Deficiência intelectual..&..Síndrome de Down

11.366 visualizações

Publicada em

1 comentário
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Obrigada!! Excelente material de estudo.
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
11.366
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.132
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
193
Comentários
1
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Deficiência intelectual..&..Síndrome de Down

  1. 1. Por Tathiane Rubin Rodrigues Cuesta
  2. 2.  Como ocorre: Os seres humanos são formados por 22 pares de cromossomos mais 1 par sexual, totalizando 46 cromossomos. Os espermatozoides e os óvulos possuem a metade dos cromossomos e no momento da fecundação ocorre a união do material genético formando uma nova célula que se multiplicará para formar o corpo humano. Cariótipo humano normal: 44 +par sexual (xx ou xy)
  3. 3. Provocam alterações no número típico decromossomos da espécie (cariótipo).Podem produzir anomalias graves e até a morte doorganismo.Se dividem em Euploidias quando há a alteração deum genoma inteiro e Aneuploidias quandoacrescentam ou perdem um ou poucos cromossomos.
  4. 4. Há um aumento ou diminuição de um ou mais paresde cromossomos, mas não de todos. A maioria dospacientes aneuplóides apresenta trissomia (trêscromossomos em vez do par normal decromossomo) ou, menos frequente, monossomia(apenas um representante de um cromossomo). Omecanismo cromossômico mais comum daaneuploidia é a não-disjunção meiótica, uma falhada separação de um par de cromossomos duranteuma das duas divisões meióticas.
  5. 5.  Autossômicas- do par 1 ao 22 Sexuais- no par 23 A síndrome de Down (SD) é um distúrbio genético caracterizado pela presença de um cromossomo 21 adicional em todas as células do organismo de seu portador, levando-o a apresentar várias características físicas e mentais específicas, correspondendo a uma das mais frequentes anomalias numéricas dos cromossomos autossômicos. Infelizmente, as crianças com síndrome de Down possuem vários distúrbios associados, sendo estes a causa principal de mortalidades.
  6. 6.  Trissomia 21 simples (ou padrão): a pessoa possui 47 cromossomos em todas as células (ocorre em 95% dos casos de Síndrome de Down).
  7. 7.  Mosaico: a alteração genética compromete apenas parte das células, ou seja, algumas células têm 47 e outras 46 cromossomos (2% dos casos de Síndrome de Down).
  8. 8.  Translocação: o cromossomo extra do par 21 fica "grudado" em outro cromossomo. Nesse caso embora indivíduo tenha 46 cromossomos, ele é portador da Síndrome de Down (cerca de 3% dos casos de Síndrome de Down).
  9. 9. Grupo FOCO ESPECIAL
  10. 10.  Em 1995 o termo deficiência mental foi modificado para deficiência intelectual, que se trata de deficiência diferentemente de doença mental (quadros psiquiátricos não necessariamente associados a déficit intelectual). O termo deficiência intelectual foi consagrado como documento na “Declaração de Montreal sobre Deficiência Intelectual” em 2004.
  11. 11.  A deficiência intelectual é conhecida por problemas com origem no cérebro e que causam baixa produção de conhecimento, dificuldade de aprendizagem e um baixo nível intelectual. Entre as causas mais comuns deste transtorno estão os fatores de ordem genética, as complicações ocorridas ao longo da gestação ou durante o parto e as pós-natais
  12. 12.  Embora seja possível identificar a maior parte dos casos de deficiência intelectual na infância, infelizmente este distúrbio só é percebido em muitas crianças quando elas começam a frequentar a escola. Isso acontece porque esta patologia é encontrada em vários graus, desde os mais leves, passando pelos moderados, até os mais graves. Nos casos mais sutis, os testes de inteligência direcionados para os pequenos não são nada confiáveis, torna-se então difícil detectar esse problema. Nos centros educacionais as exigências intelectuais aumentam e aí a deficiência intelectual torna-se mais explícita.
  13. 13. “funcionamento intelectual inferior a média(QI) associada a limitações adaptativasem pelo menos duas áreas dehabilidades: comunicação, cuidadospessoais, habilidades sociais,desempenho na família e comunidade,independência na locomoção, saúde esegurança, desempenho escolar, lazer etrabalho” (PCN, 1998).
