Tipo carioca - abril 2013

800 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
800
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Tipo carioca - abril 2013

  1. 1. Projeto que liga os parques naturais EDUCAR É PRECISO municipais do Recreio (Chico Mendes, Marapendi e Prainha), o Corredor Verde do Canal das Tachas recebe nova campa- nha de sinalização educativa. A fauna e a flora agradecem. Pág. 04 Ano 14 • nº 163 • ABRIL 2013 • Barra da Tijuca, Recreio e Vargens • Distribuição mensal e gratuita SEMINÁRIO CELEBRANDO Confira, na seção Bairro, como foi a O DIA MUNDIAL DA ÁGUA 12ª edição do evento promovido pelo Instituto Lagoa Viva. O encontro foi re- alizado no auditório do Instituto de Radioproteção e Dosimetria do Estado do Rio de Janeiro, no Recreio. Pág. 04 Adriana Mello fala da ligação entre os san- cOLUNA ZEN tos católicos e os orixás. O sincretismo religioso é alvo de uma análise detalhada para a compreensão do fenômeno. Pág. 15 A bela Aline Haddad Bandez comemorou PROGRAMA DE NO CIRCULANDO seus 15 anos, ao lado do príncipe RodrigoDOMINGO Simas. A maravilhosa festa foi palco para a felicidade e muitas emoções! Pág. 10T erminado o verão, está de volta – desde o primeiro fim de semana de abril – a área de lazer na orla do Recreio, espaço tão bem utilizado e aguardado por moradores e frequentadores da região. Afinal, o local é ideal para quem quer andar de skate, patins, bicicleta, caminhar, pas-sear com bebê ou, simplesmente, curtir uma das mais belas praias do litoral carioca.
  2. 2. 02 Abril 2013 Jornal Tipo Carioca COSTELA DE BOI ASSADA DO GILVAN ngredientes: dois quilos a costela (esfregando nela todos no forno por mais duas horas ou I de costela de boi; 50ml de molho shoyo; seis dentes de alho, amassados; uma cebola ralada; uma colher (das de chá) de ajinomoto (opcional); duas pi- os ingredientes) em uma travessa (cuidado com o sal, pois o molho shoyo é um pouco salgado) e deixe descansar por três horas. Em forno alto, pré-aquecido, colo- até ficar macia. Sirva com arroz branco do Gilvan, salada e/ou farofa. tadas de cominho; duas pitadas que a travessa, coberta com papel Bom apetite!!! de pimenta-do-reino; sal, a gosto; alumínio, por cerca de 20 minutos; cebolas médias para assar. retire o papel alumínio e coloque as Modo de preparo: tempere cebolas em volta da costela. Deixe Conheça mais receitas no Blog do Gilvan: http://gilvannascimento.blogspot.com
  3. 3. Jornal Tipo Carioca Abril 2013 03 Editorial ma das coisas que contri- de degradação estrutural pelo avanço da posteriormente. Entretanto, o coordena-U buem para o nosso prema- corrosão compromete a segurança do dor de projetos da Secretaria Municipal Ramade turo envelhecimento é a viaduto”. De acordo com o coordenador de Obras, João Luiz, afirma que é inviável preocupação, impossível do estudo, “a vida útil do Joá acabou. A a interdição, tendo em vista que dariade evitar em muitas ocasiões. Os ca- reforma que a prefeitura promete fazer um nó no trânsito da Barra. Assim, a pre-riocas, neste momento, agregam pre- cobre apenas áreas onde o problema é feitura vai adotar a construção de vigasocupações sobre o estado de obras visível. Mas 60% delas não podem ser metálicas que servirão de apoio dos ta-sob a responsabilidade dos poderes fiscalizadas”. buleiros: “Vamos fazer 12 novos pilarespúblicos do país, como as precárias Dia 4 de abril, na audiência pública e reforçar os demais. Desta forma, a pre-construções dos prédios do Minha da Comissão de Assuntos Municipais e feitura teria mais cinco anos para decidirCasa Minha Vida, entregues a cons- de Desenvolvimento Regional do Rio – o que mais poderá ser feito no local”.trutoras pouco escrupulosas; as fa- CAMDR, na sede da Câmara Comunitária Não é o momento de a prefeituralhas na construção da cobertura do da Barra da Tijuca, o professor de economizar, fazendo apenas reparosEngenhão, que, agora, nem pode su- Engenharia da Coppe-UFRJ, Eduardo onde os danos são visíveis. Trata-seportar ventos acima de 60km etc. etc., Batista, mostrou como está sendo feita do bem-estar, da tranquilidade e datudo ameaçando desabar. a proteção catódica dos pilares, para dar segurança da população de nossa ci- Para os moradores da Barra da mais durabilidade às ferragens e mini- dade. Moradores da Barra e arredoresTijuca, Recreio e adjacências, em parti- mizar os transtornos, mas afirmou que se mostram preocupados. Muitos nemcular, o Elevado do Joá, importante via é apenas um método paliativo, porquede ligação com a Zona Sul e o Centro depois de iniciada a corrosão não há usam mais o viaduto, arriscando-seda cidade, é a neurose do momento. como detê-la. Para ele, a interdição do por outros caminhos. A situação beiraEm face do elevado aumento da frota Elevado se faz necessária: “Sem dúvida, é a calamidade. Algo em torno de R$ 100de veículos particulares em circulação, uma intervenção traumática, de logística milhões resolveria definitivamente oele, com seus 40 anos de existência, é complexa, mas que deve ser prioritária. problema. Relativamente muito pouco,indispensável coadjuvante na tarefa de Reconheço a dificuldade desta decisão levando-se em conta as verbas imen-escoamento do tráfego da região. para os gestores, devido aos transtornos sas destinadas às obras da Copa e das Agora, nos deparamos com uma si- inerentes a uma obra desse porte, mas, Olimpíadas. E o Maracanã, após a Copa,tuação de emergência: o elevado, uma após um estudo minucioso chegamos à terá de ser novamente reformado, paraconstrução sujeita à maresia e ventos conclusão que, para maior segurança, atender aos padrões olímpicos. Os doisconstantes, não teve a manutenção ne- seria viável a interdição”. Afirmou, ainda, eventos têm duração limitada; a circu-cessária ao longo dos anos e, segundo que as soluções paliativas não vão elimi- lação da população pelo viaduto é infi-laudo técnico da Coppe-UFRJ, “o estado nar a necessidade de interditar o viaduto nita. Pensem nisto. na minha opinião, uma das mais belas O site www.receitadevida.com.br é praias da Cidade Maravilhosa. Uma um deles, atende pelo telefone 0800- Haja paciência pena que nem todo mundo saiba como 770-2477 e aceita ligações de celula- para tanto cuidar dela. Principalmente nos fins de res (fato que não é normal). Fiz um Muito boa e pertinente a capa da úl- cadastro por telefone