ETEC GUARACY SILVEIRACOMPARATIVO ENTRE O LIMÃO (Citrus   latifoli), A ÁGUA SANITÁRIA E O   DETERGENTE PARA O USO NA       ...
ETEC GUARACY SILVEIRACOMPARATIVO ENTRE O LIMÃO (Citrus   latifoli), A ÁGUA SANITÁRIA E O   DETERGENTE PARA O USO NA       ...
AGRADECIMENTOSAgradecemos nesse trabalho a nossa orientadora Profª. Fátima Alessandra pelaconvivência diária e também a to...
“Que os vossos esforços desafiem as impossibilidades, lembrai-vos de que as   grandes coisas do homem foram conquistadas d...
RESUMO       O presente trabalho compara as ações de limpeza, aplicações, impactos ebiodegradabilidade no meio, dos compos...
ÍNDICERESUMO.................................................................. Erro! Indicador não definido.ABSTRACT ........
INTRODUÇÃO      O uso desenfreado do detergente gera muitos impactos ao nosso meio, taiscomo alterações nas propriedades f...
ambiente decorrente ao seu uso. Foram também, analisados trabalhossemelhantes focados no limão., sua composição e ação na ...
1.1-AÇÃO DO DETERGENTE       A ação de limpeza dos detergentes ocorre devido a introdução nacomposição do mesmo de um agen...
TENSOATIVO ADICIONADO (%) TENSÃO SUPERFICIAL (dinas/cm)                 Controle (nihil*)                                 ...
A portaria nº353/1998 da ANVISA define que tensoativo biodegradável étoda a substancia química com características tensoat...
de 80 devido a observação de seus negativos impactos ambientais nos cursos deágua    e    estações     de    tratamento   ...
pessoal como xampus e pastas de dentes.1.2.4 – ANFÓTEROS        São compostos por estruturas moleculares com grupamento ác...
Um detergente quando não biodegradável é ruim para o meio ambientemas valorizado por quem os fabrica pois a estabilidade d...
Gráfico 2: Curva de biodegradação de um tensoativo de cadeia ramificada ( ) e de cadeia (   )linear        No Brasil, no i...
O uso excessivo dos produtos convencionais de limpeza, podem causardanos também à saúde, através de micoses, reações alérg...
partir da oxidação e sim da redução de matéria orgânica o que resulta emcompostos concentrados, fétidos e tóxicos (ROCHl e...
2 – LIMÃO2.1 – COMPOSIÇÃO         Nome científico Citrus, em latim, quer dizer Limão. A única fruta que, porsuas proprieda...
Figura 4: Expresso de Ácido Cítrico no Limão (SPI 2011)        A planta possui porte médio a grande e pode chegar a 4 metr...
2.2 – ORIGEM         Existem diferentes versões sobre a forma como o limão tornou-seconhecido na Europa, alguns dizem que ...
O limoeiro-taiti é plantado em praticamente todos os estados brasileiros etambém nos países da América do Sul, Central, Mé...
Tabela 3: Volume de exportação de limões no Brasil (IBRAF 2011)Tabela 4: Volume de importação de limões no Brasil (IBRAF 2...
No Brasil, São Paulo lidera a produção e os estados do Rio de Janeiro eBahia são destaques (RADAR 2011; EMBRAPA 2011).    ...
Condições ideais de cultivo:2.3.1 - CLIMA        O clima deve ser ameno a quente pois o fruto se desenvolve entre 23° e32°...
Figura 7: Irrigação do limoeiro por gotejamento.Figura 8: Processo de Enxertia para propagação do limão.        A adubação...
(ZnSO4), 300 g. de sulfato de manganês (MnSO4), 300 gramas de cal (CaCO3) em100 litros de água (SEAGRI 2011).2.3.3 - COLHE...
Foto 9: Rachadura no tronco, formação de goma ( FACHINELLI 2011).      CANCRO       DO     TRONCO       DO     LIMÃO     ...
cochonilhas,   as   quais   produzem     secreções    açucaradas    para   o    desenvolvimento do fungo. Como o revestime...
2.4 BIODEGRADABILIDADE         Devido suas características físico-químicas o ácido cítrico é altamentemóvel no ambiente e ...
sequência ou ¼ de xícara de chá de limão diluída em água tem o mesmo       efeito (SALLES 2006; RINALDI 2011).      MACHA...
que inclua todos os aspectos da produção de materiais de limpeza, desde o planoinicial de utilização dos materiais até o d...
3 – ÁGUA SANITÁRIA3.1 DEFINIÇÃO         Segundo a ANVISA, na portaria 89 de 25 de Agosto de 1994, água sanitáriaé toda sol...
Marca             Teor de Cloro                 RESULTADO                            (2,0% p/p a 2,5% p/p)                ...
3.2 ORIGEM      O uso do hipoclorito de sódio como desinfetante teve origem no fim doséculo XVIII, na época era conhecida ...
seja, aproximadamente 11% do total de atendimentos do período eram por esse    motivo (INMETRO 2004).      AGO/03 SET/03 O...
com o livro “Primavera Silenciosa”; sua preocupação atingia o uso do cloro poisisso gera um volume elevado de efluentes tó...
4 – RESULTADOS E DISCUSSÕES       O detergente é formado por um composto ativo chamado tensoativo, este agente é responsáv...
Comparando os itens estudados no presente trabalho, observamos que os trêscompostos tem ação de limpeza, cada qual com sua...
sanitária, tenham seus impactos expostos, acreditamos que o ser humano nãodeixará de usá-los assim de uma hora para outra....
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICASAGOSTINI               Renata,        “Limpo              e            Natural”;         site[ht...
ANVISA,      Agência       Nacional     de       Vigilância   Sanitária;   disponível   em[http://www.anvisa.gov.br/legis/...
BUCHALLA, Ana Paula, Limpeza de volta ao básico. Revista VEJA em15/04/2009, edição 2108.CABRAL, Gabriela; Curiosidades por...
EMBRAPA, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária; Citros. Disponível em[http://cnpmf.embrapa.br/index.php?p=pesquisa-c...
http://www.inmetro.gov.br/consumidor/produtos/agua_sanitaria.asp. Acessado em07/11/2011.FACHINELLI,     C.    José;   NACH...
NETO, Z.G. Odene; PINO, D.C. José. Trabalhando a Química dos Sabões e dosDetergentes.Universidade Federal do Rio Grande do...
SANTA ROSA, Claudionor, Sistema de Tratamento de Água e Resíduos, 08/2009,Apostila do Curso Técnico em Meio Ambiente da ET...
²TRUCON Conceição; Limão – Origem e Variedades em 23/09/2010, disponívelem            [http://www.docelimao.com.br/site/li...
48
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

COMPARATIVO ENTRE O LIMÃO (Citrus latifoli), A ÁGUA SANITÁRIA E O DETERGENTE PARA O USO NA

3.589 visualizações

Publicada em

O presente trabalho compara as ações de limpeza, aplicações, impactos e biodegradabilidade no meio, dos compostos químicos: detergente , água sanitária e o biolternativo limão (Citrus latifoli), com o objetivo de apresentar uma alternativa acessível a maior parte da população e menos impactante ao meio.
