Alexandre Naime Barbosa MD, PhD
Professor Doutor - Infectologia
SIPAT - Grupo Centroflora
Set/2015 - Botucatu - SP - Brasil
O material que se segue faz parte do projeto didático do
Prof. Dr. Alexandre Naime Barbosa
Objetivos
1. Ensino: Treinament...
Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs)
- Transmissão de Agentes Infecciosos por Atos Sexuais
- Portador Saudável ou D...
Nome Agente Prevalência Mundial Cura Risco de Morte
HIV/Aids Vírus 30-35 Milhões Não Sim
Hepatite B Vírus 350 -400 Milhões...
Mundo Brasil
Prevalência 630 milhões 80 milhões (2005)
Incidência Câncer/ano 0,5 milhão 17.540 (2012)
Mortalidade Câncer/a...
MS – Boletim Epidemiológico, 2012
Centers for Disease Control and Prevention - CDC Health Information for International Tr...
> 10%
2,5-10%
1-2,5%
Prevalência
ND
Lim, et al. Lancet 2012, 2012
Inquérito Nacional das Hepatites Virais, MS-Brasil, 2010...
Unaids - Aids Epidemic Update, 2014
ONU - 2015
1981-2013: 78 milhões de casos
1981-2013: 39 milhões de mortes
2013: 35 mil...
Brasil - Ministério da Saúde - BEP HIV/Aids, 2014
UNAIDS Brasil, 2015
Muito
Frequentes
Difícil
Diagnóstico
Sequelas e
Risco de Morte
Preconceito, Estigma
e Falta de Percepção
de Risco
ISTs
Brasil - Ministério da Saúde - BEP HIV/Aids, 2014
- Epidemia presente em todas as segmentos
- Concentrada em populações vu...
- Epidemia presente em todas as segmentos
- Concentrada em populações vulneráveis Slide Cedido pela Dra. Maria Clara Gianna
 Mucosa ou Epitélio
 Vascularização
 Rede Linfática
 Área de Exposição
 DSTs ou Lesões de Órgãos
 Lesões por Atrito
 Lubrificação
 Retenção fluídos
 Fluídos Sexuais
 Muco anal
 Sangue
 Uso de Drogas
 Uso de Álcool
 Festas Barebacking
 Saunas e Casas de Banho
 Casas de Swing
 Gang Bang, Roleta Russa
 Transmissão Intencional
Brasil, Ministério da Saúde - Pesquisa de Conhecimentos, Atitudes e Práticas na População Brasileira (PCAP), 2014
SINTOMÁTICOS
ASSINTOMÁTICOS
Corrimento Vaginal
Tricomaníase
Candidíase
Vaginose Bacteriana
Gonorréia
Infecção por Clamídia
Corrimento Uretral
Gonorréi...
Corrimento Vaginal
Tricomaníase
Candidíase
Vaginose Bacteriana
Gonorréia
Infecção por Clamídia
Outros Nomes: Vaginite, vul...
Corrimento Uretral
Gonorréia
Infecção por Clamídia
Outros Nomes: Gonorréia, blenorragia, pingadeira, uretrite
Sintomas: Sa...
Úlcera Genital
Sífilis
Cancro Mole
Herpes Simples
Donavanose
Linfogranuloma
Outros Nomes: Cancro, cavalo
Sintomas: Feridas...
Dor Pélvica
Gonorréia
Infecção por Clamídia
Infecção por Anaeróbios
Outros Nomes: Doença Inflamatória Pélvica
Sintomas: Do...
Verrugas HPV
Outros Nomes: Crista de Galo, Condiloma Acuminado, Jacaré
Sintomas: Verruga ou série de verrugas (couve-flor)...
Gerais
HIV
Hepatite B
Hepatite C
HTLV
Nomes: Aids, Hepatite B, Hepatite C, HTLV
Sintomas: Podem ficar por muitos anos ou d...
A
JH
K
I
G
F
E
D
C
B
Quem deve ser testado para HIV e outras ISTs?
- Vida sexual ativa, e ainda não foi testado
- Já foi testado, mas teve rela...
PEP HIV
- Exposição Sexual ou Ocupacional a HIV
- Indicação: status HIV parceiro desconhecido
- Combinação de medicações
-...
< 72h, chance de
impedir a formação
de pró-vírus, ARVs
impedem a perpetuação
da infecção
Infecção crônica
pelo HIV, ARVs c...
