Tiago   Correia
Índice         1ºFim-de-SemanaProf.Dr CarvalhoGuerra                              .         2ºFim-de-SemanaProf.Dr Carvalh...
1º Fim-de-Semana Prof. Dr. Carvalho Guerra                                                    2006A     Associação de Estu...
1º Fim-de-Semana Prof. Dr. Carvalho Guerra                                                                     2006a) Orça...
1º Fim-de-Semana Prof. Dr. Carvalho Guerra                                                        2006Utilização dos Recur...
1º Fim-de-Semana Prof. Dr. Carvalho Guerra                                                   2006Utilização dos Recursos  ...
1º Fim-de-Semana Prof. Dr. Carvalho Guerra                                                     2006Utilização dos Recursos...
2º Fim-de-Semana Prof. Dr. Carvalho Guerra                                               2009D    epois do sucesso da 1ª e...
2º Fim-de-Semana Prof. Dr. Carvalho Guerra                                                               2009a) Pouco temp...
2º Fim-de-Semana Prof. Dr. Carvalho Guerra                                                   2009Os 4 meses que nos restav...
2º Fim-de-Semana Prof. Dr. Carvalho Guerra                   2009Think-TankAs reuniões iniciais, em formato de Brain-Storm...
2º Fim-de-Semana Prof. Dr. Carvalho Guerra                                                           2009Desenvolvimento d...
2º Fim-de-Semana Prof. Dr. Carvalho Guerra                                                               2009Desenvolvimen...
2º Fim-de-Semana Prof. Dr. Carvalho Guerra                                                                      2009Desenv...
2º Fim-de-Semana Prof. Dr. Carvalho Guerra                                                                       2009Verif...
2º Fim-de-Semana Prof. Dr. Carvalho Guerra                                                       2009Resultado            ...
Católica Students Corporation                                                               2008O      projecto do lançame...
Real Companhia Velha                                                                       2006N     a cadeira de Gestão d...
Projecto de Educação Zen                                                                      2006N     a cadeira de Ética...
Projecto de Educação Zen                                 2006      Tentamos ir mais longe e por em prática o Projectopara ...
Cinema Águia D’Ouro                                                                          2006P    ara um Projecto Fina...
Trabalhos Académicos           Geralmente nas apresentações de Trabalhos Académicos tento semprearranjar uma forma elabora...
Hobbies                                                                                     2007           O Stencil, part...
Hobbies   2007
Hobbies                                                                              2007     O Stencil foi feito na pared...
Hobbies                          2007            E pegando numa políticade reutilização dos materiais usadospara fazer o S...
Tiago Correia's Creativity Portfolio (PT) [2009]
Tiago Correia's Creativity Portfolio (PT) [2009]
Tiago Correia's Creativity Portfolio (PT) [2009]
Tiago Correia's Creativity Portfolio (PT) [2009]
Tiago Correia's Creativity Portfolio (PT) [2009]
Tiago Correia's Creativity Portfolio (PT) [2009]
Tiago Correia's Creativity Portfolio (PT) [2009]
Tiago Correia's Creativity Portfolio (PT) [2009]
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Tiago Correia's Creativity Portfolio (PT) [2009]

1.217 visualizações

Publicada em

Tiago Correia's Creativity Portfolio (PT) [2009]

Publicada em: Negócios, Tecnologia, Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.217
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Tiago Correia's Creativity Portfolio (PT) [2009]

  1. 1. Tiago Correia
  2. 2. Índice 1ºFim-de-SemanaProf.Dr CarvalhoGuerra . 2ºFim-de-SemanaProf.Dr CarvalhoGuerra . CatólicaStudentsCorporation RealCompanhia Velha ProjectodeEducação Zen CinemaÁguiaD’Ouro TrabalhosAcadémicos Hobbies
