LOGO.Alicerses para produzir açúcarde qualidade.Autores:Ing. Silvanisa RodriguesIng. Ana GuerreroIng. Carmen PlataVenezuel...
Alicerses = Base = Fundamentos = PrincipiosCentral Azucarero Portuguesa C.A.®Todos los Derechos Reservados“Conjunto de pro...
Conhecimento das ImpurezasCentral Azucarero Portuguesa C.A.®Todos los Derechos ReservadosSubstâncias Químicas.Proteínas, C...
Conhecimento do Açúcar e suas Soluções.Central Azucarero Portuguesa C.A.®Todos los Derechos ReservadosÉ Termolábil;É sensí...
Principios Básicos daFabricação do açúcar granuladoV. SecagemIV. CentrifugaçãoIII. CozimentosII. EvaporaçãoI. Clarificação...
ÍndiceSistema de EvaporaçãoResultados ObtidosMudanças Físicas e QuímicasDefinição de prioridadesSistema de avaliaçãoCentra...
Central AzucareroPortuguesa C.A.AgroindústriaAçucareiraExpectativas dosClientesCompetição doMercadoRealizaçãode NovasPesqu...
Sistema de Pesquisa.Pesquisas Dirigidas a entender eCorrigir Problemas detectadosCana deteriorada, colhida mecanicamente,e...
Estudo e DiagnósticoCondições do Açúcar CruCor Alta >3000UIAlto Conteúdo deAmido>600ppmFiltrabilidadeDeficiente <60%Sedime...
Prioridade 1Clarificação de LicorDensidade do Licor(60-65°Brix)Temperatura deDissolução eAquecimento doLicorContrôle do pH...
Problemas Detectados2341Falta de Contrôle na preparação edosagem de Produtos Químicos.Falta de Contrôle e de verificação d...
Estratégias ConcretasOtimizaçãoMudançaFísicaMudançaQuímicaTanques de Preparação eDosagem de QuímicosIdentificação deRecipi...
Ações Concretas de OtimizaçãoMudanças FísicasCondicionamiento de Tanques e sistema de PreparaçãoDosagemAntesDepois1Central...
AntesDepoisEstandarização do Processo de Preparo de PolímerosAcompanhamento permanente aos operadores encarregadosda prepa...
Contrôle e verificação das especificações químicas econdicições de embalagem dos produtos químicos adquiridos.2Acompanhame...
Adequação de Zonas de Armazenamento deInsumos Quimicos.3Antes DepoisAções Concretas de OtimizaçãoMudanças FísicasCentral A...
- Aquisição de um Tanque pulmão deLicor para garantir a continuidade naalimentação da refinaria.- Divisão estratégica do f...
- Substituição do dissolvedor de açúcarpor falta de capacidade e consequentedeficiencia nesta operação (fase final).- Em p...
Ensaios de Laboratório com novos Produtos do Mercado embusca de melhorias do proceso de clarificação com melhorcusto-benef...
Auditorias e correção das Dosesde Produtos Químicos na Refinariae Ensaio com Novas Doses deacordo com as característicasfi...
Optimiçao da Filtrabilidade na Refinaria- Dosagem de alfa amilase no açúcar crupara redução de amido- Incremento do pH no ...
Resultados de COR Obtidos (UI) QuedaCor74.64%Central Azucarero Portuguesa C.A.®Todos los Derechos Reservados
Resultados de SEDIMENTOSObtidos (ppm)BaixosSedimentos< 9 ppmAumento deFiltrabilidade95%Central Azucarero Portuguesa C.A.®T...
Compostos responsáveis pela cor na la cana de açúcar : clorofila,antocianinas e flavonoides, além de otros constituintes p...
Resultados ECONôMICOSAlcançadosEnsaios deClarificaçãode caldoCentral Azucarero Portuguesa C.A.®Todos los Derechos Reservad...
