MORTE ENCEFÁLICAAlunos: Estephane Souza, Fábio Medeiros, LuanaBrito, Vivianne Lemos, Renata Tavares e RosemaryTavares.
 Designa-se por Morte Cerebral ou MorteEncefálica a perda definitiva e irreversível dasfunções cerebrais. O termo Morte E...
QUESTÕES IMPORTANTES Exame clíniconeurológico cuidadoso epreciso; Causa do coma bemestabelecida; Irreversível? ; Sinai...
DIAGNÓSTICOPara diagnosticar a ME é essencial que TODAS as seguintescondições sejam observadas:1. Pré-requisitos – Diagnos...
A IMAGEM ACIMA É DE UM DOS EXAMES, A ANGIOGRAFIA CEREBRAL. DOLADO DIREITO PODEMOS PERCEBER O FLUXO SANGUÍNEO CEREBRAL E DO...
Após constatação da ME cabe a enfermagem realizar: -Controle hemodinâmico; -Realizar controle hídrico rigoroso; -Reposi...
DOAÇÃO DE ÓRGÃOS Conduta médica - Seguir os protocolos estabelecidostradicionalmente;Preencher o Termo de Declaração de ...
 Estabelecer um diálogo com a família desde o momentoda internação do paciente até o provável diagnóstico deME, oferecend...
PAPEL DO ENFERMEIRO Considerando que o processode doação de órgãos e tecidospara transplante se inicia nohospital que not...
 a) Notificar as Centrais de Notificação, Captação eDistribuição de Órgãos-CNNCDO, a existência depotencial doador; b) E...
BIBLIOGRAFIA http://www.programaproficiencia.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=423:atuacao-do-enfermeir...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Morte encefálica enfermagem farec

7.814 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
6 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
7.814
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
20
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
205
Comentários
0
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Morte encefálica enfermagem farec

  1. 1. MORTE ENCEFÁLICAAlunos: Estephane Souza, Fábio Medeiros, LuanaBrito, Vivianne Lemos, Renata Tavares e RosemaryTavares.
  2. 2.  Designa-se por Morte Cerebral ou MorteEncefálica a perda definitiva e irreversível dasfunções cerebrais. O termo Morte Encefálicaaplica-se a condição final, irreversível, definitiva decessação das atividades do tronco cerebral. Otronco cerebral é constituído pelo mesencéfalo,ponte e bulbo. Portanto, este termo é muito maisadequado que "morte cerebral".Só existe ME após a perdadefinitiva e irreversível de todas asfunções do tronco cerebral.
  3. 3. QUESTÕES IMPORTANTES Exame clíniconeurológico cuidadoso epreciso; Causa do coma bemestabelecida; Irreversível? ; Sinais neurológicosinequívocos; Exame radiológico; Exame complementar; Lesão neurológica graveou morte encefálica?
  4. 4. DIAGNÓSTICOPara diagnosticar a ME é essencial que TODAS as seguintescondições sejam observadas:1. Pré-requisitos – Diagnosticar a presença e a causa da lesãoencefálica responsável pelo quadro atual e a suairreversibilidade, excluindo possíveis causas reversíveis quesimulem o mesmo quadro;2. Exame clínico – Determinar a ausência de função do troncocerebral em todos os seus níveis;3. Teste de apneia – Confirmar a ausência de movimentosrespiratórios após estimulação máxima dos centrosrespiratórios;4. Exames complementares – Determinar a ausência da funçãodo encéfalo como complementação exame clínico. Ex:Arteriografia cerebral, AngioRM, EEG, DTC, Cintilografia.5. Repetição de exame clínico – Confirmando a persistência ounão da ausência de função do tronco cerebral após períodomínimo de observação de 6 horas em ambiente hospitalar.
  5. 5. A IMAGEM ACIMA É DE UM DOS EXAMES, A ANGIOGRAFIA CEREBRAL. DOLADO DIREITO PODEMOS PERCEBER O FLUXO SANGUÍNEO CEREBRAL E DOLADO ESQUERDO A AUSÊNCIA DESSE FLUXO SANGUÍNEO CEREBRAL(CONSTATAÇÃO DA MORTE ENCEFÁLICA).
  6. 6. Após constatação da ME cabe a enfermagem realizar: -Controle hemodinâmico; -Realizar controle hídrico rigoroso; -Reposição volêmica em acesso calibroso; -Controle de glicemia; -Atentar a qualquer distúrbio de coagulação; -Precauções universais; -Monitorização ECG; -Manutenção adequada de ventilação e oxigenação; -Executar manobras de PCR básicas e avançadas; -Estabelecer um diálogo com a família desde omomento da internação do paciente até o prováveldiagnóstico de ME,oferecendo-lhe apoio emocional.CUIDADOS DE ENFERMAGEM
  7. 7. DOAÇÃO DE ÓRGÃOS Conduta médica - Seguir os protocolos estabelecidostradicionalmente;Preencher o Termo de Declaração de MorteEncefálica (DME) em 3 vias.1ª via deverá ser arquivada no prontuário do paciente;2ª via deverá ser encaminhada àCentral de Notificação, Captação eDistribuição de Órgãos – CNCDO(Lei 9.434/97, Art. 13).3ª via deverá ser encaminhada ao Instituto MédicoLegal, em casos de morte violenta.A Declaração de Óbito (DO) deverá ser preenchidapelo médico legista nos casos de morte violentaconfirmada ou suspeitada (acidente, suicídio ouhomicídio).
  8. 8.  Estabelecer um diálogo com a família desde o momentoda internação do paciente até o provável diagnóstico deME, oferecendo-lhe apoio emocional e orientação junto aequipe de saúde quanto a doação de órgãos e tecidos.
  9. 9. PAPEL DO ENFERMEIRO Considerando que o processode doação de órgãos e tecidospara transplante se inicia nohospital que notificou a morteencefálica, a ResoluçãoCOFEN nº 292/2004, diz queao Enfermeiro incumbeplanejar, executar, coordenar,supervisionar e avaliar osprocedimentos deenfermagem prestados aosdoador de órgãos e tecidos,através dos seguintesprocedimentos:
  10. 10.  a) Notificar as Centrais de Notificação, Captação eDistribuição de Órgãos-CNNCDO, a existência depotencial doador; b) Entrevistar o responsável legal do doador,solicitando o consentimento livre e esclarecido pormeio de autorização da doação de órgãos e tecidos,por escrito; c) Garantir ao responsável legal o direito de discutircom a família sobre a doação, prevalecendo oconsenso familiar; e) Aplicar a Sistematização da Assistência deEnfermagem (SAE) no processo de doação deórgãos e tecidos; f) Documentar, registrar e arquivar o processo dedoação/transplante no prontuário do doador, bemcomo, do receptor.
  11. 11. BIBLIOGRAFIA http://www.programaproficiencia.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=423:atuacao-do-enfermeiro-diante-da-morte-encefalica&catid=39:blog&Itemid=65 http://www.ebah.com.br/content/ABAAAAab0AI/slides http://www.doe-vida.com/products/o-que-e-morte-encefalica-/ http://www.portaleducacao.com.br/enfermagem/artigos/28178/morte-encefalica-diagnostico-e-cuidados?_kt=8494173369&gclid=CPCvmrP49bYCFUyY4AodbzwA4g

×