EGITO ANTIGO
www.thiagohmlopes.blogspot.com
LOCALIZAÇÃO: Margens do rio Nilo.
EVOLUÇÃO POLÍTICA:
 NOMOS: aldeias agrícolas egípcias as margens do rio Nilo,
economicamente auto-suficientes e independe...
Representações do Faraó
Narmer/Menés
Com o processo unificador instaurado por Menés, as coroas dos
mandatários egípcios passaram por modificações, conforme o
e...
 ANTIGO IMPÉRIO:
Etapa marcada pelo fortalecimento da autoridade faraônica,
edificação das grandes pirâmides e construção...
SOCIEDADE:
 Sociedade estamental, patriarcal, rígida e hierarquizada, onde a
posição do indivíduo era hereditária e influ...
ECONOMIA:
 Agrária e de caráter estatal,
predominando a servidão
coletiva como forma de
trabalho e produção.
 Uma parte ...
 O controle das cheias do rio foi condição essencial para o
desenvolvimento da civilização, pois o seu leito não era sufi...
 Foto aérea mostrando o contraste entre o “Kemet” e o “Deshret”
RELIGIÃO:
 Politeísta e espiritualista (crença em vários deuses e
acreditavam na imortalidade da alma e na ressurreição d...
Representações antropozoomórficas: deus Anúbis e esfinge da era
ptolomaica.
Faraó Amenófis IV / Akhnaton.
O Livro dos Mortos:
 Rolos de papiro colocados junto das múmias com o
objetivo de ajudar o morto em sua viagem para o Alé...
MUMIFICAÇÃO:
 A mumificação objetivava preservar o corpo para o retorno à
vida, “A vida após a morte”.
 A prática e as t...
Exemplos de
múmias. Destaque
para a da
esquerda, do faraó
Ramsés II.
ARQUITETURA:
Mastabas: primitivas sepulturas egípcias (fossas de ladrilho)
que foram evoluindo em direção às pirâmides (no...
Pirâmides: serviam de tumbas dos divinos faraós; quanto mais
poderoso era o faraó, maior deveria ser seu lugar de repouso ...
Quéops, Quéfren e Miquerinos
O hipogeu é uma construção funerária escavada na encosta de
uma montanha em formato retangular. Alternativa econômica e
ma...
Vale dos Reis
ESCRITA:
 A tradução da escrita egípcia foi realizado pelo francês Jean-
François Champollion, no século XIX (Pedra de Ro...
Egito antigo
Egito antigo
Egito antigo
Egito antigo
Egito antigo
Egito antigo
Egito antigo
Egito antigo
Egito antigo
Egito antigo
Egito antigo
Egito antigo
Egito antigo
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Egito antigo

3.366 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.366
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.571
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Egito antigo