celular onde engarrafamento semana de muito sol (ainda que não tima edição do Tipo Carioca. Afinal, seja verão), não é raro detectarmos informei apenas meu CPF, meu te- engarrafamento é o que não falta na lixo espalhado pelas areias e até na lefone, o CRM da médica e os remé- nossa região. Praticamente, todo dia água. É um absurdo, em 2013, com a dios prescritos por ela. Descobri que útil temos que lidar com esse proble- informação globalizada, ao alcance de determinado remédio tinha 40% de ma. No meu caso, infelizmente, passo todos, praticamente, como ainda tem desconto, outros 50% e que, se com- com frequência no cruzamento das gente que não está nem aí para o bem prasse mais um, o desconto passaria Avenidas Abelardo Bueno e Ayrton comum. Como diz um ditado antigo, para 60%. Várias farmácias fazem Senna. O trânsito naquele trecho, que ‘educação vem de berço’, independen- parte dessa lista, como a Venâncio, já era ruim, piorou ainda mais com a te de cor ou classe social. Mas a triste Pacheco, Tamoio, Drogasmil, Raia e obra da ponte estaiada do BRT. É claro, Droga News. Recomendo! verdade é que nem todo mundo tem. sabemos que as obras são, em geral, para o maior bem-estar do cidadão, Enviado por e-mail por Arnaldo Abreu. Enviado por e-mail por Cláudio Parrini. mas, muitas vezes, parece faltar plane- jamento. Descontos incríveis Recentemente, ao me consultar com em medicamentos Enviado por e-mail por Magda Palestrini. a médica Maria Sônia Orsolon, desco- Cartas para esta seção: bri que é possível fazer cadastro em Falta educação alguns fabricantes para se obter incrí- Rua Januário José Pinto de Oliveira, 277 Maramar - Recreio dos Bandeirantes Bairro Meio ambiente Aqui no Recreio, temos à disposição, veis descontos em seus medicamentos. na praia CEP: 22790-864 - FAX: 2490-0328 página 04 página 05 e-mail: jornal@tipocarioca.com.br Bairro página 06 página 10 Diretora: Katia Lancelotti | Reg.26340 Veículo associado: Administração: R. Januário José Pinto de Oliveira, 277 Reportagem: Gustavo Loio Condomínio Maramar Revisão: Nelson Barboza Recreio dos Bandeirantes Distribuição: Márcio Moraes Rio de Janeiro - RJ Saúde Ecologia Humana CEP: 22790-864 página 12 página 13 Colunistas: CNPJ: 03.072.362/0001-86 Paulo Sergio Valle, Nelson Barboza, International Insc. Municipal: 02.577.631 Katia Lancelotti, Rosane Castro Neves, Writers Association Cleci Meneghel, Adriana Mello, Donato Tel.: 2490-0328 Velloso, Gilvan Nascimento, Fábio Tour Paisagismo Freitas, Dr. José Figueiredo Penteado, Distribuição Gratuita: Barra da Tijuca, Cel.: 9124-0185 página 13 página 13 Paulinho Barros e Alberto Peribanez Recreio dos Bandeirantes, Vargem Gonzalez. Grande e Vargem Pequena. www.tipocarioca.com.br Tiragem: 20.000 exemplares Colaborações: Publicação: Mensal jornal@tipocarioca.com.br Cinema Social Ramade Martins (Caricaturas), Reinaldo página 14 página 14 Costa (Enigmas do Rei) e Alessandro Fotolito e Impressão: Lance! Rosalino (Tirinhas do Ale). Os textos e artigos assinados não Projeto Gráfico e Arte Publicitária: refletem necessariamente a opinião do Premiado com o Troféu jornal, sendo responsabilidade AIB de Imprensa de seus autores. Cabelos Coluna Zen 2007, 2009 e 2011 página 15 página 15
  4. 4. 04 Abril 2013 Jornal Tipo Carioca Nova sinalização do Audiência pública sobre o 1ª Corrida e Corredor Verde estado do Elevado do Joá Caminhada nova campanha de sinaliza- Animais como capivara, preguiça, ão há garantia de segu- tabuleiros das pistas nos pilaresA ção educativa do Corredor jacaré-de-papo-amarelo e inúmeras “N rança para os veículos de sustentação do elevado), que, Contra o Crack Verde, no Recreio, tem como aves já podem transitar com seguran- conteceu, no primeiro fim de que passam pelo Elevado de acordo com o estudo realiza-objetivo preservar as espécies na-tivas de fauna e flora, favorecendoa livre circulação entre os parques. ça, protegidos da caça predatória, da do Joá”. A afirmação foi feita pelo en- alimentação inadequada e do risco de genheiro Eduardo Batista, professor contato com os moradores. da Coppe/UFRJ, durante audiência do pela Coppe, estão em processo avançado de degradação. – Fizemos cerca de quatrocentas e A semana de abril, a 1ª Corrida e Caminhada Contra o Crack, na orla do Recreio. Parte da campa- nha ‘Crack, tire essa pedra do seu ca- pública da Comissão de Assuntos vinte vistorias dos dentes gerbers, minho’, o evento foi uma realização Municipais e de Desenvolvimento através de janelas abertas no con- da Asli Produções, por meio do em- Regional (CAMDR), realizada na creto. Só é possível verificar duas presário e sócio Renato Alves, que Câmara Comunitária da Barra. Na das cinco faces de cada dente, mas contou com apoio da Prefeitura do audiência, presidida pela deputada nessas foi notada uma corrosão na Rio, da OAB/Barra e do empresário Clarissa Garotinho, o professor fez barra de aço, que, por sua vez, in- Roberto Palmeira. uma apresentação sobre os princi- cha o aço e rompe o concreto que o pais problemas estruturais do via- envolve. Ainda há incerteza a res- duto. Em 2011, Batista coordenou peito a várias regiões inacessíveis, o estudo da Coppe, encomendado que permanecem com prognósti- pela Secretaria Municipal de Obras, co de degradação indeterminável, que condenou a estrutura. mas muito provável, tendo em – O viaduto está sob ataque de cor- vista o que conseguimos vistoriar rosão generalizada. Mesmo com – disse o engenheiro. Lourenço Jorge ganha os reparos que estão sendo feitos vai haver necessidade de inter- venção no futuro. É permanente nova emergência dades de referência para aten- naugurado em 1996, o Hospital o problema de recuperação do JoáI dimento de traumas na cidade, Municipal Lourenço Jorge es- treou nova emergência no início reflete o investimento que vemde abril. Com o intuito de atender os sendo realizado nos hospitais de – alertou. O foco da apresentação de Batista foram os dentes gerbers (estrutu-pacientes de trauma com mais qua- urgência e emergência. Depois da ras responsáveis pelo apoio doslidade e rapidez, a reforma no local implantação das coordenações de emergência regionais, que assu-marca a primeira fase da reestrutu- miram os casos de baixa e médiaração pela qual o hospital vem pas- complexidade, nosso objetivo ésando desde o ano passado. Na nova otimizar cada