O uso desenfreado dos produtos de limpeza causa impactos ao homem, e muitas vezes impactos irreversíveis ao meio, a eutrofização dos corpos hídricos é o mais preocupante dentre os impactos, uma vez que um corpo hídrico contaminado com detergente, não consegue ser recuperado facilmente dependendo do seu grau de contaminação. Outro impacto preocupante, em relação ao uso desses produtos, é o alto grau de toxidade da água sanitária, que pode afetar drasticamente o aparelho reprodutor, fígados, rins do homem, além de poder levar um ser humano a morte por intoxicação. O limão viria como uma alternativa, para a substituição no uso desses produtos, visando a viabilidade no plantio, as condições climáticas favoráveis no Brasil, a acessibilidade de custo e principalmente sua eficácia na remoção de sujeiras e desinfecção.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.589
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
28
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

COMPARATIVO ENTRE O LIMÃO (Citrus latifoli), A ÁGUA SANITÁRIA E O DETERGENTE PARA O USO NA

  1. 1. ETEC GUARACY SILVEIRACOMPARATIVO ENTRE O LIMÃO (Citrus latifoli), A ÁGUA SANITÁRIA E O DETERGENTE PARA O USO NA LIMPEZA DOMÉSTICA Camila Silveira n°03 Fernanda Lima n° 06 Keila Barbosa n° 14 Tatiane Penha n° 28 SÃO PAULO 2011
  2. 2. ETEC GUARACY SILVEIRACOMPARATIVO ENTRE O LIMÃO (Citrus latifoli), A ÁGUA SANITÁRIA E O DETERGENTE PARA O USO NA LIMPEZA DOMÉSTICA Trabalho de conclusão de Curso apresentado a ETEC Guaracy Silveira para a obtenção do título de Técnico em Meio Ambiente. Profª Orientadora: Fátima Alessandra Deanne Buonno SÃO PAULO 2011 2
  3. 3. AGRADECIMENTOSAgradecemos nesse trabalho a nossa orientadora Profª. Fátima Alessandra pelaconvivência diária e também a todos os professores que trilharam conosco esse caminho. Agradecemos aos amigos que participaram direta e indiretamente para a conclusão do nosso trabalho. E também a nossos familiares que nos apoiaram e nos mantiveram firmes em nossos objetivos iniciais. 3
  4. 4. “Que os vossos esforços desafiem as impossibilidades, lembrai-vos de que as grandes coisas do homem foram conquistadas do que parecia impossível”. Charles Chaplin. 4
  5. 5. RESUMO O presente trabalho compara as ações de limpeza, aplicações, impactos ebiodegradabilidade no meio, dos compostos químicos: detergente , água sanitária eo biolternativo limão (Citrus latifoli), com o objetivo de apresentar uma alternativaacessível a maior parte da população e menos impactante ao meio. O uso desenfreado dos produtos de limpeza causa impactos ao homem, e muitasvezes impactos irreversíveis ao meio, a eutrofização dos corpos hídricos é o maispreocupante dentre os impactos, uma vez que um corpo hídrico contaminado comdetergente, não consegue ser recuperado facilmente dependendo do seu grau decontaminação. Outro impacto preocupante, em relação ao uso desses produtos, é o altograu de toxidade da água sanitária, que pode afetar drasticamente o aparelho reprodutor,fígados, rins do homem, além de poder levar um ser humano a morte por intoxicação. Olimão viria como uma alternativa, para a substituição no uso desses produtos, visandoa viabilidade no plantio, as condições climáticas favoráveis no Brasil, a acessibilidade decusto e principalmente sua eficácia na remoção de sujeiras e desinfecção.ABSTRACT This study compares the actions of cleaning applications, impacts andbiodegradability in the middle of the chemicals: detergent, bleach and organic lime (Citruslatifolia), with the aim to present an affordable alternative to most people and less intrusiveto the middle. The rampant use of cleaning products cause impacts to human, and oftenirreversible impacts to the environment, eutrophication of water bodies is among the mostworrying impacts, once a water body contaminated with detergent, can not easily berecovered depending on the their degree of contamination. Another impact of concern inrelation to the use of these products is the high degree of toxicity of bleach, which candramatically affect the reproductive system, liver, kidneys of human, and can lead ahuman being to death by intoxication. The lemon would come as an alternative to replacethe use of these products and to the viability of planting, favorable weather conditions inBrazil, affordability an especially its effectiveness in removing dirt and disinfection.Palavra Chave: Água Sanitária, Bioalternativo, Detergente, Limão. 5
  6. 6. ÍNDICERESUMO.................................................................. Erro! Indicador não definido.ABSTRACT .............................................................. Erro! Indicador não definido.INTRODUÇÃO ........................................................................................................ 7MATERIAIS E MÉTODOS....................................................................................... 7OBJETIVO............................................................................................................... 81-DETERGENTE..................................................................................................... 8 1.1-AÇÃO DO DETERGENTE............................................................................. 9 1.2 - CLASSIFICAÇÃO DOS TENSOATIVOS ................................................... 11 1.3 - BIODEGRADABILIDADE DO DETERGENTE ........................................... 13 1.4 – O IMPACTO AMBIENTAL DO DETERGENTE ......................................... 15 1.5 – O IMPACTO DO FOSFATO ..................................................................... 162 – LIMÃO ............................................................................................................. 18 2.1 – COMPOSIÇÃO ......................................................................................... 18 2.2 – ORIGEM ................................................................................................... 20 2.3 – CULTIVO .................................................................................................. 23 2.4 BIODEGRADABILIDADE............................................................................. 29 2.5 APLICAÇÕES NA LIMPEZA ........................................................................ 29 2.6 - CUIDADOS NA UTILIZAÇÃO .................................................................... 313 – ÁGUA SANITÁRIA .......................................................................................... 32 3.1 DEFINIÇÃO ................................................................................................. 32 3.2 ORIGEM ...................................................................................................... 34 3.3 - IMPACTOS ................................................................................................ 34 3.4 - AÇÃO NA LIMPEZA .................................................................................. 36 3.5 – BIODEGRADABILIDADE.......................................................................... 364 – RESULTADOS E DISCUSSÕES .................................................................... 375-CONCLUSÃO .................................................................................................... 38REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ...................................................................... 40 6
  7. 7. INTRODUÇÃO O uso desenfreado do detergente gera muitos impactos ao nosso meio, taiscomo alterações nas propriedades físicas, químicas e biológicas da água,tornando-a prejudicial ao homem e às outras formas de vida, ou impróprias paraum determinado uso estabelecido (SANTA ROSA 2009). Essa carga de poluiçãodecorrente da presença desses detergentes sintéticos na rede de esgotosdomésticos é pequena, se comparada a de outros poluentes (resíduos, dejetosorgânicos, etc), apesar disso, ela pode contribuir de maneira bastantedesfavorável para a poluição das águas receptoras e pode dificultar osprocedimentos normais de tratamento de esgotos residuais (BORSATO, 2004). De acordo com PERUZZO, (2003) dentre os impactos dos detergentes quevão pra rede de esgoto, podem formar uma camada de espuma na superfície daágua, que impede a entrada de oxigênio, essencial para a vida dos peixes. Estaobstrução é mais evidente em rios cuja vazão é pequena e as águas, agitadas(ZAGO et al 2011). O uso excessivo dos produtos convencionais de limpeza, podem causardanos também à saúde, através de micoses, reações alérgicas e ressecamentocutâneo, esses produtos, "contêm muitas substâncias químicas e acabamremovendo o manto lipídico da pele, uma espécie de cobertura, composta porceras e agentes hidratantes, que produzimos diariamente para servir comobarreira. Por isso, o ressecamento é imediato" (AGOSTINI, 2009). Buscando uma alternativa aos produtos químicos que degradam o meioambiente o limão torna-se eficiente na limpeza e desinfecção por suascaracterísticas ácidas e por ser acessível ao consumidor (CINTRA 2011,BUCHALA 2009 e RINALDI 2011)MATERIAIS E MÉTODOS O presente trabalho foi realizado baseado em leituras reflexivas de artigoscientíficos e jornalísticos como também de livros relacionados ao processo defabricação dos sabões e detergentes, sua biodegradabilidade e os impactos no 7