  1. 1. EGITO ANTIGO www.thiagohmlopes.blogspot.com
  2. 2. LOCALIZAÇÃO: Margens do rio Nilo.
  3. 3. EVOLUÇÃO POLÍTICA:  NOMOS: aldeias agrícolas egípcias as margens do rio Nilo, economicamente auto-suficientes e independentes, semelhantes às cidades-estado (colar do rio Nilo).  Os nomarcas, governantes dos nomos, possuíam situação governamental semelhante aos patesis mesopotâmicos (concentração de poderes).  A união dos Nomos resultou na formação dos reinos do ALTO e BAIXO Egito.  Ação unificadora de Menés (ou Narmer), o primeiro Faraó (aprox. 3.000 a.C.). O Faraó (aquele que habita a “casa grande”) exercia um governo teocrático-teofânico, sendo considerado descendente do deus Rá e filho de Hórus.
  4. 4. Representações do Faraó Narmer/Menés
  5. 5. Com o processo unificador instaurado por Menés, as coroas dos mandatários egípcios passaram por modificações, conforme o esquema abaixo:
  6. 6.  ANTIGO IMPÉRIO: Etapa marcada pelo fortalecimento da autoridade faraônica, edificação das grandes pirâmides e construção do sistema hidráulico de irrigação do Egito.  MÉDIO IMPÉRIO: Período caracterizado pelas invasões estrangeiras ao Egito (invasão dos Hicsos e Hebreus (ambos povos semitas) na região do Delta do Nilo).  NOVO IMPÉRIO: Fase imperialista e expansionista resultando na militarização da sociedade e apogeu do Estado egípcio.  BAIXO IMPÉRIO: Período de sucessivas invasões por povos estrangeiros; persas (525 a. C.), macedônios (Alexandre Magno e Ptolomeu - 332 a. C.) e romanos (30 a. C.).
  7. 7. SOCIEDADE:  Sociedade estamental, patriarcal, rígida e hierarquizada, onde a posição do indivíduo era hereditária e influenciada pela mentalidade religiosa e servil reinante.  A única exceção possível na mobilidade social era entre alguns filhos de camponeses para escribas. Família real Sacerdotes Nobreza, altos funcionários e chefes militares. Mercadores, artesãos, soldados, e escribas.
  8. 8. ECONOMIA:  Agrária e de caráter estatal, predominando a servidão coletiva como forma de trabalho e produção.  Uma parte da colheita ficava com o lavrador e o excedente ficava com o Estado, dono de todas as terras.  A agricultura consistia no cultivo do trigo, cevada (grandes produtores de cerveja, assim como os mesopotâmicos), legumes, frutas, linho e algodão. OBS: O modelo agrícola egípcio é inserido no MODO DE PRODUÇÃO ASIATICO. A pecuária e o comércio também foram atividades importantes.
  9. 9.  O controle das cheias do rio foi condição essencial para o desenvolvimento da civilização, pois o seu leito não era suficiente para conter as águas que corriam do interior da África em direção ao mar Mediterrâneo, inundando a região entre julho e setembro. Assim, às margens do Nilo foram construídos diques e reservatórios, a fim de reter as águas que seriam utilizadas - por meio de canais de irrigação - no tempo de escassez das chuvas para a agricultura, a pecuária e o consumo humano.  Com o retorno das águas ao leito do rio (entre dezembro e maio), ficava armazenado nas margens um precioso fertilizante, o húmus, um fertilizante natural de cor escura, tão essencial aos egípcios, que esse povo chamava sua região de Kemet, "terra negra", em oposição às terras vizinhas, chamadas de Deshret, "terra vermelha", ou seja, o deserto.  Em meados dos anos 80 do século XX, foi fundada uma religião neopagã nos EUA com o nome de kemetismo, fazendo relação com o termo “kemet”, resgatando preceitos divinos egípcios.
  10. 10.  Foto aérea mostrando o contraste entre o “Kemet” e o “Deshret”
  11. 11. RELIGIÃO:  Politeísta e espiritualista (crença em vários deuses e acreditavam na imortalidade da alma e na ressurreição do corpo).  De caráter otimista e direcionada para vida futura.  Deuses representados com formas predominantemente antropozoomórficas (formas humanas e animais ao mesmo tempo).  Fundamentada na crença do juízo final, julgamento das almas diante de Osíris e vida após a morte.  Influenciadora das demais manifestações culturais egípcias (literatura, medicina e arquitetura). OBS: O Faraó Amenófis IV (Akhnaton – filho de Áton), no século XIV a.C., introduziu o monoteísmo religioso com o objetivo de reduzir o poder crescente dos sacerdotes. O deus único era chamado Áton (o Sol). Fato esse chamado de Reforma Religiosa Egípcia.
  12. 12. Representações antropozoomórficas: deus Anúbis e esfinge da era ptolomaica.
  13. 13. Faraó Amenófis IV / Akhnaton.
  14. 14. O Livro dos Mortos:  Rolos de papiro colocados junto das múmias com o objetivo de ajudar o morto em sua viagem para o Além e orientá-lo no “Julgamento do Tribunal de Osíris”.
  15. 15. MUMIFICAÇÃO:  A mumificação objetivava preservar o corpo para o retorno à vida, “A vida após a morte”.  A prática e as técnicas de mumificação levaram os egípcios a um maior conhecimento do corpo. Estudando os papiros deixados por sacerdotes de Anúbis, o filósofo grego Hipócrates desenvolveu a Medicina.
  16. 16. Exemplos de múmias. Destaque para a da esquerda, do faraó Ramsés II.
  17. 17. ARQUITETURA: Mastabas: primitivas sepulturas egípcias (fossas de ladrilho) que foram evoluindo em direção às pirâmides (no sentido de mastaba sobre mastaba).
  18. 18. Pirâmides: serviam de tumbas dos divinos faraós; quanto mais poderoso era o faraó, maior deveria ser seu lugar de repouso = significado teofânico. Nas pirâmides menores, sinal claro da evolução das mastabas.
  19. 19. Quéops, Quéfren e Miquerinos
  20. 20. O hipogeu é uma construção funerária escavada na encosta de uma montanha em formato retangular. Alternativa econômica e mais segura às pirâmides.
  21. 21. Vale dos Reis
  22. 22. ESCRITA:  A tradução da escrita egípcia foi realizado pelo francês Jean- François Champollion, no século XIX (Pedra de Roseta, encontrada durante expedição napoleônica).  Podemos verificar a existência de três sistemas de escrita no Egito:  Hieróglifo: escrita monumental considerada sagrada e entendida pela elite (sacerdotes) .  Hierático: escrita utilizada para registros estatais (escribas).  Demótico: escrita cursiva comum, bastante utilizada na produção de textos cotidianos (populares).

×