  3. 3. 1º Fim-de-Semana Prof. Dr. Carvalho Guerra 2006A Associação de Estudantes da Faculdade de Economia e Gestão, queria organizar, em conjunto com aDirecção da Universidade Católica Portuguesa do Porto, um evento formativo para os alunos quesimultaneamente fosse uma homenagem ao seu fundador - Professor Doutor Carvalho Guerra. A ideia que surgiu foi a de um evento que, através de casos de resolução prática, educassealunos da Universidade sobre as matérias de Economia e Gestão. O evento foi dividido entre actividadeslúdico-desportivas (paintball, caça ao tesouro de matéria económica, etc.) e os casos-práticos temáticos(marketing, , recursos humanos, etc.) em que todas contavam para uma classificação global de cadaequipa de 5 alunos. Encabeçando o Marketing e a Comunicação do evento, o desafio me proposto pela restanteequipa organizativa foi a de conseguir fazer passar a mensagem da existência de um evento inovador eprofissional, organizado pelos alunos e para os alunos, gerando participação. Restrições a) Orçamento extremamente pequeno b) Direcção e organização resistentes a ideias arrojadas c) Efeito de rede como entrave à participação d) Não existência de precedentes como apoio
  4. 4. 1º Fim-de-Semana Prof. Dr. Carvalho Guerra 2006a) Orçamento extremamente pequenoA abordagem imediata para contornar este problema seria pensar em alternativas que, apesar de custo reduzido,tivessem impacto no seu não tradicionalismo. Paralelamente, outro grande entrave seria a...b) Direcção e organização serem resistentes a ideias arrojadasEste facto limitou-nos opções, como por exemplo, algumas actividades de contacto com os alunos no campus daUniversidade ou a utilização de certos meios de divulgação da Universidade de grande visibilidade. Com o acumulado...c) Efeito de rede como entrave à participação... a divulgação do evento seria difícil de conseguir. Tanto os potenciais participantes sucumbiam ao efeito de rede por nãofazerem as inscrições, como potenciais agentes de comunicação (docentes) não agiam por não conhecer o evento. E a...d) Não existência de precedentes como apoio... deixou-nos com a tarefa de, sem qualquer recurso já usado ou pensado, tentar convencer um público-alvo,extremamente segmentado em grupos sociais, a participar num evento sem nome ou reconhecimento qualquer. A solução que decidi implementar baseou-se em duas grandes premissas, que deveriam ultrapassar as restrições: Utilização dos Recursos Comunicação baseada no da Universidade relacionamento social
  5. 5. 1º Fim-de-Semana Prof. Dr. Carvalho Guerra 2006Utilização dos Recursos Comunicação baseada no da Universidade relacionamento socialEsta política permitiu-nos poupar no orçamento, Esta vertente da comunicação permitiu-nos contrariar omantendo o grau de eficácia da comunicação, bem efeito de rede, utilizando-o para a nossa vantagem,como ajudou a não sair do espectro daquilo que era criando um sentimento generalizado de o nível deconsiderado pela Direcção e Organização como participação no evento era alto e, por sua vez, gerando“comunicação adequada”. mais inscrições.• Envio de Cartas aos Alunos, por parte do Director • Sessões Fotográficas com alunos, permitiram fazerda Faculdade, como convite para o evento. Cartazes e Flyers impactantes devido às “caras conhecidas”• Criação de Apresentação em PowerPoint, a serapresentada no princípio de várias aulas, com oaval dos docentes dessas cadeiras.
  6. 6. 1º Fim-de-Semana Prof. Dr. Carvalho Guerra 2006Utilização dos Recursos Comunicação baseada no da Universidade relacionamento social• Estas apresentações foram divididas de acordocom o ano lectivo das aulas. Nas apresentações do 1º ao 2º Ano, foram focadas as componentes de formação e socialização. Para o 3º e 4º Ano, o enfoque foi para a empregabilidade e • Estes suportes não eram o principal veículo de profissionalismo, transmissão da informação, o que levava os através de conteúdo interessados a dirigirem-se às Bancas de Informação como de forma das do evento, disponibilizadas no átrio da Universidade. apresentações.
  7. 7. 1º Fim-de-Semana Prof. Dr. Carvalho Guerra 2006Utilização dos Recursos Comunicação baseada no da Universidade relacionamento social• As apresentações foram disponibilizadas tanto • 20 alunos, vestidos com Tshirts estampadas com anos sites da Associação de Estudantes como da marca do evento, revezaram-se na divulgação e registoUniversidade, permitindo que a informação sobre de inscrições do evento, utilizando para o seu sucessoo evento estivesse sempre disponível para as suas redes de conhecimento dentro daqualquer interessado. Universidade. Parceiros de sucesso, Todas as vagas de como Millenium bcp, inscrições para o evento Auto-Sueco e Randstat foram preenchidas.
