Lesões Micóticas
ALUNA: CAMILA DE PAULA – 4O
O que é uma micose¿
Micoses são infecções causadas por fungos, algumas vezes
...
Alimentação rica em glicose,umidade e alta temperatura (37ºC) auxiliam na
proliferação da candida.
 Local: uso de aparelh...
Candidiase atrofica aguda: associada ao uso de antibioticos de amplo
espctro e terapias com elevadas doses de drogas imuno...
Pode apresentar-se de forma circunscrita ou difusa e
ulcerada ou não
Assintomáticos
Grau 1: Pontihado avermelhado
Grau 2: ...
Aspecto clínico: lesão é de ulceração, fissura e hiperplasia na região
da comissura labial.
dor, desconforto ou sangrament...
necessário, com a finalidade de eliminar a fonte de infecção
recorrente. Para os casos não controlados pelo tratamento tóp...
 Casos de dentes com mobilidade por acometimento osseo dessa
lesão moriforme.
 Macroquelia – edema labial
 Lesões verru...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Micoses estomato

2.127 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.127
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
17
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Micoses estomato

  1. 1. Lesões Micóticas ALUNA: CAMILA DE PAULA – 4O O que é uma micose¿ Micoses são infecções causadas por fungos, algumas vezes confundidas com alergias ou mesmo hanseníase.  Superficial  Profundas ex: candida,ptiriase versicolor, frieira (pé de atleta) são micoses superficiais que acometem a pele e a unha. Micoses superficiais: atingem a pele, ao redor dos pêlos ou as unhas, alimentando-se de uma proteína chamada queratina. Micoses Profundas : afetam a profundidade da pele ou subcutâneas (por exemplo, Esporotricose e Cromomicose) e aquelas que se instalam em órgãos internos . Micoses: candidose, histoplasmose, blastomicosa, PCM, criptococose, zigomicosa e aspergilose Candidose (candidíase) Agente etiológico – fungo (candida albicans) c.tropicalis, c. krusei, c parapsilosis esses fungos vivem no trato gastrointestinal de forma comensal e não causam nenhuma prejuizo, até ocorrer uma baixa de imunidade. A candida tem capacidade de “adesão“ a pele. Fatores de risco: são propriedades que aumentam sua infectividade
  2. 2. Alimentação rica em glicose,umidade e alta temperatura (37ºC) auxiliam na proliferação da candida.  Local: uso de aparelho protetico, baixo fluxo salivar,câncer oral, má higiene oral.  Sistêmico: extremos de idade, tabagismo, diabetes, malignidade, uso de medicações, gravidez. Formas Clínicas:  candidose pseudomembranosa  candidose eritematosa - candidose atrófica aguda, c.atrofica cronica, Glossite romboidal mediana, glossite multifocal cronica, quelite angular  candidiase mucocutanea candidose pseudomembranosa: “nata de leite”- placas ou nódulos branco-amarelados, de consistência mole à gelatinosa, que apresentam crescimento centrífugo e confluem. Essas placas são facilmente removidas,utilizando-se uma compressa de gaze ou cotonete. O resultado de sua remoção é uma superfície eritematosa, erosada ou ulcerada e, usualmente, sensível. As placas brancas são compostas por hifas emaranhadas, leveduras, células epiteliais descamadas e fragmentos de tecido necrótico. Frequente nos extremos da idade e entre pacientes imunodeprimidos, muito comum em bebes(não recém nascidos, mas dias depois de nascidos). áreas brancas entremeadas de areas eritematosas (caracteristicas clinicas diferenciadas) indício clínico importante no agravamento de imunodeficiencia de paciente com HIV + não comum em pessoas adultas sadias atinge lingua, mucosa jugal ... Diagnostico: citologia esfoliativa. Coloração: ácido periódico de Schiff (PAS) Nistatina, Clotrimazol e Itraconazol
  3. 3. Candidiase atrofica aguda: associada ao uso de antibioticos de amplo espctro e terapias com elevadas doses de drogas imunossupressoras ou citotóxicas. Trata-se de uma lesão do tipo sintomática, cuja sensibilidade é intensa devido às numerosas erosões dispersas pela mucosa e à inflamação presente. Sua localização preferencial é ao longo do dorso da língua, onde se notam áreas de despapilação e despapilação. Clinicamente lesão eritematosa. A candidíase eritematosa é a forma clínica mais freqüente entre pacientes não infectados pelo HIV. Candidose Atrofica Cronica: estomatite protetica Eritema cronico, algumas vezes acompanhado por petéquias hemorragicas na area coberta da proteses. A estomatite por dentadura acomete 60% de um grupo de idosos portadores de prótese total.