PEPs SAEI-DAM & HC UNESP (Infectologia FMB-HC UNESP (Jan/2014 - Jun/2015)
Categoria de Exposição Nº
Acidente Ocupacional 4...
PEPs SAEI-DAM & HC UNESP (Infectologia FMB-HC UNESP (Jan/2014 - Jun/2015)
SAEI-DAM, 2015
6%
10%
34%
26%
18%
6%
Crianças (<...
PEPs SAEI-DAM & HC UNESP (Infectologia FMB-HC UNESP (Jan/2014 - Jun/2015)
SAEI-DAM, 2015
0%
20%
40%
60%
80%
100%
PEP Compl...
 Orientar sobre os Fatores de Risco
 Promover Diálogo
 Combater Preconceito
 Combater Discriminação
 Promover o Uso d...
Obrigado pela Atenção!
Prevencao do HIV e Outras ISTs Identificando as Oportunidades de Acao
Prevencao do HIV e Outras ISTs Identificando as Oportunidades de Acao
Prevencao do HIV e Outras ISTs Identificando as Oportunidades de Acao
Prevencao do HIV e Outras ISTs Identificando as Oportunidades de Acao
Prevencao do HIV e Outras ISTs Identificando as Oportunidades de Acao
Prevencao do HIV e Outras ISTs Identificando as Oportunidades de Acao
Prevencao do HIV e Outras ISTs Identificando as Oportunidades de Acao
Prevencao do HIV e Outras ISTs Identificando as Oportunidades de Acao
Prevencao do HIV e Outras ISTs Identificando as Oportunidades de Acao
Prevencao do HIV e Outras ISTs Identificando as Oportunidades de Acao
Prevencao do HIV e Outras ISTs Identificando as Oportunidades de Acao
Prevencao do HIV e Outras ISTs Identificando as Oportunidades de Acao
Prevencao do HIV e Outras ISTs Identificando as Oportunidades de Acao
Prevencao do HIV e Outras ISTs Identificando as Oportunidades de Acao
Prevencao do HIV e Outras ISTs Identificando as Oportunidades de Acao
Prevencao do HIV e Outras ISTs Identificando as Oportunidades de Acao
Prevencao do HIV e Outras ISTs Identificando as Oportunidades de Acao
Prevencao do HIV e Outras ISTs Identificando as Oportunidades de Acao
Prevencao do HIV e Outras ISTs Identificando as Oportunidades de Acao
Prevencao do HIV e Outras ISTs Identificando as Oportunidades de Acao
Prevencao do HIV e Outras ISTs Identificando as Oportunidades de Acao
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Prevencao do HIV e Outras ISTs Identificando as Oportunidades de Acao

331 visualizações

Publicada em

Prevenção do HIV e Outras ISTs - Identificando as Oportunidades de Ação

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
331
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Prevencao do HIV e Outras ISTs Identificando as Oportunidades de Acao

  1. 1. Alexandre Naime Barbosa MD, PhD Professor Doutor - Infectologia SIPAT - Grupo Centroflora Set/2015 - Botucatu - SP - Brasil
  2. 2. O material que se segue faz parte do projeto didático do Prof. Dr. Alexandre Naime Barbosa Objetivos 1. Ensino: Treinamento de Estudantes e Profissionais da Área de Saúde; 2. Extensão: Facilitar o Contato da População em Geral com Conceitos Científicos; 3. Científico: Fomentar a Discussão Científica e Compartilhar Material Didático. Autoria e Cessão 1. Conteúdo: Os dados contidos estão referenciados, em respeito ao autor original; 2. Uso: Está permitido o uso do material, desde que citada a fonte; 3. Contato: fale com o autor e conheça o seu projeto didático em:
  3. 3. Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs) - Transmissão de Agentes Infecciosos por Atos Sexuais - Portador Saudável ou Doença Sexualmente Transmissível (DSTs) - Bactérias, Fungos, Protozoários ou Vírus - Globalmente Disseminadas, Milhões de Pessoas Afetadas - Potencialmente Fatais ou Debilitantes - Estigma, Preconceito e Falta de Percepção de Risco - Problema de Saúde Pública Presente no Dia-a-Dia