Produto Químico Safra 2010-2011 Safra 2011-2012 Safra* 2012-2013Polímero Caldo ($) 86.428,57 70.714,28 39.285,71Polímero C...
Consumo Químicos - Refinaria* Hasta Semana 20Producto Químico Safra 2010-2011 Safra 2011-2012 Safra* 2012-2013Ácido Fosfór...
* Hasta Semana 20Producto Químico Safra 2010-2011 Safra 2011-2012 Safra* 2012-2013Ácido Fosfórico ($) 93.043,61 98.794,72 ...
Custo TotalProducto Químico Ano 2010 Ano 2011 Ano 2012Total ($) 2.175.871,18 1.787.664,95 1.522.878,26Economía ($) N/A(201...
Evaluación Global deResultadosMateriais deótimaQualidadeSistema deClarificaçãoCAPCAProcesosSiguientesCentral Azucarero Por...
Etapa do proceso pós clarificaçãodo caldo na evaporaçãoDiagnóstico preliminardo Sistema deEvaporação medindo:-Brix, Pureza...
Diagnóstico Sistema Evaporação°Brix 13-14T 115-130°C°Brix 37 °Brix 50 °Brix 65°Brix 25T 90-100°CT <90 °C T 60-65 °CP 18-20...
Diagnóstico Sistema Evaporação°Brix 13-14T 115-130°C°Brix 37 °Brix 50 °Brix 65°Brix 25T 90-100°C T <90 °C T 60-65 °CP 18-2...
Diagnóstico Sistema Evaporação•Elevados tempos de retenção nos equipamentos.3-Não regular áreas nomomento de paradas oubai...
Diagnóstico Sistema Evaporação•Limpeza de Equipamentos de Evaporação.1°Brix 13-14T 115-130°C°Brix 37 °Brix 50 °Brix 65°Bri...
•Comunicação.21. Ausência Coordenação naEvaporação (vácuos em limpeza ealto nível de xarope).2. Tomada de Decisões que imp...
•Medições e automação.3É imprescindível medir:1. Temperatura (115-130°C).2. Pressão de Escape (18-20 PSIG).3. Pressão de V...
Rotinas de AnálisesCurvas deBrixQuedas dePurezaIncrementode CorResultados práticos iniciaisTeoría Vs RealidadeCentral Azuc...
Rotinas de AnálisesCurvas deBrixQuedas dePurezaIncrementode Cor0102030405060708090100%PurezaCentral Azucarero Portuguesa C...
Rotinas de AnálisesCurvas deBrixQuedas dePurezaIncrementode Cor0500010000150002000025000Color(UI)EscurecimentoEnzimáticoEs...
Rotinas de AnálisesEscurecimientoNão EnzimáticoEscurecimentoEnzimático1. Reações entre Aminoácidos e AçúcaresRedutores (Me...
Análises de Resultados ObtidosBrixColorpHPurezaCentral Azucarero Portuguesa C.A.®Todos los Derechos Reservados
Análises de Resultados ObtidosAntes DepoisCentral Azucarero Portuguesa C.A.®Todos los Derechos Reservados
Ações de estudo e ejecuçãoMetodologías paraacondicionamiento deequiposProposta de ajuste deáreas para uma melhoroperaçãoMa...