  8. 8. ambiente decorrente ao seu uso. Foram também, analisados trabalhossemelhantes focados no limão., sua composição e ação na higienização e limpezadoméstica. Após essas leituras foi feita uma análise acerca do tema que serviram debase para o desenvolvimento do trabalho.OBJETIVO O objetivo do nosso trabalho visa demonstrar, através de levantamentobibliográfico que a utilização de produtos bio-alternativos é viável, acessível epode reduzir a utilização de detergentes e produtos similares que causam danosao ambiente e à saúde humana.1-DETERGENTE O termo detergente origina-se do latim “detergere”, que tem comosignificado limpar, fazer desaparecer (BORSATO, 2004), segundo a ANVISA(2011) através da RESOLUÇÃO NORMATIVA n° 1/78, detergente é um produtoformulado para promover o fenômeno de detergência (aquele que remove sujeira)formado por um composto chamado tensoativo* De acordo com CASTRO (2001) e SIRONI (2009) detergentes por definiçãosão substâncias inorgânicas ou orgânicas que apresentam propriedade de reduzira tensão superficial da água e modificando as proriedades da mesma. Definido por NETO et al (2011) a tensão superficial é uma propriedade doslíquidos que está relacionada as forças de atração e repulsão entre as moléculas,como se houvesse uma membrana invisível que causa resistência à penetração. A tensão superficial da água em condições normais é de 72 dinas*/cm à20°C, para reduzir essa tensão, é necessário reduzir esses valores entre 30 a 40dinas/cm (CASTRO, 2011). -5*Dimas: Unidade de medida padrão para representação de força, equivale a 10 N (Newtons).*Tensoativo: Substâncias que podem reduzir a tensão superficial dos líquidos. 8
  9. 9. 1.1-AÇÃO DO DETERGENTE A ação de limpeza dos detergentes ocorre devido a introdução nacomposição do mesmo de um agente chamado tensoativo, capaz de promover aredução de valores na tesão superficial da água e elevada afinidade cominterfaces, ou seja, tende a misturá-las, por exemplo, entre a substância líquido eentre a oleosa (CASTRO 2011). Em outras palavras modificam as propriedades de uma camada superficialque separa duas fases em contato; esta propriedade está ligada a estrutura dostensoativos que possuem na mesma molécula uma parte polar, solúvel em água(hidrofílica) e uma parte não polar insolúvel em água (hidrofóbica). Na superfíciedo líquido a parte hidrofílica da substância tensoativa adere as móleculas de águaquebrando sua atração intramolecular, reduzindo dessa forma a tensão superficial.(CASTRO 2011 e MIRSILI 2011).Figura 1: Estrutura de um tensoativo Na tabela 1, observar-se a redução da tensão superficial da água, devido apequenas adições de um tipo de tensoativo, pode ser observado que mesmo emconcentrações baixíssimas, os tensoativos reduzem de forma apreciável, a tensãosuperficial da água (CASTRO 2011): 9
  10. 10. TENSOATIVO ADICIONADO (%) TENSÃO SUPERFICIAL (dinas/cm) Controle (nihil*) 72,8 0,001 31,1 0,01 28,9 0,1 28,7 1,0 28,8Tabela 1: Relação entre a adição de um tensoativo e a diminuição da tensão superficial Os tensoativos são substâncias responsáveis pela remoção da sujeirafazendo com que ela seja removida devido a formação de micelas (MIRSILI 2011)que são estruturas formadas quando os tensoativos entram em contato com aágua. Elas são estruturas geralmente esféricas formadas de uma maneira que aparte apolar do tensoativo fica voltada para dentro da esfera aprisionando o óleoenquanto a parte polar fica voltada para água. Elas também envolvem e deslocamas partículas de sujeira de natureza lipofílica* para o interior das micelas,mantendo as partículas de gordura em suspensão não permitindo que elas voltema ter contato com a água (MIRSILI 2011).Figura 2: Estrutura da molécula de detergente e Micela*Nihil: sem adição de tensoativo*Lipofílica: indica que esta parte da estrutura tem afinidade com a gordura. 10
  11. 11. A portaria nº353/1998 da ANVISA define que tensoativo biodegradável étoda a substancia química com características tensoativas que está susceptível adegradação e decomposição por microorganismos, essa degradação não podegerar substâncias com grau de toxidade maior do que o da substância tensoativaoriginal (ANVISA 2011). Um aspecto positivo do detergente, conforme protocolo sugerido peloCRAM (Centro de Recuperação de Animais Marinhos), é no seu uso nareabilitação de aves afetadas por óleo, feito obrigatoriamente no banho do animalem detergente neutro líquido com enxágüe feito com água quente e corrente paralivrar-lhe do óleo. (RUOPPOLO, 2004).1.2 - CLASSIFICAÇÃO DOS TENSOATIVOS1.2.1 - ANIÔNICOS Segundo BORSATO (2004) e CASTRO (2001) tensoativos aniônicos sãoaqueles que apresentam carga negativa em sua fase hidrofílica, e seu Carbono(C), liga-se ao enxofre (S) e ao fósforo (P). Esse é o tensoativo mais usado nafabricação de detergentes pois possui excelente poder de detergência e poderespumante, é essa a categoria mais importante levando em consideração seuvolume utilizado mundialmente, dentre os tensoativos aniônicos mais utilizados naprodução de detergentes estão o alquilbenzeno de sódio (C6H4(SO3H)(CS2)10CS3),dodecilbenzeno sulfonado de sódio (LAS, de fórmula químicaC7H15CH(C6H4SO3Na)C4H9) e o dodecilbenzeno sulfonado de cálcio. Como aponta BORSATO (2004) sua desvantagem se dá por problemas desolubilidade em água o que influencia negativamente o risco de turvação dosmananciais, além disso, esse tipo de tensoativo tem um impacto direto na saúdehumana causando irritação e perda de umidade na pele do consumidor. Autilização desse tipo de tensoativo passou a ser regulamentada a partir da década 11
  12. 12. de 80 devido a observação de seus negativos impactos ambientais nos cursos deágua e estações de tratamento devido a sua taxa insuficiente debiodegradabilidade no ambiente, fazendo-se necessário a imposição da lei emétodo que exige uma degradação mais rápida do tensoativo.1.2.2 – CATIÔNICOS BORSATO (2004), diz que tensoativos catiônicos são aqueles queapresentam carga positiva em sua fase hidrofílica e seus quatro átomos decarbono (C) ligam-se diretamente aos átomos de nitrogênio (N). Não sãocomumente usados na fabricação de detergentes domésticos,pois não possuemum poder de detergência eficiente, agem normalmente como lubrificantes compoder de eliminar a eletricidade estática na composição dos amaciantes.Gráfico 1: Variação da tensão superficial da água com o tipo e a concentração do tensoativo1.2.3 - NÃO-IÔNICOS BORSATO (2004) e CASTRO (2001) descrevem os tensoativos não–iônicos como aqueles que não apresentam nenhuma carga em suas moléculas,ligando-se através de pontes de hidrogênio*. Possui ação de limpeza eficiente ebaixa formação de espuma, são usados na produção de detergentes líquidos (emconjunto com tensoativos aniônicos potencializado suas ações tensoativasindividuais), detergente em pó para lavagem de roupas e em produtos de higiene*Pontes de Hidrogênio: são interações que ocorrem entre o átomo de hidrogênio e dois ou maisátomos, de forma que o hidrogênio sirva de "elo" entre os átomos com os quais interagem. 12
  13. 13. pessoal como xampus e pastas de dentes.1.2.4 – ANFÓTEROS São compostos por estruturas moleculares com grupamento ácido e básico,podendo ter comportamento aniônico ou catiônico, dependendo do meio que estãopresentes. São comumente usado nas formulações de produtos higiênicos poissão facilmente solúveis em água mas com poder de detergência e formação deespuma pouco eficiente para a limpeza doméstica. (BORSATO 2004 e CASTRO2001)1.3 - BIODEGRADABILIDADE DO DETERGENTE Os primeiros detergentes produzidos apresentavam problemas com adegradação no meio ambiente e tornavam-se altamente poluidores. Eles causama formação de espuma cobrindo a superfície dos rios, e estações de tratamento derede e esgoto. Nessa época a base para a fabricação do detergente era opropeno, (C3H6), um gás incolor. Este composto usado na fabricação originava tensoativos com cadeiasramificadas, e de difícil degradação pelas bactérias. Esse tipo de detergente foicom o passar do tempo sendo substituído por outros que possuíamdegradabilidade (NETO et al 2011). Segundo INDI (2011) e ROCHA et al (2004), a biodegradação de umtensoativo é definida através da destruição dos compostos químicos pela açãobiológica dos organismos vivos (microorganismos aeróbios como Scheria coli),resultando na formação de água (H20), gás carbônico (CO2), gás carbônico e saisinorgânicos. O processo de deteriorização de um produto depende da capacidade de ummicroorganismo e produzir enzimas* degradativas adequadas: esse processo échamado de biorremediação, onde organismos vivos, normalmente plantas emicroorganismos são usados para remover ou reduzir o poluente no ambiente(BELLINASSO et al 2005 e SIRONI 2009).*Enzimas: As enzimas são proteínas especializadas na catálise de reações biológicas. 13