vez mais o atendi-unidade, o paciente será avaliado, mento nos hospitais que recebempassará pelos exames físicos neces- os casos de alta complexidade –sários e será encaminhado para osetor mais indicado. explica o secretário municipal de– A reforma na emergência do Saúde, Hans Dohmann, que parti-Lourenço Jorge, uma das uni- cipou da reinauguração. Jacaré é encontrado em piscina de escola na Barra m visitante inesperado sur- U Seminário em homenagem preendeu funcionários e ao Dia Mundial da Água alunos do Colégio Saint John, o auditório do Instituto de o 12º Seminário Celebrando o Dia na Barra, em abril. Com aproxima- N Radioproteção e Dosimetria do Estado do Rio de Janeiro, no Recreio, o Instituto Mundial da Água. Participaram do encontro aproximadamente 120 pessoas, entre funcionários, em- damente 1,3m, foi encontrado den- tro da piscina do colégio, localiza- do na Avenida General Felicíssimo Cardoso. O Corpo de Bombeiros Lagoa Viva promoveu, em março, presários, professores, estudantes, lideranças locais e interessados em informou que o animal foi leva- um amplo debate, troca de conheci- do para o Grupamento de Busca e mentos, reflexões e motivações para Salvamento da Barra e, depois, para práticas voltadas para esse bem tão o Parque Chico Mendes, no Recreio vital para a manutenção dos se- dos Bandeirantes, área em que será res vivos e o bem-estar do nosso devolvido a natureza. território. A Associação Solidários Amigos de Betânia marcou presen- ça, com a exposição e venda de pro- dutos artesanais do projeto “Fibra Remoção de para a Inclusão”. Robert Barboza, entulhos é o diretor da Associação Comercial e Industrial de Jacarepaguá (Acija), serviço mais foi o apresentador do evento. solicitado pelo 1746 o último dia 23 de março, a N Central de Atendimento ao Cidadão, criada pela prefeitu- ra através do telefone 1746, comple- tou dois anos. Atualmente, a Central oferece 2015 serviços, e nada menos que 42 órgãos do município estão integrados a ela. E a campeã de soli- citações é a remoção de entulhos: só em fevereiro, foram 19.564 pedidos para esse tipo de serviço.
  5. 5. Jornal Tipo Carioca Abril 2013 05 donato@pactoderesgateambiental.org Tel.: (21) 8728-0430 PACTO DE RESGATE AMBIENTAL Ambientalista; graduado em Comunicação Social; Presidente do Lagoa Viva, diretor da AIB eAcibarra, Consultor de Ecodesenvolvimento da Acibarra e Coordenador do Movimento Evolutivo Pacto de Resgate Ambiental. ÁGUA, MOBILIZAÇÃO E COMUNIDADE ano de 2013 foi esco- Dejanira da Costa Lauria, diretora do Recursos Hídricos da AgênciaO lhido pela ONU como o Ano Internacional de Cooperação pelaÁgua. Dia 26 de março, o InstitutoLagoa Viva promoveu o 12º IRD, fez uma palestra sobre a entida- de: sua estrutura, estatísticas, proje- tos, laboratórios, cursos oferecidos, corpo de funcionários e colaborado- res, além de alguns estudos realiza- Nacional de Águas. Em seguida, tivemos o painel “Intervenções para Melhoria das Condições Ambientais da Bacia Hidrográfica da BarraSeminário “Água, Mobilização e dos em água. da Tijuca/Jacarepaguá”, doComunidade”, celebrando o Dia O IRD atua em colaboração com uni- qual participaram: dra. LuizaMundial da Água. O evento foi versidades, agências governamen- Cristina Krau de Oliveira, pre-realizado no excelente auditório tais e indústrias, para garantir o uso sidente do Conselho Estadualdo Instituto de Radioproteção e seguro das radiações ionizantes e de Recursos Hídricos; PedroDosimetra (IRD), uma instituição da tecnologia nuclear. Cerca de 260 Lepori, coordenador dode pesquisa, desenvolvimento e en- profissionais trabalham para que Programa de Saneamento dasino na área das radiações ionizan- pesquisas, desenvolvimento tecno- Barra/Jacarepaguá da Cedae;tes, situada na Av. Salvador Allende lógico e inovação beneficiem indús- o engenheiro Antonio da Hora, Serviços gráficos e web • 6973-2229e ligada à Comissão Nacional de trias, instalações médicas, centros subsecretário do Ambiente-Energia Nuclear (CNEN). Reuniu de pesquisa e outros segmentos, SEA-RJ; Alexandre De Bonis,cerca de 120 pessoas, entre funcio- contribuindo, principalmente, para coordenador de Recursosnários, empresários, professores, garantir a segurança da população, Hídricos da Secretariaestudantes, lideranças locais e in- dos trabalhadores do setor e do Municipal de Meio Ambienteteressados para um amplo debate, meio ambiente. Em seguida, Donato do Rio; Henrique Cortez, edi-troca de conhecimentos, reflexões Velloso, presidente do Lagoa Viva, tor do Portal Ecodebate; a dra.e motivações para práticas volta- fez um breve pronunciamento, Christianne Bernardo, presi-das para esse bem tão vital que é dando as boas-vindas, destacando dente da Comissão de Direitoa manutenção dos seres vivos e a importância do momento e agra- Ambiental da OAB/Barra dao bem-estar do nosso território. decendo a participação das prin- Tijuca; e David Zee, diretorTambém contou com a Associação cipais lideranças e da sociedade do Subcomitê de JacarepaguáSolidários Amigos de Betânia, com civil da região da Barra da Tijuca/ e vice-presidente da Câmaraa exposição e venda de produtos Jacarepaguá. Comunitária da Barra da Tijuca.artesanais do Projeto “Fibra para a A palestra de abertura, “Conjuntura Por fim, o presidente do Lagoainclusão”, e com a participação de dos Recursos Hídricos no Brasil”, foi Viva, Donato Velloso, convidouRobert Barboza, diretor da Acija, ministrada por Alexandre Lima de F. a todos para a SEMANA DOcomo mestre de cerimônia. Teixeira, gerente de Conjuntura dos AMBIENTE, em junho. José Avelar de Melo Curitiba-PR TEMPO DE SAÚDE. SAÚDE NÃO TEM PREÇO OFERECE REMÉDIOS DE GRAÇA E UMA VIDA MELHOR PARA OS BRASILEIROS. O programa Saúde Não Tem Preço do Governo Federal oferece remédios de graça para milhões de brasileiros com hipertensão, diabetes e asma. Ao mesmo tempo em que garante o acesso ao tratamento das doenças, também representa uma economia para esses brasileiros, que podem usar o dinheiro em outras necessidades. • Mais de 26 mil farmácias credenciadas em todo o Brasil. • Mais de 13 milhões de beneficiados. • Descontos de até 90% em outros itens e medicamentos pelo programa Farmácia Popular. PROCURE UMA FARMÁCIA DA REDE AQUI TEM FARMÁCIA POPULAR E APRESENTE CPF, DOCUMENTO COM FOTO E RECEITA MÉDICA VÁLIDA. MELHORAR SUA VIDA, NOSSO COMPROMISSO.
