ACAPED – Agência de Capacitação Educacional
A EDUCAÇÃO BRASILEIRA COMTEMPORÂNEA COMO
REFLEXO DOS ANOS DE DITADURA – Módulo...
ATIVIDADE DE CONCLUSÃO I
criação
criada a
Na Era
chegada
Pré-Portugueses
Experimentação
Pós-Portugueses
Jesuíta
Pombalista...
A História da Educação Brasileira pode ser dividida em duas grandes
partes, a primeira antes da chegada dos portugueses, o...
ATIVIDADE DE CONCLUSÃO II
ANÁLISE ENTRE O FATO HISTÓRICO E A EDUCAÇÃO DO PERÍODO
FATO HISTÓRICO I – A chegada dos portugue...
e a luta por uma escola pública de qualidade. Durante esse período surgiu um
dos maiores pensadores, Paulo Freire, com sua...
ACAPED – Agência de Capacitação Educacional
A EDUCAÇÃO BRASILEIRA COMTEMPORÂNEA COMO
REFLEXO DOS ANOS DE DITADURA – Módulo...
MÓDULO II
ATIVIDADE DE CONCLUSÃO I
A EDUCAÇÃO QUE NOS CONVÉM
O IPES (Instituto de Estudos Políticos e Sociais), fundado no...
ATIVIDADE DE CONCLUSÃO II
Mesmo com o fim do Regime Militar em nosso país, algumas das
ideologias dos militares continuam ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

A educação brasielira comtemporanea como reflexo dos anos de ditadura

199 visualizações

Publicada em

Trabalho realizado para a ACAPED

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
199
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A educação brasielira comtemporanea como reflexo dos anos de ditadura