  4. 4. Pode apresentar-se de forma circunscrita ou difusa e ulcerada ou não Assintomáticos Grau 1: Pontihado avermelhado Grau 2: Superficie avermelhada homogenea (aveludada) Grau 3: Crescimento tecidual Fatores relacionados: Traumatismo cronico, proteses mal adaptadas, relação oclusal n ideal, má higiene oral, não remoção da protese e não higienização da protese. Sintomas clinicos: dor, irritação e disturbios de salivação Glossite Romboidal Mediana – atrofia papilar central Area eritematosa, delimitrada, localizada na linha média da superficia dorsal da linguia, adiante do v lingual Assintomática Orientação de higienização da lingua e medicação anti fúngica Candidose Multifocal Crônica: Area avermelhada, muitas vezes com placa branca destacaveis Sensação de queimação. Região posterior do palato, região posterior do dorso lingual, comissura labial. Sinais de infecção “Lesão beijada” Assintomatica Quelite Ângular: associada à perda da dimensão vertical em pacientes desdentados ou em pacientes com próteses mal-adaptadas. eritema, fissuração e descamação na comissura labial Associação c. albicans x staphylococcus aureus
  5. 5. Aspecto clínico: lesão é de ulceração, fissura e hiperplasia na região da comissura labial. dor, desconforto ou sangramento durante a abertura da boca e pode encontrar-se associada a outras formas de candidíase intrabucal Sintomatologia amena Geralmente recindinvante – se não há reestabelecimento da dimensão vertical havera reincindiva Comum em paciente idoso Perlexe- qndo acomete todo o labio- ou Candidiase atrofica circumbucal. Candidiase Crônica Hiperplasica – leucoplasia por candida. É uma lesão geralmente assintomática, que apresenta superfície lisa, nodular ou fissurada, de consistência dura e sua cor varia do branco ao vermelho. A candidíase hiperplásica crônica freqüentemente assemelha-se a leucoplasia devido a sua natureza hiperplásica, sendo até sugerida a sua denominação de leucoplasia por Candida. Placas brancas semenlhantes a leucoplasia não removidas por raspagem, que ocorrem frequente em região retrocomissural. Há uma tendência para a transformação maligna confirmando-se, assim, a importância do diagnóstico precoce e do tratamento da patologia. Lá existia uma area leucoplasica que foi acometipa pela candida ou a candida provocou uma leucoplasia ? Acomete pacianete fumantes Clotrinazol. Diagnostico da Candida: clínico, citologia esfoliativa e cultura Diagnostico diferencial: placa bacteriana, leucoplasia e líquen plano erosivo, grânulos de Fordyce, escaras associadas às queimaduras químicas, ulcerações traumáticas, placas mucosas da sífilis,lesões ceratóticas e lúpus eritematoso discóide. Tratamento: tratamento da candidíase com agentes antifúngicos tópicos, principalmente em forma de creme, é devidamente eficiente, mas o tratamento antimicótico da prótese do paciente também é
  6. 6. necessário, com a finalidade de eliminar a fonte de infecção recorrente. Para os casos não controlados pelo tratamento tópico exclusivo, é necessária a terapêutica com antimicóticos sistêmicos HIGIENE ADEQUADA, REMOVER FATOR DE RISCO, ANTIFUNGICO TÓPICOS ( NISTADINA E MICONAZOL). Nistatina: Bochechos por 1 à 2 mim por no mínimo 4 vezes ao dia – evitar ingerir agua ou alimentos por aprox. 20 mim apó o bochecho. Regressão em média de 1 semana Prognostico: Bom Paracoccidioidomicose (PCM) Sínonímia:Blastomicose sul-america Encontrada na américa do sul Agente etiológico: Paracoccicioides brasiliensis Inalação dos esporos Hospedeiro: tatu de novelistras – novencinctus  predileção por homens adultos e trabalhadores rurais  acredita-se o esfeito protetor do estrogeno feminino na mulher.  Manifestação pulmonar inicial  Qndo acomete crianças n há predileção pelo sexo( a menina ainda n tem niveis de estrogeno)  Manifestação bucal ( ulcerações moriformes, macroquelites)  Adenomegalias  tecido exofitico ulcerado com exudato hemorragico  Hepatoesplenomegalias  Lesãos ósseas  Comprometimento neurológico ( forma disseminada)  No jovem a lesão geralmente é aguda com abscesso em linfonodos  Pode acometer a pele  Lesão moriforme com pontilhados hemorragico que acomete com mta frequencia a gengiva
  7. 7.  Casos de dentes com mobilidade por acometimento osseo dessa lesão moriforme.  Macroquelia – edema labial  Lesões verrucosas em pele, acometimento de limfonodos e formação de abscesso Diagnostico: exame clínico, citologia esfoliativa, biopsia, cultura, sorologia. Immmunpblotting, PCR Diagnostico diferencial: carcinoma espinocelular Tratamento: antifungicos ( derivados das sufonamidas, itraconazo oral, Anfotericina B) Prognostico: BOM

×