  6. 6. 06 Abril 2013 Jornal Tipo Carioca Bairro O FUTURO É AQUI A arquitetura inovadora da Barra, celeiro de novos empreendimentos, inspira toda a cidade e os nomes americanizados mentos inovadores, que favorecem o Américas e com seu partido horizontali-S da Barra podem levar a crer que no bairro imperam répli- cas de obras da terra do Tio Sam, os grandiosos mostram que, em matéria de design, o bairro é principal objetivo do urbanista Lucio Costa ao traçar as linhas do bairro: pro- porcionar qualidade de vida. E nem só os empreendimento grandiosos das cons- trutoras, como o Centro Metropolitano, zado, valorizado por uma cortina de vi- dro entremeada por uma estrutura leve e delgada, em conjunto com a escultura metálica junto à entrada principal”. cosmopolita, um celeiro de projetos revelam o que está por vir em termos de ousados, inspirados no que está em arquitetura urbana: shoppings e obras Mais novo shopping center do bairro, o voga em diferentes partes do mun- públicas, como o metrô, também trazem Village Mall apostou noutra tendência do. São exemplos a ponte estaia- ideias modernas, que poderão ser copia- mundial, a de ser tão sustentável quanto da da Linha 4 do Metrô (Ipanema das em outras áreas da cidade. possível, e aproveita a luz do Sol. - Barra da Tijuca), ideia do arquite- to espanhol Santiago Calatrava; e a - A luz natural nas áreas internas re- Cidade das Artes, criada pelo fran- cês Christian Portzamparc e inspi- força a ligação com a natureza. Se a Inspirações de Abu rada em outros trabalhos assinados Dhabi a Nova York vista é generosa, a paisagem deslum- por ele, como Cidade da Música, em Nas novas propostas das construtoras brante do entorno, como a Lagoa da Paris, e o Museu Hergé, na Bélgica. destacam-se referências ao que há de Tijuca, a Pedra da Gávea e as outras mais moderno na arquitetura mundial. montanhas do entorno, não poderia - A arquitetura feita aqui é para ge- Vide o exemplo do CasaShopping, que, ser negligenciada - explica Antônio rar provocação, uma novidade máxi- em julho, inicia mais uma expansão. A Paulo Cordeiro, um dos arquitetos ma com destaque na paisagem, como estrela da nova área é uma cobertu- responsáveis pela concepção do o arquiteto Lelé (João Filgueiras ra de vidro idealizado pelo arquiteto Lima) fez no (hospital) Sarah e o shopping. israelense Nir Sirvan, batizada como Christian de Portzamparc, na Cidade Carioca Wave. A construção está a car- das Arte. Na tentativa de inovar, te- go da Seele, que assina o projeto da Uma forte característica dos empre- mos bons exemplos como Sheraton famosa caixa de Vidro da Matriz da endimentos da região é o investi- Barra, o O2 e o Centro Empresarial Apple em Nova York. mento na multifuncionalidade, o que Mário Henrique Simonsen - atesta acaba influenciando, naturalmen- Celso Royal, membro do Instituto de Já a Calper lançou, no Recreio, um re- te, sua concepção arquitetônica. É Arquitetos do Brasil (IAB) e professor sidencial com fachada ondulada, que o caso do recém-lançado centro co- de Arquitetura da PUC-Rio. será entregue em 2015 e, segundo a mercial da SIG, o Uptown, na Avenida construtora, procura remeter às edifi- Para o arquiteto, amplas áreas exter- Ayrton Senna, que tem mais de 600 cações de Abu Dhabi e Dubai, riquís- nas, comuns na região, muitas vezes simas cidades dos Emirados Árabes, unidades. definem como será um projeto: onde se destacam recursos tecnológi- cos e artes futuristas. Os legados urba- - Ao longo do tempo, em quase todos - Elas tanto fazem parte do projeto nísticos de Gaudí em Barcelona e dos os condomínios e complexos da Barra como do próprio empreendimento, Jogos Olímpicos da Inglaterra também foram criadas soluções para melhorar nada é construído na Barra sem ge- foram referências no projeto. a dinâmica da rotina. O condomínio nerosidade de vista ou sem a preo- Santa Mônica (um dos mais antigos), cupação com a natureza. A arquite- Outro exemplo de arquitetura contem- tura é muito forte aqui, porque, onde porânea é o prédio do hospital MDX por exemplo, tem formato circular que há competição entre construtoras, a Medical Center, que, segundo o au- favorece a circulação em sua generosa criatividade não tem limite. tor do projeto, o arquiteto baiano Ivan área de lazer, que mais parece um clube, Smarcevscki, “está em concordância com tudo o que se pode imaginar - ober- O GLOBO-Barra visitou empreendi- com a paisagem urbana da Avenida das va Celso Rayol, do IAB.