  8. 8. 2º Fim-de-Semana Prof. Dr. Carvalho Guerra 2009D epois do sucesso da 1ª edição do Fim-de-Semana Prof. Dr. Carvalho Guerra, tanto a Direcção daUniversidade como a Associação de Estudantes não queriam deixar uma iniciativa inovadora e benéficapara os alunos ficar-se pela sua primeira edição. O desafio lançado pelas duas partes era pegar no sucesso do evento e catapultá-lo para umadimensão maior, com parceiros de maior relevo, com uma dinâmica de “jogo” completamente diferentee que conjugasse o difícil balanço do financeiramente sustentável e originalmente impactante. Umagrande preocupação era tentar reavivar a memória da 1ª edição, sendo que a equipa da Associação deEstudantes no ano anterior não tinha conseguido organizar o evento . Liderando o projecto, o desafio me proposto foi organizar um evento com mais visibilidadeinterna e externa que, pegando nas bases da 1ª edição, revolucionasse o modelo de funcionamento. Restrições a) Pouco tempo para planeamento b) Sustentabilidade financeira c) Pressão para visibilidade interna e externa d) Imagem negativa da tentativa de organização prévia d) Necessidade de mudança
  9. 9. 2º Fim-de-Semana Prof. Dr. Carvalho Guerra 2009a) Pouco tempo para o planeamentoO projecto foi-nos atribuído quando para a data escolhida pela Direcção para a realização do evento faltavam apenas 4meses, sendo que todos estávamos paralelamente activos como estudantes. Esta falta de tempo em conjunto com uma ...b) Sustentabilidade financeira... limitou-nos severamente na organização de algo que se desejava “maior e melhor” que a 1ª edição. Esta, no entanto,tinha ocorrido 2 anos antes pelo que a sua memória junto dos alunos era ténue. Aliando estes factos à ...c) Pressão para visibilidade interna e externa... exercida por uma nova Direcção eleita recentemente, com o objectivo de através dos alunos ter um projecto queatravés do seu sucesso interno, projectasse a imagem de sucesso da Universidade para o exterior. No entanto a ...d) Imagem negativa da tentativa de organização prévia... deixou marcas profundas na reputação do evento (cada vez mais esquecido) e na imagem que os alunos ainda tinhamem mente da 1ª edição pelo que havia uma grande ...d) Necessidade de mudança... tanto na imagem que queríamos comunicar aos como ao próprio modelo de funcionamento do evento, criando algoatractivo à participação pela novidade e permitindo novas mudanças em edições futuras.
  10. 10. 2º Fim-de-Semana Prof. Dr. Carvalho Guerra 2009Os 4 meses que nos restavam foram meticulosamente divididos para aproveitar o tempo ao máximo sendo que ocronograma foi criado para duas vertentes em paralelo: a) Organização e b) Comunicação a) b) Outubro Think-Tank Desenvolvimento do TeaserNovembro Modelo e Planificação Externa Comunicação Formal Dezembro e Inscrições com Desenvolvimento Vantagens Externo e Formalização Janeiro do Evento Comunicação Pessoal Verificação e Contactos Externos Fevereiro Realização Evento Material no Evento
  11. 11. 2º Fim-de-Semana Prof. Dr. Carvalho Guerra 2009Think-TankAs reuniões iniciais, em formato de Brain-Storming, a)tiveram um foco extremamente concentrado na criaçãoda imagem do evento, que teria de ser extremamenteforte, bem como esta imagem seria divulgada numa 1ªfase de Comunicação – apenas como Teaser de grandeimpacto interno.O logótipo do evento foi criado, em parceria com aagência de publicidade Garra, tendo em vista uma“desprofissionalização” em relação à 1ª edição, pelo que Teasera ideia que surgiu foi (com os tons de azul da Católica)utilizar a imagem icónica do Prof. Dr. Carvalho Guerraem versão cartoon-stencil.Pensando na fase de comunicação e tendo em conta quenos era benéfico transmitir uma imagem de que o eventose tratava de um “jogo”, a ideia para o Teaser surgiuatravés da adaptação do Monopólio ao evento, sendoque um vinil de 3x3 metros do tabuleiro foi colado nochão do átrio principal da Universidade, em que as casaseram os vários desafios pensados para o evento eparceiros. Foram também espalhadas notas deMonopólio (flyers e cartazes) por toda a Universidade.