  14. 14. Um detergente quando não biodegradável é ruim para o meio ambientemas valorizado por quem os fabrica pois a estabilidade dos tensoativos e suasligações conferem ao produtos final um tempo quase infinito para suadeterioração, ou seja, pois sua validade é indeterminada (ROCHA et al 2004). As diferenças encontradas entre os sabões e detergentes situam-se,principalmente, em sua forma de atuar em águas duras e águas ácidas. Osdetergentes, nessas águas, não perdem sua ação tensoativa, enquanto que ossabões, nesses casos, reduzem grandemente e até podem perder seu poder delimpeza. Os sais formados pelas reações dos detergentes com os íons (Ca 2+) emagnésio (Mg2+), encontrados em águas duras, não são completamenteinsolúveis em água, o que permite ao tensoativo sua permanência na solução esua possibilidade de ação. Em presença de águas ácidas, os detergentes sãomenos afetados, pois possuem também caráter ácido e, novamente, o produtoformado não é completamente insolúvel em água, permanecendo, devido aoequilíbrio das reações químicas, em solução e mantendo sua ação de limpeza(ZAGO et al 2011). Segundo CASTRO (2011) há tensoativos biodegradáveis (compostosquímicos que podem ser degradados por ação de microorganismos), como porexemplo o ABS (Alquilbenzeno Sulfonato de Sódio), produzido a partir da reaçãodo alquilbenzeno com ácido sulfúrico (H2SO4) e soda cáustica (NaOH) comestrutura química modificada (cadeia lateral linear), pois sem ser dessa forma suataxa de biodegradabilidade é insuficiente, ou seja, os microorganismos degradamas cadeias ramificadas numa taxa extremamente lenta o que causa a produção deespumas nos cursos de água e nas estações de tratamento (BORSATO 2004).O Alquilbenzeno Linear sulfonado (LAS) é o tensoativo aniônico industrial maisimportante no setor de produção de detergentes e produtos de limpeza doméstica,principalmente por ser biodegradável e não causar impacto ao meio ambiente,além disso sua fabricação para o produtor é mais econômica e eficaz (ALMEIDA2011 e BORSATTO 2004). 14
  15. 15. Gráfico 2: Curva de biodegradação de um tensoativo de cadeia ramificada ( ) e de cadeia ( )linear No Brasil, no início na década de 80 o Ministério da Saúde proibiu a partirde janeiro de 1981 (art. 68 do decreto nº 79.094) a fabricação, comercialização ouimportação de saneantes* de qualquer natureza (detergentes) contendo tensoativoaniônico não biodegradável, seguindo a tendência mundial (BORSATO 2004).1.4 – O IMPACTO AMBIENTAL DO DETERGENTE Os detergentes são nutrientes de algas e, quando vão parar num lago,favorecem a proliferação delas. Esse crescimento exagerado impede a entrada deluz solar; assim, as algas do fundo morrem (por falta de luz) e começam aapodrecer. Esse apodrecimento consome oxigênio da água, o que, por sua vez,acarreta a morte dos peixes. Esse processo é chamado de eutrofização do lago(do grego eu, "bem", e trophein, "nutrir") (PERUZZO et al 2003). As aves aquáticas também são muito prejudicadas, elas possuem umrevestimento de óleo em suas penas e boiam na água graças à camada de ar quefica presa debaixo delas, quando esse revestimento é removido, pela presença dedetergente na água , essas aves não conseguem mais boiar e se afogam.(PERUZZO et al 2003).*Saneantes: Substâncias ou preparações destinadas à higienização, desinfecção ou desinfestaçãodomiciliar. 15
  16. 16. O uso excessivo dos produtos convencionais de limpeza, podem causardanos também à saúde, através de micoses, reações alérgicas e ressecamentocutâneo, esses produtos, "contêm muitas substâncias químicas e acabamremovendo o manto lipídico da pele, uma espécie de cobertura, composta porceras e agentes hidratantes, que produzimos diariamente para servir comobarreira. Por isso, o ressecamento é imediato" (AGOSTINI, 2009).1.5 – O IMPACTO DO FOSFATO Quimicamente, de acordo com CATHARINO (2003) os fosfatos são sais defósforo que funcionam como substâncias básicas carregadoras de oxigênio. Elesse apresentam de acordo com FARIA et al (2011) de forma orgânica (ligada acompostos orgânicos) ou de forma inorgânica (polifosfatos, ortofosfatos etripolifosfato de sódio - STPP), sendo que a última forma é de maior interesse vistoque sua origem se dá nos detergentes. A indústria de produtos de limpeza usa os fosfatos como reforçadores dopoder do detergente trabalhando no desempenho dos tensoativos aniônicos,adicionados à formulação do detergente para agir com excelência sobre as águasduras (águas com altas concentrações de sais dissolvidos) para anular íonsmetálicos (principalmente os de cálcio e magnésio) tornando o ambiente aquáticoalcalino* e suscetível à limpeza. A dureza das águas brutas do Estado de São Paulo atinge valores entre 12a 53 microgramas (µg) por litro (L). (ALONSO 2002, BORSATO 2004, CASTRO2001 e ROCHA et al 2004) No ambiente aquático, o fosfato não é considerado tóxico, mas contribuipara a eutrofização* do meio, servindo de nutrientes para as algas e a redução deoxigênio presente nas águas o que aumenta a Demanda Bioquímica de Oxigêncio(DBO), responsável pela oxidação do excesso de matéria orgânica, quando aconcentração de O2 é muito baixa no ambiente as bactérias anaeróbias* tornam-se imprescindíveis no processo de decomposição que nesse caso não é feito a*Eutrofização: Fenômeno causado pelo excesso de nutrientes nos ambientes aquáticos, o que levao aumento de algas no ambiente.*Bactérias Anaeróbicas: Que não necessitam de Oxigênio. 16
  17. 17. partir da oxidação e sim da redução de matéria orgânica o que resulta emcompostos concentrados, fétidos e tóxicos (ROCHl et al 2004) . Eutrofização segundo o CONAMA (2011), na resolução 359 de 29 de abrilde 2005 é a produção orgânica excessiva em determinado corpo hídrico emfunção da elevação da concentração de nutrientes na água, principalmente fósforo(P) e nitrogênio (N). A utilização de fósforo (P) nos detergentes e saponáceos, na forma detripolifosfato de sódio (STPP), teve início logo após a 2ª Guerra Mundial e, desdea década de 60, seus impactos sobre a qualidade das águas são discutidosmundialmente. Atualmente, países como a Suécia, Alemanha e Japão, porexemplo, baniram o uso de STPP da fórmula desses produtos, já que esta temsido considerada a principal fonte de fósforo nas águas (ATHANÁSIO 2010). Algumas represas são atingidas, peça presença de fósforo, cerca de 86%dos Rios dos reservatórios de São Paulo, apresentam situação preocupantesegundo o presidente da CETESB. Na represa Billings e na Guarapiranga apresença de fósforo é vista acima dos níveis aceitáveis. Na represa Billings osvalores chegam a atingir cerca de 5.000 mg/kg, concentração dez vezes superiora encontrada em outros ambientes aquáticos não comprometido (ALONSO 2002). A constatação dos impactos negativos no ambiente gerados pelo acúmulode fosfato levou à sua restrição quantitativa imposta pela Resolução de 359 de 29de Abril de 2005 do CONAMA, onde se estabelece critérios para a utilização defósforo na formulação dos detergentes em pó para o uso do mercado nacional,visando a redução e eventual eliminação do aporte de fósforo dessa fonte noscorpos de água (CONAMA 2011).Tabela 2: Limite de P (Fósforo) por formulação, onde GFI é média ponderada por grupofabricante/importador segundo Resolução 359 de 29 de Abril de 2005. (Conama 2011). 17
  18. 18. 2 – LIMÃO2.1 – COMPOSIÇÃO Nome científico Citrus, em latim, quer dizer Limão. A única fruta que, porsuas propriedades curativas especiais, conservou sua acidez natural (TRUCON¹2011). O limão pertence a família das Rutáceas* e tem como nome científicoCitrus latifoli, Dicotyledonae. No suco do limão o ácido cítrico está presente numaconcentração que varia de 5 a 7% dependendo da variedade, condições decultivo, estação do ano e maturidade do fruto, vem da concentração desse ácidoseu poder bactericida e antibiótico, sua fórmula química é C6H8O7 (Figura 3 e 4)e seu suco representa 50% do peso do fruto e contém de 20 a 40 mg de ácidoascórbico (Vitamina C) (MATOS 2007; SEAGRI 2011; ¹TRUCON 2011). O limão, dentre todas as frutas cítricas é o que contém a maior concentraçãode ácido cítrico em sua composição, as laranjas e tangerinas costumam conterentre 0,6 a 1,0% de ácido cítrico (C6H8O) na composição do seus sucos puros efrescos (¹TRUCON 2010). Figura 3: Estrutura Molecular do ácido cítrico (AMARAL 2010)*Rutáceas: Rutáceas é uma família botânica, de plantas angiospérmicas, com cerca de 150gêneros, e muitas espécies. O gênero mais importante economicamente é o Citrus. 18
  19. 19. Figura 4: Expresso de Ácido Cítrico no Limão (SPI 2011) A planta possui porte médio a grande e pode chegar a 4 metros de altura, éexpansiva, curvada, vigorosa e sua folhagem é verde densa com folhas detamanho médio; suas folhas novas e brotos tem cor purpúrea. A planta tempoucas ramificações, seu caule e ramos são de coloração castanho-clara e asflores, em formato de cachos, são alvas e violetas, seus frutos são ovais,oblongos, com casca fina, lisa ou ligeiramente rugosa, cor amarelo-pálida namaturação, conforme ilustrada na figura 5 (MATHIAS 2011; MATOS 2007;SEAGRI 2011).Figura 5 : Árvore do Limão Tahiti 19
