Estúdio de áudio e microfones
Estúdio de áudio e microfones


Os estúdios de áudio são salas especialmente
preparadas nas quais irão se desenvolver as a...
•A fonte sonora irradia o som em forma de ondas
(pressure waves)

•Alguns destes sons vão diretamente até o microfone.
Out...
•Amplificadores podem ser introduzidos em cada estágio para
compensar a perda de volume (potência) dos sinais elétricos.
P...
•Um sistema de controle de volume, o VI (volume
indicator), mais conhecido como medidor de VU (VU
meter) é usado para asse...
•Para uma audição perfeita pode-se usar os fones de
ouvido (por exemplo, em gravações externas).

•Caixas de som ( monitor...
•Veja esquema simplificado do percurso do som dentro
do estúdio passando por vários equipamentos até
chegar ao alto-falant...
Microfone
O microfone é um equipamento central e crucial de um estúdio de
som. É um dispositivo eletromecânico utilizado p...
Veja esquema de um alto-falante:
Os microfones e os alto-falantes são por natureza, equipamentos
analógicos.
No meio do processo de gravação ou de transmis...
Microfone dinâmico
Consiste de um diafragma fino acoplado a uma bobina móvel dentro
de um campo magnético. Quando o som at...
Microfone capacitivo
É também conhecido como microfone quot;condenserquot;.
 Os microfones capacitivos possuem alta sensib...
Direcionalidade dos microfones
A direcionalidade indica como um microfone responde
aos ângulos de chegada do som. Alguns m...
BI-DIRECIONAIS – São sensíveis igualmente na
parte frontal e na posterior. Deve ser colocado entre os
dois emissores de so...
DIRECIONAIS – São os microfones que captam os sons
provenientes de uma única direção. Eles se subdividem em:
cardióides, s...
Usos dos Microfones
Para cada aplicação, existe um tipo específico de
microfone, como segue:
Microfone de Mão : O microfon...
Microfone de Lapela : Projetado para ser usado junto
do corpo humano, também chamado de Lavalier, é outro
tipo muito utili...
Microfone ShotGun ou canhão : O Shotgun é
projetado para captar sons de distâncias maiores e o
operador de microfone o pos...
Microfone Sem Fio : O microfone sem fio, também chamado de
microfone de rádio ou de RF, é, na verdade, uma estação de rádi...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Estúdio de áudio e microfones

9.147 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Negócios
1 comentário
8 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
9.147
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
67
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
379
Comentários
1
Gostaram
8
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Estúdio de áudio e microfones