  12. 12. 2º Fim-de-Semana Prof. Dr. Carvalho Guerra 2009Desenvolvimento do Modelo ePlanificação Externa a)A fase mais avançada da organização do evento contoucom a reformulação do modelo do mesmo. Enquanto naedição anterior o evento eram simples testesdescontinuados de avaliação das matérias muitas vezesaprendidas na licenciatura, o que queríamos para esteevento era apostar na ligação dos desafios entre si e emmatérias que não as que os alunos já estivessemhabituados. A bolsa foi posta online no evento, sendo que nesta as equipas poderiam transaccionar acções dos seusAssim surgiu a ideia de tornar o evento num “jogo” em concorrentes para extrair mais-valias na classificação.que cada equipa criava uma empresa baseada numaideia de negócios (podendo escolher entre 4 sectorespara o negócio – Turismo, Media e Telecomunicações,Transportes e Mobilidade, Energias Alternativas) e queesta fosse cotada numa bolsa virtual, consoante osdesempenhos da equipa nos variados desafios (Case-Studies de Operações, Recursos Humanos, Marketing,Desafios de Gestão, Mercados Financeiros) e actividadesdo evento (Peddy-paper, Laser-Tag, ActividadeLinguística) que representavam as fases evolutivas dasempresas.
  13. 13. 2º Fim-de-Semana Prof. Dr. Carvalho Guerra 2009Desenvolvimento do Modelo e Comunicação FormalPlanificação Externa e Inscrições com VantagensNesta fase desenvolvemos também os contactos com osparceiros externos e, finalizando a fase de teaser,inauguramos a 2ª fase de comunicação simultaneamentecom: reforços das plataformas impressas (cartazes a)informativos), plataforma online (informação e inscriçõesno site www.2fdscarvalhoguerra.tk), apresentações àsaulas de todos os anos, entre outros meios formais.A comunicação teve de transparecer uma forte eeficiente organização por de trás do evento (paracombater a imagem da tentativa prévia) bem comoapelar para uma grande remodelação do evento tanto anível da localização (Hotel de **** em Guimarães) como Cartaz informativo Home-page Sitea nível das inscrições (disponibilidade online) e de todo ofuncionamento do evento (explicado através dasapresentações).Para contrariar qualquer externalidade oferecemos umdesconto de 30€ na inscrição de 150€ para quem seinscrevesse até dia 22 Dezembro, permitindo-nos algumagestão logística mais eficiente. Apresentação
  14. 14. 2º Fim-de-Semana Prof. Dr. Carvalho Guerra 2009Desenvolvimento Externo e Comunicação PessoalFormalização do Evento e Contactos ExternosÁ medida que a planificação do evento ia ficando mais Apoios e Parcerias do Evento:sólida, pudemos dar mais atenção a questões funcionaiscomo a escrita dos regulamentos do evento (para o bomfuncionamento do jogo) bem como focar muita atenção a)na comunicação pessoal para angariação de inscrições.Sendo a equipa organizativa, metade da equipa daprimeira edição, um dos objectivos era contrariar esteefeito de pequenez utilizando elementos da Associaçãode Estudantes ou alunos já inscritos no evento paraconvidarem “pessoalmente” outras equipas edesafiarem-nas para o evento (aumentando também oespírito competitivo do evento), enquanto a organizaçãose focava em divulgar o evento através da banca A CP permitiu-nos, no comboio em que os participantes viajavam parainteractiva no átrio. e de Guimarães, colarmos os seguintes vinis como indica a figura.Toda esta fase de comunicação foi acompanhada comuma forte abordagem institucional a parceiros externosque nos ajudou a captar mais inscrições devido ao altorelevo dos mesmos. O evento contou com parceiros comoa EDP, TMN, CP, PwC, Banco Alimentar, Expresso, etc.