  20. 20. 2.2 – ORIGEM Existem diferentes versões sobre a forma como o limão tornou-seconhecido na Europa, alguns dizem que foi levado pelos muçulmanos, entre osséculos VII e IX durante o período em que ocuparam grande parte do continenteeuropeu. A partir daí sua difusão foi rápida. No entanto, existem relatos de que osromanos já conheciam o limão, usando-o como medicamento, mesmo antes de ofruto ser trazido pelos árabes, outros relatos afirmam que o limão só foi introduzidona Europa com as primeiras navegações dos romanos em direção às ÍndiasOrientais. Sua primeira referência bibliográfica encontra-se no livro de Nabathaesobre agricultura, datando do século III ou IV (MATOS 2007; ²TRUCOM 2011;RADAR 2011). Nas Américas, o limão chegou no século XVI, junto com os primeirosconquistadores portugueses e espanhóis, no Brasil veio em meados de 1920,quando em razão da epidemia de gripe espanhola seu cultivo tornou-se importantee seus frutos eram vendidos à “peso de ouro” devido sua característica medicinale escassez de recursos (MATHIAS 2011). Atualmente, o Brasil é o segundo maior produtor mundial de limão,especialmente do Limão Tahiti, que é um fruto híbrido (resultado do cruzamentode espécies), resultante de um cruzamento entre a Lima da Pérsia e o limãoCravo, motivo pelo qual não apresenta sementes. Por ser um híbrido, muitos nãoconsideram o limão-Tahiti um limão, mas uma "lima ácida" pertencente a famíliadas Rutáceas de nome científico Citrus aurantifolia Swingle, em inglês estavariedade chama-se "lime", enquanto, o limão Siciliano é chamado "lemon"(²TRUCOM 2011; EMBRAPA 2011). Com plantios acima de 40 mil hectares, o limão Tahiti tem grandeimportância comercial nacional. Os maiores produtores são os estados de SãoPaulo com 70% e Rio de Janeiro com 8% da produção nacional. A Bahia, situadaentre os cinco maiores produtores nacionais, tem as regiões econômicas do LitoralNorte e Recôncavo Sul como maiores produtores do limão Tahiti. Sua áreaplantada está acima de 1.000 hectares como demonstrado na figura 6, (SEAGRI2011). 20
  21. 21. O limoeiro-taiti é plantado em praticamente todos os estados brasileiros etambém nos países da América do Sul, Central, México e nos Estados Unidos, noestado da Flórida. .O Brasil e o México são os maiores produtores desse limão,suprindo mais de 70% do mercado mundial onde Espanha e Itália são os maioresconsumidores da safra nacional como mostra a figura 6 (IBRAF 2011; IEA 2011;RADAR 2011). Figura 6: Gráfico de porcentagem da produção de limão por região brasileira (IEA 2011) 21
  22. 22. Tabela 3: Volume de exportação de limões no Brasil (IBRAF 2011)Tabela 4: Volume de importação de limões no Brasil (IBRAF 2011) 22
  23. 23. No Brasil, São Paulo lidera a produção e os estados do Rio de Janeiro eBahia são destaques (RADAR 2011; EMBRAPA 2011). Tabela 5: Consumo de Limão pelos Importadores Brasileiros (IEA, 2011) Atualmente, 85% da safra brasileira de limão tahiti é comercializado nomercado interno sob a forma "in natura"*, outros 10% são processados e 5% sedestinam ao mercado externo, conforme tabelas 3, 4 e 6 (FRANCO 2011;EMBRAPA 2011). Tabela 6: Produção Nacional de Limão em 2009 (EMBRAPA 2011)2.3 – CULTIVO O cultivo é fácil, e a árvore demanda pouco espaço. A árvore tem poucasramificações atingindo, assim até seis metros de altura (MATHIAS 2011).*In Natural: são produtos consumidos sem nenhum processamento. Colhido diretamente do pé.Sem agrotóxicos. 23
  24. 24. Condições ideais de cultivo:2.3.1 - CLIMA O clima deve ser ameno a quente pois o fruto se desenvolve entre 23° e32°C*graus, como a maioria da espécie do gênero citrus em períodos de falta dechuva e sob a temperatura constante de 12 à 13ºC a planta tem seu crescimentoparalisado, já a temperatura elevada ajuda no amadurecimento do frutoencurtando o período de floração (MATHIAS 2011; MATOS 2007; SEAGRI 2011). A umidade relativa do ar é outro fator importante tendo em vista asusceptibilidade a doença por fungos, devendo estar entre de 70% à 80%.(SEAGRI 2011)2.3.2 - SOLO O limão Tahiti como as demais plantas cítricas não é muito exigenteadaptando-se bem em tipos que variam de muito arenosos a relativamenteargilosos. Os ideais são solos leves, bem arejados profundos e semimpedimentos. Evitam-se os muitos argilosos, porque dificultam o crescimento e aaeração das raízes, prejudicam o desenvolvimento da planta e criam condiçõesfavoráveis ao aparecimento de doenças (EMBRAPA, 1998). Solos com pH entre 5,5 e 6,5 são ideais (MATHIAS, 2011 e MATOS, 2007). O sucesso da irrigação depende de um projeto bem elaborado sobretudode um manejo adequado da água. Os sistemas mais utilizados são os deaspersão que assemalha-se a chuva, a água aplicada embaixa da copa reduzpercas por evaporação, a irrigação localizada pode ser por gotejamento oumicroaspersão e jato pulsante conforme figura 7 (EMBRAPA, 1998). A propagação mais indicada é por enxertia* e as podas devem reduzir-se àeliminação de galhos secos, doentes ou praguejados e nascidos abaixo do pontode enxertia como demonstrado na figura 8 (SEAGRI 2011).*°C: Graus Celsius (Unidade de Temperatura).*Enxertia: A enxertia é a união dos tecidos de duas plantas. 24
  25. 25. Figura 7: Irrigação do limoeiro por gotejamento.Figura 8: Processo de Enxertia para propagação do limão. A adubação deve ser feita 60 dias após plantio, recomenda-se aplicar 50gramas de uréia por planta repetindo-se 30-40 dias após. A partir do 2º anorecomenda-se as doses descritas na Tabela 7, em gramas por planta na Bahia(SEAGRI 2011):Tabela 7: Adubação no decorrer dos anos (SEAGRI, 2011) . Para evitar a deficiências de zinco (Zn) e manganês (Mg) recomenda-sepulverizações foliares com solução composta de 300 gramas de sulfato de zinco 25
  26. 26. (ZnSO4), 300 g. de sulfato de manganês (MnSO4), 300 gramas de cal (CaCO3) em100 litros de água (SEAGRI 2011).2.3.3 - COLHEITA O limoeiro-taiti floresce e frutifica ao longo do ano, mas tem maior produçãode janeiro a junho e menor oferta de julho a dezembro. A diferença no preço émuito grande entre essas épocas mencionadas e pode chegar de 5 a 10 vezesmais na entressafra. Para se conseguir melhor preço pelos frutos, o produtor deveeliminar os frutinhos na época de alta produção e adotar manejo adequado nairrigação e na adubação, e assim conseguir alta produção na entressafra (RADAR2011). O plantio de 2 a 3 árvores de limoeiro da variedade Tahiti são suficientepara o uso doméstico elas florescem várias vezes ao ano principalmente quandose faz periodicamente a retirada de frutos do pé. A produção é de 80 a 100quilogramas de limão por árvore, a colheita inicia-se após três anos do início decultivo, com floração nos meses de setembro e outubro. Em quatro meses, podeser feita a colheita, que dura 120 dias. Em São Paulo pomares produzem 8 a 15quilogramas por planta (3º ano), 64 a 86 quilogramas por planta (5º ano) e 98a117 quilogramas por planta (7º ano) (MATHIAS 2011; MATOS 2007).2.3.4 - DOENÇAS Algumas doenças podem atacar o limoeiro, as principais estão descritasabaixo. Doenças Causadas por fungo:  GOMOSE: Agente causal: Phytophthora citrophthora e Phytophthora parasítica. Os sintomas são lesões na parte basal do tronco, nos ramos mais baixos e nas raízes, com formação de goma exudada através de rachaduras na casca (Foto 9). As folhas tornam-se amarelas nas nervuras principais e secundárias, devido à menor circulação de seiva. As plantas atacadas apresentam queda de folhas, morte dos ramos e, por fim, morte da planta. (AGROMUNDO 2011 e FACHINELLI 2011). 26
  27. 27. Foto 9: Rachadura no tronco, formação de goma ( FACHINELLI 2011).  CANCRO DO TRONCO DO LIMÃO TAHITI: A doença afeta, principalmente, o limão Taiti, é de ocorrência recente, porem tem caráter destrutivo, chegando a matar a planta em poucos meses. Os sintomas se caracterizam por um amarelecimento localizado ou generalizado da copa, reflexo da destruição dos vasos de condução de seiva causado por uma lesão que se inicia próximo ao local da copa/porta-enxerto e que evolui apenas para os tecidos do limão Taiti. (AGROMUNDO 2011 e FACHINELLI, 2011).  VERRUGOSE: É causada pelo fungo Elsinoe fawcetti, na laranjeira azeda e limoeiro. A verrugose ataca somente tecidos jovens e os maiores prejuízos são causados quando ocorre nos frutinhos, nos quais a casca adquire manchas corticosas que prejudicam a aparência como mostra a foto 10 (FACHINELLI 2011):Foto 10: Limão com Verrugose ( FACHINELLI, 2011).  FUMAGINA: A doença é causada por fungos de revestimento do gênero Capnodium que produzem micélio espesso, fuligíneo que recobre folhas ramos e frutos. Esse revestimento envolve uma associação entre o fungo e 27
  28. 28. cochonilhas, as quais produzem secreções açucaradas para o desenvolvimento do fungo. Como o revestimento negro pode cobrir toda a planta este fungo pode ser confundido com o principal agente causal do distúrbio que são os insetos. O maior dano da fumagina é a redução na fotossíntese, com redução no crescimento das plantas e redução do tamanho das frutas (FACHINELLI 2011 e AGROMUNDO, 2011).Doenças causadas por vírus: TRISTEZA: Doença causada por vírus, que é transmitida das plantas doentes para as plantas sadias através do pulgão preto (Toxoptera citricidus), o que faz da tristeza uma doença endêmica no Brasil. Sintomas de nanismo, hipertrofia foliar e caneluras nos tecidos do lenho da planta são mais fortes ou mais fracos em função dos diferentes tipos do vírus que podem estar atacando as plantas.( AGROMUNDO e FACHINELLI, 2011). Foi criado um novo inseticida que ajuda no controle dos pulgões , o nome do produto é Sumidan 150. Ele age no sistema nervoso dos insetos. Outro produto usado para controle também é o Tiger, que auxilia no controle de ovos e ninfas dos insetos. (IBRAF 2009). EXOCORTE: Doença causada por viróides que circulam na seiva da planta, e são disseminados pelas mudas. Os sintomas ocorrem nos porta-enxertos, sendo que no caso da Exocorte é um descascamento dos tecidos superficiais seguidos de um acentuado nanismo. Os sintomas se manifestam a partir dos 4 aos 7 anos de idade em plantas infectadas e são caracterizados pelo definhamento das plantas, vegetação esparsa e cloroses nas folhas (AGROMUNDO e FACHINELLI 2011). PODRIDÃO ESTILAR DO TAHITI: É uma desordem fisiológica que se manifesta na pós colheita e ocorre em frutos maduros ou muito próximos da maturação. Os sintomas acontecem porque ocorre um rompimento das vesículas de suco, que, liberado invade a casca, causando a podridão dos tecidos e formando, uma pequena lesão de coloração parda, situada na parte de baixo do fruto, que expande–se em seguida, ocupando uma grande área (AGROMUNDO 2011). 28
