FACULDADE DE TECNOLOGIA E NEGÓCIOS       CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE CURSO ENGENHARIA DE PRODUÇÃO - 4º MÓDULO             A...
Adriana Silva Castro - RA. 35440           Cellene Jaquetti - RA. 32972         Edinei Olimpio Santos - RA. 3550ABORDAGEM ...
RESUMO      Neste trabalho, apresentamos alguns fatos da vida do Engenheiro Fayol, ecomo a partir das suas experiências de...
ABSTRACT      That work, we can show some facts of life Fayol Engineer, and how from theirlife experiences he developed hi...
SUMÁRIOINTRODUÇÃO ...........................................................................................................
5                                   INTRODUÇÃO      Este trabalho tem por objetivo apresentar a origem de uma das Teoriasa...
61.    VIDA E OBRA DE JULES HENRY FAYOL      Jules Henry Fayol nasceu na antiga Constantinopla (atual Istambul), filho dep...
7                     Todos os empregados numa organização participam, num maior ou menor                     grau, da fun...
8                             Países como o Brasil, que sofreram uma forte influencia da cultura                     franc...
92.     FUNDAMENTOS DA TEORIA CLÁSSICA       Fayol acreditava que um bom desempenho organizacional devia-se a umaboa habil...
10isso era preciso ter os melhores resultados possíveis de todas as ações humanas edo emprego do capital da organização.  ...
113.      FUNÇÕES BÁSICAS DA EMPRESA        Antes de saberem-se quais os princípios que se fazem necessários para ofuncion...
124.     O ADMINISTRADOR SEGUNDO FAYOL      Uma vez compreendido que a administração é uma das funções da empresa,podemos ...
135.     PRINCIPIOS GERAIS DA ADMINISTRAÇÃO DE FAYOL      Quando Fayol elaborou os 14 princípios da administração, não o f...
14Remuneração: Deve ser justa para a empresa e para os colaboradores, trazendosatisfação para ambos os lados;Centralização...
156.     COMANDO: AUTORIDADE E RESPONSABILIDADE      Fayol preocupou-se principalmente quanto à análise da organização eco...
167.    CONSIDERAÇÕES E CRÍTICAS SOBRE A TEORIA CLÁSSICA      O principal contraponto da teoria de Fayol é a Teoria de Tay...
17                                    CONCLUSÃO      Através de nossas pesquisas, pudemos concluir que os estudos de Fayol...
18                       REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICASABRAHIM, Gisele Seabra. Os Elementos e Princípios da Administração na T...
19LODI, João Bosco - História da administração – São Paulo: Pioneira, 1977 – 5°Edição.PEREIRA, Maria Isabel; FERREIRA, Ade...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Abordagem..

1.341 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.341
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
15
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Abordagem..

  1. 1. FACULDADE DE TECNOLOGIA E NEGÓCIOS CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE CURSO ENGENHARIA DE PRODUÇÃO - 4º MÓDULO Adriana Silva Castro Cellene Jaquetti Edinei Olimpio SantosABORDAGEM CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO: FAYOL SÃO PAULO 2012
  2. 2. Adriana Silva Castro - RA. 35440 Cellene Jaquetti - RA. 32972 Edinei Olimpio Santos - RA. 3550ABORDAGEM CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO: FAYOL Trabalho apresentado ao Curso de Engenharia de Produção, da Faculdade Carlos Drummond de Andrade, como requisito para aproveitamento no componente curricular de Teoria Geral da Administração, ministrado pelo Professor Wagner Morrone. SÃO PAULO 2012
  3. 3. RESUMO Neste trabalho, apresentamos alguns fatos da vida do Engenheiro Fayol, ecomo a partir das suas experiências de vida ele desenvolveu sua TeoriaAdministrativa. Constam no trabalho os princípios de Fayol, sua visão sobre oadministrador e administração e as considerações posteriores que foram feitas arespeito de suas ideias.
  4. 4. ABSTRACT That work, we can show some facts of life Fayol Engineer, and how from theirlife experiences he developed his Administrative Theory. Was listed in the work theprinciples of Fayol, his vision of the administrator and the administration and furtherconsiderations that were made about their ideas.
