Análise do perfil da Mulher Empreendedora

1.542 visualizações

Publicada em

Pesquisa inédita traça perfil da empresária brasileira. Maioria divide as contas da casa, mas 47% das empreendedoras ainda são as únicas responsáveis pelas tarefas domésticas

Publicada em: Economia e finanças
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.542
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
85
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Análise do perfil da Mulher Empreendedora

  1. 1. Perfil da Empresária Brasileira Fevereiro 2014
  2. 2. Mulheres empreendedoras amam o que fazem e abririam mão até do marido em função do sucesso profissional, revela pesquisa do SPC Brasil. Vários estudos têm demonstrado, nos últimos anos, como as mulheres vêm ampliando sua presença no mercado de trabalho e dedicandose, cada vez mais, à carreira profissional. Uma novidade, contudo, é a determinação de boa parte das mulheres empreendedoras de abrir mão do relacionamento caso ele se torne um empecilho ao seu sucesso profissional. As empresárias do comércio e de serviços amam o que fazem e não largariam seu negócio – nem por um emprego fixo, nem se o companheiro pedisse. Numa situação hipotética em que ele falasse “ou eu, ou o trabalho”, um terço confessa que abriria mão do relacionamento conjugal, e outros 40% admitem que não sabiam, não descartando a possibilidade. Somente 25% das entrevistadas afirmaram que abririam mão do trabalho. O otimismo move essas mulheres com pouco tempo de lazer pela vida atribulada, que se divide entre filhos, trabalho e tarefas domésticas. A pesquisa indicou ainda que as mulheres empreendedoras estão muito determinadas, otimistas e autoconfiantes em suas atividades: 94% das entrevistadas se consideram batalhadoras; 90% se acham persistentes; 83% se dizem inovadoras; 82% se definem como boas planejadoras; 80% são cautelosas; e, 73%, ousadas. O entusiasmo pelo negócio ajuda a explicar porque essas mulheres trabalham bastante e não tiram férias. 2
  3. 3. Esses resultados constam da pesquisa “Mulheres Empreendedoras”, realizada de 10 a 22 de janeiro de 2014 nas 27 capitais brasileiras. Participaram da pesquisa mulheres maiores de 18 anos, de todas as classes econômicas, que atuam nos segmentos de comércio ou serviço e dedicam a maior parte de sua atividade profissional (tempo profissional) ao negócio. Foram registrados 601 casos, gerando uma margem de erro, no geral, de 4,0 pontos percentuais para um intervalo de confiança a 95%. MULHERES EMPREENDEDORAS CARACTERIZAÇÃO Participam do pagamento das despesas da casa Trabalham mais de 8h por dia 49% Tem companheiro 70% 56% 25 a 49 anos Assumem sozinhas as tarefas domésticas 44 % Caracterização das empreendedoras A pesquisa detectou dois perfis de empreendedoras: a empregadora (que possui funcionários ou auxiliares atuando no negócio) e a que trabalha por conta própria (não possui funcionários ou auxiliares). Elas foram classificadas em duas categorias: a formal (possui uma empresa formal que possibilita a emissão de nota fiscal) e a informal (possui uma empresa, porém, sem a possibilidade de emitir nota fiscal). Por fim, o estudo seguiu a classificação econômica do IBGE: classe A/B (com renda acima de cinco salários mínimos) e classe C/D/E (renda de até cinco salários). 47% Não tiram férias 37% Ensino médio 58% Tem filhos 74% EXPECTATIVAS PARA O FUTURO 65 % 3 pr
  4. 4. FAIXA Segundo a pesquisa, dois terços das entrevistadas têm idade entre 25 e 49 anos. Mulheres com mais de 50 anos estão mais presentes no comércio: do total de atuantes nesse setor, 31% pertencem a essa faixa etária. ETÁRIA:de serviços como um todo, as mulherestem idadede 50 anos representam 20% das atuantes. Já no setor Quase 1/3 das empreendedoras com mais abaixo de 35 anos. Contudo, nota-se que 31% das empreendedoras do setor de comércio possuem mais de 50 anos. FAIXA esposta Única (RU) ETÁRIA: Quase 1/3 das empreendedoras tem idade abaixo de 35 anos. Contudo, nota-se que 31% das empreendedoras do setor de comércio possuem mais de 50 anos. Resposta Única (RU) Geral Setor de atuação 4% 16% 44% 24% 2% 45% 44% 5% 3% 21% 22% 48% 28% 27% Formalização 23% 3% 4% 22% Perfil de Empreendedora 41% 47% 21% 25% 22% 8% 4% 5% 8% Serviços Comércio Empregadora Conta Própria Bases de 1 De 25 a 34 anos Geral 601 De 35 a 49 anos Setor de atuação 301 300 Perfil de empreendedora 286 315 24% 17% 38% 46% 22% 27% 5% 8% Classe A/B Informal Classe C/D/E De 50 a 64 anos Formalização 423 178 43% 23% 12% Formal De 18 a 24 anos 5% 22% 4% GERAL 3% 6% 25% 6% Classe social 65 ou mais Classe social 257 286 P1 Os dados separados por classe social – categoria “renda não informada” não foram ilustrados por não se mostrarem estatisticamente significantes. Em relação à escolaridade, há um predomínio de mulheres empreendedoras com Ensino Médio (58%), de acordo com o quadro abaixo. E, ainda: três em cada 10 empreendedoras possuem formação superior. Esse percentual é 3 em cada olhamos isoladamente possuem formação superior, ESCOLARIDADE:maior quando10 empreendedoras o grupo de perfil empregadora (35%) e a classe A/B (44%) principalmente o perfil Empregadora e Classe A/B. Mas a maioria das