Ana Carolina da Silva Maciel 
(Com a orientação de Sandra Mina Takakura)
O 
Q 
U 
E 
É 
M 
A 
N 
G 
Á 
?
 “No Japão de hoje, a cultura pop aparece sob 
várias formas: aspectos da música popular 
(como enka), karaokê, videogame...
Osamu Tezuka 
(1928 – 1989)
SHOUJO MANGÁ? 
UM RESUMO SOBRE O 
GÊNERO
Love Trap & Doseai 
Heroína 
Sozinha 
Realização Pessoal Obstáculo Herói (Superioridade) 
FINAL FELIZ 
Evolui 
Relacioname...
“Readers who were expecting a 
fluffy romantic comedy, however, 
were no doubt shocked by the 
social and gender critiques...
COUNT CAIN 
SERIES (1992- 
1994), de Kaori 
Yuki 
A APRESENTAÇÃO 
DO CONDE DOS 
VENENOS
Maryweather 
Riffael Cain Jezebel 
Raffit, 
C. 
o Hargreaves, 
mordomo Disraeli, 
Duke 
dos 
o Hargreaves/ 
Hargreaves, 
“...
GODCHILD 
(2001-2003), de 
Kaori Yuki 
O FIM DO 
MUNDO PELA 
DELILAH
“A Torre”, 
Dupla 
Personalidade 
Alexis Hargreaves, 
O “Cardmaster”
A ERA VITORIANA: AS DUAS 
FACES DO IMPÉRIO DO MUNDO 
ANTIGO
O OCULTISMO 
A SOCIEDADE DELILAH 
DENTRO DE COUNT CAIN
“The philosopher must go further. He 
must not confine himself to seeing 
under a more or less distinct form of 
the great...
MISTICISMO & 
ESPITIRUALISMO 
DISTORÇÃO NOS CONTOS DE 
FADAS
Videntes em 
Moda
– Certo dia Humpty 
Dumpty 
sobre um muro se sentou. 
Mas deu azar e – 
tibumba! – 
um belo tombo levou. 
Nem todos os cav...
Influência no 
Destino das 
Personagens
QUEBRANDO A MATRIZ 
HETEROSSEXUAL FEMININO, MASCULINO E ANDRÓGINO ?
Bishounen
Cross-dressing and cross-gendering 
are premised on the 
understanding that gender is 
performative and the masculine 
and...
RAÇA 
A IMPORTÂNCIA DOS LAÇOS SANGUÍNEOS 
EM COUNT CAIN
A Preservação do Nome
Xenofobia
JACK THE RIPPER 
SOCIEDADE LONDRINA E A 
FIGURA DA VIOLÊNCIA 
FEMININA
Jack the Ripper is 
dead 
Walking in the White 
Chapel 
The sounds of steps we 
dread 
Jack the Ripper is 
here.
“What are we faced with in the nineteenth 
century? 
An age where woman was sacred; and 
where you could buy a thirteen ye...
“Será que o amor de Maria é 
realmente o tipo de amor que um 
filho gostaria de receber?” 
(Count Cain 9 – God Child 4)
A MULHER VITORIANA 
RELEITURA SOBRE A LOUCURA FEMININA 
EM COUNT CAIN
O Ciclo da 
Mulher 
Vitoriana
Síndrome de Ofélia
Referências 
• SHAMOON, D. Revolutionary Romance: The Rose of Versailles and the Transformation of 
Shojo Manga. In: Mecha...
• YUKI, K. Count Cain 1 – A Julieta Esquecida. São Paulo: Panini Comics, 1992 (Japão), 2007 
(Brasil). 191 p. 
___________...
____________. Count Cain 12 – God Child 7. São Paulo: Panini Comics, 2003 (Japão), 2008 
(Brasil). 191 p. 
____________. C...
Count Cain
Count Cain
Count Cain
Count Cain
Count Cain
Count Cain
Count Cain
Count Cain
Count Cain
Count Cain
Count Cain
Count Cain
Count Cain
Count Cain
Count Cain
Count Cain
Count Cain
Count Cain
Count Cain
Count Cain
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Count Cain

299 visualizações

Publicada em

Powerpoint presentation about Kaori Yuki's Count Cain, a shoujo manga that portrays singular views about human relations, genre identity, fairytales and religion during author's re-creation of Victorian Era.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
299
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Count Cain