  1. 1. Estúdio de áudio e microfones
  2. 2. Estúdio de áudio e microfones Os estúdios de áudio são salas especialmente preparadas nas quais irão se desenvolver as atividades artísticas ou jornalísticas que serão transmitidas para as antenas de rádio ou gravadas e posteriormente utilizadas na própria rádio, na sonorização de programas de TV ou peças publicitárias. Têm tratamento acústico para absorção do som e controle de reverberação e reúne equipamentos variados de captação e tratamento do som.
  3. 3. •A fonte sonora irradia o som em forma de ondas (pressure waves) •Alguns destes sons vão diretamente até o microfone. Outros sofrem uma reflexão e chegam ao microfone algum tempo depois como reverberações. •O microfone converte as variações de pressão do ar em variações elétricas – os sinais. As imperfeições originadas neste processo produzem distorções. O microfone e os outros componentes também produzem ruídos eletrônicos indesejáveis – hummm, ssshiiiii etc.
  4. 4. •Amplificadores podem ser introduzidos em cada estágio para compensar a perda de volume (potência) dos sinais elétricos. Pode haver também um conversor de sinais analógicos para digitais. •Equalizadores também podem ser introduzidos em cada estágio para compensar deficiências apresentadas nos componentes que precedem ou que sucedem o percurso dos sinais ( distorções de freqüência). •Reverberações artificiais (eco) podem ser adicionadas em cada componente ou na saída da mesa de mixagem. •Os sinais elétricos que chegam dos microfones, das fitas, discos, CDs são combinados na mesa de mixagem.
  5. 5. •Um sistema de controle de volume, o VI (volume indicator), mais conhecido como medidor de VU (VU meter) é usado para assegurar que o nível dos impulsos elétricos esteja dentro dos limites especificados. A sigla VU vem do termo em inglês volume unit (unidade de volume), unidade de medida criada com a intenção de representar a percepção humana de audibilidade.
  6. 6. •Para uma audição perfeita pode-se usar os fones de ouvido (por exemplo, em gravações externas). •Caixas de som ( monitoração de áudio ) são utilizadas para a avaliação do balanceamento do som. •O som pode ser enviado para um gravador de áudio analógico ou digital, e posteriormente transmitido por uma emissora de rádio ou televisão ou ainda em circuito fechado. Este material poderá ser também utilizado em filmes publicitários ou artísticos. Existem vários softwares disponíveis no mercado para a edição digital dos sons.
  7. 7. •Veja esquema simplificado do percurso do som dentro do estúdio passando por vários equipamentos até chegar ao alto-falante:
  8. 8. Microfone O microfone é um equipamento central e crucial de um estúdio de som. É um dispositivo eletromecânico utilizado para converter o som - energia mecânica - em energia elétrica. Os microfones têm muitas aplicações, como por exemplo, nos telefones, gravadores de fita, aparelhos auditivos e nas transmissões de rádio e televisão. Os modelos convencionais possuem um diafragma que vibra de acordo com as pressões exercidas pelas ondas sonoras. Há diversos tipos de microfones, mas todos têm uma membrana móvel - o diafragma. O diafragma recebe as ondas sonoras, e segue o movimento das partículas de ar que estão encostadas a ele, por isso vibra com a onda que o atinge. Esse movimento é traduzido num sinal elétrico. Estes impulsos elétricos podem ser gravados numa fita, num disco ou transmitidos na velocidade da luz, em forma de ondas eletromagnéticas que por sua vez chegarão a um aparelho receptor - alto-falante - onde serão transformadas novamente em uma série de variações de pressão que irão vibrar um diafragma que irá reproduzir, quase fielmente, o som original.
  9. 9. Veja esquema de um alto-falante:
  10. 10. Os microfones e os alto-falantes são por natureza, equipamentos analógicos. No meio do processo de gravação ou de transmissão, no entanto, podem ser usados equipamentos tanto analógicos quanto digitais. No caso dos equipamentos digitais os impulsos sonoros serão codificados como uma série numérica – digitalização (seqüência de 0 e 1 – ou bits). Características dos microfones Os microfones diferenciam-se principalmente por suas características técnicas, de direcionalidade e de usos. No que se refere à transdução do sinal sonoro acústico para sinal elétrico, os microfones podem ser classificados, basicamente, em dois tipos: dinâmico e capacitivo. Nota: Transdutores são instrumentos que nos permitem transformar uma forma de energia ou sinal em outra. Os microfones e os alto-falantes são transdutores: os primeiros transformam sinais sonoros em sinais elétricos, os alto-falantes fazem o contrário. O sistema de funcionamento deles é, portanto muito semelhante, mas atuam no sentido contrário um do outro.
  11. 11. Microfone dinâmico Consiste de um diafragma fino acoplado a uma bobina móvel dentro de um campo magnético. Quando o som atinge o diafragma, este se move para dentro e para fora, e este movimento da bobina dentro de um campo magnético produz uma variação de corrente na bobina (e conseqüentemente uma variação de tensão em seus terminais) análoga à variação da pressão atuando no diafragma. Os microfones dinâmicos são mais baratos e mais robustos, não necessitam de alimentação externa e são indicados para uso em locais onde as condições de captação forem mais severas, como shows e reportagens. Aceitam grandes pressões sonoras sem distorção. Têm menor sensibilidade a ruídos de manuseamento. Excelentes para gravação de vozes em exteriores, eliminando o ruído ambiente. Veja dois modelos da marca Shure