empreendedoras cursou o ensino médio. posta Única (RU) ESCOLARIDADE: 3 em cada 10 empreendedoras possuem formação superior, principalmente o perfil Empregadora e Classe A/B. Mas a maioria das empreendedoras cursou o ensino médio. Resposta Única (RU) Geral Setor de atuação 29% 59% 12% GERAL Analfabeto 57% 9% 16% 1% Serviços Comércio Ensino Fundamental Bases 2 26% 32% 58% Perfil de Empreendedora Geral 601 23% 35% 60% 56% 16% 8% Empregadora Conta Própria Ensino Médio Setor de atuação 301 300 1% Formalização 33% Classe social 19% 44% 61% 61% 57% 9% 0% Formal 52% 20% Informal Ensino Superior/Pós graduação Perfil de empreendedora 286 315 19% Formalização 423 178 4% Classe A/B 19% Classe C/D/E Não quero responder Classe social 257 286 P2 Os dados separados por classe social – categoria “renda não informada” não foram ilustrados por não se mostrarem estatisticamente significantes. 4
  5. 5. Em relação ao estado civil, destaca-se que quase a metade das entrevistadas (44%) não possui cônjuge ou companheiro(a), o que reforça o perfil de autonomia na vida pessoal e profissional entre as empreendedoras. Há ainda maior percentual de solteiras entre as que trabalham por conta própria (30%) e que pertencem à classe C/D/E (31%), como demonstrado no quadro abaixo. ESTADO CIVIL: Quase metade (44%) das empreendedoras não possui cônjuge ou companheiro(a). Maior percentual de solteiras entre as empreendedoras Conta própria e classe C/D/E. ESTADO Resposta Única (RU) CIVIL: Quase metade (44%) das empreendedoras não possui cônjuge ou companheiro(a). Maior percentual de solteiras entre as empreendedoras Conta própria e classe C/D/E. Resposta Única (RU) Setor de atuação Geral Perfil de Empreendedora Formalização Classe social 4% 54% 56% 59% 3% 4% 14% 26% 29% GERAL Serviços 14% 22% Comércio Empregadora Setor de atuação 301 300 4% 14% 30% 24% Conta Própria Formal Perfil de empreendedora 286 315 53% 53% 58% 30% Divorciada/Separada Geral 601 61% 14% 23% Bases Slide 3 3% 5% 14% Solteira 12% 53% 60% 5% 14% 5% 15% 22% Informal Classe A/B Viúva 4% 12% 31% Classe C/D/E Casada/União Estável Formalização 423 178 Classe social 257 286 Os dados separados por classe social – categoria “renda não informada” não foram ilustrados por não se mostrarem estatisticamente significantes. A pesquisa indicou também que mais de sete em cada 10 empreendedoras (74%) são mães. Esse percentual é ainda maior quando analisamos separadamente o grupo de mulheres atuantes no setor de comércio (79%), e o grupo de empregadoras (78%). VOCÊ TEM FILHOS? 7 em cada 10 empreendedoras são mães, principalmente mulheres que atuam no setor de comércio, perfil Empregadoras e Solteiras/Divorciada/Viúva. em cada 10 empreendedoras são mães, principalmente mulheres que atuam no VOCÊ TEM FILHOS? 7 setor Resposta Única (RU) de comércio, perfil Empregadoras e Solteiras/Divorciada/Viúva. Resposta Única (RU) Geral Média de filhos 2,2 26% Setor de atuação 2,2 Perfil de Empreendedora 2,1 21% 32% 2,1 22% 2,2 Formalização 2,1 2,3 79% 68% 78% 2,1 Serviços Comércio 75% 70% Empregadora Conta Própria Sim Bases Slide 4 Geral 601 Setor de atuação 301 300 29% 71% Classe A/B Classe C/D/E 74% 26% GERAL 2,2 25% 30% 74% 74% Classe social 26% Formal Informal Não Perfil de empreendedora 286 315 Formalização 423 178 Classe social 257 286 Os dados separados por classe social – categoria “renda não informada” não foram ilustrados por não se mostrarem estatisticamente significantes. 5
  6. 6. Por sua vez, dentre as casadas ou que vivem em união estável, 70% dizem ter participação total ou parcial no pagamento das contas da casa, com destaque para as empregadoras, que tendem a apresentar uma renda mais elevada do que as que trabalham por conta própria. Esse percentual ressalta a participação marcante da mulher nas finanças da família, reforçando o perfil de autonomia e maior independência econômica dela, como apresentado abaixo. mente para quem é casada/ união estável uem é o principal responsável pelo PAGAMENTO DAS CONTAS DA ASA? A mulherquem é casada/ união estável empreendedora tem participação financeira em 70% dos lares compostos Somente para or marido/esposa, principalmente as Empregadoras. Quem é o principal responsável pelo PAGAMENTO DAS CONTAS DA CASA? sposta Única (RU) A mulher e5 empreendedora tem participação financeira em 70% dos lares compostos por marido/esposa, principalmente as Empregadoras. Resposta Única (RU) Setor de atuação Geral Perfil de Empreendedora 1% 58% 54% 30% 28% 32% 14% 13% 14% GERAL Serviços Comércio Empregadora 1% 49% 57% 53% 27% 37% 27% 15% 15% 9% 12% Conta Própria Formal Informal Classe A/B 63% Geral 339 Setor de atuação 163 176 36% 24% Meu cônjuge 51% 60% 12% Bases Classe social 1% 56% Eu Formalização Dividimos igualmente Perfil de empreendedora 172 167 Formalização 244 95 31% 18% Classe C/D/E Outras pessoas Classe social 153 29 P7 Os dados separados por classe social – categoria “renda não informada” não foram ilustrados por não se mostrarem estatisticamente significantes. Mesmo atuando fora de casa, com o negócio próprio, as mulheres empreendedoras não abandonaram as atividades domésticas. A pesquisa indica que 47% ainda se responsabilizam sozinhas pelas tarefas da casa, com destaque para os perfis de quem trabalha por conta própria (57%) e atua no setor informal (58%). 6