LOGOObrigada!Venezuela; Abril 2013RIF. J-07505170-0Alicerses para produzir açúcar dequalidade.Central Azucarero Portuguesa...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Seminário stab 2013 industrial - 10. alicerce para produzir açúcar de qualidade - silvanisa rodrigues (central azucarero)

688 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
688
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
9
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
30
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Seminário stab 2013 industrial - 10. alicerce para produzir açúcar de qualidade - silvanisa rodrigues (central azucarero)

  1. 1. LOGO.Alicerses para produzir açúcarde qualidade.Autores:Ing. Silvanisa RodriguesIng. Ana GuerreroIng. Carmen PlataVenezuela, Abril 2013RIF. J-07505170-017º Seminário Regional STAB NE 2013Central Azucarero Portuguesa C.ACentral Azucarero Portuguesa C.A.® Todos los Derechos Reservados
  2. 2. Alicerses = Base = Fundamentos = PrincipiosCentral Azucarero Portuguesa C.A.®Todos los Derechos Reservados“Conjunto de procedimentos a realizar,normalmente baseados em leis, estudosou pesquisas, os quais garantem aobtenção de um resultado esperado”.“A clarificação do caldo de cana ousolução de açúcar também segue leisFísico-Químicas”Alicerses
  3. 3. Conhecimento das ImpurezasCentral Azucarero Portuguesa C.A.®Todos los Derechos ReservadosSubstâncias Químicas.Proteínas, Corantes naturais (clorofila,carotenos, polifenóis, gomas, ácidosorgânicos).Impurezas DiversasPalha, areia, argila, bagacilho, etc.Alicerses
  4. 4. Conhecimento do Açúcar e suas Soluções.Central Azucarero Portuguesa C.A.®Todos los Derechos ReservadosÉ Termolábil;É sensível a mundaças de pH = Sofrehidrólise ácida e alcalina.Outras substâncias influenciam em suacristalização (gomas, cinzas, redutores,polímeros, sais)Alicerses
  5. 5. Principios Básicos daFabricação do açúcar granuladoV. SecagemIV. CentrifugaçãoIII. CozimentosII. EvaporaçãoI. ClarificaçãoCentral Azucarero Portuguesa C.A.®Todos los Derechos Reservados“Não reter Cachaça. Tempo Retenção”“Não reter Caldo. Temperatura”“Não reter Massa Cozida”“Agua, Temperatura”“Não reter Pó. Temperatura.”
  6. 6. ÍndiceSistema de EvaporaçãoResultados ObtidosMudanças Físicas e QuímicasDefinição de prioridadesSistema de avaliaçãoCentral Azucarero Portuguesa C.A.®Todos los Derechos Reservados
  7. 7. Central AzucareroPortuguesa C.A.AgroindústriaAçucareiraExpectativas dosClientesCompetição doMercadoRealizaçãode NovasPesquisasCentral Azucarero Portuguesa C.A.®Todos los Derechos Reservados
  8. 8. Sistema de Pesquisa.Pesquisas Dirigidas a entender eCorrigir Problemas detectadosCana deteriorada, colhida mecanicamente,entrada de grandes quantidades de impurezasao processo. Condições ClimáticasCondições do açúcar Cru de ImportaçãoEstabelecendo PrioridadesCentral Azucarero Portuguesa C.A.®Todos los Derechos Reservados
  9. 9. Estudo e DiagnósticoCondições do Açúcar CruCor Alta >3000UIAlto Conteúdo deAmido>600ppmFiltrabilidadeDeficiente <60%SedimentosAltos >26ppmPresença deÁcido AconíticoAçúcarVHPCentral Azucarero Portuguesa C.A.®Todos los Derechos Reservados
