Filosofia medieval

9.928 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Espiritual
0 comentários
11 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
9.928
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
236
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
11
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Filosofia medieval

  1. 1. FILOSOFIA MEDIEVAL
  2. 2. <ul><li>Os chamados &quot;pais da igreja&quot; foram os primeiro filósofos a defender a fé cristã nos primeiros séculos, até aproximadamente o século 8. </li></ul><ul><li>Os padres da igreja foram os filósofos que, nesse período, tentaram conciliar a herança clássica greco-romana, com o pensamento cristão. Essa corrente filosófica é conhecida como PATRÍSTICA . A filosofia patrística começa com as epístolas de São Paulo e o evangelho de São João . Essa doutrina tinha também um propósito evangelizador: converter os pagãos à nova religião cristã . </li></ul>
  3. 3. SANTO AGOSTINHO (354-430) <ul><li>Foi o primeiro grande filósofo cristão. Uma de suas principais formulações foi a idéia de interioridade , isto é, de uma dimensão humana dotada de consciência moral e livre arbítrio. </li></ul><ul><li>A humanidade deve considerar Deus como a “Luz da Verdade” , pois somente através Dele se enxerga e compreende plenamente a vida ao seu redor. </li></ul><ul><li>As idéias filosóficas tornam-se verdades reveladas e inquestionáveis. Tornaram-se dogmas . A partir da formulação das idéias da filosofia cristã, abre-se a perspectiva de uma distinção entre verdades reveladas e verdades humanas. Surge a distinção entre a fé e a razão . </li></ul>
  4. 4. TOMÁS DE AQUINO (1225-1274) <ul><li>Profundamente influenciado por Aristóteles , Tomás de Aquino sustenta que nada está na inteligência que não tenha estado antes nos sentidos , razão pela qual não podemos ter de Deus, imediatamente, uma idéia clara e distinta. </li></ul><ul><li>Assim, para provar a existência de Deus, o filósofo procede a posteriori , partindo não da idéia de Deus, mas das sensações por ele produzidos. </li></ul><ul><li>O homem só pode desejar o que conhece, razão pela qual há duas espécies de apetites ou desejos: os sensíveis e os intelectuais . </li></ul><ul><li>Seguindo Aristóteles, diz que, para a humanidade, o bem supremo é a felicidade , que não consiste na riqueza, nem nas honrarias, nem no poder, mas na contemplação do absoluto , ou visão da essência divina , realizável somente na outra vida, pois excede as forças humanas. </li></ul>
  5. 5. ESCOLÁSTICA <ul><li>A partir do século 12, a filosofia medieval fica conhecida como escolástica. Surgem as universidades e os centros de ensino , o conhecimento é guardado e transmitido de forma sistemática. Platão e Aristóteles , grandes pensadores da Antiguidade, também foram as principais influências da filosofia escolástica. </li></ul><ul><li>Criou-se a Teologia , preocupada em provar a existência de Deus e da alma. </li></ul><ul><li>Dentro das escolas medievais são ministradas as disciplinas do Trivium (gramática, lógica e retórica) e do Quadrivium (aritmética, geometria, astronomia e música) , além de aprofundamento religioso (teologia) e latim . </li></ul><ul><li>O método da escolástica é o método da disputa . A disputa consiste na apresentação de uma tese , que pode ser defendida ou refutada por argumentos. Trata-se de um pensamento subordinado a um princípio de autoridade eclesiástica. </li></ul>

×