  1. 1. Ana Carolina da Silva Maciel (Com a orientação de Sandra Mina Takakura)
  2. 2. O Q U E É M A N G Á ?
  3. 3.  “No Japão de hoje, a cultura pop aparece sob várias formas: aspectos da música popular (como enka), karaokê, videogames, desenhos animados (animes), filmes, novelas de TV, entre outras. No entanto, a forma que mais reflete a tradição cultural intensamente visual são os mangás (histórias em quadrinhos japonesas)” (LUYTEN, Sonia)
  4. 4. Osamu Tezuka (1928 – 1989)
  5. 5. SHOUJO MANGÁ? UM RESUMO SOBRE O GÊNERO
  6. 6. Love Trap & Doseai Heroína Sozinha Realização Pessoal Obstáculo Herói (Superioridade) FINAL FELIZ Evolui Relacionamento Igualitário
  7. 7. “Readers who were expecting a fluffy romantic comedy, however, were no doubt shocked by the social and gender critiques that emerge as the story becomes increasingly serious” (SHAMOON, D.)
  8. 8. COUNT CAIN SERIES (1992- 1994), de Kaori Yuki A APRESENTAÇÃO DO CONDE DOS VENENOS
  9. 9. Maryweather Riffael Cain Jezebel Raffit, C. o Hargreaves, mordomo Disraeli, Duke dos o Hargreaves/ Hargreaves, “Conde que Corteja a Vidente a Morte” Irmão adotivo/ O “A médico/ Torre” “A Morte”
  10. 10. GODCHILD (2001-2003), de Kaori Yuki O FIM DO MUNDO PELA DELILAH
  11. 11. “A Torre”, Dupla Personalidade Alexis Hargreaves, O “Cardmaster”
  12. 12. A ERA VITORIANA: AS DUAS FACES DO IMPÉRIO DO MUNDO ANTIGO
  13. 13. O OCULTISMO A SOCIEDADE DELILAH DENTRO DE COUNT CAIN
  14. 14. “The philosopher must go further. He must not confine himself to seeing under a more or less distinct form of the great body of nature. But, stretching forth the hand, he must feel, under the material envelope, the life which circulates in great waves. God’s empire is not the empire of death; it is the empire of life.” (Flammarion)
  15. 15. MISTICISMO & ESPITIRUALISMO DISTORÇÃO NOS CONTOS DE FADAS
  16. 16. Videntes em Moda
  17. 17. – Certo dia Humpty Dumpty sobre um muro se sentou. Mas deu azar e – tibumba! – um belo tombo levou. Nem todos os cavaleiros do rei, com os seus cavalos, puderam novamente colocar Humpty Dumpty de volta em seu lugar.
  18. 18. Influência no Destino das Personagens
  19. 19. QUEBRANDO A MATRIZ HETEROSSEXUAL FEMININO, MASCULINO E ANDRÓGINO ?
  20. 20. Bishounen
  21. 21. Cross-dressing and cross-gendering are premised on the understanding that gender is performative and the masculine and feminine form can be occupied by any body, male or female. (Buckley)
  22. 22. RAÇA A IMPORTÂNCIA DOS LAÇOS SANGUÍNEOS EM COUNT CAIN
  23. 23. A Preservação do Nome
  24. 24. Xenofobia
  25. 25. JACK THE RIPPER SOCIEDADE LONDRINA E A FIGURA DA VIOLÊNCIA FEMININA
  26. 26. Jack the Ripper is dead Walking in the White Chapel The sounds of steps we dread Jack the Ripper is here.
  27. 27. “What are we faced with in the nineteenth century? An age where woman was sacred; and where you could buy a thirteen year-old girl for a few pounds… Where more churches were built than in the whole previous history of the country; and where one in sixty houses in London was a brothel …” (Fowles)
  28. 28. “Será que o amor de Maria é realmente o tipo de amor que um filho gostaria de receber?” (Count Cain 9 – God Child 4)
  29. 29. A MULHER VITORIANA RELEITURA SOBRE A LOUCURA FEMININA EM COUNT CAIN
  30. 30. O Ciclo da Mulher Vitoriana
  31. 31. Síndrome de Ofélia