  10. 10. Prioridade 1Clarificação de LicorDensidade do Licor(60-65°Brix)Temperatura deDissolução eAquecimento doLicorContrôle do pH naDissolução eTratamento do LicorÓtima Formação deFlocos em duasetapasFloculação primária, precipitação“in loco” do precipitado inorgânico.Floculação secundária, união de flocosprimários a uma cadeia poímérica muitocomprida.Central Azucarero Portuguesa C.A.®Todos los Derechos Reservados
  11. 11. Problemas Detectados2341Falta de Contrôle na preparação edosagem de Produtos Químicos.Falta de Contrôle e de verificação dasespecificações químicas e condições dasembalagens dos produtos químicos adquiridos.Fugas e Derrames de Produtos pormanipulação inadequadaCapacidade Limitada de Operação emEquipamentos da RefinaríaCentral Azucarero Portuguesa C.A.®Todos los Derechos Reservados
  12. 12. Estratégias ConcretasOtimizaçãoMudançaFísicaMudançaQuímicaTanques de Preparação eDosagem de QuímicosIdentificação deRecipientes e EmbalagensPreparação Adequada dePolímerosPolímeros UtilizadosDoses de Químicos deacordo ao processoDose estratégicade Enzimas ao processode RefinaçãoCentral Azucarero Portuguesa C.A.®Todos los Derechos Reservados
  13. 13. Ações Concretas de OtimizaçãoMudanças FísicasCondicionamiento de Tanques e sistema de PreparaçãoDosagemAntesDepois1Central Azucarero Portuguesa C.A.®Todos los Derechos Reservados
  14. 14. AntesDepoisEstandarização do Processo de Preparo de PolímerosAcompanhamento permanente aos operadores encarregadosda preparação.Ações Concretas de OtimizaçãoMudanças Físicas1Central Azucarero Portuguesa C.A.®Todos los Derechos Reservados
  15. 15. Contrôle e verificação das especificações químicas econdicições de embalagem dos produtos químicos adquiridos.2Acompanhamento do armazenamento dos Produtosquímicos, traçabilidade e contrôle do estoque.Ações Concretas de OtimizaçãoMudanças FísicasAntesDepoisCentral Azucarero Portuguesa C.A.®Todos los Derechos Reservados
  16. 16. Adequação de Zonas de Armazenamento deInsumos Quimicos.3Antes DepoisAções Concretas de OtimizaçãoMudanças FísicasCentral Azucarero Portuguesa C.A.®Todos los Derechos Reservados
  17. 17. - Aquisição de um Tanque pulmão deLicor para garantir a continuidade naalimentação da refinaria.- Divisão estratégica do fluxo de licor aosclarificadores.- Garantia da Inocuidade do produtoterminado com a aquisição de umsistema de transporte pneumático deaçúcar.4Ações Concretas de OtimizaçãoMudanças FísicasCentral Azucarero Portuguesa C.A.®Todos los Derechos Reservados
  18. 18. - Substituição do dissolvedor de açúcarpor falta de capacidade e consequentedeficiencia nesta operação (fase final).- Em projeto: Aquisição de filtrosGaudfrin para substituir os tipo sucharpara melhorar o processo aproveitandoo final da vida útil dos filtros suchar.- Eliminação de uma operação unitáriado processo (troca Iônica por colunasde resina para remover cor).Antes Depois4Ações Concretas de OtimizaçãoMudanças FísicasCentral Azucarero Portuguesa C.A.®Todos los Derechos Reservados