  1. 1. ACAPED – Agência de Capacitação Educacional A EDUCAÇÃO BRASILEIRA COMTEMPORÂNEA COMO REFLEXO DOS ANOS DE DITADURA – Módulo I 150 HORAS Junho - 2013 Fraiburgo - SC
  2. 2. ATIVIDADE DE CONCLUSÃO I criação criada a Na Era chegada Pré-Portugueses Experimentação Pós-Portugueses Jesuíta Pombalista Método Lancaster Positivista Pedagogia Nova Catequização Educação Reduzida Família Real Primeira República Revolução de 30 Críticas Voltada à mão-de-obraEstado Novo República Nova LDB Getúlio Vargas Constituição 1937
  3. 3. A História da Educação Brasileira pode ser dividida em duas grandes partes, a primeira antes da chegada dos portugueses, onde os habitantes dessa terra, os chamados nativos, utilizavam como método de ensino a experimentação, ou seja, as crianças apendiam observando e imitando os pais, a segunda parte é após a chegada dos portugueses. Após a chamada colonização pelos portugueses a educação evoluiu lentamente, onde a primeira metodologia utilizada foi a do dos Jesuítas onde o ensino era voltado para o catecismo. Em 1759 os padres jesuítas foram expulsos do Brasil pelo Marques de Pombal e a educação foi reduzida, os professores eram mal preparados e mal pagos. Já em 1760, com a chegada da família real portuguesa foram abertas Academias Militares, Escolas de Direito e Medicina. A partir da Proclamação da República a educação escolar foi fortemente influenciada pela filosofia positivista. Na Era Vargas e a Revolução de 30 surgiram quatro vertentes de pensamento em relação à educação: os liberais, os católicos, a força do estado e a força popular. Durante o período do Estado Novo (1937-1945) a orientação político-educacional era voltada para o mundo capitalista, era para a preparação de mão-de-obra. Durante a República Nova, depois da deposição de Getúlio Vargas, o ministro Raul Leitão assumiu e regulamentou o Ensino Primário e Normal e criou o SENAC, foi também durante esse período que foi criada a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional – LDB, uma conquista educacional.
  4. 4. ATIVIDADE DE CONCLUSÃO II ANÁLISE ENTRE O FATO HISTÓRICO E A EDUCAÇÃO DO PERÍODO FATO HISTÓRICO I – A chegada dos portugueses ao Brasil, a Contrarreforma e a Educação Jesuíta Com a chegada dos portugueses às terras que hoje são conhecidas como Brasil e sua posterior colonização, os princípios morais e éticos agregados à religiosidade católica foram implementados através da Educação Jesuíta. Essa filosofia tinha como principal objetivo catequizar o povo indígena nos moldes católicos, já que toda a Europa estava em um movimento conhecido como Contrarreforma (a partir de 1517) e a Igreja estava cada vez mais vulnerável. FATO HISTÓRICO II – O Período do Estado Novo e a Constituição de 1937 Refletindo tendências fascistas em 10 de novembro de 1937 é outorgada uma nova Constituição de 1937. Em seu texto a orientação político-educacional para o mundo capitalista fica bem explícita, sugerindo a preparação de um maior contingente de mão-de-obra para as novas atividades abertas pelo mercado. Neste sentido a nova Constituição enfatiza o ensino pré-vocacional e profissional. O governo era antidemocrático e o ensino profissionalizante passa a ser visado para os economicamente menos favorecidos, já a preparação para trabalhos intelectuais para as classes ditas superiores. FATO HISTÓRICO III – A República Nova e a criação das Leis de Diretrizes e Bases da Educação Nacional Com o fim do Estado Novo houve o resgate das ideias de qualidade de educação para todos. E com essa retomada dos pensamentos sobre a educação houve a necessidade da criação de leis sobre a mesma. Houve muitos debates
  5. 5. e a luta por uma escola pública de qualidade. Durante esse período surgiu um dos maiores pensadores, Paulo Freire, com sua Pedagogia Libertadora.
  6. 6. ACAPED – Agência de Capacitação Educacional A EDUCAÇÃO BRASILEIRA COMTEMPORÂNEA COMO REFLEXO DOS ANOS DE DITADURA – Módulo II 150 HORAS Junho - 2013 Fraiburgo - SC
  7. 7. MÓDULO II ATIVIDADE DE CONCLUSÃO I A EDUCAÇÃO QUE NOS CONVÉM O IPES (Instituto de Estudos Políticos e Sociais), fundado no processo de acirramento da luta política e da desestabilização do governo Goulart, tinha como objetivo orientar e determinar os processos sociais para organizá-los com o intuito de atender aos interesses da classe dominante. O ano de 1964 entrou para a história brasileira como aquele em que se iniciou a mais longa ditadura de nosso país. Em março deste ano um golpe militar depôs o presidente eleito João Goulart. Prontamente após o golpe, os novos dirigentes do país se prepararam para refletir sobre as principais reformas que seriam necessárias na educação, por esse motivo em 1968 houve o simpósio “A educação que nos convém”, onde reuniram-se intelectuais, militares, ministros de Estado, além de vários empresários, todos com algum vínculo ou interesse pela educação. No fórum ficaram explícitos os interesses pedagógicos do governo, e o mesmo reforça o caráter do IPES como uma instituição orgânica das classes dominantes, o objetivo do simpósio, naquele momento, era fornecer um subsídio às instituições e autoridades em busca de soluções para a educação brasileira por meio de sugestão de medidas a serem adotadas, dentro de uma visão prospectiva a ser assumida, em face desse grande problema. A educação passou a ser inteiramente voltada para a formação de profissionais e o desenvolvimento da economia do Brasil através de ideias totalmente capitalistas.
  8. 8. ATIVIDADE DE CONCLUSÃO II Mesmo com o fim do Regime Militar em nosso país, algumas das ideologias dos militares continuam sendo difundidas. O retrato da educação no Brasil ainda é marcado por diferenças sociais gritantes. Não é uma área que recebe o reconhecimento devido, apesar de ser um dos pilares da formação da sociedade. Podemos ver claramente isso na Escola Estadual Básica Professor Eurico Pinz da cidade de Fraiburgo. A escola está situada em um bairro distante do centro e de outros bairros, a cercania é a mais populosa do município e os moradores são de baixa renda. A escola não tem sede própria e utiliza das instalações de uma escola municipal que cede para que as aulas sejam ministradas a noite. Essa é a única escola de ensino médio da localidade, os habitantes sentem que a educação não é priorizada e que são deixados de lado por causa de sua classe social. Priorizar a educação é treinar o professor, é remunerá-lo de forma digna, de maneira que ele não se sinta ridicularizado pelas péssimas condições de trabalho. A valorização dos professores, ampliação das condições de acesso e permanência na escola e ampliação da qualidade do ensino oferecido são alguns dos desafios para a melhora do sistema escolar em nosso país. Apenas quando a Educação for pauta prioritária no Brasil, os brasileiros terão condições plenas de realizar seu desenvolvimento econômico, social e político. Que a prioridade não seja apenas construir grandes viadutos ou algo semelhante, mas sim, construir a grande sabedoria na mente dos alunos.

×