  29. 29. 2.4 BIODEGRADABILIDADE Devido suas características físico-químicas o ácido cítrico é altamentemóvel no ambiente e é facilmente partido para o meio aquático, o ácido cítrico érapidamente degradado em obras tanto de esgoto e de superfície, sua baixatoxicidade se dá para peixes de água doce, dáfnias, algas e também paraespécies marinhas. Da mesma forma, o ácido cítrico não tem potencial tóxicocontra protozoários e muitas espécies ou estirpes de bactérias, assim ele não éjulgado uma substância que apresenta perigo para o ambiente (KARLAGANIS2010).2.5 APLICAÇÕES NA LIMPEZA O limão é eficiente na limpeza e desinfecção por seu poder ácido (o ácidocítrico em um fruto de limão pode chegar a 7%), ele remove sujeiras e manchasde ferrugem e aliado ao sal tem seu poder de limpeza potencializado. De diversasformas pode ser usado para limpeza doméstica como substituto da àgua sanitária,removedores de mancha e ferrugem, sua utilização pode se dar (¹TRUCON 2011;BUCHALLA 2009; RINALDI 2011; CINTRA 2011):  NO BANHEIRO: Peças de louças encardidas podem ser limpas ao se esfregar um pedaço de limão diretamente no local, deixe por 30 minutos e lave com água em seguida (SALLES 2006).  NAS ESPONJAS DE BANHO: Para desinfecção é necessário lavar a esponja com água fervendo e caldo de limão (1 limão para 1/2 litro de água) (SALLES 2006).  NO FOGÃO: As bocas do fogão podem ser limpas se ainda quentes tiverem a adição de gotas de limão e sal de cozinha esfregadas com esponja de aço, assim além de limpas obtém brilho (SALLES 2006; RINALDI 2011).  LOUÇAS DE PORCELANAS: Frequentemente manchadas ao longo do tempo podem ficar livres do encardido se esfregadas com a metade de um limão molhado em um pouquinho de sal e lavadas com água quente na 29
  30. 30. sequência ou ¼ de xícara de chá de limão diluída em água tem o mesmo efeito (SALLES 2006; RINALDI 2011).  MACHAS EM TECIDO: Esfregar o limão diretamente na mancha ou pôr o tecido de molho com pedaços do limão (RINALDI 2011)  AMARELAMENTO DE TECIDOS: O limão substitui a água sanitária branqueando a peça de roupa não deixando a mesma com aparência de desbotado, pode-se ferver a peça branca com fatias de limão, após um repouso a peça pode ser lavada normalmente (FERREIRA 2010; BUCHALLA 2009).  FERRUGEM: Pode ser combatida ao esfregar-se suco de limão na parte manchada e com a aplicação por cima de um pouco de sal. Deixe em descanso por 15 minutos e friccione levemente com esponja de aço (em superfície) e sabão de coco (para tecidos, devendo o mesmo ser lavado após a secagem) (SALLES 2006; CINTRA 2011; RADAR 2011).  TÁBUA DE CARNES: Suscetível a proliferação de bactérias e odores pode ser desinfectada se for esfregada com um pedaço de limão e enxaguada com água na sequência (SALLES 2006).  MADEIRA: Para lustrar móveis, misture duas partes de azeite de oliva para uma parte de suco de limão. Esfregue a mistura em um móvel e retire o excesso (ECOD 2011).  BAGAÇO: Pode ser reaproveitado para eliminar o cheiro de peixe de talheres e panelas só esfregando (RADAR 2011).  AGENTE TAMPONANTE: essa ação do limão funciona como agente de estabilização do pH em meios aquosos, sendo ele o principal agente de alcalinização do metabolismo orgânico de homens e animais (³TRUCON 2010). A limpeza verde tradicional consiste em adotar produtos de limpeza menostóxicos e práticas que visam melhorar a qualidade do ar, o que resulta emmelhoria da qualidade de vida. A maior parte dos programas de “limpeza verde” seconcentra na diminuição do uso de substâncias químicas de limpeza tóxicas. Noentanto, um programa completo de ações "verdes" engloba a visão de um sistema 30
  31. 31. que inclua todos os aspectos da produção de materiais de limpeza, desde o planoinicial de utilização dos materiais até o descarte desses materiais e a reutilizaçãode todo o trabalho de manutenção nas instalações das empresas, incluindoequipamentos da cadeia de fornecimento (FEBRAC 2011).2.6 - CUIDADOS NA UTILIZAÇÃO No limão existem substâncias que podem manchar a pele e dependendo daforma e quantidade de suco no manuseio essas manchas podem evoluir para umaqueimadura de até 3º grau, essa reação é chamada fitofotodermatose umainflamação da pela causada pela exposição do ácido cítrico à radiação solar, essaação inflamatória é uma reação fototóxica aos compostos químicos,fotossensibilizantes* presentes em frutas cítricas e vegetais tais como: limão,tangerina, laranja, lima, figo, manga e vegetais como aipo, coentro, cenoura, erva-doce e salsa (4TRUCOM 2011). As manchas também podem aparecer devido uma manifestação alérgicadenominada fitofotomelanose e ocorre principalmente nas mãos, braços e bocasprovocadas por um elemento chamado bergapteno presente nas cascas e frutasverdes absorvidas pela pele, ao entrar no organismo essa substância absorvegrande quantidade de radiação, que provoca inflamação na pele (CABRAL 2011). 4 Dessa forma, é necessário segundo TRUCOM (2011) tomar algunscuidados ao manusear o suco do limão:  Não fazê-lo exposto ao sol.  Lavar muito bem as mãos antes de expor-se ao sol e de preferência usar filtro solar quando o fizer.  Usar luvas e se houver possibilidade um espremedor elétrico para extrair o suco do limão.*Fotossensibilizantes: Absorvem Radiação 31
  32. 32. 3 – ÁGUA SANITÁRIA3.1 DEFINIÇÃO Segundo a ANVISA, na portaria 89 de 25 de Agosto de 1994, água sanitáriaé toda solução aquosa a base de hipoclorito de sódio (NaCl) ou cálcio (NaClO).Seu teor de cloro (Cl) ativo deve estar entre 2,0% a 2,5%, durante o prazo devalidade. O pH* máximo do produto puro é de 13,5, e do produto diluído a 1%(p/p*) é de 11,5 ;incluindo que a água , para produção da água sanitária deve serpotável. Sua ação de limpeza é de alvejante e desinfetante de uso geral. Éaltamente corrosivo e solúvel na água decompondo-se à presença de luz solar(ARAÚJO et al 2010; TEVES 2003). Outro composto importante da água sanitária é o cloro, do latim clorum éum composto de hidrogênio e cloro de elemento químico Cl, ele e seus compostossão usados para branquear tecidos e papéis, na desinfecção e oxidação. É umproduto muito poluente ao meio, pois o efeito sanitário extermina toda forma devida, inclusive nos ambientes aonde é despejado (rios e solos). (IPEMA 2011;2003). Na análise da tabela 8, realizada pelo INMETRO, foi testado o teor de Clorona água sanitária, apenas uma das marcas apresentou teor de cloro acima dopermitido pela ANVISA, podendo afetar assim a saúde do consumidor e umamarca apresentou um teor de cloro abaixo do especificado, lesando assim ocliente em relação a sua eficácia (INMETRO 2011). Em contrapartida, temos uma análise feita em um trabalho cientificoconforme tabela 9, onde podemos verificar que praticamente todas as águassanitárias testadas estão com o teor do cloro acima do que a ANVISA recomenda.Essa água sanitária muitas vezes é utilizada em consultórios dentários , pois oscirurgiões dentistas não tem acesso a farmácias de manipulação para obtersoluções irrigantes a base de hipoclorito de sódio. (GUERISOLI et al 2011).*pH: Potencial Hidrogênico, termo que expressa a intensidade da condição ácida ou básica de umdeterminado meio.*p/p: peso em peso 32
  33. 33. Marca Teor de Cloro RESULTADO (2,0% p/p a 2,5% p/p) A 2,37% p/p Conforme B 2,33% p/p Conforme C 2,36% p/p Conforme D 2,33% p/p Conforme E 2,80 % p/p Não conforme F 2,29% p/p Conforme G 2,48% p/p Conforme H 2,02% p/p Conforme I 2,33% p/p Conforme J 1,35% p/p Não conforme L 2,44% p/p ConformeTabela 8: Análise de teor de cloro em determinadas marcas de água sanitária (INMETRO 2011) Marca pH Condutividade Teor de Fator de (mS) cloro (%) diluição Ajax 13,35 108,63 2,74 Brilhante 13,44 108,57 2,73 Cândida 12,61 77,17 2,66 Candura 12,63 72,30 2,95 Clorisol 12,89 67,90 2,54 Daclor 12,92 87,80 2,80 0,68:1 Dona Clara 12,68 73,80 2,87 Floky 12,91 96,60 2,53 Q-Boa 12,65 74,50 2,55 Roupalin 12,52 74,43 2,75 Super Globo 12,56 74,60 2,81Tabela 9: Análise de teor de cloro em determinadas marcas de água sanitária. 33
  34. 34. 3.2 ORIGEM O uso do hipoclorito de sódio como desinfetante teve origem no fim doséculo XVIII, na época era conhecida como água de Javelle. Em 1820, ohipoclorito de sódio foi utilizado na concentração de cloro ativo (2,5%) paradesinfetar feridas, porém, essa destinação foi pouco usada devido ao potencial deirritação dos tecidos pela substância (BECKER et al 2007). O cloro começou a ser utilizado, na Primeira Guerra Mundial, o mesmo foiutilizado pelos cirurgiões militares Dakin e Carrel (Prêmio Nobel de 1912), queinventaram um procedimento de desinfecção de lesões profundas usando asolução de Dakin, desinfetante a base de cloro, que permitiu evitar a proliferaçãodos casos de gangrena e infecções. (CLOROSUR 2011).3.3 - IMPACTOS A água sanitária é muito eficiente na limpeza e desinfeçcão mas contémsubstâncias tóxicas como a soda caústica (NaOH), o cloro (Cl) e o hidróxido desódio (NaOH), o excesso de cloro nas águas sanitárias, podem ser muitoprejudicial a saúde humana. Os organoclorados, por exemplo, são compostos queformam a base de muitos compostos químicos a base de cloro,essas sãosubstâncias voláteis tóxicas. No caso das águas sanitárias, quando as mesmasentram em contato com produtos a base de amoníaco, liberam o gás tóxicochamado cloramina. Esse gás tóxico provoca irritação na pele, nos olhos e nospulmões. Causam dor de cabeça , náusea e prejudicam o sistema nervosocentral, é cancerígino seu efeito mutagênico é comprovado em estudos deobservações junto a algumas células de mamíferos. A cloramina pode ser fatal(ARAÚJO et al 2010; TEVES 2003; PRECIOSO 2008;TAPS 2011). O INMETRO solicitou ao Centro de Assistência Toxicológica – CEATOX, doHospital das Clínicas do Estado de São Paulo, um levantamento estatístico sobreo número de atendimentos hospitalares devido à intoxicação com água sanitária,conforme tabela 10, onde pôde-se constatar que houve, em média, 54 casos deintoxicação por água sanitária no período de agosto de 2003 à março de 2004, ou 34