  7. 7. Desde 1970, o Brasil vem apresentando um crescimento mais incisivo de mulheres exercendo atividades remuneradas, passando de 18,5% da população economicamente ativa para 48,9% em 2010. No entanto, este processo não foi acompanhado por uma redefinição da divisão de responsabilidades entre os gêneros. Além das desigualdades com relação aos salários recebidos, profissões e cargos ocupados, o não compartilhamento das responsabilidades extra trabalho entre homens e mulheres é uma realidade. dona de casa, boa esposa – associado a um novo perfil também valorizado pela sociedade – boa profissional, independente, qualificada, empreendedora. Coube às mulheres condensar estes papéis, formatando uma nova identidade, muitas vezes ilustrada pelos estudiosos como o da Mulher Maravilha. Assim, a dupla ou até mesmo a tripla jornada das mulheres vem sendo incorporado naturalmente ao cotidiano como um dos resultados deste processo – inserção no mercado de trabalho - ainda não consolidado. É realidade que o estudo revela: a mulher divide ou é a principal provedora da casa (70%), mas por outro lado, 47% assumem sozinhas as tarefas domésticas, mesmo entre as empreendedoras. Nota-se, portanto, que não há um deslocamento ou ressignificação do papel que a mulher ocupa na sociedade, apenas foi incorporado mais um elemento a esta identidade. Este fato pode ser percebido inclusive no imaginário da identidade feminina na sociedade contemporânea. Apesar dos novos papéis assumidos, não houve uma quebra de paradigma, uma vez que esta identidade é composta pelo omente para quem épadrão união estável casada/ anteriorSomente para– boaé mãe, boa esperado quem casada/ união estável Somente para quem é casada/ união estável Quem é o PRINCIPAL responsável pelas TAREFAS DOMÉSTICAS*? Quem é o PRINCIPAL responsável pelas TAREFAS Quem é o PRINCIPAL responsável pelas TAREFAS DOMÉSTICAS*? DOMÉSTIC Quase Quase metade das empreendedoras ainda se responsabiliza sozinhaainda se responsabiliza sozinha pelas tare metade das empreendedoras (47%) (47%) ainda se responsabiliza sozinhatarefas Quase metade das empreendedoras (47%) pelas pelas tarefas Somente para quem é principalmente os perfis Conta própria e Informal. perfis Conta própria e Informal. domésticas da casa, casada/ união estável domésticas da casa, Conta própria e Informal. domésticas da casa, principalmente os perfis principalmente os Quem é o PRINCIPAL responsável pelas TAREFAS DOMÉSTICAS*? esposta Única (RU) Resposta Única (RU) Quase metade das Resposta Única (RU) empreendedoras (47%) ainda se responsabiliza sozinha pelas tarefas domésticas da casa, principalmente os perfis Conta própria e Informal. Resposta Única (RU) Geral 1% 12% 37% 2% 47% GERAL Eu Geral 1% 12% 37% 2% 47% Setor de atuação Perfil de Empreendedoraatuação FormalizaçãoPerfil de Empreendedora Setor de Classe socialFormalização Setor de atuação Geral Perfil de Empreendedora Formalização Classe social 2% 8% 40% 2% 48% Serviços GERAL 2% 1% 8% 16% 40% 35% 2% 2% 48% 46% 1% 1%1% 12% 16% 20% 37% 35% 41% 2% 2% 1% 47% 46% 37% 2% 2% 4% 8% 1% 20% 34% 40% 3% 41% 2% 1% 57% 48% 37% 1% 2% 1% 4% 14% 16% 34% 35% 40% 3% 2% 2% 57% 46% 43% Comércio Empregadora GERAL Serviços Conta Própria Comércio Formal Serviços Comércio Empregadora Conta Própria 1% 2%1% 6% 4% 6% 18% 31% 1% 34% 31% 35% 3% 2% 20% 14% 40% 2% 41% 2% 1% 58% 37% 43% Empregadora Informal Formal 1% 57% 58% 45% 1% 1% 3% 3% 7% 6% 7% 14% 18% 31% 37% 37% 40% 35% 3% 2% 1% 2% 3% 58% 51% 51% 43% 45% Conta Própria Classe A/B Classe C/D/E Formal Informal Informal Classe A/B Classe C/D/E Eu Dividimos igualmenteEmpregada igualmentePessoas Meu cônjuge Dividimos EuMeu cônjuge Meu cônjugeDividimos igualmente EmpregadaOutras Outras Empregada Pessoas Limpeza e arrumação da casa, levar os filhos a escola, lavar roupas, prepararcasa, levar os filhos a escola, lavar roupas, preparar refeições *Limpeza e arrumação da refeições *Limpeza e arrumação da casa, levar os filhos a escola, lavar roupas, preparar refeições Geral Setor de atuação Perfil de empreendedora Geral Formalização de atuação Classe social empreendedora Setor Perfil de Formalização Classe social Bases Bases Geral Setor Perfil de empreendedora 339 163 176 de atuação 172 167 339 244 163 Formalização 95 176 153 172 Classe social 29 167 244 95 153 29 Bases 339 163 176 172 167 244 95 153 29 P8 ide 6 Slide – Os dados separados por classe social6 categoria “renda não informada” não foram ilustrados por não se categoria “renda não informada” não foram ilustrados por não se mostrarem estatisticamente signific Os dados separados por classe social – mostrarem estatisticamente significantes. Slide 6 Os dados separados por classe social – categoria “renda não informada” não foram ilustrados por não se mostrarem estatisticamente significantes. 7
