Intranets e Redes Sociais Corporativas - Guia para Implantação

1.167 visualizações

Publicada em

As redes sociais corporativas destacam um novo estilo de comunicação nas empresas. Confira como implantar e obter resultados com essa ferramenta.

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.167
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
19
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Intranets e Redes Sociais Corporativas - Guia para Implantação

  1. 1. Intranets eCapital Intelectual
  2. 2. Intranets e Capital IntelectualAs mídias sociais ultrapassaram os limites da vida privada. Os profissionais são 2.0 antes, durante e depois doexpediente. É possível estabelecer políticas, mas nunca evitar a utilização das redes públicas nas empresas.Principalmente com a popularização dos dispositivos móveis.A grande questão para os administradores, é descobrir como extrair informações relevantes de seusfuncionários através da utilização das mídias e comunidades sociais. Não estamos falando em monitorar oque eles escrevem no twitter, mas sim, chancelar um canal corporativo de discussão, onde os funcionáriospossam discutir sobre assuntos profissionais. Quando bem utilizado e analisado, o conteúdo produzidopor essas redes internas pode resultar em novos modelos de gestão ou, no mínimo, retenção do capitalintelectual das empresas.Como são as empresas 2.0Somente empresas inovadoras ou gestores vanguardistas identificam oportunidade de melhorar métodos degestão de pessoas e gestão do conhecimento através de plataformas digitais. Geralmente, essas propostassurgem em empresas de inovação e tecnologia, que possuem no aprendizado colaborativo sua essência.A chance de sucesso também é maior nas que possuem a maioria dos funcionários trabalhando comcomputador.
  3. 3. Plataformas de intranet e sites internos estão entre as mais populares maneiras de proporcionar umacentralização do conhecimento, mas o desafio atual é transformá-los de “depósito de conteúdo” em“ambiente de colaboração”. Além disso, precisa estar adaptada a realidade de cada empresa e atender asnecessidades coletivas.Não adianta fazer um blog e não permitir comentários ou, elaborar um fórum para banco de ideias quandonão existe uma previsão de quando essas sugestões serão analisadas. A frustração dos colaboradores seráinevitável. Políticas bem claras de utilização devem ser definidas junto com a plataforma.Independente da mídia (própria, paga ou gratuita), as empresas e seus departamentos de gestão de pessoasdevem observar sua finalidade e elaborar algumas métricas para analisar o retorno.Endomarketing, comunicação interna, gestão de pessoas e TIEssas quatro áreas precisarão trabalhar em conjunto para garantir o sucesso de um projeto de redes sociaiscorporativas. A equipe de gestão de pessoas precisa definir os objetivos e metas da plataforma; a TI irá proporas ferramentas mais indicadas; a comunicação interna precisará fomentar a utilização do canal; o marketingencontrará maneiras de aproveitar as oportunidades criadas por elas. Saber coordenar esse trabalho e atribuirpeso a cada uma delas é o desafio de quem gerencia essa implantação.
  4. 4. Após implantada, o trabalho apenascomeça. A cultura web precisa serenraizada entre os funcionários. Essa etapamerece muita atenção, pois, em breveproporcionarão retornos significativos:mapeamento de competências, coleta denovas ideias, oferecimento de um únicoponto de acesso e compartilhamento deinformações serão algumas recompensaspelo esforço feito na implantação.Muitos funcionários acreditam que recebemmuitos e-mail por dia e não conseguemmais filtrar o que é realmente relevante. Seráque uma intranet não seria o lugar idealpara organizar essas informações?Ao lado, um organograma com algunspassos que podem ser seguidos naimplantação da plataforma colaborativa naempresa.
  5. 5. Comportamento dos profissionaisOs grupos de profissionais de mesma área ou envolvidos em projetos comuns, produzem informaçãoa todo instante, estão construindo o “conhecimento coletivo organizacional” enquanto trabalham. Esseconhecimento informal pode ser tirado da esfera empírica e registrado em ferramentas como as redes emídias sociais. É uma maneira de materializar uma nova técnica que pode estar sendo criada pelo grupo,registrar momentos e gerenciar as informações que mantém essas pessoas conectadas. Quando essesprofissionais estivem em empresas geograficamente separadas, essas ferramentas se justificam ainda mais. Sea ferramenta possuir usabilidade e navegação facilitada, nem é necessário se preocupar com o aculturamentodas pessoas, essa troca de informações acontecerá espontâneamente.Havendo alguma resistência por parte dos funcionários cabe aos gestores e suas equipes de endomarketinginstruí-los, mostrando as possibilidades de agregar conhecimento e adquirir vantagem na utilização da mídiadigital.Primeiros PassosIniciar com um planejamento pequeno é o ideal para um gerencimento eficiente. Como exemplo, algumascorporações procuram iniciar o trabalho produzindo um blog, uma forma de armazenar e explorar osconteúdos informativos em uma nova plataforma. Mesmo que ainda um pouco unilateral (quanto maisbidirecional for o canal, mais democracia e transparência é exigido para não comprometer a credibilidade),será uma alternativa fácil para prolongar a vida de outros canais como a revista ou jornal mural, promovendo,a partir dele, o início de debates e trabalho colaborativo.Vale a pena conferir outras ferramentas como os wikis, microblogs corporativos e redes sociais.
  6. 6. Dicas:Segundo uma pesquisa da Forrest Research , o segredo da adoção de um software ou plataforma socialestá mais em estudar quem as usa do que a tecnologia em si. Na Talk: Estratégias Digitais uma rede socialcorporativa foi escolhida para substituir o blog interno. A ferramenta possui características e estilo denavegação semelhante ao Facebook, isso facilitou a utilização e agilizou os resultados, já que, treinamentos eadaptações não foram necessários. Atualmente 90% dos colaboradores da empresa já aderiram e são ativosno Social Base. Além das divulgações institucionais, a rede possibilita que pessoas do mesmo grupo deatuação compartilhem ideias, resultados e conteúdos de interesses comuns.Converse com os mais atarefados e ocupados, eles usam as mídias sociais para encurtar caminhos e acelerarprocessos, serão os primeiros interessados em testar as soluções. Procure prestar atenção no que os maisjovens estão fazendo. São os que naturalmente buscam ou sugerem ferramentas de colaboração. Originalmente publicado no vol. II do e-book: Para Entender as Mídias Sociais.
  7. 7. www.talk2.com.br SCN Qd 05 Bl. A, Torre Sul, sala 201, Brasília Shopping Brasília - DF | CEP 70715-900 +55 61 3965.8100Siga a Talk nas redes sociais! Rod. SC 401, n° 4756, Bloco 2, sala 102, Office Park. Bairro Saco Grande Florianópolis - SC. | CEP 88032-005 +55 48 3338.1110

×