  7. 7. Jornal Tipo Carioca Abril 2013 07 ENTREVISTA DR. CARLOS CARVALHO: SORRIA: VOCÊ ESTÁ NA BARRA ‘O bairro é o Centro do Rio’ ara Carlos Carvalho, o proje- certa hora. Com isso, você passa a terP buir o tráfego de maneira ordenada, to urbanístico ajudou a trans- dificuldades, por exemplo, de acessá-lo. ou isso vai virar São Paulo. Vai che- formar a região no futuro da Não há equilíbrio. gar muita gente. O governo precisa cidade. criar uma comissão especial para cui- dar da Barra, que é uma joia valiosa eTodas as conversas de Carlos Carvalho centro do Rio? precisa ser protegida. •Por isso seu apoio à ideia de um novoterminam no Centro Metropolitano. R. A gente passou a ter uma cidade anti-O atual projeto de sua construtora, a ga agradável, mas com um conceito ur-Carvalho Hosken, tornou-se uma obses- banístico pobre. O Centro antigo não é R. Se não se aplicar os limites e re- •Sugere alguma medida imediata?são na vida do empresário de 88 anos centro; é ponta. O Rio tem sorte, porque gulamentos corretos, as vias podem- 38 deles dedicados exclusivamente à a Barra, a parte mais importante, em se transformar em problemas. ABarra. Foi em 1975 que Carvalho fechou termos geográficos e de conforto urba- Avenida do Canal, por exemplo, foitodos os escritórios que tinha pelo país no, que é uma réplica da Zona Sul e da interrompida em alguns trechos por-para atuar no local pelo qual é apaixo- cidade antiga, está se desenvolvendo. É que um condomínio avançou sobre onado e chama carinhosamente de “ci- uma região que tem cinco vezes a área terreno.dade nova”. Uma provocação direta ao de toda a Zona Sul. Será o centro maisCentro e à Zona Sul, sempre citados pelo elitizado do mundo, com avenidas deempresário como “o lado de lá”, “cida- até cem metros de largura, enquanto a R. As lagoas vão ser saneadas. O esgo- •O poder público está ausente?de velha” ou “centro histórico”. É isso Rio Branco tem 30 metros. to está sendo canalizado para o emis-mesmo. Carlos Carvalho quer transfor- sário. Então, não tem havido ausên-mar 1,4 milhão de metros quadrados do •Como vai ser o Centro Metropolitano? cia; ao contrário. A Barra está sendoterreno na Avenida Abelardo Bueno no R. Vai ter tudo. Hospital, escola, centros privilegiada pela ação do poder pú-novo centro geográfico do Rio, como so- comerciais, escritórios, moradias. O Rio blico e a atitude de seus empresários.nhou Lucio Costa. E, para completar a tem tudo para ser uma cidade modelo.missão, não encontra sucessor. Por isso, O destino do outro lado é ser o centronão deixa de bater ponto, todos os dias, histórico. Ele já está bem visível, já está •Essa atuação vai aumentar, agoraàs 8h, em seu escritório decorado com surgindo. O governo dificilmente virá. que a Barra é a menina dos olhosinúmeras obras de arte. Mas ali será o centro geográfico da re- R. Ouço isso com alegria, porque tem do Rio? gião metropolitana. gente do lado de lá, da cidade antiga,•Na rua opinião, o que marca a ocupa- para quem a Barra não existe.R. O primeiro fato marcante foi a Cidade Barra?ção da Barra? •Como o senhor vê o urbanismo nade Deus, quando o Carlos Lacerda fez o R. O poder público induz as diretrizes •O senhor acha que o desenvolvi-primeiro conjunto de casas sociais. Era de ocupação urbana. Quando ele se co- R. É a única alternativa para a cidade mento da Barra vai se acelerar?até um programa muito bem-feito, mas loca mal ou é omisso, as coisas come- crescer. É onde dá para fazer isso deestava distante dos centros de trabalho, çam a apresentar defeitos, porque aí forma ordenada e aonde a populaçãosem integração entre a comunidade e as depende muito de cada proprietário, quer ir. As olimpíadas serão um gran-conveniências devidas, o direito ao la- que vai fazendo como lhe convém, e não de legado. Por um lado, essa vai serzer, ao trabalho, acesso ao transporte. como convém a cidade. Aqui na Barra, a salvação da Barra. Por outro, pode não. A coisa ficou definida de um jeito ser Waterloo. Porque é um lugar todo que o que está feito é o que convém à ci- elitizado, mas, se você não conseguirR. Depois a cidade teve uma sucessão dade. A área é privilegiada. Aqui só fal- andar pelo sistema viário vicinal, es-•E o erro se repetiu?de erros urbanísticos. Em todos os lu- tam mobilidade e acessibilidade. Houve tará perdido. Hoje, se você entrar nagares onde foram criadas comunidades erros urbanísticos graves, mas feliz- Salvador Allende para pegar a Ayrtonexpressivas não houve visão urbanís- mente têm conserto. Só estamos atrasa- Senna, pode demorar duas, três horas,tica para integrar moradia com lazer e dos. Não tínhamos mobilidade urbana caso haja um acidente. E quem estátrabalho. Isso levou uma série de pro- porque estávamos engarrafados, nem cuidando disso? Ninguém. Algumasblemas na nossa cidade antiga, e nós pa- acessibilidade porque estávamos isola- coisas estão melhorando; vamos ver.gamos caro até hoje. O grande problema dos. Agora temos a acessibilidade. Em A Barra tem tudo para bombar.do Centro é que ele acabou tendo uma que isso vai se traduzir? Num proble-concepção que hoje está atrasada: lá, ma para nossa mobilidade. Então, ou assó se trabalha. Há uma fortuna investi- nossas autoridades vão perceber queda lá, mas ele funciona apenas até uma é preciso criar mobilidade aqui, distri- Reproduzido do Jornal GLOBO-Barra do dia 7 de março de 2013.