  15. 15. 2º Fim-de-Semana Prof. Dr. Carvalho Guerra 2009Verificação e Realização do Material no EventoEventoA fase de verificação permitiu-nos confirmar o materialde utilização do evento que os nossos parceiros nosforneceriam e criar aquilo que nos faltaria.Os parceiros forneceram a todas equipas um computador a)portátil com acesso a internet sem fios, bem como atodos os participantes um saco que continha cadernos,capas, material de escrita, os regulamentos impressos e Foram feitas, no evento, T-shirts para todos os participantes com os logótipos das empresas que eles criaram.outros pequenos folhetos de comunicação destes. Osparceiros ainda forneceram grande parte da decoraçãopara o local de realização das apresentações. Todos os elementos da OrganizaçãoDevido ao forte apoio institucional angariado, à equipa tinham um crachá identificativo, com a imagem do evento.organizativa coube a criação de certos materiais que,tanto nos participantes como nos convidados, deixassema marca do evento e de toda a organização (gerandoatenção à Universidade como a direcção desta tanto A todos os parceiros egostaria). vencedores, no Jantar de Encerramento, foi entregue uma placa comemorativa de Todos os convidados tinham uma acrílico em forma te Nota de placa identificativa, nas Monopólio com o logótipo do apresentações bem como no parceiro ou o lugar da Jantar de Encerramento. classificação da equipa.
  16. 16. 2º Fim-de-Semana Prof. Dr. Carvalho Guerra 2009Resultado ResultadoForte Promoção da Universidade e Participação Alta com grande evento nos Media Satisfação dos Participantes Comunicação Social – Diários/Semanais Impressos, Balanço junto dos participantes demonstrou grande Rádio, Imprensa Online vontade e participar na próxima edição.
  17. 17. Católica Students Corporation 2008O projecto do lançamento do Católica StudentsCorporation, a Júnior-Empresa da Universidade CatólicaPortuguesa, teve por de trás toda a criação da sua marcae respectivo brand-awareness. O logótipo foi criado tendo em conta a cor daUniversidade (azul) e a cor da Faculdade (laranja), sendoque a estas foram adicionadas o degradé para criar aimagem de profissionalismo que se queria transmitir. Este juntou elementos do logótipo da Faculdade (homem sobre a ponte D.Luis) sendo o conjunto a imagem de uma marca, agora conhecida na Universidade e de fácil recordação – CSC. Desde o lançamento público do Católica Students Corporation, que contou com uma “entrevista de trabalho simulada” no átrio, bem como a exposição de ideias de negócio absurdas por toda a faculdade para desafiar os alunos a apresentarem ideias melhores que aquelas. O CSC também conta com um site para a sua comunicação, bem como uma data de outros materiais como cartões profissionais, pró- formas, etc.
  18. 18. Real Companhia Velha 2006N a cadeira de Gestão de Marketing, o processo de avaliação principal era a realização de umPlano de Marketing estruturado em 4 briefings (desde a fase de avaliação até planeamento parafuturas estratégias de Marketing) sobre uma Marca e/ou Produto. A Marca escolhida foi a Real Companhia Velha, mais concretamente na sua oferta deVinhos do Porto, que durante anos viveu da sua imagem de tradicionalismo, requinte esuperioridade qualitativa, mas que em anos recentes tinha vindo a perder reconhecimento nomercado. Apoiados na celebração dos 250 anos da marca em 2006, o Plano verificava que osseus produtos eram maioritariamente consumidos por clientes de idade avançada e entre osconsumidores jovens a marca situava-se numa posição de claro potencial negativo. O Plano de Marketing apresentava uma estratégia de reposicionamento da Marca junto dos consumidores mais jovens, principalmente através dos canais de consumo final que estes frequentavam, criando uma imagem de Bebida de Requinte em ambiente social paralelo ao Whisky, através de acções de Activação da Marca (ex. Festas Temáticas, Portos d’Honra, etc).
  19. 19. Projecto de Educação Zen 2006N a cadeira de Ética Económica e Empresarial, o processo deavaliação principal era a realização de um trabalho quedesenvolvesse a aplicação de um dos Millennium Goals da ONU. O objectivo que escolhemos foi “Educação Primária paraTodos”. Em Portugal, no entanto, a educação primária é obrigatóriao que não permite o abandono que o objectivo pretende eliminar. No entanto, o que verificamos é que é muitas vezes nas escolas primárias que se começam arelevar padrões de diferenciação social. E no caso de escolas problemáticas essa diferenciação pode levar acertas situações de revelia que mais tarde gerariam um possível abandono escolar. Verificamos tambémque devido a um conjunto de condições sociais, estas escolas muitas vezes simplesmente não conseguemfazer passar a mensagem do ensino, pelo que pelos padrões de avaliação normal, estes alunos estavaminjustamente a receber um ensino corrompido pelo tecido social das suas características. Aquilo que tentamos desenvolver então foi um simples Projecto de Educação que na sua essência fosse um escape das normais aulas da escola e que servisse simultaneamente como ambiente de descompressão do estigma das “aulas” bem como servisse de forma alternativa para ensinar matérias que “não estão nos livros” como questões de civismo, ambientalismo, saúde entre muitas outras. Estes “Projectos de Educação Zen” seriam administrados alunos mais velhos (secundário/superior), sendo financiados por empresas que quisessem recompensar a sociedade em escolas que quisessem acolher o programa de forma facultativa.
