Teoria genética da aprendizagem

8.771 visualizações

Publicada em

0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.771
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
334
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Teoria genética da aprendizagem

  1. 1. Teoria Genética da Aprendizagem
  2. 2. Focca – Faculdade de Olinda Curso: Letras Discentes: Bruna Monteiro, Elias Martins e Tatiane Souza. Orientadora: Prof.ª Sulanita Bandeira Olinda 2014.1
  3. 3. “O ideal da educação não é aprender ao máximo, maximizar os resultados, mas é antes de tudo aprender a aprender, é aprender a se desenvolver e aprender a continuar a se desenvolver depois da escola”. Jean Piaget
  4. 4. PIAGET – Psicologia Genética e Educação
  5. 5. JEAN PIAGET Nome completo: Jean William Fritz Piaget Nascimento: Suíça, Neuchâtel – 9 de agosto de 1896 Morte: Suíça, Genebra – 16 de setembro de 1980 (84 anos) Ocupação: Epistemólogo, Psicólogo. Magnum Opus: A Epistemologia Genética Escola/ Tradição: Universidade de Genebra Desde muito cedo Jean Piaget demonstrou sua capacidade de observação. Aos onze anos percebeu um melro albino em uma praça de sua cidade. A observação deste pássaro gerou seu primeiro trabalho científico. Formado em Biologia interessou-se por pesquisar sobre o desenvolvimento do conhecimento nos seres humanos.
  6. 6. Teoria em Pauta Um dos grandes temas da epistemologia é saber como se passa de um estado de menor conhecimento para um estado maior. Foi este problema epistemológico que despertou a atenção de Piaget: Como se passa de um tipo de conhecimento para outro? O que Piaget percebeu que poderia responder àquele problema se estudasse o progresso das categorias de conhecimento no decorrer da vida – da infância à idade adulto. A psicologia da criança tornou-se assim o seu campo de estudos. Porque a teoria piagentina é denominada “genética”? Dizemos que a Psicologia de Piaget foi elaborada tendo em vista a construção de sua epistemologia. O termo Genético, não diz respeito à transmissão de caracteres hereditários, conforme a biologia. Mas sim ao modo de abordagem do objeto de estudo, desde seu estado elementar – sua origem, sua gênese – até seu estágio mais adiantado.
  7. 7. Piaget e a Educação A teoria deve ser compreendida no âmbito geral. É provável que a importância de Piaget no campo educativo tenha sido favorecida pelo esgotamento do paradigma condutista e das teorias associativas da aprendizagem dominantes no princípio do século e que, em geral, inspiravam métodos pedagógicos baseados na instrução direta, na transmissão de conhecimentos e em uma certa passividade do aluno. Falar do método piagentino, estamos nos referindo a uma abordagem de pesquisa, e não a uma estratégia de trabalho pedagógico. No método piagentino os alunos são tratados de acordo com suas particularidades. Piaget oferece um instrumento muito tentador para a prática educativa, porém perigosa.
  8. 8. Assimilação, acomodação e equilibração Esses são os conceitos piagentinos que traduzem as categorias fundamentais da concepção de conhecimento, em que o Sujeito age sobre o Objeto.
  9. 9. Para Piaget o processo de conhecer tem início com o desequilíbrio entre o Sujeito e Objeto. Em seguida vem o processo da Assimilação - é quando o Sujeito age sobre o na tentativa de conhecê-lo por meio dos referenciais cognitivo que já possui. O segundo processo – a Acomodação, consiste nas modificações sofridas pelo Sujeito em função da assimilação. Enfim ocorre a Equilibração- quando o objeto se adapta, mantendo uma relação com o sujeito.
  10. 10. Nível de Desenvolvimento O desenvolvimento intelectual envolve a passagem do individuo por quatro grandes períodos , vivenciados em sequência . Cada período estabelece alicerces para os seguintes, de modo que as aquisições ocorridas em um constituem precondições para seguinte. É importante ressaltar que cada período é separado por idades meramente indicativas.
  11. 11. Estágio Sensório – Motor 0-2 anos Inexistência de representações, imagens mentais dos objetos; Conhecimento por impressões; Predomínio da assimilação; Formação dos primeiros esquemas cognitivos(esquemas de ações); Mudança cognitiva ocasionada pela experiência(início da acomodação.
  12. 12. Estágio Pré- operatório 2 - 7 anos Desenvolvimento da representação e transformação de esquemas; Progresso da Linguagem Verbal; Mudança nos esquemas representativos; Progresso na capacidade intelectual de representar o mundo; Transição do egocentrismo para a socialização.
  13. 13. Capacidade de reversibilidade; Desenvolvimento da capacidade de realizar operações; Operações concretas(baseadas na experiência empírica). Estágio Operatório Concreto 7-12 anos
  14. 14. Transformações dos esquemas cognitivos. Raciocínio abstrato. Estágio Operatório Formal 12 -16 anos
  15. 15. A Teoria da Sociabilidade O percurso da sociabilidade é a passagem do estado egocêntrico a um estado pleno de sociabilização. Piaget mostrou que o desenvolvimento cognitivo e o desenvolvimento da sociabilidade constituem um mesmo processo, cujo ápice é a adaptação ativa do individuo ao mundo. O ponto mais alto do desenvolvimento da sociabilidade é também o da personalidade. A personalidade encontra-se verdadeiramente estruturada quando se dá plena integração do individuo à coletividade.
  16. 16. Conclusão A epistemologia piagentina permite que a escola considere o educando como sujeito ativo e construtor de seu próprio saber, o que vai ao encontro de todas as pedagogias que valorizam a autonomia, a liberdade e o autogoverno como características a serem incentivadas no educando.
  17. 17. Bibliografia Cunha, M.V. Psicologia da Educação. RJ, DP&A, 2000. Cool, C. A Teoria Genética da Aprendizagem In Psicologia e Ensino. Porto Alegre; Artemed, 2000.

×