  8. 8. Jornal Tipo Carioca Abril 2013 09
  9. 9. 10 Abril 2013 Jornal Tipo Carioca 03 com Katia Lancelotti 02 Casados na vida real, os ato- 01 res Daniele Valente e Christiano Cochrane formam o elenco da peça “100 dicas para arranjar namora- do”, que acaba de entrar em car- 20 taz no Teatro dos Grandes Atores. Banda Anjos da Noite, que também Em esquetes, a atriz mostra dicas, tocará no casório. toques e caminhos para ajudar o Foto 07: o anfitrião Luiz Fernando mulherio a se dar bem nas relações Pinto, entre Edna e Bárbara Borges. afetivas. Já Christiano dá vida a to- dos os papéis masculinos da comé- ais uma vez, a mulhe- Você curte produtos importa- 19 M rada fez bonito no BBB e o prêmio de R$ 1,5 milhão foi para a ad- vogada mineira Fernanda. A fes- ta de encerramento da 13ª edi- dos? Na recém-inaugurada loja Mix Multimarcas você encontra roupas, acessórios, calçados, óculos, relógios, bolsas, per- fumes e cremes das melhores dia. O espetáculo pode ser visto às quintas, sextas e sábados, às 21h, e aos domingos, às 20h. Foto 10: o casal de atores. Também no Grandes Atores, ou- ção do programa rolou na Nuth. marcas internacionais. A Mix tra opção teatral é “Mulheres Foto 01: a campeã Fernanda; fica na Avenida Gilka Machado Alteradas”, com Tânia Alves, Marisol Foto 02: o encontro dos DJ’s 123, loja B. O telefone: 3518- Ribeiro, Flavia Monteiro e Daniel Bernard de Castejá e Eliezer 0740. Essa é uma superdica, Del Sarto. A peça mapeia o discur- mandando ver nas carrapetas; você vai adorar! so sobre a feminilidade presente no Foto 03: Natália, a amiga da Foto 08: Elaine Tavares; o pro- mundo contemporâneo dessas mu- casa... rsrs; prietário Carlos André Ferreira; sua lheres, assoladas por cobranças e Foto 04: Bambam, vencedor do esposa, Michele Ferreira; e Vanessa demandas desgastantes e, às vezes, BBB 1; Santos, durante o coquetel de quase impossíveis de serem aten- 18 Foto 05: Wilzinha Rosário e inauguração. didas simultaneamente: trabalhar Maroca; o dia todo, dentro de casa idem (e Foto 06: Kamila e Bernard de Sensacional a exposição de forma exemplar!), serem mães Castejá. Esmeralda, organizada pela maravilhosas, amantes insuperáveis Lafry, no São Conrado Fashion e manter as boas formas física e es- Como contei aqui na última edição, Mall. A mostra reuniu história, tética. De quinta a sábado, às 20h, e a atriz Bárbara Borges vai se casar curiosidades, mitos e a influência aos domingos, às 21h. em junho. Acompanhada do noivo, dessa pedra tão especial. As ilus- Foto 11: Tânia, Flavia e Marisol. da mãe e de amigos, a bela esteve tres convidadas participaram do no Café Etílico, curtindo o som da sorteio de um maravilhoso colar Contando no elenco com a atriz de esmeraldas, brilhantes e ouro 17 mirim global Carol Murai e texto branco. e direção de Mareliz Rodrigues, a Foto 09: as socialites e promo- peça “Salada de Fábulas” estreou toras de eventos prestigiando a recentemente no Centro Cultural exposição. Anglo Americano. Grandes perso- 16 nagens clássicos de histórias, como Chapeuzinho Vermelho, Pinóquio, Cinderela e Sininho, entre outros, são interpretados durante o espe- 15 táculo. Em cartaz até 28 de abril, 14
  10. 10. Jornal Tipo Carioca Abril 2013 11 04 05aos sábados e domingos, às 17h. O 06endereço é: Av. das Américas 2603.Foto 12: o elenco da peça.O Lions Clube RJ Recreio come- 07morou os seus 25 anos promoven- Siqueira, Alessandro Rosalino (Alêdo dois eventos: na Paróquia da Quadrinhos) e Angella Wains.Imaculada Conceição, no Recreio, Foto 17: o casal Maura e Héliofoi realizada Missa de Ação de Guarilha;Graças, celebrada pelo Padre André Foto 18: a aniversariante VeraVillar; e, no Clube Marapendi, o co- Oliveira; de de visão pela idade avançada), dequetel comemorativo reuniu 152 Foto 19: o cantor Alex Cohen, forma totalmente gratuita. O acer-participantes. Vida longa ao Lions! sucesso! vo já reúne mais de 2.700 títulosFoto 13: os homenageados e fun- Foto 20: Aline Haddad e seu prín- que vão desde literatura em geral,dadores do Lions; cipe Rodrigo Simas. passando por textos religiosos até 08Foto 14: os amigos e companhei- textos e provas corrigidas voltadasros do clube. Parabéns para o Colégio de Aplicação para concursos públicos. Para o de- (CAP) Paulo Gissoni, que está com- ficiente ter acesso ao acervo, bastaFormada em Artes Cênicas e Direito, pletando 50 anos. levá-lo para se associar à entida-a atriz Jeniffer Setti se dedica, duas de, cuja sede é na Rua Primeiro devezes por semana, a aulas de Canto Março 125, no Centro. Em abril, aconteceu a 1ª Corrida ena Escola Profissionalizante Elite Caminhada contra o Crack. A larga-Musical, no Recreio. da foi no Recreio; e a chegada, na Anote na agenda: até o dia 4 de maio,Foto 15: a bela Jeniffer. o grupo Art no Park realiza, na Praça Barra. Bela iniciativa! Parque das Rosas, na Barra, o even- 09A estrela americana Alicia Keys, que to “A Natureza e o Urbano”. Trata-se O Instituto Terrazul organizou o da promoção de arte urbana, círculojá vendeu mais de 30 milhões de coquetel de lançamento do Projeto de pinturas e performances, com odiscos, foi um dos últimos nomes Proteção Ambiental Lagunar. Essa objetivo de estimular o público a co-confirmados entre os artistas que ação foi implantada junto ao Cepe- nhecer a arte contemporânea.se apresentarão no palco principal Rio (Clube de Empregados dado Rock in Rio. Entre os sucessos Petrobras), na Lagoa de Marapendi,eternizados na voz da cantora estão na Barra.“Empire State of Mind” e “No One”.Foto 16: Alicia Keys. Não é na região da Barra, mas vale a dica. A Audioteca Sal e Luz é umaParabéns, saúde, paz, sucesso e feli- 10 instituição filantrópica, sem fins lu-cidades aos aniversariantes do mês: crativos, que produz e empresta li-Hélio Guarilha, Berto Filho, Aline vros falados (audiolivros). Esse tipoHaddad, Salomé Lancelotti, Vera de livro alcança cegos e deficientesLúcia Oliveira, Bernardo Langlott, visuais (inclusive os com dificulda- 11Álvaro Nassaralla, Fernando Moraes,Mauro Magalhães, Joubert Barros,Alex Cohen, Vanessa Pinagé, LuizaVelloso, Ana Lúcia Cavalcanti, RoseBarbosa, Jussara Lopes, Vinícius 12 13