  32. 32. Referências • SHAMOON, D. Revolutionary Romance: The Rose of Versailles and the Transformation of Shojo Manga. In: Mechademia 2: Networks of Desire. University of Minnesota Press, 2007, p.3- 18. • ELVIRA, I. De Occulta Philosophia Part I. nSPHERE: A worlds behind curtains, v. 33, 2011, p.67-75. ____________. De Occulta Philosophia Part II. nSPHERE: A world behind curtains, v.34, 2011, p.58-67. • FLAMMARION, C. The Wonders of the heavens. Tradução de Mrs. Norman Lockyer. New York, Scribner, Armstrong, & co., 1874, p.274. • SANDERS, J. Adaptation and Appropriation. Routledge, 2006, p.120-137. • BUCKLEY, S. (Org). Encyclopedia of Contemporary Japanese Culture. Routledge, 2002, p.45- 46; 93-95. • RODRIGUES, C. Butler e a Desconstrução de Gênero. Estudos Feministas, Florianopólis, 2005, p.179-183. • RENOLD, E.; RINGROSE, J. Regulation and Rupture: Mapping Tween and Teenage girls’ resistance to heterosexual matrix. Feminist Theory, v.9, 2008, p.313-339.
  33. 33. • YUKI, K. Count Cain 1 – A Julieta Esquecida. São Paulo: Panini Comics, 1992 (Japão), 2007 (Brasil). 191 p. ___________. Count Cain 2 – Ecos de um Garoto. São Paulo: Panini Comics, 1992 (Japão), 2007 (Brasil). 192 p. ___________. Count Cain 3 – Kafka. São Paulo: Panini Comics, 1993 (Japão), 2007 (Brasil). 192 p. ___________. Count Cain 4 – A Marca do Cordeiro Escarlate 1. São Paulo: Panini Comics, 1992 (Japão), 2007 (Brasil). 206 p. ___________. Count Cain 5 – A Marca do Cordeiro Escarlate 2. São Paulo: Panini Comics, 1994 (Japão) 2007 (Brasil). 199 p. ___________. Count Cain 6 – God Child 1. São Paulo: Panini Comics, 2001 (Japão), 2008 (Brasil). 207 p. __________. Count Cain 7 – God Child 2. São Paulo: Panini Comics, 2002 (Japão), 2008 (Brasil). 191 p. ___________. Count Cain 8 – God Child 3. São Paulo: Panini Comics, 2002 (Japão), 2008 (Brasil). 195 p. ___________. Count Cain 9 – God Child 4. São Paulo: Panini Comics, 2002 (Japão), 2008 (Brasil). 195 p. ___________. Count Cain 10 – God Child 5. São Paulo: Panini Comics, 2003 (Japão), 2008 (Brasil). 185 p. ____________. Count Cain 11 – God Child 6. São Paulo: Panini Comics, 2003 (Japão), 2008 (Brasil). 191 p.
  34. 34. ____________. Count Cain 12 – God Child 7. São Paulo: Panini Comics, 2003 (Japão), 2008 (Brasil). 191 p. ____________. Count Cain 13 – God Child 8. São Paulo: Panini Comics, 2003 (Japão), 2008 (Brasil). 209 p. • CÓRDAS, A. T.; WEINBERG, C. Clorose: A Efêmera Doença das Virgens. Revista de Psiquiatria Clínica, São Paulo, v. 29, n. 4, 2002. Disponível em: <http://www.hcnet.usp.br/ipq/revista/vol29/n4/204.html>. Acesso em 1 de Dez. 2012. • IDENTITY of Mother Goose & her Nursery Rhymes, the. Disponível em: <http://www.rhymes.org.uk/mother-goose-identity.htm>. Acesso em 29 de Nov. 2012. • CLEMENTS, E. M. Witchcraft in Victorian Age. Disponível em: < http://www.mysticwitch.com/articles/2006/witchcraft-in-the-victorian-age>. Acesso em 29 de Nov. 2012. • JONES, C. Women and Madness. HerStoria: History that puts woman in her place. Reino Unido, jul. 2012. Disponível em: < http://herstoria.com/?p=90#more-90>. Acesso em 27de Nov. 2012. • GAFFORD, S. The Ripper in Literature. Disponível em: < http://www.casebook.org/dissertations/dst-riplit.html>. Acesso em 20 de Nov. 2012. • MUNANGA, K. Uma abordagem conceitual das nocões de raça, racismo, identidade e etnia. Disponível em: < https://www.ufmg.br/inclusaosocial/?p=59>. Acesso em 2 de Dez. 2012. • PLUMMER, T. G. Diagnosing and Treating the Ophelia Syndrome. Disponível em <http://dsc.dixie.edu/owl/syllabi/HumHomePage/OPHELIA.htm>. Acesso em 13 de Dez 2012.

×