  8. 8. Além de não abrirem mão das atividades domésticas, metade das empreendedoras afirmam que trabalham mais de oito horas por dia, especialmente as empregadoras formais e da classe A/B, de acordo com o quadro abaixo. QUANTAS HORAS POR DIA VOCÊ TRABALHA? Metade das empreendedoras trabalham mais de 8 horas por dia, principalmente empregadoras Formais e classe A/B. QUANTAS HORAS POR DIA VOCÊ TRABALHA? das empreendedoras trabalham mais de 8 horas por dia, principalmente empregadoras Formais e classe A/B. Metade Resposta Única (RU) lide 7 Resposta Única (RU) Geral Setor de atuação Perfil de Empreendedora 5% 6% 6% 6% 49% 50% 48% 45% 44% 45% GERAL Serviços Comércio Até 8 horas por dia Bases Geral 601 8% 40% 59% 52% 36% Empregadora Conta Própria Mais de 8 horas por dia Setor de atuação 301 300 Perfil de empreendedora 286 315 Formalização 5% Classe social 38% 54% Formal Informal 42% 51% 53% 41% 6% 7% 8% 52% 42% Classe A/B Classe C/D/E Varia muito sem uma média geral Formalização 423 178 Classe social 257 286 P25 Os dados separados por classe social – categoria “renda não informada” não foram ilustrados por não se mostrarem estatisticamente significantes. 8
  9. 9. Outro fator torna a carga de trabalho ainda mais pesada para as mulheres empreendedoras: 37% delas afirmam que não tiram férias. O percentual eleva-se entre o perfil das que trabalham por conta própria, são informais e estão na classe C/D/E, demonstrando que a realidade é ainda dura para as empreendedoras com menos estrutura profissional, como evidenciado no quadro abaixo. QUANTOS DIAS DE FÉRIAS TIRA POR ANO? 1/3 das empreendedoras não tira férias. Este percentual é mais significativo entre o perfil conta própria, Informal e Classe C/D/E. QUANTOS DIAS DE FÉRIAS TIRA POR ANO? das empreendedoras não tira férias. Este percentual é mais significativo entre o perfil conta própria, Informal e Classe C/D/E. Resposta Única (RU) 1/3 lide 8 Resposta Única (RU) Geral Setor de atuação 1% 18% 21% 25% 20% Serviços 40% Comércio Geral 601 3% 25% 45% Empregadora Conta Própria 10 dias ou menos Perfil de empreendedora 286 315 1% 13% 13% 26% 18% 29% 29% Setor de atuação 301 300 1% 18% 12% 20% Não tira/ tirou férias Bases 15% 27% Classe social 14% 1% 15% 31% 35% Formalização 17% 27% 24% GERAL 3% 13% 12% 22% 37% 0% 1% 2% 15% Perfil de Empreendedora 21% 28% 53% 52% 30% 27% Formal Informal Classe A/B Classe C/D/E Entre 11 e 20 dias Formalização 423 178 Classe social 257 286 P26 Os dados separados por classe social – categoria “renda não informada” não foram ilustrados por não se mostrarem estatisticamente significantes. 9
  10. 10. Otimismo com o futuro A pesquisa indicou, no geral, que as entrevistadas estão muito otimistas em relação ao futuro dos seus empreendimentos. Diante de várias situações, a maioria delas demonstrou isso: • 65% delas acreditam que terão mais funcionários ou ajudantes no futuro próximo (em até dois anos). Esses dados revelam um inquestionável grau de confiança das mulheres, que certamente está relacionado às características que elas imputam a si próprias na condução dos negócios. De acordo com o quadro abaixo, 95% das entrevistadas avaliam que têm habilidade para lidar com muitas atividades ao mesmo tempo. • 95% das empreendedoras acreditam que terão mais clientes; • 91% acham que o negócio será mais rentável ou lucrativo no futuro; • 70% das entrevistadas demonstram interesse em aumentar a infraestrutura em um futuro próximo; e Determinação para empreender Com base em outras perguntas semelhantes, os resultados são também inquestionáveis em termos de determinação das mulheres empreendedoras diante do seu negócio: • 95% avaliam que têm bom relacionamento com seus subordinados; • 92% se consideram “boas” na hora de negociar preços com os fornecedores; • 90% se dizem ambiciosas quando se trata de objetivos profissionais; • 84% admitem que usam muito a intuição na hora de tomar decisões; e • 79% preferem ganhar menos que correr riscos no negócio. QUANTO VOCÊ CONCORDA COM A FRASE... Eu tenho a habilidade de idar com muitas atividades ao mesmo tempo: A maioria das empreendedoras e considera multitarefa, sendo capaz de lidar com várias atividades ao mesmo tempo de orma habilidosa (principalmenteCOM A FRASE... Eu tenho a habilidade de lidar com muitas atividades ao QUANTO VOCÊ CONCORDA o perfil Formal e Classe A/B) mesmo esposta Única (RU) ide 9 tempo: A maioria das empreendedoras se considera multitarefa, sendo capaz de lidar com várias atividades ao mesmo tempo de forma habilidosa (principalmente o perfil Formal e Classe A/B) Resposta Única (RU) Geral Setor de atuação Perfil de Empreendedora 5% 6% 5% 5% 31% 30% 32% 28% 64% 64% 64% 67% GERAL Serviços Comércio Bases Geral 601 6% Setor de atuação 301 300 5% 33% 30% 61% Empregadora Concordo totalmente Formalização Conta Própria 7% 33% 28% 65% 61% 66% Formal Informal 6% 5% Concordo parcialmente Perfil de empreendedora 286 315 Classe social Formalização 423 178 Classe A/B 38% 56% Classe C/D/E Não concordo Classe social 257 286 Os dados separados por classe social – categoria “renda não informada” não foram ilustrados por não se mostrarem estatisticamente significantes. P48 10