  5. 5. SUMÁRIOINTRODUÇÃO ............................................................................................................ 51. VIDA E OBRA DE JULES HENRY FAYOL ........................................................... 62. FUNDAMENTOS DA TEORIA CLÁSSICA ........................................................... 93. FUNÇÕES BÁSICAS DA EMPRESA ................................................................. 114. O ADMINISTRADOR SEGUNDO FAYOL .......................................................... 125. PRINCIPIOS GERAIS DA ADMINISTRAÇÃO DE FAYOL ................................. 136. COMANDO: AUTORIDADE E RESPONSABILIDADE ....................................... 157. CONSIDERAÇÕES E CRÍTICAS SOBRE A TEORIA CLÁSSICA ..................... 16CONCLUSÃO............................................................................................................ 17REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS .......................................................................... 18
  6. 6. 5 INTRODUÇÃO Este trabalho tem por objetivo apresentar a origem de uma das Teoriasadministrativas desenvolvidas durante a revolução Industrial, e quais os fatores quea inspiraram, para que após o estudo do seu surgimento seja possível a comparaçãocom os atuais métodos administrativos que vemos sendo aplicados hoje e acompreensão de como foi que se tornaram importantes. Pretende-se também, através do presente estudo, aguçar a curiosidade e“startar” uma busca infinita por conhecimento a fim de melhorar e ampliar osmétodos de se atingir níveis de excelência não só organizacionais, mas tambémcomo pessoais. Pois indiferente do fim para qual se aplica a ciência administrativa, oseu estudo e aplicações mais aprofundadas trarão inevitavelmente como resultadoso desenvolvimento, o crescimento, a harmonia... Organizações e pessoas melhores,que podem atingir níveis de excelência em todos os seus objetivos.
  7. 7. 61. VIDA E OBRA DE JULES HENRY FAYOL Jules Henry Fayol nasceu na antiga Constantinopla (atual Istambul), filho depais franceses, foi educado no Liceu de Lion e em 1860, com 19 anos se gradou emengenharia de minas em Saint Étienne e ingressou na empresa metalúrgica ecarbonífera Comentry-Four-chambault Company, onde fez carreira. Comoengenheiro contribui muito para os avanços nas técnicas de combates de incêndiossubterrâneos, em 1866 com 25 anos, foi promovido à gerente das minas. Em 1888ele assumiu a diretoria geral da empresa, que na época passava por sériasdificuldades e salvou a companhia da falência. Durante o período que foi diretor, Fayol fechou a fundição de Fourchambault epara ganhar em economia de escala centralizou a produção em outro local deatividade: Montluçon. Paralelamente ele adquiriu novos depósitos de carvão emBressac, Decazeville, e em Jondreville. A companhia passou a chamar-seComambault e hoje faz parte da Le Creusot Loire, o maior grupo de mineração emetalurgia na França Central. A partir de suas experiências na Comambault, Fayol desenvolveu suas ideiasacerca da administração. Como engenheiro, acostumou-se a trabalhar pesado comprincípios e técnicas, tais costumes ele carregou consigo para a empresa em todosos níveis hierárquicos que ocupou, assim conseguiu agrupar um conjunto de ideias eprincípios que acreditava serem úteis em qualquer situação administrativa. Apesar de ter criado o hábito de anotar suas idéias diariamente, elasdemoraram a se tornar públicas, seu primeiro livro, Administração Geral e Industrialsomente foi publicado quando Fayol já tinha 75 anos, em 1916, a obra foi traduzidapara o inglês em 1949. O livro apareceu primeiro na forma de artigo num boletim deuma associação comercial: Bulletin de la Societé de l’Industrie Minerále. De acordo com Silva (2004, p.144): “Em 1900, num folheto apresentado noCongresso Internacional de Mineração e Metalurgia, ele disse:”
