A notícia em mutação. Estudo     sobre o relato noticioso no     jornalismo digital.     Thaïs de Mendonça JorgeTese de Do...
Banca Examinadora Professora Doutora Zélia Leal Adghirni  (Orientadora) Professor Doutor Luiz Gonzaga Motta Professora ...
Internet no mundo       Mundo: 127,9 milhões de sítios (agosto 2007)                                28 milhões de sítios ...
Hipóteses1 A notícia, principal produto do jornalismo, estaria  sofrendo mais um processo de mutação,  abandonando antigos...
Hipóteses A notícia é “um relato das relações mutantes” do    ser humano (Johnson e Harriss).   Ser vivo: DNA na pré-his...
Newsmaking   Vertentes   Sociologia da produção de notícias   Como se dá a construção das mensagens via MCM   Como são...
Mutação          “O que surge nas épocas          cruciais da História é          comparável às „emergências‟          de ...
Mutação “A humanidade está vivendo uma mutação técnica, econômica, cultural e antropológica de grande alcance, comparável...
Mutação “Podemos interrogar da razão por que  continuam a circular as metáforas do  jornalismo como espelho da realidade ...
Mutação “As mutações emergentes  por hibridização  desencadeiam um  realinhamento do sistema,  abrindo caminho para a  co...
Mutação Todos nós somos    mutantes   Mutação: acidente    genético ao acaso   Sem mutações, não    existiria variedade...
Problema da pesquisaA notícia está mutando?
Metodologia Argumento sócio-histórico – a notícia como  produto da história Argumento tecnológico – a notícia como fruto...
Alemanha                                                                  1450 Gutenberg       Vulgata, a Bíblia do Povo  ...
Clarín e UOL                                        http://www.clarin.com                                        http://ww...
Clarín e UOL                                       http://www.clarin.com                                       http://www....
http://www.clarin.com/diario/2006/03/07/index_diario.html
Clarín e UOL/ corpus empírico500400                  Fotos                     Pirâmide regular300                     Pir...
ConclusõesMutação na históriaTipo de mutação histórica   Característica                      Resultadomutação gênica      ...
ConclusõesMutação no jornalismo Repentina mudança no estado de captação e apresentação dos  fatos – o DNA da notícia. Pr...
ConclusõesMutação hoje – padrões e classesPadrão                  ClasseMutação permanente      Mutação social (nova relaç...
Conclusões Mutação no jornalismo           Fenômeno                    Padrão de        Classe de                         ...
ConclusõesMutação no jornalismo             Fenômeno                        Padrão de mutação    Classe de mutaçãoMutação ...
ConclusõesA notícia sofre mais uma mutação no jornalismo digital.O DNA da notícia não se altera no jornalismo digital.Para...
Conclusões“(...) O que estamos precisando pensar é a hegemonia    comunicacional do mercado na sociedade, ou    melhor, a ...
Bibliografia   ALSINA, M. R. La construcción de la noticia. Barcelona: Paidós, 1989.   BROOKES, M. Fique por dentro da G...
Tese noticia em mutacao
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Tese noticia em mutacao

591 visualizações

Publicada em

The process of mutation

1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • This presentation is about my thesis of mutation in the news: as it happens with cells, news pass through many changes during their development, before going to the public. Pressed by this public, news adapt their corpuses to the support they have in the moment of time. Now, news are under another process of violent change to be at the electronic screen, with sound and image at once.
