Inteligência emocional na gestão de resultados

408 visualizações

Publicada em

Entenda e administre sua inteligência emocional e colha resultados.

Publicada em: Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
408
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
13
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
31
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Inteligência emocional na gestão de resultados

  1. 1. Inteligência Emocional na Gestão de Resultados Autores: Lee Gardenswartz Jorge Cherbosque Anita Rowe Apresentação: ATV – Tasso Tavares dos Santos Empresa: SulGoiano agro
  2. 2. O livro • Acreditar ou não naquilo que ele prega? • Assumir nossa posição de cientista; • Valorizar o conhecimento; • Ter atitude positiva; • Buscar mais fontes; • Refletir sobre nossas ações.
  3. 3. O Quê é Inteligência Emocional? Capacidade de entender os sentimentos, seus e dos outros, e de lidar com eles, de maneira sustentável e construtiva. O que ela afeta? Lucratividade Desempenho • Dificuldade de lidar com mudanças; • Incapacidade de trabalhar em equipes; • Relações interpessoais deficientes.
  4. 4. Exemplo • Na empresa L’Oreal, os vendedores escolhidos com base nas qualificações emocionais venderam US$ 91.370 mais do que os outros,....houve também uma rotatividade 63% menor dentre esses funcionários no primeiro ano.
  5. 5. Inteligência Emocional: competência que pode ser aprendida.
  6. 6. Fracasso.... Causas: Dificuldades de lidar com mudanças; Incapacidade de trabalhar em equipe; Relações interpessoais deficientes. “Quando você reconhece, compreende e controla seus sentimentos, seu comportamento pode ser eficaz e produtivo”.
  7. 7. Alguns benefícios • Maior autoconfiança; • Menos frustrações; • Relações mais tranquilas e harmoniosas; • Mais cooperação dos outros; • Mais aptidão para manter conversas difíceis; • Melhores maneiras de lidar com o ego dos outros; • Melhora do trabalho em equipe; • Mais comprometimento; • Mais atitudes positivas; • Maior criatividade.
  8. 8. Captando e usando a energia das emoções. • Os sentimentos dizem o que é importante : nos dão alertas. • Não podemos esconder as emoções. • Interprete e capte a energia das emoções. O primeiro passo em tornar-se emocionalmente inteligente é ser capaz de expressar verbalmente o que sentimos.
  9. 9. Passos para a inteligência emocional • Identifique os sentimentos (apreensivo, cauteloso, intimidado, preocupado, tímido, irritado, zangado, amargoso, frustrado, humilhado, inferiorizado, inútil, hesitante, descrente, animado, empolgado, otimista, ávido, aflito, melancólico, etc...) • Entenda sua reação emocional; • Controle sua reação emocional; • Comunique seus sentimentos e suas necessidades aos outros; • Aplique seus conhecimentos sobre sentimentos.
  10. 10. O mundo à nossa volta •Sentimento de segurança = necessidade de controle e aprovação.
  11. 11. E as diferenças?????? • As diferenças provocam nossas emoções Fator segurança Controle e aprovação Mais receptividade ou menos julgamento. Expectativas mais flexíveis sobre o outro.
  12. 12. O papel do gerente no ambiente de diversidade. • Idade; • Sexo; • Capacidade física; • Etnia/raça; • Origem geográfica; • Renda; • Atividades de lazer; • Formação educacional; • Aparência; • Situação conjugal “O gerente é o treinador, modelo e professor para os funcionários” Dimensões das diferenças
  13. 13. Modelo da Inteligência Emocional e Diversidade • Introspecção afirmativa; • Introspecção intercultural; • Autogovernança; • Arquitetura social.
  14. 14. Introspecção afirmativa • Saber o que motiva você a agir; • Estar de bem consigo mesmo; • Estar ciente de seus preconceitos e pontos sensíveis; • Cada ação do outro gera um sentimento em nós. • Aceitação de sí e dos outros; “Sinta-se bem sendo você mesmo e isso não irá constranger o outro quando este for ele mesmo.”
  15. 15. Passos para a introspecção • Identifique um comportamento, sentimento ou situação; • Suspender todo o julgamento; • Indagar-se sobre a importância; • Identificar os diferentes sentimentos experimentados; • Tome as lições.