  11. 11. Organização e flexibilidade no trabalho Para reforçar ainda mais as características positivas e proativas das empreendedoras, o quadro abaixo apresenta algumas das qualidades que as entrevistadas acreditam ter. Dentre tais características que se refletem no modo de trabalho, destacamse: organização (67%); flexibilidade (43%); calma (42%); racionalidade (34%); e tolerância (30%). Principais adjetivos que refletem seu modo de trabalhar O próximo quadro demonstra o elevado índice de satisfação das empreendedoras com o trabalho que desempenham. Mesmo com as dificuldades enfrentadas e a dupla jornada com as atividades domésticas, elas dão a nota média geral de 8,6 (em 10) em termos de satisfação com a atividade profissional. O índice é semelhante em todos os perfis pesquisados. QUAL É A SUA SATISFAÇÃO COM O TRABALHO ATUAL? É alto o índice de satisfação das empreendedoras com o trabalho que desempenham atualmente. QUAL É A SUA SATISFAÇÃO COM O TRABALHO ATUAL? alto o índice de satisfação das empreendedoras com o trabalho que desempenham atualmente. É Resposta Única (RU) Resposta Única (RU) Geral Média 8,6 Setor de atuação Perfil de Empreendedora 8,7 8,6 8,7 38% 40% 36% 43% 42% 15% Formalização 8,6 8,6 39% 37% 35% 44% 43% 43% 46% 15% 16% 15% 16% 16% 3% 4% 3% 3% 4% GERAL Serviços Comércio Empregadora Conta Própria De 0 a 5 Bases Slide 10 Geral 601 6e7 Setor de atuação 301 300 Perfil de empreendedora 286 315 Classe social 8,6 8,6 37% 40% 44% 40% 14% 15% 16% 3% 6% 4% 4% Formal Informal Classe A/B Classe C/D/E 8e9 Formalização 423 178 8,7 46% 35% 10 Classe social 257 286 Os dados separados por classe social – categoria “renda não informada” não foram ilustrados por não se mostrarem estatisticamente significantes. 11
  12. 12. Com uma autoavaliação tão positiva como a apresentada acima, o resultado da pergunta VOCÊ SE CONSIDERAprofissional de sucesso?” não poderia ser SUCESSO? que UM PROFISSIONAL DE outro: 87% disseram “Você se considera uma Também é alto o índice de empreendedoras que se consideram profissionais de sucesso. sim. Destaca-se que o percentual chega a 90% entre as empregadoras e as da classe A/B. Resposta Única (RU) VOCÊ SE CONSIDERA UM PROFISSIONAL DE SUCESSO? Também é alto o índice de empreendedoras que se consideram profissionais de sucesso. Resposta Única (RU) Geral Setor de atuação Perfil de Empreendedora 13% 12% 15% 10% 87% 88% 85% 90% GERAL Serviços Comércio Formalização 17% 14% 13% 10% 83% 86% 87% 90% Formal Informal Classe A/B Empregadora Conta Própria Sim Geral 601 Bases Slide 11 Classe social 18% 82% Classe C/D/E Não Setor de atuação 301 300 Perfil de empreendedora 286 315 Formalização 423 178 Classe social 257 286 P55 Os dados separados por classe social – categoria “renda não informada” não foram ilustrados por não se mostrarem estatisticamente significantes. O quadro abaixo também reforça a autoconfiança e a determinação da mulher empreendedora diante dos desafios profissionais. Elas atribuem suas conquistas profissionais a vários fatores, como: Somente para quem se considera uma profissional de sucesso Persistência 40% Confiança 20% Ousadia 16% A QUE ATRIBUI SUAS CONQUISTAS PROFISSIONAIS? Talento 14% Associam o sucesso principalmente a PERSISTÊNCIA, principalmente comerciantes e Formal. Somente para quem se considera uma profissional de sucesso Resposta Única (RU) Slide 12 A QUE ATRIBUI SUAS CONQUISTAS PROFISSIONAIS? Associam o sucesso principalmente a PERSISTÊNCIA, principalmente comerciantes e Formal. Resposta Única (RU) Geral Setor de atuação 2% 10% 9% 14% 1% 2% 7% 9% 13% 18% 19% 16% Perfil de Empreendedora 1% 2% 7% 1% 16% 14% 20% 19% 21% 36% GERAL Serviços Persistência Bases Comércio 1% 15% 12% Geral 520 Setor de atuação 266 254 19% 18% 39% Empregadora Conta Própria Ousadia 16% 16% 41% Confiança 8% 11% 21% 44% 40% Formalização 2% Talento 42% Formal Criatividade Perfil de empreendedora 258 262 Sorte Formalização 365 155 3% Classe social 2% 1% 9% 9% 19% 14% 15% 15% 18% 14% 20% 18% 21% 35% 39% 39% Informal Classe A/B Classe C/D/E 9% Nenhuma dessas características Classe social 231 234 P56 Os dados separados por classe social – categoria “renda não informada” não foram ilustrados por não se mostrarem estatisticamente significantes. 12
  13. 13. A pesquisa procurou definir também as principais características pessoais das entrevistadas: 94% Se classificam como batalhadoras 90% Se dizem persistentes 83% Se consideram inovadoras (quadro abaixo) 82% Se definem como boas planejadoras 80% São cautelosas 73% Se acham ousadas Vale ressaltar, ainda, as respostas à seguinte indagação: - Diante da oportunidade de ter um emprego fixo, com carteira assinada, trabalhando 8 horas por dia e ganhando o mesmo que obtém hoje com seu próprio negócio, você: Mudaria para o emprego com carteira assinada? A 14% disseram que sim. Continuaria com seu negócio atual? B 72% afirmaram que sim. 13