  8. 8. 7 Todos os empregados numa organização participam, num maior ou menor grau, da função administrativa... (e) tem oportunidade para executa suas faculdades administrativas e ser reconhecidos por isso. Aqueles que são particularmente talentosos podem subir dos degraus mais baixos aos mais altos da hierarquia da organização. (SILVA, 2004, p. 144). [...] A partir de então, Fayol, começou a separar a habilidade administrativa do conhecimento tecnológico . Em 1908 preparou outro folheto para o jubileu da Sociedade Indústria Mineral, na qual maiores avanços do seu pensamento administrativo tornaram-se aparentes. Neste folheto continha uma lista inicial de princípios de administração, como unidade de comando, cadeia hierárquica de comando, separação de poderes, centralização e ordem. Em complementação a estes princípios, Fayol, falou de previsão a qual antecipava o futuro planejado e orçamentos preparados. Ele falou ainda da necessidade de organogramas organizacionais, reuniões e relatórios, em como de um sistema de contabilidade para manter a administração informada [...](SILVA, 2004, p. 144). Segundo Lodi (1977, p.46), “depois de distinguir as funções empresárias(Técnica, comercial, financeira, contábil), Fayol, procurou medir a importânciarelativa dessas diversas capacidades em cada nível da empresa”. Este folheto, descrito no trecho acima, foi um grande passo na direção desuas ideias. Fayol definiu as funções administrativas, ou funções do administrador. Aidentificação das cinco funções do administrador e o desenvolvimento e abordagemconhecida como processo administrativo fizeram de Fayol um dos principaiscontribuintes para o desenvolvimento do conhecimento administrativo moderno. “No fim da vida, Fayol, preocupou-se com a administração pública, estudandoos problemas dos serviços públicos e lecionando na Escola Superior de Guerra deParis”, conforme relatado por Lodi (1977, p.46). Após sua aposentadoria em 1918, até 1925 ele fundou e presidiu o Centro deEstudos Administrativos, grupo formado para promover o fayolismo, onde sepreocupava em demonstrar que, com previsão cientifica e métodos adequados degerencia, resultados satisfatórios eram inevitáveis. O exército francês acabou auxiliando na difusão do fayolismo, que por eles foiaprendido na Escola Superior de Guerra, levando as ideias a diversas colônias. Conforme descrito no livro de Lodi (1977, p.52):
  9. 9. 8 Países como o Brasil, que sofreram uma forte influencia da cultura francesa no inicio do século, também receberam favoravelmente o fayolismo. O SENAI, o IDORT de São Paulo, as práticas administrativas de organizações tradicionais como a Estrada de Ferro Sorocabana poderão depor e conservam reminiscências dessa influência. Fayol faleceu em Paris em 1925, junto de Taylor e Ford é considerado um dospais do estudo administrativo.
  10. 10. 92. FUNDAMENTOS DA TEORIA CLÁSSICA Fayol acreditava que um bom desempenho organizacional devia-se a umaboa habilidade administrativa e como toda ciência, a ciência da administração devebasear-se em leis ou princípios. A teoria clássica defendia que a partir da otimização estrutural da empresaera possível obter a máxima eficiência de cada uma das partes da empresa. Conforme Silva (2004, p.145), [...] “Fayol ressaltou a necessidade daprofissionalização e do ensino da administração, usando a seguinte argumentação,válida até os dias atuais”: A capacidade mais necessária dos agentes superiores das grandes empresas é a capacidade administrativa. Por conseguinte, uma educação exclusivamente técnica não responderá às exigências gerais da empresa, mesmo as empresas industriais. Enquanto se fazem os maiores esforços para divulgar e aperfeiçoar os conhecimentos técnicos, nada se é feito para se preparar os futuros chefes, no concernente as suas funções administrativas. A administração nem sequer figura no programa de ensino das escolas superiores de engenharia civil. Será porque se desconhece a importância da capacidade administrativa? [...] Será porque a capacidade administrativa só pode ser adquirida pela prática? Esta é a razão que se oferece. Entretanto, ela é destituída de valor, pois, na realidade, a capacidade administrativa pode e deve ser adquirida, como a capacidade técnica, na escola em primeiro lugar e na empresa em seguida. A verdadeira razão da ausência do ensino administrativo nas escolas profissionais é a falta de doutrina... (SILVA, 2004, p.145). Conforme estudos, verificamos que a Teoria de Fayol, foi desenvolvida paraajudar a gerenciar