  35. 35. seja, aproximadamente 11% do total de atendimentos do período eram por esse motivo (INMETRO 2004). AGO/03 SET/03 OUT/03 NOV/03 DEZ/03 JAN/04 FEV/04 MAR/04 TOTALTotal 54 67 44 60 74 68 57 59 483 Tabela 10: Média de intoxicações por água sanitária no período de no Hospital das Clínicas do Estado de São Paulo. Quando a água sanitária é adquirida em lugares que não possam garantir a procedência do produto, o tratamento para desintoxicar a vítima é ainda mais difícil porque não há informações sobre os componentes da fórmula. Além disso, nos produtos clandestinos podem existir a presença de corantes (nocivos à saúde) utilizados para tornar o produto mais atrativo,eles podem ser alvo de consumo por crianças que o confundem com uma bebida devido a sua coloração e ao tipo de garrafa onde é envasada. De janeiro à maio de 2010 no Rio Grande do Norte cerca de 70% dos casos atendidos no Pronto Socorro do Hospital Giselda Trigueiro foram causados por intoxicação através da água sanitária, desse total 50% das vítimas eram crianças (INMETRO 2004; CAMPELLO 2010). Quando o cloro se mistura com substâncias orgânicas naturais , formam os THMs , são os chamados trialometanos (THMs*). Estudos sobre os THMs, mostram que os mesmos podem danificar a glândula tireóide, causar tumores canceriginos e,afetar o sistema nervoso, fígados, rins e podem causar distúrbios reprodutivos. O risco de câncer entre as pessoas que usam água clorada é de 93%, comparada aquelas pessoas que não usam água clorada, estudos apontam impactos à saúde entre grupos de pessoas expostas a produtos cloratos, e a correlações de orgânicos clorados com certas formas de câncer e problemas neurológicos e no sistema hormonal de seres vivos (da reprodução de espécies selvagens à sexualidade humana) (VENTURA 2010; COSTA 1997). O impacto do cloro no meio ambiente é uma preocupação que data a década de 60, Rachel Carson praticamente fundou o movimento ambientalista *THMs: constituem um grupo de compostos orgânicos que se consideram derivados do metano (CH4). 35
  36. 36. com o livro “Primavera Silenciosa”; sua preocupação atingia o uso do cloro poisisso gera um volume elevado de efluentes tóxicos (principalmente no uso industrialdo cloro para o branqueamento da celulose) (COSTA 1997). A água sanitária só pode ser comercializada com registro na Anvisa(Agência Nacional de Vigilância Sanitária, órgão regulamentador de saneantes oudomissanitários) que deve, periodicamente, realizar fiscalizações com o objetivode verificar se as empresas estão obedecendo as regras de fabricação e osrigorosos controles de qualidade dispostos na PORTARIA nº 89, DE 25 DEAGOSTO DE 1994 da ANVISA que inclusive proíbe o uso de corantes earomatizantes nesse tipo de substância (INMETRO 2004; ANVISA 1994).3.4 - AÇÃO NA LIMPEZA O maior composto da água sanitária, o hipoclorito de sódio é altamentereativo com os aminoácidos das proteínas alterando sua estrutura fazendo comque elas percam sua forma (ou desapareçam), oxidando assim a matéria orgânica(SANTOS 2008).3.5 – BIODEGRADABILIDADE O hipoclorito de sódio é um composto inorgânico, portanto, não está sujeitoà degradação por microorganismos, sua instabilidade frente à interação com osolo, o calor e a luz solar fazem com que seus resíduos decomponham-se(BRAZMO 2008) 36
  37. 37. 4 – RESULTADOS E DISCUSSÕES O detergente é formado por um composto ativo chamado tensoativo, este agente é responsável pela remoção de gorduras quando elas estão em contato comágua, este tensoativo muitas vezes não é biodegradável e tem efeito acumulativono ambiente sendo responsável pela maioria dos impactos negativos nos corposhídricos. O art. 68 do decreto nº 79.094 de janeiro de 1981 proibi a fabricação oucomercialização de saneantes contendo tensoativos não biodegradáveis, antesdisso o tensoativo usado era o ABS que possui cadeia ramificada de difícildegradação, após a imposição da lei foi criado o tensoativo LAS que tem suaestrutura molecular modificada sendo linear, mesmo assim, há o efeitobioacumulativo no ambiente. Embora o detergente seja encontrado em todas as prateleiras desupermercados e tenha um preço acessível, tentamos sugerir o limão comoalternativa para sua substituição. Devido as pesquisas realizadas durante odesenvolvimento do trabalho, descobrimos que o limão possui um diferencial emsua composição , o ácido cítrico. Este ácido tem o poder de limpeza, porém nãosubstitui o detergente , por não ter em sua composição o tensoativo. Ele limpa, porter seu poder ácido, porém não consegue remover as gorduras com tantaeficiência. O mesmo é semelhante a água sanitária, que corroi e oxida a matériaorgânica. O limão poderá ser um bioalternativo substituto á água sanitária, pois a mesmaassim como o detergente também gera muitos impactos no ambiente. O seucomponente principal, que é o cloro, tem efeito acumulativo no ambiente, e apresença desenfreada desse composto na água, forma substâncias chamadasTrialomeatanos. Esses compostos tem efeito cancerigino, quando em contatocom a matéria orgânica. 37
  38. 38. Comparando os itens estudados no presente trabalho, observamos que os trêscompostos tem ação de limpeza, cada qual com sua propriedade física e química,porém só o detergente apresentou propriedades que removem de fato a gordura.5-CONCLUSÃO Conclui-se com esse levantamento bibliográfico que o limão comoalternativa ao detergente é pouco viável pois ele não tem ação sobre as gorduras.O detergente mesmo com todo o seu impacto, é único composto que conseguequebrar tensão superficial dá água, tornado-se necessário em algumas situaçõesonde não pode ser substituído. Por se tratar de um composto utilizado no dia-a-dia, deve ser usado de maneira consciente, em associação com o sabão que ébiodegradável, por possuir em sua estrutura os ácidos graxos, que são facilmentebiodegradados pelos microorganismos na água. O limão foi apontado como um eficiente alternativo a limpeza por sua açãoligada à sua característica ácida (que corrói a matéria orgânica). Essacaracterística, serve para desinfeta, remover sujeiras e manchas de ferrugem,além disso, é acessível por seu cultivo ser simples e viável em um país como oBrasil com condições climáticas que favorecem sua produção ao longo de todoano. Com todas essas características chegamos a conclusão e algumasbibliografias nos mostraram que o limão substitui com perfeição a água sanitáriapois possuem características semelhantes como suas ações bactericidas,desinfetantes e oxidantes. Vemos essa substituição como de suma importância devido ao fato da águasanitária gerar impactos tão agravantes quanto aqueles do detergente. Odetergente gera impactos agravantes ao meio, e impactos significativos ao serhumano como alergias e dermatites. Porém, a água sanitária além de impactos aoambiente, pode levar um ser humano a morte. A Cloramina ( composto geradoquando o cloro entra em contato com o amoníaco), é altamente tóxica, e se nãoleva o ser humano a morte, pode deixar seqüelas no organismo irreversíveis,como distúrbios reprodutores. Embora os dois compostos: detergente e água 38
  39. 39. sanitária, tenham seus impactos expostos, acreditamos que o ser humano nãodeixará de usá-los assim de uma hora para outra. A substituição dos mesmos,pode ocorrer de forma gradativa, até por que, muitas pessoas não tem consciênciado efeito do uso desses compostos na vida delas e no meio. Hoje já temos,algumas empresas que optam por utilizar produtos que não são muito tóxicos aoambiente, o que demonstra que essa preocupação com os impactos causadospelos produtos de limpeza são legítimos, e que talvez em um futuro próximo, essapostura seja regra e não opção.. 39
  40. 40. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICASAGOSTINI Renata, “Limpo e Natural”; site[http://www.bolsademulher.com/mundomelhor/limpo-e-natural-5699.html] em21/08/2009, acesso em 16/08/2011.AGROMUNDO. Doenças dos citros. Disponível em[http://www.agromundo.com.br/?p=17725], acessado em 07/11/2011.ALMEIDA, J. Luis de Almeida, Biodegradabilidade do LAB/LAS – Mitos eRealidades, disponível em[http://www.deten.com.br/Pagina/27/Biodegradabilidade-do-LAB-LAS--Mitos-e-Realidades.aspx], acessado em 19/08/2011ALONSO, Renato. Fósforo utilizado em detergentes em póprejudica qualidade de mananciais de água. Disponível emhttp://www.ambiente.sp.gov.br/destaque/workshop_fosforo.htm 10 de outubro de2011.ALVES Líria, “Detergentes e Poluição”, disponível em[http://www.brasilescola.com/quimica/detergentes-poluicao.htm] acessado em19/08/2011.AMARAL, A. Marco. Fermento Biológico ou Químico, como agem? . Disponível emhttp://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnicaAula.html?aula=20691. Acessadoem 12/12/2011. 40