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
591
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Tese noticia em mutacao

  1. 1. A notícia em mutação. Estudo sobre o relato noticioso no jornalismo digital. Thaïs de Mendonça JorgeTese de Doutorado apresentada ao Programa de Pós-Graduaçãoem Comunicação (PPG/ FAC)Universidade de Brasília15 de agosto de 2007
  2. 2. Banca Examinadora Professora Doutora Zélia Leal Adghirni (Orientadora) Professor Doutor Luiz Gonzaga Motta Professora Doutora Nélia Del Bianco Professor Doutor Marcos Palacios Professora Doutora Elizabeth Saad Professor Doutor Luis Martins da Silva (Suplente)
  3. 3. Internet no mundo Mundo: 127,9 milhões de sítios (agosto 2007) 28 milhões de sítios novos criados em 2006 Brasil 50 mil sítios no ar 2006: 31,25% (46,8 milhões de pessoas) têm acesso à internet 2005: 21,43% (32,1 milhões de pessoas) 17,3% têm computador em casa 46,0% acessam a internet em casa 26,44 vêem internet no trabalho 35,4% usam a internet para ler notícias Argentina 2006: quase 50% da população argentina (16 milhões) têm acesso à internet 2005: 21% (7,6 milhões de pessoas) 41% acessam a internet em casa 14% vêem internet no trabalho 64% destes lêem notícias na internetFontes: netcraft.com; Internet em la Argentina 2004-2005. Clarín Global: Eduardo D‟Alessio Irol, 2005; Los oficinistas de EEUU pierden dos horas por día en Internet, Clarín, 13 jul. 2005; http://listasibict/pipermail/bib_virtual/2007-June/003679.html
  4. 4. Hipóteses1 A notícia, principal produto do jornalismo, estaria sofrendo mais um processo de mutação, abandonando antigos padrões de produção e assumindo novos formatos de apresentação no meio digital.2 Os principais elementos da notícia digital já permitiriam que fosse traçada uma tipologia das notícias encontradas nos sites noticiosos, e que integram aplicativos multimídia.
  5. 5. Hipóteses A notícia é “um relato das relações mutantes” do ser humano (Johnson e Harriss). Ser vivo: DNA na pré-história das comunicações Novidade comunicada células Base = fatos e mitos Mudanças para se adaptar à sociedade Computador: rede, mídia ou suporte? Organismo mutável (oscilante, sujeita a mutações) e mutante (sempre em mudança)
  6. 6. Newsmaking Vertentes Sociologia da produção de notícias Como se dá a construção das mensagens via MCM Como são as mensagens Pressupostosa) jornalismo = construção de uma realidadeb) jornalistas produzem uma espécie de discurso – a notícia.
  7. 7. Mutação “O que surge nas épocas cruciais da História é comparável às „emergências‟ de que falam os biólogos e certos filósofos. É o caso da invenção da escrita, no terceiro milênio antes de nossa era. E essa transformação do manuscrito em livro impresso não será uma outra „mutação‟? Na carreira desse „ser‟ estranho que é o texto, o escrito, graças ao qual o pensamento pode ser transmitido através do tempo e do espaço, aparecem repentinamente características novas e revolucionárias.” (Chalus)
  8. 8. Mutação “A humanidade está vivendo uma mutação técnica, econômica, cultural e antropológica de grande alcance, comparável à invenção da escrita e da imprensa (...) Seria o equivalente a uma mudança genética. Para o ser humano, o equivalente às mudanças nos gens seriam as transformações culturais.” (Lévy)
  9. 9. Mutação “Podemos interrogar da razão por que continuam a circular as metáforas do jornalismo como espelho da realidade (...), mesmo quando alguns dos seus preceitos são alterados por mutações tecnológicas que afectam os processos de mediatização, como o directo televisivo ou via Internet.” (Ponte)
  10. 10. Mutação “As mutações emergentes por hibridização desencadeiam um realinhamento do sistema, abrindo caminho para a convergência de processos e práticas. É nesse ambiente de modificações e reciclagens, onde uma forma não subsiste sem a outra, é que vão sendo moldadas as bases do processo de convergência ou integração entre novos e velhos meios.” (Del Bianco)
  11. 11. Mutação Todos nós somos mutantes Mutação: acidente genético ao acaso Sem mutações, não existiria variedade Sem variedade, não haveria evolução Se não fôssem as mutações, a terra ainda estaria na mesma sopa primordial.
  12. 12. Problema da pesquisaA notícia está mutando?
  13. 13. Metodologia Argumento sócio-histórico – a notícia como produto da história Argumento tecnológico – a notícia como fruto da evolução dos suportes Etnografia - nas redações dos sites UOL e Clarín/ entrevistas com os jornalistas/ coleta de materiais – julho e novembro de 2005 Semana construída – clipping dos sites: 7, 15, 23 e 31 de março; 8, 16 e 24 de abril de 2006. Total de matérias analisadas: Clarín – 301; UOL – 155.