organizações de qualquer espécie, exércitos, industriais, políticas,etc... Pois a principal capacidade da alta direção das empresas (organizações) deveser a capacidade administrativa. Pudemos observar que a Teoria de Fayol foi desenvolvida durante arevolução industrial, no século XIX, onde o “boom” industrial alimentou aconcorrência. As empresas cresciam em uma aceleração espantosa e devido à faltade estudos anteriores e a aceleração, este crescimento era em geral desorganizado.Este ambiente foi fator crucial aos primeiros estudos relacionados à administração,pois se fazia necessário aumentar a eficiência e competência das empresas, e para
  11. 11. 10isso era preciso ter os melhores resultados possíveis de todas as ações humanas edo emprego do capital da organização. A fim de atingir estes objetivos, a Teoria Clássica desenvolvida por Fayolenfatizava a estrutura organizacional. Segundo Fayol, conforme citado por diversas fontes, seu êxito não se deviaas suas qualidades pessoais, mais aos métodos que empregava. Ao contrário da Teoria Cientifica de Taylor, a clássica prega que o bomrelacionamento entre as estruturas internas da empresa que são organizadas(administradas) pelo alto escalão é o que traz o aumento da eficiência. Sendoresponsabilidade de quem ocupa o topo da pirâmide hierárquica conduzir eestruturar toda a organização para que sejam atingidos os objetivos. Ou seja, aotimização estrutural da organização, leva funcionários a executarem suas tarefascom maior prazer e lealdade, fazendo com que a empresa atinja níveis deexcelência. Desta forma, a função administrativa diz respeito exclusivamente ao corposocial da empresa, e se faz necessário uma carga de regras e normas (ouprincípios) para que ela funcione bem.
  12. 12. 113. FUNÇÕES BÁSICAS DA EMPRESA Antes de saberem-se quais os princípios que se fazem necessários para ofuncionamento da função de administrador é primeiro preciso entender onde aadministração encontra-se em uma organização. A obra de Fayol traz a constatação de que o que faz uma empresa funcionarsão seis funções básicas:Funções Técnicas: Relacionada com a produção e transformação de produtos eserviços da empresa (bens);Funções Comerciais: Lida com as compras, vendas e permutas dos bens eserviços produzidos;Funções Financeiras: Ligadas a captação e gerência de recursos, visando fazerbom uso do capital.Funções de Segurança: Refere-se à proteção e preservação do patrimônio, no qualse incluem os bens e as pessoas.Funções Contábeis: Relacionada com controle e registro das despesasorganizacionais, focando-se na elaboração de inventários, balanços, estatísticas,etc..Funções Administrativas: São responsáveis pela integração da cúpula das outrascinco funções, ou seja, coordenam e sincronizam todas as atividades anteriores,tendo portanto influência sobre elas.
  13. 13. 124. O ADMINISTRADOR SEGUNDO FAYOL Uma vez compreendido que a administração é uma das funções da empresa,podemos começar a explorá-la melhor. As funções do administrador, ou funções administrativas, é o chamadoprocesso administrativo que pode ser identificado em qualquer organizaçãoindependente de sua natureza, assim como também indefere a posição hierárquicado administrador (diretores, gerentes, supervisores), e foram definidos por Fayol em5 funções diferentes que podem ser entendidas da seguinte maneira:Prever: visualizar o futuro, definir objetivos e traçar o programa de ação.Organizar: construir a estrutura material e humana, da empresa.Comandar: manter a atividade no pessoal, dirigindo e orientando todas as pessoasda organização.Coordenar: reunir, unificar e harmonizar as atividades e esforços, sincronizarprocessos e ações na medida certa, sempre os adaptando aos objetivos daempresa.Controlar: verificar se as normas e regras estabelecidas estão sendo seguidas. Oobjetivo é localizar erros para que possam ser corrigidos e prevenidos no futuro. Apesar de a administração ser apenas uma das seis funções da empresa,para Fayol era considerada a mais importante, pois fazia com que as demaisfunções interagissem entre si, e visava à melhoria dos resultados em todas as áreas,logo se obteria uma melhoria significativa no resultado da empresa como um todo.