  4. 4. Nome Agente Prevalência Mundial Cura Risco de Morte HIV/Aids Vírus 30-35 Milhões Não Sim Hepatite B Vírus 350 -400 Milhões Não Sim Hepatite C Vírus 150-200 Milhões Sim Sim HPV Vírus 630 Milhões Não Sim Herpes Genital Vírus 536 Milhões Não Não Sífilis Bactéria 500 Milhões/ano Sim Sim Gonorreia Bactéria Sim Sim Clamídia Bactéria Sim Não Cancro Mole Bactéria Sim Não Donavanose Bactéria Sim Não Trichomonas Protozoário Sim Não Candidíase Fungo 75% Mulheres Sim Não Unaids - Aids Epidemic Update, 2014 ONU - 2015 > 1 milhão de Pessoas = Incidência Global Diária de ISTs
  5. 5. Mundo Brasil Prevalência 630 milhões 80 milhões (2005) Incidência Câncer/ano 0,5 milhão 17.540 (2012) Mortalidade Câncer/ano 0,3 milhão 4.986 (2010) ONU, 2012
  6. 6. MS – Boletim Epidemiológico, 2012 Centers for Disease Control and Prevention - CDC Health Information for International Travel 2010 Prevalência de AgHBs Alta: ≥ 8% Intermediário: 2% to 7% Baixo: < 2% Mundo Brasil Prevalência 400 milhões 1 - 2 milhões (0,37%) Incidência/ano 4 milhões 12 mil Mortalidade/ano 0.6 – 1.0 milhão ?
  7. 7. > 10% 2,5-10% 1-2,5% Prevalência ND Lim, et al. Lancet 2012, 2012 Inquérito Nacional das Hepatites Virais, MS-Brasil, 2010 Mundo Brasil Prevalência 170 Milhões 2,1 milhões Incidência/ano 3 - 4 milhões 65 mil Mortalidade/ano 0.5 milhão ?
  8. 8. Unaids - Aids Epidemic Update, 2014 ONU - 2015 1981-2013: 78 milhões de casos 1981-2013: 39 milhões de mortes 2013: 35 milhões de PVHA 2013: 2,1 milhões de casos novos 2013: 1,5 milhões de mortes
  9. 9. Brasil - Ministério da Saúde - BEP HIV/Aids, 2014 UNAIDS Brasil, 2015
  10. 10. Muito Frequentes Difícil Diagnóstico Sequelas e Risco de Morte Preconceito, Estigma e Falta de Percepção de Risco ISTs
  11. 11. Brasil - Ministério da Saúde - BEP HIV/Aids, 2014 - Epidemia presente em todas as segmentos - Concentrada em populações vulneráveis
  12. 12. - Epidemia presente em todas as segmentos - Concentrada em populações vulneráveis Slide Cedido pela Dra. Maria Clara Gianna
  13. 13.  Mucosa ou Epitélio  Vascularização  Rede Linfática  Área de Exposição  DSTs ou Lesões de Órgãos
  14. 14.  Lesões por Atrito  Lubrificação  Retenção fluídos  Fluídos Sexuais  Muco anal  Sangue
  15. 15.  Uso de Drogas  Uso de Álcool
  16. 16.  Festas Barebacking  Saunas e Casas de Banho  Casas de Swing  Gang Bang, Roleta Russa  Transmissão Intencional
  17. 17. Brasil, Ministério da Saúde - Pesquisa de Conhecimentos, Atitudes e Práticas na População Brasileira (PCAP), 2014
  18. 18. SINTOMÁTICOS ASSINTOMÁTICOS
  19. 19. Corrimento Vaginal Tricomaníase Candidíase Vaginose Bacteriana Gonorréia Infecção por Clamídia Corrimento Uretral Gonorréia Infecção por Clamídia Úlcera Genital Sífilis Cancro Mole Herpes Simples Donavanose Linfogranuloma Dor Pélvica Gonorréia Infecção por Clamídia Infecção por Anaeróbios Verrugas HPV Gerais HIV Hepatite B Hepatite C HTLV
  20. 20. Corrimento Vaginal Tricomaníase Candidíase Vaginose Bacteriana Gonorréia Infecção por Clamídia Outros Nomes: Vaginite, vulvovaginite, cervicite, leucorréia Sintomas: Saída de muco em grande quantidade Mal-cheiro Coceira Dor no ato sexual