  20. 20. Projecto de Educação Zen 2006 Tentamos ir mais longe e por em prática o Projectopara conseguir estudar a sua aplicação. Fizemos ao todo trêssessões na Escola Primária da Pasteleira (Porto) e osresultados foram tremendamente esclarecedores para anecessidade dos alunos terem uma alternativa de ensino aosistema padronizado. Os alunos tiveram uma recepçãofantástica e o Projecto concorreu a bolsas de apoio Europeuatravés da Universidade.
  21. 21. Cinema Águia D’Ouro 2006P ara um Projecto Final da Universidade, que secentrava na recuperação de um famoso CinemaPortuense dos anos 60, agora abandonado, fui desafiadoa criar o logótipo e a fachada do edifício dentro daestratégia. O grupo queria que a recuperação se centrassenum elemento de rejuvenescimento, tornando assim oCinema em centro de actividade cultural paralelamenteàs sessões, como por exemplo concertos, peças de teatro,etc. A ideia que me foi pedida que transmitisse no logótipo como na fachada era a de imponência daáguia que representasse um cinema que misturasse o tradicionalismo e o moderno num misto de cool-vintage. O logótipo criado tem a águia de asas abertas (posição de dominância) sendo que estas ocupamgrande parte da dimensão do logótipo significando imponência. Este tem o nome Águia D’Ouro em fontetradicionalista que conjuga com os swirls e contrasta com os splashes de tinta. Paralelamente, uma grandemudança em relação aos elementos da antiga imagem do Cinema era que a cor deste erapredominantemente vermelho veludo, sendo que o logótipo insere uma mudança para um dourado de forteimpacto. O projecto da fachada (não público) teria, ao longo das suas variadas janelas, representações deÁguias (em esculturas douradas) como se de guardiãs tratassem (paralelismo com as Gárgolas do Gótico).
  22. 22. Trabalhos Académicos Geralmente nas apresentações de Trabalhos Académicos tento semprearranjar uma forma elaboradamente criativa de apresentar as ideias dos mesmos. Neste caso o trabalho pertencia à cadeira de Gestão de Operações e otema era o estudo de Sistemas de Armazenagem e de Gestão de Stocks. O objecto do nosso trabalho era a SonaeDistribuição e os seus centros de operação. Para, naapresentação, explicar o funcionamento de todo o sistemados centros de operações fiz uma foto-sequência em que osLegos recriavam toda a acção tal e qual sucedia na realidade. Não só na forma mas também no conteúdo tento ser sempre diferente, e o trabalho de Introdução ao Estudo da Empresa é um bom exemplo. O objectivo do trabalho era fazer a análise e representação de um sistema e mostrar as suas interligações e relações. O sistema que decidi analisar foi a Civilização Inca como um todo, desde a sua constituinte social mais profunda até às relações com outras civilizações.
  23. 23. Hobbies 2007 O Stencil, particularmente com temas de intervencionismo sócio-político, é um hobby do qual meorgulho. Neste caso vemos o famoso quadro de Dürer com uma pequena intervenção que servirá de basepara reformular a ideia do quadro apresentando um novo Fruto Proíbido.
  24. 24. Hobbies 2007
  25. 25. Hobbies 2007 O Stencil foi feito na parede da esplanada da Casa Agrícola, um bar do Porto.
  26. 26. Hobbies 2007 E pegando numa políticade reutilização dos materiais usadospara fazer o Stencil, decidi criar umapeça decorativa do molde de corteoriginal da Eva. Com canetas de feltro erégua, desenhei uma versãosurrealista dos efeitos da Maçã(Fruto Proibido) na Eva. Todo o Stencil foi feito emCartolina Bristol, utilizando x-acto ePhotoshop. O corte demorou 3 dias.A aplicação demorou 5 minutos.

×