  14. 14. Para se concluir o diagnostico de deficiênciaintelectual será preciso da avaliação de médicos epsicólogos clínicos, realizados emconsultórios, hospitais, centros de reabilitação eclínicas. Ou também por equipes interdisciplinaresde instituições educacionais. Verifica-se também ao se analisar sua atuaçãointelectual e suas habilidadesadaptativas, entendendo-se por habilidadesadaptativas “a coleção de habilidades conceituais epráticas que as pessoas aprendem a fim de atuarem sua rotina diária” (AAMR, 2002, p.73)
  15. 15.  Como a deficiência intelectual está entre as síndromes consideradas anormais, é importante definir o que é normal para os especialistas, quais referências eles adotam para estabelecer se uma criança possuiu alguma deficiência. O fator mais associado à ideia de normalidade é a capacidade da criança de se adequar ao objeto ou ao seu universo. Mas geralmente este distúrbio psíquico é considerado como uma condição relativa da mente, comparada com as outras pessoas de uma mesma sociedade.
  16. 16.  Pré Natal: desnutrição materna; doenças infecciosas (sífilis, rubéola, toxoplasmose); tóxicos (alcoolismo, consumo de drogas, efeito colaterais de medicamentos, tabagismo); genéticos: alterações cromossômicas. ex: Síndrome de Down, Síndrome de Matin Bell; alterações gênicas ex: erros inatos do metabolismo (fenilcetunúria), Síndrome de William, Esclerose Tuberosa etc
  17. 17. Perinatal - que ocorrem desde o início do trabalhode parto até o trigésimo dia de vida do bebê:traumas de parto e má assistência; falta deoxigenação cerebral; prematuridade e baixo peso;icterícia grave do recém nascido.PósNatal - que ocorrem desde o trigésimo diade vida até o final da adolescência:desnutrição, desidratação grave, carência deestimulação global; infeccões(meningoencefalites, sarampo, etc);intoxicações exógenas, ou seja,
  18. 18. envenenamento porremédios, inseticidas, produtos químicos(chumbo, mercúrio, etc); acidentes(transito, afogamento, choqueelétrico, asfixia, quedas, etc); infestações ex:larva da Taenia Solium etc.Do ponto de vista pós-natal, a aplicação devacinas, alimentação adequada, ambientefamiliar saudável e estimulador, cuidadosrelacionados aos acidentes na infânciatambém são poderosos aliados.
  19. 19. A identificação e a intervenção precoce sãofundamentais para as crianças com DI e suas famílias.A intervenção precoce pode limitar a gravidade do DI oumesmo preveni-lo (Guaralnick, 1998; U.S. Departmentof Education, 2001). As experiências na pré-escolafornecem a base para o desenvolvimento dehabilidades que, mais tarde, serão importantes naescola e na vida e ocorrem no momento em que afamília está começando seu longo envolvimento na educação do seu filho com deficiência.
  20. 20. Focar a atenção, dando prioridade aosobjetivos que queremos ensinar;Partir de contextos reais;Criar situações de aprendizagem positivas esignificativas, preferencialmente em ambientesnaturais aos alunos;Usar situações e formas o mais concretaspossíveis;Transferir comportamentos e aprendizados adquiridos para novas situações;
  21. 21. Saiba que o bom desempenho doprofessor pode fazer uma grande diferençana vida de uma criança com deficiência ousem deficiência.Nunca subestime a capacidade de seualuno com deficiência intelectual, procuresaber quais são suas potencialidades einteresses e dedique todos os seusesforços no seu desenvolvimento.
  22. 22. Dividir as tarefas e partes, gradualmente,dificultando as aquisições aos poucos,respeitando o ritmo do aluno;Motivar, elogiar o sucesso e valorizar a auto-estima;Atender não só a área dos conhecimentosacadêmicos, mas também os aprendizadosque melhorem a qualidade de vida de todos osalunos;Utilizar em seu trabalho diferentes tipos delinguagens, como música, artes, expressõescorporais, entre outras;
  23. 23. Acompanhar continuamente o processo deaprendizagem do aluno, registrando suasobservações para poder, com o tempo,perceber como é a melhor forma que cadaaluno em especial apresenta paraaprender;Avaliar o aluno pelo seu progressoindividual e com base em seus talentos esuas habilidades naturais, sem compará-locom a turma.
  24. 24.  www.redesaci.org.br www.onu.com www.fsdown.org.br www.campinas.apaebrasil.org.br
  25. 25.  O oitavo dia Forrest Gump: o contador de histórias Uma lição de amor Simples Como Amar O Selvagem de Aveiron

×