  21. 21. Corrimento Uretral Gonorréia Infecção por Clamídia Outros Nomes: Gonorréia, blenorragia, pingadeira, uretrite Sintomas: Saída de secreção uretral Ardência para urinar Sangramento Febre
  22. 22. Úlcera Genital Sífilis Cancro Mole Herpes Simples Donavanose Linfogranuloma Outros Nomes: Cancro, cavalo Sintomas: Feridas (úlceras) nos genitais Caroços nos genitais Dor Pus Ínguas em virilha
  23. 23. Dor Pélvica Gonorréia Infecção por Clamídia Infecção por Anaeróbios Outros Nomes: Doença Inflamatória Pélvica Sintomas: Dor e calor em parte baixa do abdômen Febre Secreção vaginal abundante e mal-cheirosa
  24. 24. Verrugas HPV Outros Nomes: Crista de Galo, Condiloma Acuminado, Jacaré Sintomas: Verruga ou série de verrugas (couve-flor) Geralmente indolor Cancerígeno
  25. 25. Gerais HIV Hepatite B Hepatite C HTLV Nomes: Aids, Hepatite B, Hepatite C, HTLV Sintomas: Podem ficar por muitos anos ou décadas sem sintomas Diagnóstico precoce depende da testagem Se não diagnosticadas, podem levar à morte Se não diagnosticadas, aumentam a chance de transmissão
  26. 26. A JH K I G F E D C B
  27. 27. Quem deve ser testado para HIV e outras ISTs? - Vida sexual ativa, e ainda não foi testado - Já foi testado, mas teve relação sexual desprotegida após - Dúvidas sobre o status sorológico - Exposição Ocupacional de Risco - Gestantes - Doadores de Sangue ou de Órgãos - Sinais e sintomas sugestivos dessas doenças
  28. 28. PEP HIV - Exposição Sexual ou Ocupacional a HIV - Indicação: status HIV parceiro desconhecido - Combinação de medicações - Impede a contaminação pelo HIV - Válida até 72 horas após a exposição - Acompanhamento Clínico
  29. 29. < 72h, chance de impedir a formação de pró-vírus, ARVs impedem a perpetuação da infecção Infecção crônica pelo HIV, ARVs controlam replicação, mas não esterilizam as células
  30. 30. PEPs SAEI-DAM & HC UNESP (Infectologia FMB-HC UNESP (Jan/2014 - Jun/2015) Categoria de Exposição Nº Acidente Ocupacional 44 Exp. Hetero Ocasional 41 Violência Sexual - Mulher 17 HSH 8 Trabalhador(a) do Sexo 5 Violência Sexual - Criança 5 Outros 4 MSM 1 Violência Sexual - Adolescente 1 Usuário de Drogas 0 Total 126 35% 33% 13% 6% 4% 4% 3% 1% 1% 0% Acidente Ocupacional Exp. Sex. Hetero Ocasional Violência Sexual - Mulher Exp. Sex. HSH Trabalhador(a) do Sexo Violência Sexual - Criança Outros Exp. Sex. MSM Violência Sexual - Adolescente SAEI-DAM, 2015
  31. 31. PEPs SAEI-DAM & HC UNESP (Infectologia FMB-HC UNESP (Jan/2014 - Jun/2015) SAEI-DAM, 2015 6% 10% 34% 26% 18% 6% Crianças (< 13 anos) 13 - 19 20 - 29 30 - 39 40 - 49 50 ou mais Idade Nº Crianças (< 13 anos) 8 13 - 19 12 20 - 29 43 30 - 39 33 40 - 49 22 50 ou mais 8 Total 126 51%49% Feminino Masculino Sexo Nº Feminino 64 Masculino 62 Total 126
  32. 32. PEPs SAEI-DAM & HC UNESP (Infectologia FMB-HC UNESP (Jan/2014 - Jun/2015) SAEI-DAM, 2015 0% 20% 40% 60% 80% 100% PEP Completa: Sim PEP Completa: Não Completou PEP Nº PEP Completa: Sim 126 PEP Completa: Não 0 Total 126 0% 20% 40% 60% 80% 100% Transmissão HIV: Sim Transmissão HIV: Não Transmissão HIV Nº Transmissão HIV: Sim 0 Transmissão HIV: Não 126 Total 126
  33. 33.  Orientar sobre os Fatores de Risco  Promover Diálogo  Combater Preconceito  Combater Discriminação  Promover o Uso do Preservativo  Orientar sobre a PEP  Estimular Testagem  Estimular Diagnóstico
  34. 34. Obrigado pela Atenção!

×