Distúrbios Alimentares

7.152 visualizações

Publicada em

Aula sobre distúrbios alimentares.

Publicada em: Educação, Saúde e medicina
0 comentários
6 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
7.152
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
28
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
284
Comentários
0
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Distúrbios Alimentares

  1. 1. Distúrbios Alimentares Anorexia Bulimia
  2. 2. Anorexia Nervosa Anorexia nervosa é um distúrbio alimentar resultado da preocupação exagerada com o peso corporal, que pode provocar problemas psiquiátricos graves. A pessoa se olha no espelho e, embora extremamente magra, se vê obesa. Com medo de engordar, exagera na atividade física, jejua, jejua, vomita,toma laxantes e diuréticos. É um transtorno que se manifesta principalmente em mulheres jovens, embora sua incidência esteja aumentando também em homens. Às vezes, os pacientes anoréxicos chegam rapidamente à caquexia, um grau extremo da desnutrição e o índice de mortalidade chega a atingir 15% a 20% dos casos.
  3. 3. Sintomas <ul><li>Perda exagerada de peso em curto espaço de tempo sem nenhuma justificativa. Nos casos mais graves, o índice de massa corpórea chega a ser inferior a 17; </li></ul><ul><li>Recusa em participar das refeições familiares. Os anoréxicos alegam que já comeram e que não estão mais com fome; </li></ul><ul><li>Preocupação exagerada com o valor calórico dos alimentos. Esses pacientes chegam a ingerir apenas 200kcal por dia; </li></ul><ul><li>Interrupção do ciclo menstrual (amenorréia) e regressão das características femininas; </li></ul><ul><li>Atividade física intensa e exagerada; </li></ul><ul><li>Depressão, síndrome do pânico, comportamentos obsessivo-compulsivos; </li></ul><ul><li>Visão distorcida do próprio corpo. Apesar de extremamente magras, essas pessoas julgam-se com excesso de peso; </li></ul><ul><li>Pele extremamente seca e coberta por lanugo (pêlos parecidos com a barba de milho). </li></ul>
  4. 4. Causas Diversos fatores favorecem o aparecimento da doença: predisposição genética, o conceito atual de moda que determina a magreza absoluta como símbolo de beleza e elegância, a pressão da família e do grupo social e a existência de alterações neuroquímicas cerebrais, especialmente nas concentrações de serotonina e noradrenalina.
  5. 5. Tratamento A reintrodução dos alimentos deve ser gradativa. Caso contrário provocaria grande sobrecarga cardíaca. Às vezes, é necessária a internação hospitalar para que essa oferta gradual de calorias seja controlada por nutricionistas. Não há medicação específica para a anorexia nervosa. Medicamentos antidepressivos podem ajudar a atenuar sintomas depressivos, compulsivos e de ansiedade. Em geral, o tratamento de pacientes anoréxicos exige o trabalho de equipe multidisciplinar.
  6. 7. Bulimia nervosa Em pacientes com bulimia, não é a magreza que chama a atenção. Às vezes, são mulheres de corpo escultural, que cuidam dele de forma obsessiva. Vivem em dieta. De repente, ingerem uma quantidade absurda de alimentos e depois vomitam para evitar o ganho de peso, tomam laxantes e diuréticos e fazem exercícios físicos até caírem extenuadas. A diferença básica entre anoréxicos e bulímicos é o estado de caquexia (extrema desnutrição) a que podem chegar pacientes com anorexia.
  7. 8. Sintomas <ul><li>Ingestão exagerada de alimentos em curtos períodos de tempo sem o aumento correspondente do peso corporal; </li></ul><ul><li>Vômitos auto-induzidos por inversão dos movimentos peristálticos ou colocando o dedo na garganta; </li></ul><ul><li>Uso de laxantes e diuréticos indiscriminadamente; </li></ul><ul><li>Dietas severas intermediadas por repentinas perdas de controle que levam à ingestão compulsiva de alimentos; </li></ul><ul><li>Distúrbios depressivos, de ansiedade, comportamento obsessivo compulsivo, auto-mutilação. </li></ul>
  8. 9. Causas São as mesmas da anorexia. Entre elas destacam-se predisposição genética, pressão social e familiar e valorização do corpo magro como ideal máximo de beleza.
  9. 10. Tratamento O tratamento da bulimia nervosa exige o acompanhamento de equipe multidisciplinar composta por médicos, psicólogos, nutricionistas. Medicamentos antidepressivos podem ser úteis, especialmente se ocorrerem distúrbios como depressão e ansiedade. O diagnóstico da doença nem sempre é fácil, porque os sintomas não são evidentes como os da anorexia. Infelizmente, não se conhecem métodos eficazes para prevenir patologias como a bulimia e a anorexia. Seria necessário um empenho da sociedade na mudança de certos valores estéticos ligados ao culto do corpo e à magreza.
  10. 15. Bibliografia <ul><li>http://drauziovarella.ig.com.br/arquivo/arquivo.asp?doe_id=63 </li></ul><ul><li>http://drauziovarella.ig.com.br/arquivo/arquivo.asp?doe_id=64 </li></ul><ul><li>www.youtube.com.br </li></ul>

×