  11. 11. D12 Abril 2013 Jornal Tipo CariocaENVELHECIMENTO INTELIGENTE e forma alguma as modifica- minação final dos restos alimentares, sofre ções que ocorrem no envelheci- muito com a idade, seja porque há redução mento significam que as pesso- do afluxo sanguíneo, diminuindo a con- as não possam continuar a ser tração tão necessária à evacuação, ou porativas, muito menos que sua aparência aparecerem divertículos, complicando, so-fique desagradável, porque cada idade bremodo, o trânsito nessa área. Acresce atem o seu CHARME. frequência do aparecimento dos pólipos,Acompanhando o desgaste que ocorre em que são a base da grande malignização dotodos os sistemas do organismo, os sinais intestino grosso;externos são os mais visíveis e caracteri- ÂNUS – Como a prisão de ventre é uma daszam o envelhecimento, principalmente na queixas mais frequentes, a sua consequênciapele, cabelos e unhas. é o aparecimento de mamilos hemorroidá-Vamos acompanhar os déficits que vão rios, causados pelo esforço evacuatório, ousurgindo com os anos, especialmente no pelo tempo tempo em que se fica no vaso,tubo digestivo e na parte externa, tendo tentando evacuar. Banheiro não é biblioteca;como base uma idade média em diante: FÍGADO – Pouco envelhece e tem uma enor-BOCA – Há uma perda de cerca de 1/3 a me capacidade e reserva de função;2/3 da arcada dentária o que passa a difi- VESÍCULA – Presença bastante frequente decultar a mastigação que tritura e prepara cálculos, por erros metabólicos;os alimentos. As glândulas salivares di- PÂNCREAS – Pouco sofre na fabricação deminuem o fluxo salivar em cerca de 20 a suas enzimas e vai se mantendo saudável;30%. Com isso, menos antisséptico bucal, CABELOS – Os adultos têm 100 mil fios demenos oxigênio, menos ptialina, tendên- cabelo; ao envelhecer, eles diminuem paracia à disbiose, com todas as suas implica- a metade;ções de surgimento de mau hálito, e defi- UNHAS – Us unhas vão tendendo a crescerciência no início do desdobramento das mais lentamente;proteínas, que é feito pela ptialina; PELE – Aparecem as rugas, o ressecamentoESÔFAGO – Mudança das contrações eso- e a perda da elasticidade;fágicas, levando a dificuldade na degluti- MEMÓRIA – SNC – Quando buscamos ativi-ção e na passagem da comida pelo esôfa- dades que trabalhem com a memória e ado-go. Frequência do aparecimento da hérnia tamos hábitos saudáveis, estamos fazendo ahiatal por deslizamento e consequente prevenção de doenças e prolongando umaincompetência do fechamento desse es- vida ativa. Ninguém quer envelhecer doen-fíncter. REFLUXO; te, mas para isso temos que, desde cedo, terESTÔMAGO – A principal característica é a em mente que a melhor profilaxia é a medi-tendência lenta de atrofia gástrica da zona cina preventiva, e que não nos esqueçamosque secreta o ácido clorídrico, o pepsino- nunca que a vida sem metas nos leva a umagênio e consequente intolerância a prote- vida vegetativa e sem graça.ína. É muito nítida a intolerância do idoso Lembrem-se sempre: ONTEM, já passou;à carne, levando à má digestão. Distúrbios AMANHÃ é amanhã; e HOJE é agora, é vida,ocasionais de dispepsia, com digestão difí- esperança e alegria. São os hábitos saudá-cil e lenta, contrações diminuídas; veis de todo o dia, como alimentação, exercí-DELGADO – Esse setor responsável pela cios físicos, leitura, higiene, sono e estar fe-absorção dos alimentos que já foram des- liz, contra todas as circunstâncias adversas.dobrados envelhece muito pouco, por ser Refs.: Alto Astral Editora, ano 4, nº 15-2013;muito extenso, cerca de seis metros; Bem Forte, ano XI, nº 81; JFPenteado, expe-CÓLON – O cólon, responsável pela eli- riência pessoal.
  12. 12. Jornal Tipo Carioca Abril 2013 13 Alberto P Gonzalez . Médico www.doutoralberto.com DOIS FILMES a minha infância, as férias filme. O abuso com a nossa paciência conseguiu fazer rir em um limiar alto CLUBE CEUN duravam quase três meses. Já na vida adulta, me satis- faço com algumas semanasem que consigo escapar de tantoscompromissos. Cinema acompanha vem ainda do fato que o suposto perso- nagem terrível, o dragão, nem aparece. Ele arrasa o quarteirão do castelo dos anões, a gente vê o rabinho aqui, umas sombras ali, no melhor estilo de filmes e mesmo deixar lágrimas nos olhos. Algumas cenas, como uma invejosa e ciumenta Ingrid Guimarães, quando sua personagem se corrói com as ca- racterísticas de uma médica prodígio H á cerca de trinta anos, o jornalista Armando Nogueira, dando asas à sua paixão pela avia- ção, criou o Clube Esportivo de Ultraleve (CEU), próximo do dores de voo. Escolas de pilotagem surgiram e, re- centemente, até para helicópteros. O clube foi reconhecido em todo o meio aeronáutico como um exem- plo a ser seguido.a tendência. Antes, era quase um ci- B. Ao final do filme, o monstro abre o se apresentando ao marido, são dignas Aeroporto de Jacarepaguá e do E o que faz a prefeitura agora?néfilo, frequentava os espaços cultu- olhinho, como se dissesse: “olha: para de entrar para os registros do cinema Clube da Aeronáutica. Simplesmente, por causa dos Jogosrais, as semanas temáticas, ciclos de eu aparecer na próxima edição, pre- nacional. Toda a sequência inicial da No inicio, operavam no “sítio de voo”, Olímpicos, que não duram mais dodiretores, cinema polonês, russo e cisamos outros 470 milhões; vê se decadência nervosa da personagem e aquelas engenhocas construídas que um mês, expulsa o clube de suaalemão. Hoje, me defendo com algu- vocês comparecem e encham nossas no spa é impecável, com um elenco de com tubos e panos, cujos voos não área sem lhe oferecer outro lugarmas coleções de vídeos que alguns burras!”. Os atores... Que atores? O in- apoio muito competente e divertido e ultrapassavam os limites da Barra e compatível para se instalar.grandes jornais organizam. Mas a terprete do Hobbit é medíocre e, como cenas hilárias. O fato de a empresária do Recreio dos Bandeirantes. Fazem o mesmo que fizeram com otela plana nunca pode replicar o am- o Hobbit é bobo mesmo, o ator se es- ser bem-sucedida no ramo de falos Com o tempo, a coisa foi se sofis- Autódromo. E para onde irão as maisbiente que só uma sala de cinema conde atrás do personagem. Os anões elétricos, vibratórios, em forma de ticando, e apareceram equipamen- de cem aeronaves sediadas no clube?representa. No verão, então, aquele são todos canastrões, pareciam atores coelhinhos ou polvos, não concentra tos semelhantes aos aviões mono- O Aeroporto de Jacarepaguá estácalor africano do lado de fora e aque- mexicanos! E o bicho esquisito, “o que a trama em torno do “negócio”. Em motores que permitiam viagens saturado, não há lugar para maisle friozinho escandinavo da sala fa- rouba a cena” ao contracenar com o nenhum momento a comédia cai na por todo o país. nada. E não há outro lugar nas cer-zendo o contraste, é uma delícia. Hobbit, deixa muito a desejar. Pensei vulgaridade, e as gozações abrangem Eu mesmo fiz um voo até o Rio São canias. E por acaso a prefeitura seEm dois dias, dois filmes, dois gêneros em um ator brasileiro, como Matheus todos os