  12. 12. Microfone capacitivo É também conhecido como microfone quot;condenserquot;. Os microfones capacitivos possuem alta sensibilidade e menor saturação do sinal. Sua utilização, entretanto, requer alimentação elétrica, através de bateria interna ou quot;phantom powerquot; ( o sinal vem do microfone para a mesa de som e a alimentação de 48Volts vai da mesa de som até o microfone. Tudo pelo mesmo fio). São muito pequenos, extremamente sensíveis para baixas e altas freqüências, têm uma melhor faixa dinâmica e menor nível de ruído. O seu pré-amplificador permite que eles tenham uma saída mais alta do que os dinâmicos. São recomendados para a captação de som de alta qualidade.
  13. 13. Direcionalidade dos microfones A direcionalidade indica como um microfone responde aos ângulos de chegada do som. Alguns microfones captam o som, igualmente bem, de todos os ângulos enquanto outros favorecem a captação de sons que venham de uma determinada direção. OMNI-DIRECIONAIS – captam os sons igualmente em todas as direções. São ideais para captação de orquestras e corais.
  14. 14. BI-DIRECIONAIS – São sensíveis igualmente na parte frontal e na posterior. Deve ser colocado entre os dois emissores de sons. Numa entrevista, por exemplo, a posição deste tipo de microfone será entre o entrevistador e o entrevistado. Ele também é conhecido como “ figura 8 “ .
  15. 15. DIRECIONAIS – São os microfones que captam os sons provenientes de uma única direção. Eles se subdividem em: cardióides, supercardióides e hipercardióides. Cardióides - O campo de captação é em formato de coração (cardio). Adequados para captação de vozes ou instrumentos Supercardióides - São mais sensíveis que os cardióides. Têm uma pequena sensibilidade na área de trás. Hipercardióides - Conhecidos também como “ canhões “. Apresentam enorme sensibilidade para captação de sons que chegam frontalmente. Têm, no entanto, uma pequena sensibilidade na parte de trás. Muito utilizados para captação de voz a distância. Veja abaixo as ilustrações dos três tipos citados:
  16. 16. Usos dos Microfones Para cada aplicação, existe um tipo específico de microfone, como segue: Microfone de Mão : O microfone de mão é o tipo mais comum. Muito usado em entrevistas e por cantores, além de permitir ser segurado pelo usuário, pode ser fixado em um pedestal, pendurado ou mesmo ser deixado no chão. O ideal é que ele tenha um amortecedor interno para diminuir os ruídos com a manipulação e ser bem robusto. Para uma captação melhor, o microfone de mão deve ser posicionado a uma distância de 15 a 30 cm da boca do locutor e num ângulo de 45 graus. Em geral os microfones de mão são do tipo dinâmico.
  17. 17. Microfone de Lapela : Projetado para ser usado junto do corpo humano, também chamado de Lavalier, é outro tipo muito utilizado. De formato muito pequeno, é preso à roupa deixando o usuário com as mãos livres. Ele pode ser facilmente escondido atrás de qualquer objeto, neste caso o som deve ser equalizado para parecer natural. Os microfones de lapela podem ser ligados diretamente ou através de emissores/receptores sem fio. Quando usamos Lavalier sem fio, um pequeno transmissor é colocado na roupa do usuário. Se ele for duplo são usados dois transmissores com freqüências diferentes.
  18. 18. Microfone ShotGun ou canhão : O Shotgun é projetado para captar sons de distâncias maiores e o operador de microfone o posiciona na direção desejada ficando fora do campo visual da câmera. Deve-se evitar apontá-lo para superfície dura, como uma parede de azulejos ou de tijolos, porque elas podem refletir sons de fundo ou deixar o som oco. Muito utilizado na captação de cenas externas de novelas. No entanto o Shotgun é muito sensível ao barulho causado pelo vento, por isto deve ser movimentado com cuidado e, sempre que possível, ser operado com quebra-vento de espuma (luva).
  19. 19. Microfone Sem Fio : O microfone sem fio, também chamado de microfone de rádio ou de RF, é, na verdade, uma estação de rádio em miniatura. Ele pode ser de uma ou duas peças. No de uma peça, o microfone, a bateria, o transmissor e a antena estão no mesmo corpo. No de duas peças, o microfone é conectado a uma unidade de transmissão separada. A unidade do microfone (que pode ser do tipo dinâmico ou de condensador) converte as ondas de som em um sinal elétrico. O sinal é enviado para um transmissor de baixa potência que o encaminha à um receptor que, por sua vez, converte o sinal de radiofreqüência novamente em áudio. A saída do receptor é conectada na entrada de um mixer ou gravador, através de cabos. Receptores com duas antenas oferecem menos interrupções no som do que os de uma única antena. Eles possuem um circuito inteligente que seleciona o melhor sinal que chega a cada uma das antenas. Veja imagem abaixo. Microfone Sennheiser sem Fio Lapela EW 112P-G2

×