  14. 14. 135. PRINCIPIOS GERAIS DA ADMINISTRAÇÃO DE FAYOL Quando Fayol elaborou os 14 princípios da administração, não o fez com osignificado literal da palavra, salientando que não existe nada rígido ou absoluto,logo é evidente o caráter genérico de seus princípios, a adoção de cada um destesprincípios depende do ambiente onde o administrador encontra-se, tudo é umaquestão de bom senso, portanto os princípios abaixo expostos são maleáveis.Divisão de Trabalho: a especialização do trabalho, desde os funcionários aosexecutivos e operários da fábrica, assim o recurso humano é melhor utilizado naempresa e aumenta-se a eficiência;Autoridade e Responsabilidade: a responsabilidade está diretamente ligada aautoridade, pois trata de ser confiável, responder pelas consequências de atos edecisões e ter a consciência das obrigações a serem cumpridas. Enquanto que aautoridade é o direito de dar ordens e o poder de esperar obediência;Disciplina: obediência e respeito aos acordos que estabelecem normas e condutasde trabalho a todos os funcionários, assim é possível um esforço comum para umbem maior e de uma maneira que possa ser administrado. E com relação àspunições, devem ser aplicadas com o máximo de critério possível para que osfuncionários não sejam desmotivados;Unidade de Comando: Cada pessoa deve ter apenas um chefe do qual recebeordens e para quem responde, é o principio da autoridade única. Visando minimizarfalhas de comunicação (mal-entendidos);Unidade de Direção: a empresa como um todo deve movimentar os seus esforçosem direção a um objetivo comum, um único objetivo, através de um controle únicode direção;Interesses Gerais: devem ser sobrepostos aos interesses particulares, o que querdizer que os interesses pessoais ou setoriais devem subordinar-se aos interessesglobais da organização;
  15. 15. 14Remuneração: Deve ser justa para a empresa e para os colaboradores, trazendosatisfação para ambos os lados;Centralização: principio no qual se concentra a autoridade no topo da pirâmidehierárquica;Cadeia Escalar: entende-se que os níveis mais baixos de administradores deve sermanter os níveis mais altos informados das suas atividades de trabalho, nada mais édo que a pirâmide hierárquica, a linha de autoridade empresarial que vai do escalãomais alto até o mais baixo;Ordem: cada coisa deve ter o seu lugar dentro da empresa, assim como cadaatividade deve ter o seu tempo e cada pessoa a sua função;Equidade: todos deveriam ser tratados o mais “igualmente” possível. Assim atravésde amabilidade e justiça era possível conquistar a lealdade dos funcionários;Estabilidade: define que quanto mais tempo em um mesmo cargo melhor.Priorizando a retenção dos trabalhadores mais produtivos. Pois a rotação de pessoalgera custos, além de acarretar um impacto negativo na eficiência das operações;Iniciativa: uma nova atividade ou ação feita por vontade própria diante daconstatação de alguma necessidade, visualizando um plano e garantindo o seusucesso.Espírito de equipe: a união e harmonia entre os funcionários da organizaçãovoltados para um objetivo comum, o que assegurará o sucesso.
  16. 16. 156. COMANDO: AUTORIDADE E RESPONSABILIDADE Fayol preocupou-se principalmente quanto à análise da organização ecomando. No que diz respeito à organização era necessário analisar os funcionáriosque fariam parte dos cargos administrativos em posições mais baixas da hierarquiae determinar suas características. E no que diz respeito ao comando foi definido um perfil de chefe ideal,visando o principio da autoridade e responsabilidade, portanto um chefe deve:Ter um conhecimento profundo do pessoal;Excluir os incapazes;Conhecer os contratos entre a empresa e os seus agentes;Dar o exemplo;Fazer inspeções periódicas;Reunir seus principais colaboradores em conferências;Obter unidade de direção e convergência de esforços;Não se deixar absorver pelos detalhes;Incentivar no pessoal a atividade, a iniciativa e a lealdade.