gêneros, sem fazer humor Francisco, lá para o lado de Paulo preocupa com isso? Claro que não.e duas escolas. Uma mostra pequena, Nachtergale. Se tivesse um papel des- barato ou humilhante, muito pelo Afonso, enfrentando, em alguns tre- Quer que todos saiam a toque demas que pode expor uma tendência: o te, Matheus lhe daria a dramaticidade contrário, as piadas são todas de mui- chos, chuva e turbulência. caixa, para que ela, depois doscinema brasileiro está melhorando. De de um Nosferatu. Mas nada. Tudo uma to bom gosto. Com exceção de Maria Um companheiro meu ousou voar Jogos, negocie a cobiçada área comum lado um peso pesado: “O Hobbit, grande bobeira. Depois de três horas Paula, que é a sucessora natural de até Fernando de Noronha. Claro que a construção civil.uma aventura inesperada”, 470 milhões sentado, saí com a nítida sensação de Betty Faria, o elenco cria momentos esses modernos ultraleves exigiam, E, com essa e outras atitudes seme-de dólares de orçamento, toda a fama haver jogado dinheiro fora, mas con- impagáveis, apoiado por uma direção para manter sua confiabilidade, boas lhantes, a Barra e o Recreio vão sedos escritores, equipes milionárias de tribuído para que no próximo da sequ- concisa, um roteiro bem sequenciado oficinas e mecânicos competentes. desfigurando. Perdendo suas reser-Hollywood e... uma narrativa sem a ência o tal dragão apareça. Teria sido e uma edição dinâmica. Isso faz com E a consequência foi a instalação no vas e seus logradouros.menor novidade, personagens batidos, melhor se em vez de um filme fosse um que toda a sequencia final, rodada em CEU de três oficinas que emprega- O poder público passa como umclichês, e sequências intermináveis videogame. Pelo menos eu participaria Nova York, não perca a linha. Um exce- ram muita gente. rolo compressor sobre as conquis-de efeitos especiais. Não consegui dar das intermináveis cenas de espadas de- lente filme nacional que, ao contrário Outros empregos foram criados tas e propriedades dos cidadãos.sequer uma risada. Só mesmo do ridí- cepando e pedras caindo. do gigante bobão americano, me deu a para manobrar as aeronaves nos São os “tempos modernos”, em queculo de algumas cenas e do fato que o Do outro lado: “De pernas pro ar 2”. sensação de haver investido bem o di- hangares, bem como para controla- só o dinheiro conta.“feiticeiro castanho” teria debaixo do Nacional, 6 milhões de orçamento nheiro do salgado preço dos cinemaschapéu um ninho ativo, e deste ninho a e uma agradável surpresa. Comedia de alta temporada. De alguma forma,merda escorria, lambrecando o cabelo romântica, um gênero difícil de agra- mostra que o cinema, como gênero dedo bruxo. Talvez um resumo do próprio dar, especialmente a mim, mas que arte, está crescendo no Brasil. Fábio Cardoso de Freitas Engenheiro Agrônomo fcarfreitas@yahoo.com INVISTA NO SEU JARDINEIRO: O RETORNO É GARANTIDO inda da série de colunas mento da atividade paisagística. Bons plantio de uma árvore, manutençãoA var.imagens que merecem ser lidas ou- jardineiros ainda hoje são consegui- de gramados etc. tra vez, uma que já ocupou dos em verdadeiras “loterias”. Existe uma necessidade gritante por esse espaço em 2008 e con- Normalmente são pessoas que já ti- mão de obra de boa qualidade para Vicente Rodriguestinua atual é esta. Invista no seu jar- veram um maior envolvimento com acompanhar o mercado paisagístico. fotógrafodineiro. Vejamos abaixo os motivos. a produção de mudas de plantas or- De nada adianta um belo projeto pai-Cada vez mais, a população – em espe- namentais, serviços de manutenção sagístico se, no momento da execuçãocial a brasileira – preocupa-se com a em geral ou foram criadas neste meio, dos jardins, a equipe deixa a desejar nes: Telefo 3406-1804qualidade de vida e as pessoas se inte- tendo muitas das vezes um parente por falta de conhecimento. O projeto / 459 -0117 : (021) 2 Celularesressam por assuntos ligados à preser- jardineiro, que foi, na verdade, o gran- nunca demonstrará sua total beleza. 88 614-71 000 / 7vação do ambiente. Com isso, tentam de disseminador de todo o conheci- Pouquíssimas escolas de jardinagem (021) 9395-2 ail.comamenizar os efeitos do estresse causa- mento adquirido. Para piorar a ques- existem no Brasil. São Paulo detém a @hotm il.com agens a var.im lentes@gmdo nos grandes centros urbanos. tão, esse indivíduo, com perfil mais maioria delas, mas ainda assim não s m agodaO paisagismo é uma atividade em rural e com cunho para jardinagem são suficientes para cumprir a deman-constante crescimento no nosso país, está cada vez mais raro. Dessa forma da. O Rio de Janeiro vem logo a seguiruma vez que ele contribui diretamen- há o perigo da crescente expansão da em número de cursos de jardinagem.te para a atenuação dos efeitos malé- formação do jardineiro, sem nenhum Investir em formação e qualificação deficos do estresse das grandes cidades. ou equivocado embasamento técnico mão de obra tem retorno garantido.Assim, a procura por este serviço vem profissional, pois muitos deles vieram Prova disso é que nos países desenvol-aumentando cada vez mais. de outros ramos, como a construção vidos tais medidas já são aplicadas háDe carona com o crescimento do pai- civil e a prestação de serviços. tempos, trazendo ótimos resultados.sagismo, outros mercados também A grande maioria dos jardineiros de Um funcionário qualificado produzevoluem de forma direta ou indire- hoje são muito empíricos, ou sim- com mais qualidade e menor tempo,ta. É o caso da produção de plantas plesmente desconhecem de forma representando economia e produtivi-ornamentais, ferramentas, produtos absoluta as reais necessidades do sis- dade, reduzindo o desperdício e au-para irrigação, vasos, insumos (fertili- tema solo – planta –atmosfera. Várias mentando a eficiência e a agilidade dozantes, corretivos e defensivos contra práticas e manejos necessários à exe- trabalho. Ganha o empregador com opragas e doenças em plantas orna- cução e condução de um belo jardim melhor atendimento ao público e lu-mentais), além do mercado da publi- não são dominadas ou, na maioria das cratividade. Além destas vantagens, ocidade e propaganda e da jardinagem vezes, aplicadas de forma inadequada. convívio com um funcionário satisfei-entre outros. Dentre elas, as podas, a correta iden- to é sempre mais saudável para ambasLamentavelmente, a jardinagem não tificação de uma praga ou doença, as partes. O seu jardim? Ele agradececresce com a mesma base de conheci- adubação de plantio e manutenção, e retribui com beleza e cor. Av. Lúcio Costa, 16.580 - Tel.: 2490-1684 / 9987-6022

×