  14. 14. TIVESSE A OPORTUNIDADE DE TER UM EMPREGO FIXO, COM CARTEIRA ASSINADA, TRABALHANDO 8 HORAS POR A E GANHANDO O MESMO TANTO QUE VOCÊ GANHA HOJE COM O SEU NEGÓCIO VOCÊ: Demostrando coerência m a auto percepção de empreendedorismo, a maioria das entrevistadas não abandonaria o negócio SE TIVESSE A OPORTUNIDADE DE TER UM EMPREGO FIXO, COM CARTEIRA ASSINADA, TRABALHANDO óprio em detrimento de um emprego fixo, rendimento e carga horária similar ao atual trabalho. 8 HORAS POR DIA E GANHANDO O MESMO TANTO QUE VOCÊ GANHA HOJE COM O SEU NEGÓCIO VOCÊ: Demostrando coerência com a auto percepção de empreendedorismo, a maioria das entrevistadas não abandonaria o negócio próprio em detrimento de um emprego fixo, rendimento e carga horária similar ao atual trabalho. esposta Única (RU) Resposta Única (RU) Geral Setor de atuação Perfil de Empreendedora Formalização Classe social 13% 15% 12% 10% 16% 14% 12% 9% 72% 69% 76% 77% 68% 73% 71% 79% 14% 16% 13% 13% 16% 13% 17% 11% GERAL Serviços Comércio Formal Informal Empregadora Conta Própria Mudaria para o emprego com carteira assinada Não sei/precisaria pensar mais Geral 601 Bases de 14 Setor de atuação 301 300 20% 62% 19% Classe A/B Classe C/D/E Continuaria com seu negócio atual Perfil de empreendedora 286 315 Formalização 423 178 Classe social 257 286 P61 Os dados separados por classe social – categoria “renda não informada” não foram ilustrados por não se mostrarem estatisticamente significantes. Autonomia nas Para completar o quadro de coerência relações familiares e autodeterminação, a resposta à De acordo com o quadro abaixo, um terço das mulheres pergunta abaixo não deixa dúvidas de empreendedoras casadas afirmam que abririam mão que as entrevistadas definiram, com do relacionamento conjugal caso o marido ou o(a) clareza, que o empreendedorismo, mais companheiro(a) dissesse: “ou eu ou o trabalho”. Outras que uma oportunidade profissional, é 40% afirmaram que não sabiam ou “precisariam pensar uma profunda opção de vida e busca de mais”, não descartando a possibilidade. Somente 25% das realização pessoal. mente para quem é casada/ união estável E SEU COMPANHEIRO(A) DISSESSE “OU EU OU O TRABALHO” VOCÊ... entrevistadas afirmaram que abririam mão do trabalho. á em uma situação hipotética de escolha entre companheiro(a) ou negócio próprio, mais de 1/3 das mpreendedoras optariam pelo negócio próprio. Uma outra grande parcela precisaria pensar mais a Somente para quem é casada/união estável espeito. SE SEU COMPANHEIRO(A) DISSESSE “OU EU OU O TRABALHO” VOCÊ... Já em uma situação hipotética de escolha entre companheiro(a) ou negócio próprio, mais de 1/3 das empreendedoras optariam pelo negócio próprio. Uma outra grande parcela precisaria pensar mais a respeito. esposta Única (RU) de 15 Resposta Única (RU) Geral Setor de atuação Perfil de Empreendedora 39% 38% 40% 35% 36% 37% 36% 44% 25% 25% 24% 20% GERAL Serviços Comércio Empregadora Geral 339 Setor de atuação 163 176 Classe social 43% 39% 40% 41% 41% 28% 36% 36% 34% 35% 29% 25% 24% 24% 24% Conta Própria Formal Informal Classe A/B Classe C/D/E Abriria mão do meu trabalho Não sabe / precisaria pensar mais Bases Formalização Perfil de empreendedora 172 167 Abriria mão do seu relacionamento Formalização 244 95 Classe social 157 153 Os dados separados por classe social – categoria “renda não informada” não foram ilustrados por não se mostrarem estatisticamente significantes. 14 P63
  15. 15. O quadro abaixo indica que mais de cinco em cada 10 empreendedoras (55%) equilibram o tempo entre a vida familiar e a profissional. Ou seja, mesmo diante de todo o desejo de obter sucesso no negócio, mais da metade delas ainda assume as tarefas tarefas domésticas da casa. Indagadas se conseguem flexibilizar seu horário de trabalho (para realizar atividades pessoais, como ir ao médico, à escola dos filhos ou à academia), 83% das entrevistadas dizeram que sim. Esse dado ajuda a explicar o fato de elas não quererem abrir mão da condição de empreendedora. Essa flexibilidade também contribui para que elas tenham condições de realizar muitas tarefas ao mesmo tempo e consigam organizar melhor a vida, de modo a garantir um bom equilibrio entre os lados pessoal e profissional. OMO VOCÊ ORGANIZA SEU TEMPO CONSIDERANDO TAREFAS FAMILIARES PROFISSIONAIS? 5 em cada 10 empreendedoras equilibram o tempo entre vida pessoal profissional. Mas é bastante significativo o índice de empreendedoras que dedicam a maior COMO VOCÊ ORGANIZA SEU TEMPO CONSIDERANDO TAREFAS FAMILIARES E PROFISSIONAIS? rte do tempo às tarefas profissionais, principalmente o perfil Empregadora e Formal. 5 em cada 10 empreendedoras equilibram o tempo entre vida pessoal e profissional. Mas é bastante significativo o índice de empreendedoras que dedicam a maior parte do tempo às tarefas profissionais, principalmente o perfil Empregadora e Formal. sposta Única (RU) e 16 Resposta Única (RU) Geral Setor de atuação Perfil de Empreendedora 2% 3% 3% 3% 55% 53% 57% 42% 44% 40% GERAL Serviços Comércio 51% 48% 4% 59% 37% Empregadora Conta Própria Formalização 2% 52% 46% Formal Classe social 3% Informal 40% Classe A/B 33% 57% 38% 62% 3% 59% 6% Classe C/D/E Dedico a maior parte do meu tempo às tarefas pessoais Divido o meu tempo igualmente entre tarefas profissionais e pessoais Dedico a maior parte do meu tempo às tarefas profissionais Bases Geral 601 Setor de atuação 301 300 Perfil de empreendedora 286 315 Formalização 423 178 Classe social 257 286 P57 Os dados separados por classe social – categoria “renda não informada” não foram ilustrados por não se mostrarem estatisticamente significantes. 15