  19. 19. Ensaios de Laboratório com novos Produtos do Mercado embusca de melhorias do proceso de clarificação com melhorcusto-beneficio.Novo Produto:Dose: 45ppmUsado en CAPCA:Dose: 180ppmA utilização do Novo Produtoresulta uma Economía de15422.4 $/mes y Melhoras noProcesso (Cor e Turbidez) o quefacilita cumprir com osCompromisos de Qualidade doAçúcarAções Concretas de OtimizaçãoMudaças QuímicasCentral Azucarero Portuguesa C.A.®Todos los Derechos Reservados
  20. 20. Auditorias e correção das Dosesde Produtos Químicos na Refinariae Ensaio com Novas Doses deacordo com as característicasfisicoquímicas do açúcar Cru aProcessarMito: “Maior quantidade de produtoempregado resulta em melhorasno processamento da materiaprima”Ações Concretas de OtimizaçãoMudaças QuímicasCentral Azucarero Portuguesa C.A.®Todos los Derechos Reservados
  21. 21. Optimiçao da Filtrabilidade na Refinaria- Dosagem de alfa amilase no açúcar crupara redução de amido- Incremento do pH no processo dedissolução de Açúcar para redução dosefeitos do Ácido Aconítico.“Esta substancia aumenta a cor final do açúcar.Quando entra en contato com a água formacompostos amorfos parecidos ao bagacilho. Aopolimerizar o ácido aconítico permite a formação deflocos ácidos que impedem uma adequada filtração”Ações Concretas de OtimizaçãoMudaças Químicas Amido, (ppm)Central Azucarero Portuguesa C.A.®Todos los Derechos Reservados
  22. 22. Resultados de COR Obtidos (UI) QuedaCor74.64%Central Azucarero Portuguesa C.A.®Todos los Derechos Reservados
  23. 23. Resultados de SEDIMENTOSObtidos (ppm)BaixosSedimentos< 9 ppmAumento deFiltrabilidade95%Central Azucarero Portuguesa C.A.®Todos los Derechos Reservados
  24. 24. Compostos responsáveis pela cor na la cana de açúcar : clorofila,antocianinas e flavonoides, além de otros constituintes precursores decor: compostos fenólicos e derivados dos ácidos benzoico e cinámico.Controle de pHTempos mínimosde Residencia nosClarificadoresControle deTemperaturaDose de Floculantee Formação deFlocosPrioridade 2Clarificação caldoCentral Azucarero Portuguesa C.A.®Todos los Derechos Reservados
  25. 25. Resultados ECONôMICOSAlcançadosEnsaios deClarificaçãode caldoCentral Azucarero Portuguesa C.A.®Todos los Derechos ReservadosConsumo Químicos Açúcar Branco DiretoProduto Químico Safra 2010-2011 Safra 2011-2012 Safra 2012-2013*Polímero CaldoPolímero CachaçaCal
  26. 26. Produto Químico Safra 2010-2011 Safra 2011-2012 Safra* 2012-2013Polímero Caldo ($) 86.428,57 70.714,28 39.285,71Polímero Cachaça ($) 133.571,43 117.857,14 86.428,57Cal ($) 862.057,14 806.323,81 780.266,67Custo Total ($) 1.082.057,14 994.895,24 905.980,95* Hasta Semana 20Resultados ECONôMICOSAlcançadosCálculos realizados para uma safra hipotética de1.500.000,ooTnC com base nos índices reais de consumos.Central Azucarero Portuguesa C.A.®Todos los Derechos Reservados
  27. 27. Consumo Químicos - Refinaria* Hasta Semana 20Producto Químico Safra 2010-2011 Safra 2011-2012 Safra* 2012-2013Ácido Fosfórico 0.492 Kg/tnAz 0.468 Kg/tnAz 0.454 Kg/tnAzCal 0.750Kg/TnAz 0.750 Kg/TnAz 0.750 Kg/TnAzPolímero Catiónico 0.235 Kg/tnAz 0.163 Kg/tnAz 0.153 Kg/tnAzAgua Oxigenada 0.439 Kg/tnAz 0.420 Kg/tnAz 0.406 Kg/tnAzPolímero Licor 0.012 Kg/tnAz 0.008 Kg/tnAz 0.012 Kg/tnAzHidrossulfito de Sodio 0.040 Kg/tnAz 0.000 Kg/TnAz 0.000 Kg/TnAzSal Industrial 1.790 Kg/tnAz 0.000 Kg/TnAz 0.000 Kg/TnAzSoda em Escamas 0.05 Kg/tnAz 0.000 Kg/TnAz 0.000 Kg/TnAzSoda Ash 0.002 Kg/TnAz 0.000 Kg/TnAz 0.000 Kg/TnAzTerra Infusoria 0.446 Kg/TnAz 0.402 Kg/TnAz 0.404 Kg/TnAzResultados ECONôMICOSAlcançadosCentral Azucarero Portuguesa C.A.®Todos los Derechos Reservados