  14. 14. Alemanha 1450 Gutenberg Vulgata, a Bíblia do Povo PortugalTrajetória da notícia 1504 Vespúcio Mundus Novus Notícias do Brasil 1622 Inglaterra A Current of General Newes primeiro jornal Inglaterra Daily Courant 1702 Buckley ”Only news, no comments” Corte fecha tipografias Brasil 1706 Inglaterra 1776 EUA Primeiros diários Chegada da família real Brasil 1808 Brasil Correio Braziliense Hipólito 1808 Revolução do Porto 1820 Portugal fim da censura Diário do Rio de Janeiro Brasil 1822 primeiro jornal informativo 1861 EUA Pirâmide Invertida Primeiro correspondente Brasil Euclides 1897 de guerra da Cunha Primeira reportagem Brasil "As religiões no Rio” João 1900 do Rio Brasil Chegada do lide Pompeu 1950 de Sousa Realidade Brasil 1966 novo estilo de reportagem 1977 Alemanha Bildschmerzeitung primeiro teleperiódico digital EUA Arpanet torna-se Internet. 1981 Suíça Berners-Lee cria a WWW 1995 EUA San Jose Mercury News conteúdo na internet Jornais lançam sites Brasil 1995
  15. 15. Clarín e UOL http://www.clarin.com http://www.uol.com.br UOL/ Folha Clarin.com/ ClarínCirculação 360,9 mil 711 mil exemplares exemplares (domingo); 402 mil (dias (domingo); 287,8 mil de semana) (dias de semana)Página eletrônica 8,6 milhões de 6,1 milhões de visitantes visitantes únicos únicos (2005) (2006) 150 mil assinantes 1,5 milhão de assinantesAudiência entre os 65% 67%sites noticiososSituação financeira Auto-suficiente Auto-suficiente e desde 2001 rentável desde 2002
  16. 16. Clarín e UOL http://www.clarin.com http://www.uol.com.br Estratégias das empresasConsumidores não pagam pelo conteúdo clarin.comAudiência fragmentada clarin.com uol.com.brSintonia com leitores clarin.com uol.com.brParcerias e compra de conteúdos independentes uol.com.brProdução de conteúdo caminha para “usina digital” clarin.com uol.com.brFlexibilidade dos canais de distribuição de conteúdo clarin.com uol.com.brAnunciantes ligados ao desempenho do site clarin.com uol.com.br
  17. 17. http://www.clarin.com/diario/2006/03/07/index_diario.html
  18. 18. Clarín e UOL/ corpus empírico500400 Fotos Pirâmide regular300 Pirâmide irregular200 Outros formatos Links internos100 Links externos 0 Clarín UOL UOL 180 Clarín 160 140 120 100 80 60 40 20 0 Pirâmide Pirâmide Pirâmide Irregular Regular Mista
  19. 19. ConclusõesMutação na históriaTipo de mutação histórica Característica Resultadomutação gênica Alteração de base que ocorre Notícia falada dentro da seqüência que carrega a informação genética (gene). Genes criam campos de tendências, que reagem ao contextomutação cromossômica Mudanças invisíveis no DNA dos Notícia escrita cromossomos afetam a aparência ou o número de cromossomosmutação somática Alteração restrita, visível, pode Notícia x comentário ser transmitida aos descendentes e provocar outros tipos de desenvolvimentomutação supressora Determina a supressão de uma Gêneros jornalísticos característica. Às vezes a existência de um gene só é notada quando ele muda ou desaparecemutação pontual Incide sobre o código do sistema, Pirâmide invertida causando mudanças de âmbito restrito
  20. 20. ConclusõesMutação no jornalismo Repentina mudança no estado de captação e apresentação dos fatos – o DNA da notícia. Provoca diferenças nas rotinas, nos produtos e subprodutos. A notícia hoje: (a) muda do estado “sólido” para o estado virtual (b) muda a energia para produzi-la (c) “composição” modificada (som e imagem), novos produtos (ciberentrevistas, flashes) (d) propriedades são alteradas Cor e luz da tela eletrônica – depende de conexão não pode ser manuseada – para ser vista, ouvida ou assistida
  21. 21. ConclusõesMutação hoje – padrões e classesPadrão ClasseMutação permanente Mutação social (nova relação com público)Mutação espontânea ou Mutação pontual (alteração localizada)provocada por agentesMutação evolutiva Mutação categórica (radical)Variação descontínua Falsa mutação (mudança de um campo para outro)Mutação restrita ou Mutação verdadeira (aceitação de novosmoderada gêneros)