  16. 16. O quadro anterior se completa com o próximo, no qual verifica-se que 78% das entrevistadas afirmam que não sentem nenhum tipo de culpa com a divisão do tempo que fazem entre a atividade profissional e a familiar. Ou seja, a maioria se mostra bem resolvida com relação à organização do tempo entre trabalho e vida doméstica. UANDO VOCÊ PENSA EM SUA CASA E FAMÍLIA E NA DIVISÃO DO TEMPO UE FAZ, COMO SE SENTE? A maioria das empreendedoras mostra-se bem resolvida com relação a anização do tempo entre trabalho e vida SUA CASA pois alegam que fazemDO TEMPO QUEcuidar de ambos. As QUANDO VOCÊ PENSA EM pessoal, E FAMÍLIA E NA DIVISÃO de tudo para FAZ, COMO SE SENTE? preendedoras que menos se sentem confortáveis com a situação são as relação a organização do tempo entre A maioria das empreendedoras mostra-se bem resolvida com empregadoras e Formal. sposta Única (RU) e 17 trabalho e vida pessoal, pois alegam que fazem de tudo para cuidar de ambos. As empreendedoras que menos se sentem confortáveis com a situação são as empregadoras e Formal. Resposta Única (RU) Geral Setor de atuação 3% 1% 4% 1% Perfil de Empreendedora 1%1% 1% 2% 4% 1% Formalização 2% 19% 19% 18% 23% 14% 22% 78% 76% 79% 74% 81% 76% GERAL Serviços Comércio Bases Geral 601 Empregadora Conta Própria Formal Classe social 2% 2% 4% 3% 11% 18% 16% 83% 81% 79% Informal Classe A/B Classe C/D/E Não sei avaliar. Mal, às vezes sinto culpa por não dedicar atenção suficiente ao trabalho Mal, às vezes sinto culpa por não dedicar atenção suficiente a minha família/casa Bem, sei que faço tudo o que posso para cuidar de ambos. Setor de atuação 301 300 Perfil de empreendedora 286 315 Formalização 423 178 Classe social 257 286 P58 Os dados separados por classe social – categoria “renda não informada” não foram ilustrados por não se mostrarem estatisticamente significantes. 16
  17. 17. Ressalta-se ainda que mesmo afirmando que preferem abrir mão do casamento a interromper a carreira como empreendedora, a grande maioria das entrevistadas casadas (78%) garante que conta com o apoio do companheiro em sua atividade profissional. Outros 20% recebem apoio, ainda que parcialmente. Isso demonstra que há, na prática, uma boa sintonia na vida conjugal. O fato de as mulheres empreendedoras afirmarem que abririam mão do casamento não quer dizer que isso estaria prestes a ocorrer – e elas sabem disso. Mesmo sendo as grandes responsáveis pelos filhos e pelo trabalho doméstico, percebese que há uma movimentação na estrutura familiar tradicional. Há um crescimento significativo não apenas de novos modelos familiares, como “Mulheres sem cônjuges e com filhos” e residências “Unipessoais”, entre outros, mas também uma mudança comportamental. Os homens tem aumentado gradativamente o tempo dedicado aos afazeres domésticos, compartilhando com as mulheres, os cuidados com os filhos e com a casa. Segundo o IBGE, em 2006, o tempo dedicado pelos homens aos cuidados domésticos foi de 9,3 horas semanais e em 2011, 10,2 horas. É um pequeno avanço, mas que pode indicar uma restruturação gradativa dos papéis desempenhados nos lares brasileiros. No entanto, esta divisão ainda está longe de ser igualitária. Em 2011, entre as mulheres que trabalham fora, o tempo dedicado com os fazeres domésticos correspondeu mais do que o dobro dos homens: 22,3 horas semanais. 17
  18. 18. ente para quem é casada/ união estável U COMPANHEIRO(A) APOIA SUA ATIVIDADE PROFISSIONAL? maioria das empreendedoras conta com o apoio do companheiro para realização da sua atividade fissional, principalmenteéas mulheres que atuam no setor de serviços e pertencem as classes A/B. Somente para quem casada/ união estável SEU COMPANHEIRO(A) APOIA SUA ATIVIDADE PROFISSIONAL? A maioria das empreendedoras conta com o apoio do companheiro para realização da sua atividade profissional, principalmente as mulheres que atuam no setor de serviços e pertencem as classes A/B. posta Única (RU) Resposta Única (RU) Geral 5% Setor de atuação 1% 4% 10% 15% 85% 78% GERAL Serviços Apoia sempre Bases 18 3% 1% 5% Perfil de Empreendedora 1% 1% 4% 2% 5% Classe social 1% 4% 2% 4% 6% 18% 12% 17% 9% 12% 72% 76% 81% 77% 82% 82% Comércio Empregadora Conta Própria Formal Informal Classe A/B 19% Apoia na maioria das vezes Geral 339 Formalização Setor de atuação 163 176 Perfil de empreendedora 172 167 Apoia parcialmente Formalização 244 95 Não apoia 1% 6% 20% 73% Classe C/D/E Ns/Nr Classe social 157 153 P62 Os dados separados por classe social – categoria “renda não informada” não foram ilustrados por não se mostrarem estatisticamente significantes. A pesquisa indicou também que 20% das empreendedoras possuem babá ou empregada mensalista. A presença desse tipo de profissional dentro de casa é mais recorrente entre as que trabalham no setor de comércio (24%), são empregadoras (32%), atuam como formais (25%) e pertencem à classe A/B (29%). Ou seja, em geral, têm um perfil de melhor condição de vida e mais estrutura no trabalho. Caracterização do negócio atual A pesquisa procurou traçar as principais características do negócio atual das empreendedoras. Os resultados descritos a seguir demonstram que, em sua maioria, as entrevistadas não são grandes executivas, mas profissionais que estão buscando se estabelecer no mercado. Elas atuam por conta própria e numa estrutura informal, são prestadoras de serviço que usam a própria aptidão (e não uma formação técnica ou acadêmica) como diferencial, optam por pequenos negócios (como salão de beleza e restaurantes) e ainda têm baixo faturamento, dentro do limite de R$ 60 mil anuais previstos pela legislação do Microempreendedor Individual (MEI). 18