  17. 17. 167. CONSIDERAÇÕES E CRÍTICAS SOBRE A TEORIA CLÁSSICA O principal contraponto da teoria de Fayol é a Teoria de Taylor, queenxergava a empresa de baixo para cima, enfocando a produção e a máxima divisãode tarefas através e métodos padronizados. Criticas comum aos métodos de Fayol, são a sua excessiva preocupação como comando gerencial das atividades, uma vez que seu foco principal é a autoridadee responsabilidade e a centralização de poder de decisão; e o fato de considerar aempresa como um sistema fechado, pois as organizações não podem ser vistascomo partes isoladas do meio. Já a consideração apoiada pela maioria dos autores clássicos dizia que aempresa deveria se preocupar com o estudo da própria empresa, atentando-se aosseus departamentos, quais departamentos realizavam quais atividades, como estasatividades eram realizadas e qual a ligação entre elas. O estudo deixou uma enorme contribuição ao futuro, ao mostrar que acomplexa atividade de administrar pode ser separada em áreas interdependentes deresponsabilidades ou funções.
  18. 18. 17 CONCLUSÃO Através de nossas pesquisas, pudemos concluir que os estudos de Fayol,contribuíram para que as organizações começassem a priorizar a maneira comoseus bens eram produzidos e pudessem conduzir esta produção de uma formamelhor. Pois até aquele presente momento, pelo que pudemos compreender, apreocupação era em produzir mais, sem se importar no como. O que muitas vezesacarreta em prejuízos e gastos desnecessários. Para que pudéssemos compreender a evolução de seu pensamento foinecessário adquirir certo conhecimento básico sobre outras teorias administrativas,através do qual cremos que a Teoria de Taylor e a Teoria de Fayol completam-se,uma vez que uma enfoca o operário e a outra enfoca a gestão, afinal asorganizações nada mais são do que um conjunto de atividades operárias dirigidaspor uma gestão. E o sucesso da organização é obtido através da padronização dasfunções operárias, regidas por uma gestão administrativa competente, que saibavisualizar a empresa como um todo e contribuir para a junção dos esforços de todasas áreas operacionais e técnicas. Os conceitos de Fayol não podem ser tidos como verdades absolutas e seusresultados obviamente dependem do meio na qual o administrador está inserido eda avaliação que faz deste meio, cabendo a ele a decisão por como interpretar cadaconceito e ajustá-lo, moldá-lo a sua realidade.
  19. 19. 18 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICASABRAHIM, Gisele Seabra. Os Elementos e Princípios da Administração na TeoriaClássica – Disponível em:<http://www.administradores.com.br/informe-se/artigos/os-elementos-e-principios-da-administracao-na-teoria-classica/21513/>Acesso em: 17 de agosto 2012.A OBRA DE FAYOL – Disponível em:<http://pt.scribd.com/doc/272089/A-Obra-de-Fayol>Acesso em: 17 de agosto 2012.CARAVANTES, Geraldo Ronchetti de - Teoria Geral da Administração – Pensando& Fazendo – Ed. AGE, 1998.CHIAVENATO, Idalberto – Introdução à Teoria Geral da Administração – Ed:Campus- Grupo Elselvier, 2004 – 7° Edição.EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO – Aula 05 – Disponível em:<Http://arquivos.unama.br/nead/graduacao/cesa/pec/web/Aula5.htm>Acesso em: 17 de agosto 2012
  20. 20. 19LODI, João Bosco - História da administração – São Paulo: Pioneira, 1977 – 5°Edição.PEREIRA, Maria Isabel; FERREIRA, Ademir Antonio; REIS, Ana Carla Fonseca –Gestão Empresarial – de Taylor aos Nossos Dias – Ed.: Thomson Pioneira, 1997.RIBEIRO, Roberto Santana – Apostila Educacional Gestão de Serviços -Faculdade ITOP Centro Avançado de Ensino.SILVA, Reinaldo Oliveira da - Teorias da Administração – Pioneira ThomsonLearning, 2004.SOUSA, Nelson B. – Um Pouco Sobre Henry Fayol - Disponível em:<http://www.artigonal.com/administracao-artigos/um-pouco-sobre-henri-fayol-661666.html>.Acesso em: 17 de agosto 2012.

×