  22. 22. Conclusões Mutação no jornalismo Fenômeno Padrão de Classe de mutação mutaçãoMutação Diluição da figura do mutação Mutação restritano repórter categórica ou moderadaambiente Mudanças na forma de mutação Mutação restrita colher e veicular categórica informação Sobrecarga de trabalho e mutação Mutação funções/ papéis categórica espontânea Atualização constante mutação Mutação verdadeira espontânea Participação dos leitores mutação social Mutação espontânea
  23. 23. ConclusõesMutação no jornalismo Fenômeno Padrão de mutação Classe de mutaçãoMutação no Páginas na internet/ links/HT mutação verdadeira Variaçãoproduto descontínua/ Mutação evolutiva Matéria em camadas mutação verdadeira Mutação evolutiva Chamada de capa falsa mutação Mutação espontânea Título-enlace mutação verdadeira Mutação evolutiva Flash mutação verdadeira Mutação evolutiva Vermelho (rojo) mutação verdadeira Mutação evolutiva Ciberentrevista mutação verdadeira Mutação evolutiva Mistura de gêneros mutação pontual Mutação evolutiva Nova pirâmide falsa mutação Variação descontínua Transporte de conteúdo falsa mutação Mutação evolutiva (shovelware) Uso de som e imagem mutação verdadeira Alteração permanente
  24. 24. ConclusõesA notícia sofre mais uma mutação no jornalismo digital.O DNA da notícia não se altera no jornalismo digital.Para expandir a hipernotícia estabilização do modelo de negócio usuários familiarizados com ferramentas e novo papel do jornalista ampliação da alfabetização (digital).Para uma gramática hipertextual normatização de procedimentos/ tipologia arquitetura da notícia clareza na identificação das fontes ampla documentação e acesso à base de dados; ferramentas para participação do leitor.
  25. 25. Conclusões“(...) O que estamos precisando pensar é a hegemonia comunicacional do mercado na sociedade, ou melhor, a conversão da comunicação no mais eficaz motor do deslanche e inserção das culturas – étnicas, nacionais ou locais – no espaço/ tempo do mercado e das tecnologias. Ao mesmo tempo, estamos precisando pensar o novo mapa que essas tensões representam entre as mutações tecnológicas, as explosões e implosões das identidades e as reconfigurações políticas das heterogeneidades.” (Martín-Barbero)
  26. 26. Bibliografia ALSINA, M. R. La construcción de la noticia. Barcelona: Paidós, 1989. BROOKES, M. Fique por dentro da Genética. São Paulo: Cosac & Naif, 2001. CHALUS, P. In FEBVRE, L. O aparecimento do livro. Apresentação à edição francesa. São Paulo: Umesp; Hucitec, 1992. CONCISE Dictionary of Biology. Oxford: Oxford University Press, 1990. DEL BIANCO, N. R. Radiojornalismo em mutação. A influência tecnológica e cultural da Internet na transformação da noticiabilidade no rádio. Tese (Doutorado em Comunicação) - Universidade de São Paulo, Escola de Comunicações e Artes, São Paulo, 2004. JOHNSON, S.; HARRISS, J. El reportero profesional. Un tratado general sobre periodismo completado con profusión de ejercicios. México: Trillas, 1966. LÉVY, P. Cibercultura. São Paulo: Ed. 34, 1999. LÓPEZ, X. Herencias y desafios del lenguaje de los cibermedios: en la hora del hipertexto. In: Pauta Geral: revista de jornalismo. Salvador, 2006. ano 13, no. 8, p. 19-40. MARTÍN-BARBERO, J. Tecnicidades, identidades, alteridades: mudanças e opacidades da comunicação no novo século. In: MORAES, D. (org.) Sociedade midiatizada. Rio de Janeiro: Mauad, 2006. PONTE, C. Para entender as notícias. Linhas de análise do discurso jornalístico. Florianópolis: Insular, 2005. SAAD, B. Estratégias para a mídia digital. São Paulo: Senac São Paulo, 2003. TRAQUINA, N. O estudo do jornalismo no século XX. São Leopoldo: Unisinos, 2003. ______. Teorias do jornalismo. Por que as notícias são como são, v. 1. Florianópolis: Insular, 2004. TUCHMAN, G. La producción de la noticia. Estudio sobre la construcción de la realidad. México: Gili, 1983. VANDENDORPE, C. Du papyrus à l’hypertexte. Essai sur les mutations du texte et de la lecture. Paris: La Découverte, 1999. WOLF, M. Teorias da comunicação de massa. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

×