  19. 19. Confira abaixo: A amostra foi dividida igualmente entre os setores de comércio e serviço. Há, contudo, uma maior participação do setor de serviços entre as empreendedoras que trabalham por conta própria (57%) e que são informais (61%). Principais ramos de atividade da ocupação atual: 20% salões de beleza, incluindo clínicas de estética e serviços particulares 11% 12% estaurante, bar, lanchonete, bufê e similares 7% comércio de tecidos, vestuário e armarinho, calçados e similares conserto e confecção de roupas Um terço das empreendedoras Mais de 70% das empreendedoras escolheram o ramo de atividade baseado na aptidão para o negócio, principalmente mulheres que atuam no setor de serviços, perfil conta própria, informal e classe C/D/E. A experiência pregressa no ramo também é um fator de influência; já passaram do período crítico de três anos de vida do negócio, principalmente empregadoras, quem atua no setor formal e oriundos da classe A/B. Um terço das entrevistadas são Micro Empreendedoras Individuais (MEI), principalmente empregadoras e da classe A/B. Verifica-se maior informalidade entre o setor de serviços, perfil conta própria e na classe C/D/E. 19
  20. 20. 5 em cada 10 empreendedoras trabalham por conta própria (sem funcionários os auxiliares no negócio), principalmente mulheres que atuam no setor de serviços, perfil Informal e classe C/D/E. Dois terços delas (63%) têm faturamento bruto anual de até R$ 61 mil. Dentre as empreendedoras empregadoras, um quarto delas possui apenas um funcionário, principalmente aquelas que atuam no setor de serviços e pertencem à classe C/D/E. A maioria das empreendedoras administra o negócio do endereço comercial (59%), sendo este percentual maior entre as mulheres que atuam no setor de comércio, perfil empregadora, formal e classe A/B. 20
  21. 21. História do negócio atual O estudo identificou também algumas características que definem o histórico do atual negócio. Os dados apresentados a seguir reforçam a percepção de que a maior parte das entrevistadas está se lançando no mercado de forma mais intuitiva, incentivadas por familiares e impulsionadas pelo senso de oportunidade e vontade de ganhar mais dinheiro trabalhando por conta própria. Elas usam recursos próprios, pois não têm acesso a crédito no mercado. A grande maioria das empreendedoras (74%) utilizou o capital próprio para abertura do negócio, principalmente o perfil conta própria e a classe C/D/E. Principais motivadores para se abrir o negócio próprio: 49% Oportunidade 44% Vontade de colocar em práticas ideias próprias 33% Expectativa de aumentar a renda Mais de 50% das empreendedoras foram incentivadas por familiares e amigos a atuar por conta própria. dificuldades Entre as das empreendedoras para conduzir e manter o negócio próprio, a principal delas é o crédito. acesso a A maioria das empreendedoras (55%) diz que não precisou abrir mão de nada para abrir o negócio. Contudo, um terço delas relata que foi necessário abrir mão principalmente do tempo livre e momentos de lazer, em especial comerciantes e empregadoras. 21
  22. 22. Conclusões Nos últimos anos, diversos estudos e pesquisas vêm demonstrando que um novo perfil de mulher tem surgido no mercado de trabalho. O IBGE, por exemplo, já registrou o expressivo aumento de mulheres como chefes de família. A atual pesquisa do SPC Brasil, focada na mulher empreendedor, não só reforça essa tendência, como apresenta um novo cenário desse segmento de profissionais. Os resultados demonstram que a mulher empreendedora tem plena consciência de sua função à frente do próprio negócio e encara isso com elevado grau de autoestima e confiança em seu potencial e sua capacidade empreendedora. Os dados não deixam dúvida sobre sua determinação frente aos desafios profissionais. A mulher empreendedora encara esse desafio não só com confiança, mas também sem abrir mão das tarefas da casa e da presença na família. Esses resultados demonstram que as mulheres empreendedoras estão encarando os desafios profissionais com determinação, sem, contudo, deixar de cumprir as funções domésticas – atributo que, historicamente, sempre foi imputado a elas. Mesmo com uma dupla jornada, trabalhando mais de oito horas por dia e, em muitos casos, sem férias, ela continua convicta de que está no caminho certo. Indagada se preferia voltar a ser assalariada, com a mesma renda, ela diz um ‘claro que não’. Questionada se abriria mão da carreira caso o marido assim o preferisse, ela também diz não. As qualidades que as entrevistadas destacam em si mesmas, como ambição, decisão, intuição, bom relacionamento e negociação, segurança, flexibilidade e racionalidade confirmam a certeza de que a opção pelo empreendedorismo não está relacionada apenas à questão profissional, mas sim a toda uma postura dessas mulheres diante dos desafios da vida em geral. 22

×