  28. 28. * Hasta Semana 20Producto Químico Safra 2010-2011 Safra 2011-2012 Safra* 2012-2013Ácido Fosfórico ($) 93.043,61 98.794,72 63.071,92Cal ($) 51.569,20 57.564,77 37.967,04Polímero Catiónico ($) 108.575,79 84.065,76 51.704,12Agua Oxigenada ($) 54.684,24 58.400,07 37.050,62Polímero Licor ($) 8.221,32 6.674,29 6.052,82Hidrossulfito de Sodio ($) 11.441,90 0 0Sal Industrial ($) 40.540,40 0 0Soda en Escamas ($) 5.945,17 0 0Soda Ash ($) 172,13 0 0Terra Infusoria ($) 98.991,04 99.598,67 66.017,46Resina ($) 96.574,00 0 0Custo Total ($) 569.758,80 405.098,28 261.863,98Resultados ECONôMICOSAlcançadosCentral Azucarero Portuguesa C.A.®Todos los Derechos Reservados
  29. 29. Custo TotalProducto Químico Ano 2010 Ano 2011 Ano 2012Total ($) 2.175.871,18 1.787.664,95 1.522.878,26Economía ($) N/A(2010-2011)388.206,23(2010-2012)652.992,92Este estudo não contempla gastos com mantenutençao, gasto energético eimpacto ambiental.Producto Químico Safra 2010-2011 Safra 2011-2012 Safra* 2012-2013Cru ($) 1.082.057,14 994.895,24 905.980,95Refinaria ($) 473.184,80 405.098,28 261.863,98Resinas ($) 96.574,00 N/A N/ATotal ($) 1.651.815,94 1.399.993,52 1.167.844,93Resultados ECONôMICOSAlcançadosCentral Azucarero Portuguesa C.A.®Todos los Derechos Reservados* Hasta Semana 20
  30. 30. Evaluación Global deResultadosMateriais deótimaQualidadeSistema deClarificaçãoCAPCAProcesosSiguientesCentral Azucarero Portuguesa C.A.®Todos los Derechos Reservados
  31. 31. Etapa do proceso pós clarificaçãodo caldo na evaporaçãoDiagnóstico preliminardo Sistema deEvaporação medindo:-Brix, Pureza e Cor.Rotinas Diárias de Análisesem Laboratório:- Curvas de Brix.- Quedas de Pureza.- Comportamento da Cor.Análises dosResultadosencontrados nasprovasrealizadas.Establecimiento de Metodologíaspara acondicionamiento deequipos y Combinacionesnecesarias para eficiencia deEvaporación.Central Azucarero Portuguesa C.A.®Todos los Derechos Reservados
  32. 32. Diagnóstico Sistema Evaporação°Brix 13-14T 115-130°C°Brix 37 °Brix 50 °Brix 65°Brix 25T 90-100°CT <90 °C T 60-65 °CP 18-20 PSIGP 8 PSIG P 0-5 PSIG P 24-25 PHg- Curva de Brix (13-65° Brix)- Cor (<20.000 UI)- Pureza (>82%)•Ausência de Registros das Variáveis do processo (Brix, pureza e cor).1Avaliação inicialCentral Azucarero Portuguesa C.A.®Todos los Derechos Reservados
  33. 33. Diagnóstico Sistema Evaporação°Brix 13-14T 115-130°C°Brix 37 °Brix 50 °Brix 65°Brix 25T 90-100°C T <90 °C T 60-65 °CP 18-20 PSIGP 8 PSIG P 0-5 PSIG P 24-25 PHg•Alto brix no xarope com presença de cristais de açúcar .2- Cristalização Espontânea- Tamponamento Tubos- Deficiencia na Operação Vácuos- Baixo Crescimento CristaisAvaliação inicialCentral Azucarero Portuguesa C.A.®Todos los Derechos Reservados