  16. 16. Quais são seus valores? • Imparcialidade; • Integridade; • Desafio; • Conhecimento; • Reconhecimento; • Franqueza; • Magnanimidade (perdoar o outro); • Autoaceitação; • Aventura; • Autoridade (dirigir os acontecimentos); • Tolerância; • Paz; • Tradição; • Criatividade; • Poder (controlador); • Ambientalismo; • Competição;
  17. 17. Autogovernança • Fazer da ambiguidade uma aliada; • Tornar-se um mestre da mudança • Assumir a responsabilidade pelo diálogo. • Administrar os sentimentos; • Considere a consequência potencial de cada escolha – positiva e negativa; • Faça a escolha que lhe traga o resultado mais positivo; • Utilize diretores mentais (diferentes opiniões e perspectivas).
  18. 18. Utilizando os diretores mentais • Reconheça a situação ambígua; • Identifique os diretores mentais; • Considere a consequência potencial de cada escolha – positiva e negativa; • Faça uma escolha que lhe traga o resultado mais positivo.
  19. 19. Exemplo • Investir tempo na consolidação de clientes que já fecharam ou buscar aqueles que não fecharam? Analise o ou/ou como companheiro; Brainstorming; Deixe a análise ajudá-lo a vencer a paralisia; Não se apresse na decisão. “O progresso é impossível sem mudanças e os que não conseguem mudar de ideia não conseguem mudar nada.”
  20. 20. Os três “As” da mudança • Alterar a situação; • Alterar seu comportamento; • Aceitar a nova mudança. Exercite o diálogo interior
  21. 21. Instrução intercultural • Entender as razões culturais por trás dos comportamentos; • Eliminar o pré-conceito; • Interpretar o outro com exatidão; • Ver os lados positivos e negativos de todas as normas culturais; • Transcender sua própria perspectiva e demonstrar empatia; • Utilize seu software cultural; • O comportamento do outro sempre faz sentido para ele; • Desenvolva a empatia;
  22. 22. Exemplo • Aquele que comunica-se de maneira rebuscada ou que vai direto ao assunto. Seu Software digital: • Seja pontual; • Seja generoso; • Pense antes de falar; • Seja direto ao lidar com problemas e conflitos; • Faça as pessoas sentirem-se bem vinda;
  23. 23. Interpretando o comportamento dos outros
  24. 24. Interpretando e agindo • “Mas eu estou certo e eles errados” : não se mostre virtuoso ou rígido, conquiste o concenso; • Entenda a variação das normas culturais: 1. Individualista ou coletivista; 2. Monocrônico ou policrônico; 3. Hierárquico ou igualitário; 4. Tarefa ou relacionamento; 5. Diferenças ou harmonia; “Nada é bom ou ruim, o pensamento é que faz as coisas assim”
  25. 25. Arquitetura cultural • Incluir e envolver os outros; • Servir como um intérprete cultural; • Comunicar-se eficazmente e resolver conflitos em situações diversas; • Estruturar um ambiente sinérgico e envolvente.
  26. 26. Premissa básica • Cada indivíduo pode e deve fazer uma diferença positiva no ambiente de trabalho; • Interna ou externamente, você nunca precisa mudar o que vê, só a maneira como vê; • A arquitetura social eficaz está expressa na forma como as pessoas vêem seu local de trabalho; • Comunicação flexível; “O maior erro é acreditar que só existe uma maneira certa de ouvir, falar, conduzir uma conversa ou um relacionamento”
  27. 27. Mapas para tornar-se um intérprete cultural • Acione seu radar cultural: fique atento às nuanças das diferentes culturas; • Pare...olhe...ouça: seja receptivo; • Tenha o coração e a mente abertos: trate de maneira igualitária; • Faça boas perguntas: qual a importância deste comportamento para o grupo?
  28. 28. Como ir ao cerne de uma questão e gerenciar seu grupo? 1. Conversa sensorial: veja a realidade e a descreva; 2. Conversa cerebral: suposições feitas diante acerca do comportamento do outro; 3. Conversa sentimental: rotule seus sentimentos (estou desapontado, não tínhamos um acordo?; Francamente, estou aborrecido); 4. Conversa espiritual: expresse o que gostaria ou esperava como resultado.
  29. 29. Criando um ambiente interessante • O que motiva o outro a agir? • Ajude o outro a sentir-se mais à vontade consigo mesmo; • Ajudar o outro a tomar consciência de seus próprios pontos sensíveis; • Ajudando o outro a encarar os desafios como motivadores; • Ajudando o outro à ter domínio das mudanças; • Ajudando o outro sobre a autogovernança.
  30. 30. Obrigado

×