Dispositivos Móveis na Educação

430 visualizações

Publicada em

Primeira parte da apresentação que pautou minha palestra no InovaEduca3.0 (2015), dia 16 de novembro de 2015.

Contato: talitamoretto@salaaberta.com.br
www.salaaberta.com.br

Publicada em: Educação
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
430
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
27
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Dispositivos Móveis na Educação

  1. 1. Dispositivos Móveis na Educação Por Talita Moretto
  2. 2. Século XXI... Avanço das tecnologias Acesso rápido e facilitado à internet Diversas formas de comunicação Diferentes configurações de redes Novas formas de pensar, agir e aprender Mais produção de informação Os celulares generalizam-se Aprendizagem móvel emerge em ambientes informais. Mas a instituição escolar começou tardiamente a discutir o uso das TIC e seu processo de integração curricular.
  3. 3. Qual o perfil do adolescente com mais de 12 anos de idade? Qual o perfil dos professores com mais de 40 anos de idade?
  4. 4. Muitas escolas mantém postura autoritária diante do domínio do conteúdo e do conhecimento a ser passado para o aluno. Por receio do impacto que as mudanças poderão causar na configuração da sala de aula e inverter os papéis? Escolas tendem a impedir a entrada de dispositivos móveis e seu uso pelos alunos. Por que podem causar distração nos alunos?
  5. 5. A falta de cultura digital da comunicação leva o celular a ser encarado como algo maléfico aos estudos e, por consequência disso, sejam criadas leis e normas proibitivas relativamente a seu uso como ferramenta pedagógica.
  6. 6. Celular - Presença constante nas interações sociais de crianças, adolescentes e adultos. Pode trazer resultados significativos na aprendizagem dos alunos? Sim. Se professor e escola entenderem que ainda possuem um papel de extrema relevância na formação do aluno para o uso correto que deve ser feito dos dispositivos móveis.
  7. 7. Se a comunicação passa a ser móvel com uma frequência crescente, logo, isso impacta a educação e o processo de ensinar e aprender.
  8. 8. Dentre os objetivos do ensino fundamental, que constam nos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN – 1998): “Que os alunos sejam capazes de saber utilizar diferentes fontes de informação e recursos tecnológicos para adquirir e construir conhecimentos, questionar a realidade, formular e resolver problemas, bem como utilizar o pensamento lógico, a criatividade, a intuição e a capacidade de análise crítica.”
  9. 9. Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Básica (DCN - 2013): “Como qualquer ferramenta, as tecnologias devem ser usadas e adaptadas para servir a fins educacionais e como tecnologia assistiva, desenvolvidas de forma a possibilitar que a interatividade virtual se desenvolva de modo mais intenso, inclusive na produção de linguagens.”
  10. 10. “Uma sociedade baseada na informação é uma sociedade de múltiplas oportunidades de aprendizagem, ao contrário da sociedade de exclusão (digital, social). As consequências para a escola, para o professor e para a educação são enormes. Numa sociedade baseada na informação, importa saber comunicar-se, ter raciocínio lógico, saber organizar seu próprio trabalho, ter disciplina para o trabalho, ser independente e autônomo, saber articular o conhecimento com a prática, ser aprendiz autônomo e a distância”. “O Jornal na Escola e a Formação de Leitores” – Moacir Gadotti (2007).
  11. 11. Adaptação  O processo de apropriação de novos meios e tecnologias não é automático nem autodidata.  A transição do uso para diversão e entretenimento para um uso destinado a objetivos de aprendizado e análise não é espontâneo.  Uma capacitação específica e especializada faz-se necessário nesse processo.
  12. 12.  Este processo deve ser contextualizado com a cultura dos alunos, considerando seus hábitos anteriores de aprendizagem, de comunicação, seu conhecimento primeiro, suas habilidades e suas destrezas com os novos meios e tecnologias.  A escola deve assegurar que a aprendizagem seja relevante para o desenvolvimento humano e social do sujeito que aprende.  Apesar de o acesso à informação estar mais democratizado pelas TIC, a informação ainda precisa ser selecionada, organizada e elaborada, para então ser transformada em conhecimento.
  13. 13.  É imprescindível uma estruturação da tecnologia com os conteúdos disciplinares.  Por mais simples que pareça uma tecnologia, é necessário estudar e conhecer suas formas antes de incorporá-la aos planos de estudos.  O desenvolvimento de iniciativas de aprendizagem móvel demanda tempo e empenho dos professores e das escolas.  O uso de dispositivos móveis pode melhorar o desempenho devido ao aumento da participação do estudante, em relação ao ensino tradicional.
  14. 14. Não se trata apenas de agregar as novas tecnologias a um fazer antigo, mas sim de gerar novos modos de fazer, já que o currículo começa a ser reconstruído com a presença dos dispositivos digitais e das novas funções sociais que eles impõem.
  15. 15. Nenhuma tecnologia nova elimina as anteriores. A nova vai encontrando seus direitos de existência ao provocar uma refuncionalização nos papéis desempenhados pelas anteriores. É exatamente isso que tem ocorrido com os dispositivos móveis.
  16. 16. Sala de aula ideal... Professor = mediador do conhecimento do aluno. Aluno = sujeito ativo da sua aprendizagem, motivado e consciente. Todos nós estamos imersos em uma cultura digital e expostos a novas aprendizagens, diariamente.
  17. 17. O que o celular pode proporcionar? Situações e cenários autênticos, que estimulam a aprendizagem e criam maior motivação entre os estudantes. Características da aprendizagem autêntica: o Contextos autênticos (reflete o modo como o conhecimento será usado na vida real); o Atividades autênticas; o Colaboração para a construção social do conhecimento; o Oportunidades para reflexão; o Oportunidades para articulação; o Avaliação autêntica (reflete como o conhecimento é avaliado na vida real).
  18. 18. Benefícios do celular na educação o O aluno deixa de ver o aprendizado como uma ação que tem hora e local para acontecer; o Pode aprender a todo o momento, colocar em prática o que aprendeu e trocar experiências; o Ajuda a desenvolver experiências de aprendizagem individuais e colaborativas; o Aumenta a autoestima e a autoconfiança; o São pessoais, portáteis, colaborativos, interativos, contextualizados.
  19. 19. Problemas e dificuldades o Custo dos aparelhos; o Tamanho do aparelho (telas muito pequenas, letras menores, teclas pequenas); o Duração da bateria.
  20. 20. BYOD (Bring Your Own Device – Traga seu próprio dispositivo) Estratégia torna a personalização mais fácil porque aproveita os dispositivos que os alunos já possuem, contemplando a falta de orçamento de muitas instituições.
  21. 21. PROJETO: OLHAR A MATEMÁTICA PELO CELULAR (Fundamental II) >>Estará disponível em 2016<<

×