  34. 34. Diagnóstico Sistema Evaporação•Elevados tempos de retenção nos equipamentos.3-Não regular áreas nomomento de paradas oubaixo fluxo.-Não está estabelecida acombinação eficiente eefetiva das áreas deevaporação.Avaliação inicialCentral Azucarero Portuguesa C.A.®Todos los Derechos Reservados
  35. 35. Diagnóstico Sistema Evaporação•Limpeza de Equipamentos de Evaporação.1°Brix 13-14T 115-130°C°Brix 37 °Brix 50 °Brix 65°Brix 25T 90-100°C T <90 °C T 60-65 °CP 18-20 PSIGP 8 PSIG P 0-5 PSIG P 24-25 PHg- Limpeza Química18%<NaOH>20%- Limpeza MecânicaPH2O: 12.000psigHClPadrões de apoioCentral Azucarero Portuguesa C.A.®Todos los Derechos Reservados
  36. 36. •Comunicação.21. Ausência Coordenação naEvaporação (vácuos em limpeza ealto nível de xarope).2. Tomada de Decisões que impedemmanter un processo continuo eestável.Padrões de apoioCentral Azucarero Portuguesa C.A.®Todos los Derechos ReservadosDiagnóstico Sistema Evaporação
  37. 37. •Medições e automação.3É imprescindível medir:1. Temperatura (115-130°C).2. Pressão de Escape (18-20 PSIG).3. Pressão de Vazío (24-25 PHg).4. Nível Ótico Caldo na Calandra(33%).5. Medidores de Brix.Padrões de apoio“No se pode controlar o que não semede”Central Azucarero Portuguesa C.A.®Todos los Derechos ReservadosDiagnóstico Sistema Evaporação
  38. 38. Rotinas de AnálisesCurvas deBrixQuedas dePurezaIncrementode CorResultados práticos iniciaisTeoría Vs RealidadeCentral Azucarero Portuguesa C.A.®Todos los Derechos Reservados
  39. 39. Rotinas de AnálisesCurvas deBrixQuedas dePurezaIncrementode Cor0102030405060708090100%PurezaCentral Azucarero Portuguesa C.A.®Todos los Derechos Reservados
  40. 40. Rotinas de AnálisesCurvas deBrixQuedas dePurezaIncrementode Cor0500010000150002000025000Color(UI)EscurecimentoEnzimáticoEscurecimentoNão EnzimáticoCentral Azucarero Portuguesa C.A.®Todos los Derechos Reservados
  41. 41. Rotinas de AnálisesEscurecimientoNão EnzimáticoEscurecimentoEnzimático1. Reações entre Aminoácidos e AçúcaresRedutores (Melanoidina e reaçãoMaillard).2. Reações Degradação e CondensaciónTérmica (Caramelos).3. Reacciones alcalinas Degradación Azúcar.Reação oxidativa de CompostosPolifenólicos (Enzimas Catalizadores).Central Azucarero Portuguesa C.A.®Todos los Derechos Reservados
  42. 42. Análises de Resultados ObtidosBrixColorpHPurezaCentral Azucarero Portuguesa C.A.®Todos los Derechos Reservados
  43. 43. Análises de Resultados ObtidosAntes DepoisCentral Azucarero Portuguesa C.A.®Todos los Derechos Reservados
  44. 44. Ações de estudo e ejecuçãoMetodologías paraacondicionamiento deequiposProposta de ajuste deáreas para uma melhoroperaçãoManual de Limpeza química emecânica.Para una moenda de301.58tnC/h a combinaçãoproposta:tnCaña / h Combinação de EquiposMolino A Pre-evaporadores Efecto 1 Efecto 2 Efecto 3301.58P4-P3= 63.000P4-P1= 67.000P4-P2= 67.000A1-B1= 28.140A1-D1= 28.000C1-D1= 29.500A2-B2= 24.940A2-D2= 24.800C2-D2= 26.811A3-B3= 19.000A3-D3= 22.000C3-D3= 16.806Central Azucarero Portuguesa C.A.®Todos los Derechos Reservados
  45. 45. LOGOObrigada!Venezuela; Abril 2013RIF. J-07505170-0Alicerses para produzir açúcar dequalidade.Central Azucarero Portuguesa C.A. (CAPCA)Autores:Ing. Silvanisa RodriguesIng. Ana GuerreroIng. Carmen PlataCentral Azucarero Portuguesa C.A.®Todos los Derechos Reservados

×