  41. 41. ANVISA, Agência Nacional de Vigilância Sanitária; disponível em[http://www.anvisa.gov.br/legis/portarias/89_94.htm], acessado em 20/08/2011ARAÚJO Tiago Lopes, MELO Ismalia Maria, SANTOS Luciara Maria e SILVAVanessa Alessandra, “Oxidacao com hipoclorito de cálcio em solucao“, 11/2010disponível em [http://pt.scribd.com/doc/44775588/Relatorio-oxidacao-com-hipoclorito-LEA], acessado em 20/08/2011.ATHANÁSIO, C. Ana. Aréas Urbanas contribuem para a presença de fósforo naságuas. Agência USP .Disponível em http://www4.usp.br/index.php/meio-ambiente/18523-areas-urbanas-contribuem-para-presenca-de-fosforo-nas-aguas10 de outubro de 2011.BECKER, Alex Niederauer; BORIN Graziele; OLIVERA, Elias Pandonor Motcy; AHistoria do Hipoclorito de Sódia e sua Importância como Substância Auxiliar noPreparo Químico Mecânico de Canais Radiculares, Revista de EndodontiaPesquisa e Ensino On Line – janeiro-Junho/2007, disponível em[http://w3.ufsm.br/endodontiaonline/artigos/%5BREPEO%5D%20Numero%205%20Artigo%203.pdf], acessado em 06/11/2011BELLINASSO, L. Maria, GAYLARDE, C. Christine, MANFIO, P. Gilson;Biorremediação; publicada em Biotécnologia, Ciência e Desenvolvimento, 2005.BORSATO, Dionísio; MOREIRA, Ivanira ; GALÃO, Olivo Fernades, “DetergentesNaturais e Sintéticos”, 2004. 2º Edição Revisada.BRAZMO Bandeirante; Hipoclorito de Sódio, Ficha de Informação de Segurançade Produto Químico, disponível em[http://www.bbquimica.com.br/bbq/produtos/content/hipoclorito_sodio.pdf],acessado em 06/11/2011. 41
  42. 42. BUCHALLA, Ana Paula, Limpeza de volta ao básico. Revista VEJA em15/04/2009, edição 2108.CABRAL, Gabriela; Curiosidades porque o limão queima a pele. Disponível em[http://mundoeducacao.uol.com.br/curiosidades/por-que-limao-queima-pele.htm],acessado em 31/10/2011.CAMPELLO Roberto; Água sanitária representa perigo para as crianças; Diário deNatal, 4 de julho de 2010, disponível em[http://www.diariodenatal.com.br/2010/07/04/cidades11_0.php], acessado em06/11/2011.CASTRO; Heizir F. de. Processos Químicos Indíustriais II – Apostila 6 do 1ºsemestre de 2011, disponível em[http://www.ebah.com.br/content/ABAAAAVYoAI/processos-quimicos-industriais-2-industria-detergente] acessado em 18/09/2011CLOROSUR, Efeitos do Cloro sobre a saúde. Disponívelhttp://www.clorosur.org/?a=subcanal&id=92&can_id=39. Acessado em07/11/2011.COSTA Antonio Luiz Monteiro Coelho da; Cloro: um elemento infernal; publicadona CartaCapital nº 49 de 28/5/97, disponível em[http://antonioluizcosta.sites.uol.com.br/CLORO.htm], acessado em 06/11/2011ECOD, Eco Desenvolvimento. Limpeza Verde, faça você mesmo. Disponível em[http://www.ecodesenvolvimento.org.br/noticias/limpeza-verde-faca-voce-mesmo],Acessado em 31/10/2011. 42
  43. 43. EMBRAPA, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária; Citros. Disponível em[http://cnpmf.embrapa.br/index.php?p=pesquisa-culturas_pesquisadas-citros.php&menu=2#lima-limaa-limao], acessado em 01/11/2011EMBRAPA, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. A Cultura do LimãoTahithi. Coleção Plantar. Centro Nacional da Pesquisa de Mandioca e FruticulturaTropical, 2° Edição. Brasilia, SP 1998.FERREIRA Bebel, Como tirar manchas de A a B, disponível em[http://bbel.uol.com.br/casa/post/como-tirar-manchas-de-a-a-b.aspx], acessado em06/11/2011.GUERISOLI, Z.M.Danilo; MARCHESAN,A. Melissa; PÉCORA,D. Jesus; SILVA, S.Reginaldo; SOUZA, A. Rusiel. Análise de Algumas propriedades físico-químicasdas águas sanitárias encontradas no mercado brasileiro. Disponível em[http://www.forp.usp.br/restauradora/agsan.htm], acessado em 07/11/2011.IBRAF. Instituto Brasileiro de Frutas. Estatística de Exportação e Importação deFrutas Secas. Disponível em http://www.ibraf.org.br/estatisticas/est_frutas.asp,acessado em 31/10/2011.IBRAF, Instituto Brasileiro de Frutas. Novo produto para Citrus. Revista Frutas ederivados. 4° Edição Pág 12. 2009.IEA. Instituto De Economia Agrícola. O Mercado da Lima Ácida Tahiti. Disponívelem [http://www.iea.sp.gov.br/out/LerTexto.php?codTexto=9661], acessado31/10/2011INMETRO. Instituto Metrológico. Água Sanitária, Desinfetante e Detergente.Disponível em Fonte: 43
  44. 44. http://www.inmetro.gov.br/consumidor/produtos/agua_sanitaria.asp. Acessado em07/11/2011.FACHINELLI, C. José; NACHTIGAL, C. Jair. Citros. Disponível em[http://www.cpact.embrapa.br/publicacoes/download/livro/fruticultura_fundamentos_pratica/11.3.htm], acessado em 07/11/2011.GUERISOLI, Z.M.Danilo; MARCHESAN,A. Melissa; PÉCORA,D. Jesus; SILVA, S.Reginaldo; SOUZA, A. Rusiel. Análise de Algumas propriedades físico-químicasdas águas sanitárias encontradas no mercado brasileiro. Disponível em[http://www.forp.usp.br/restauradora/agsan.htm], acessado em 07/11/2011.IPEMABRASIL. Dicas sobre água Sanitária. Disponível emhttp://www.ipemabrasil.org.br/dicas.htmAcessado em 07/11/2011.KARLAGANIS, Georg; Citric Acid, publicado em 10/11/2010, disponível em[www.inchem.org/documents/sids/sids/77929.pdf], acessado em 04/09/2011.MATHIAS João; Limão na Globo Rural, disponível em[http://revistagloborural.globo.com/GloboRural/0,6993,EEC1296045-4529,00.html],acessado em 18/09/2011MATOS Eduardo Henrique da Silva Figueiredo; Dossiê Técnico Cultivo de limão,de julho/2007 disponível em [http://www.slideshare.net/luizhenriquebs/cultivo-limao-unb], acessado em 18/09/2011MIRSILI, G. Mustafá; Formulando Detergente em[http://www.freedom.inf.br/artigos_tecnicos/20020919/20020919.asp] acessado em19/09/2011 44
  45. 45. NETO, Z.G. Odene; PINO, D.C. José. Trabalhando a Química dos Sabões e dosDetergentes.Universidade Federal do Rio Grande do Sul.PERUZZO Francisco Miragaia e CANTO Eduardo Leite; 2003. Química naabordagem do cotidiano. Editora Moderna.PRECIOSO, Karla; O poder da água sanitária; disponível em[http://mdemulher.abril.com.br/casa/reportagem/limpeza/poder-agua-sanitaria-396685.shtml], acessado em 06/11/2011.RADAR, Frutas. Limão (Citrus limonium), disponível em [http://www.frutas.radar-rs.com.br/frutas/limao/limao.htm], acessado em 19/09/2011.RAMALHO, Nicole. PLANETA SUSTENTÁVEL - Limpeza Verde. Disponível em[http://planetasustentavel.abril.com.br/noticia/atitude/conteudo_424274.shtml],Acessado em 31/10/2011.RINALDI, Anamaria. CASA IG. Limpeza com produtos Alternativos. Disponível em[http://casa.ig.com.br/noticia/2008/05/21/limpeza_com_produtos_alternativos_1321488.html], acessado em 31/10/2011ROCHA Júlio César, ROSA André Henrique e CARDOSO Arnaldo Alves;Introdução à Química Ambiental. Publicado em 2004.RUOPPOLO, Valéria; Reabilitação de pingïns afetados por petróleo; julho/agosto2004. pg 78 e 81SALLES Nenzinha Machadi, Sebastiana Quebra - Galho: um Guia Prático Para oDia a Dia das Donas de Casa, disponível em[http://xa.yimg.com/kq/groups/19620342/991499116/name/3560553-SEBASTIANA-QUEBRAGALHO.pdf], acessado em 24/10/2011 45
  46. 46. SANTA ROSA, Claudionor, Sistema de Tratamento de Água e Resíduos, 08/2009,Apostila do Curso Técnico em Meio Ambiente da ETEC Guaracy SilveiraSANTOS, Fernanda da Costa; Por que a água sanitaria desinfeta?, Novidades naCiência - SBQ Rio, 4 de dezembro de 2008, disponível em[http://www.uff.br/sbqrio/novidades/Agua%20Sanitaria%20Desinfetante%20Why%20Bleach%20bleaches%20Desenovelamento.html], acessado em 06/11/2011.SEAGRI, Secretária de Agricultura, Irrigação e Reforma Agrária. Cultura LimãoTahithi. Disponível em [http://www.seagri.ba.gov.br/LimaoTahiti.htm], acessado19/09/2011.SPI – Sociedade Brasileira de Inovação. Ácidos Orgânicos. Disponível em[http://www.spi.pt/documents/books/hortofruticolas/Wc731ac9f566f1.asp], acessodia 31/10/2011.SIRONI, B. Paola; Avaliação Microbiológica de Produtos Saneantes Destinados àLimpeza, Porto Alegre/2009TAPS, Temas Atuais na Promoção da Saúde. Cancerígenos. Disponível emhttp://www.taps.org.br/Paginas/cancerarti03.html Acessado em 07/11/2011.TEVES Maria Lucila Ujvari; Hipoclorito de Sódio; publicado em 04/2011 edisponível em[http://www.oswaldocruz.br/download/fichas/Hipoclorito%20de%20s%C3%B3dio2003.pdf], acessado em 06/11/2011.¹TRUCON, Conceição. O ácido cítrico do Limão- um agente bactericida[http://www.docelimao.com.br/site/limao/conceito/12-o-acido-citrico-do-limao-um-agente-bactericida]. Disponível 08/10/2010, acesso em 06/09/2011. 46
  47. 47. ²TRUCON Conceição; Limão – Origem e Variedades em 23/09/2010, disponívelem [http://www.docelimao.com.br/site/limao/conceito/18-limao-origem-e-variedades.html), acessado em 04/09/2011³TRUCON, Conceição; Os componentes àcidos do limão.[http://www.docelimao.com.br/site/soja/19-os-componentes-acidos-do-limao.html]Disponível 08/10/2010, acesso em 06/09/2011.4TRUCON Conceição; Cuidados com o Limão: Manuseio, disponível em[http://docelimao.com.br/site/limao/pratica/24-cuidados-com-o-limao.html],acessado em 24/10/2011VENTURA, Antônio. Cloro: Faça tudo que puder para reduzir sua exposição a estatoxina perigosa. Disponível em [http://www.vidaesaude.org/nutricao-saude/cloro-faca-tudo-que-puder-para-reduzir-sua-exposicao-a-esta-toxina-perigosa.html]acessado em 07/11/2011.ZAGO NETO, O.G. e DEL PINO, J.C, Trabalhando a química dos sabões e de-tergentes disponível em: [www.iq.ufrgs. br/aeq/html/publicacoes/matdid/livros/pdf/sabao.pdf], acessado em 19/08/2011. 47
  48. 48. 48

×