da humanidade. Pai nosso... (versão ecumênica). Oração
  30. 30. A BÊNÇÃO - Conclui o ofício - Pede bênção de Deus para o ofício divino na vida.

×