PREFEITURAMUNICIPALDE CAMPO GRANDE
SECRETARIAMUNICIPALDE EDUCAÇÃO
SUPERINTÊNCIADE GESTÃO POLÍTICAS EDUCACIONAIS
DIVISÃO DE...
I. Por que "Educar pela pesquisa"?
A pesquisa é fundamento docente e discente. Por trás estão teorias da
aprendizagem que ...
2. Horizontes múltiplos da pesquisa
Compreendida como capacidade de elaboração própria,
a pesquisa condensa-se numa multip...
4.A pesquisa como diálogo
 Dialogar com a realidade talvez seja a definição mais
apropriada de pesquisa, porque a apanha ...
A pesquisa é parte importante do princípio educativo, precisa ser
estruturada de modo que o educando produza com criativid...
2. A questão da teoria e prática
A prática não se restringe à aplicação concreta dos
conhecimentos teóricos, por mais que ...
3. “Dar conta de um tema”
Primeiro é necessário aprender a aprender, que
trás como significado não imitar, copiar, reprodu...
4. A questão da avaliação
A avaliação pode conter o desafio da
própria pesquisa, como realimentação do
processo de produçã...
II. A pesquisa como princípio educativo
No ambiente lúdico da criança é possível visualizar atitude de pesquisa e
fomentá-...
2. Limitações do apenas ensinar
É essencial recuperar a atitude de
pesquisa, assumindo-a como conduta
estrutural, a começa...
3. Limitações de apenas aprender
Essencial é motivar a elaboração própria,
fomentar o trabalho fora do ambiente de aula.
A...
4. Vazios da escola formal
Reivindicar a pesquisa na escola formal significa,
por coerência, refazer algo da autocrítica.
...
Referência
Demo, Pedro. Pesquisa: princípio
científico e educativo. 12. ed. São Paulo:
Cortez, 2006. p. 45 - 97
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Apresentação modulo3 soraya góes lemos

374 visualizações

Publicada em

Uma breve reflexão sobre a pesquisa cientifica como principio educativo.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
374
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação modulo3 soraya góes lemos

  1. 1. PREFEITURAMUNICIPALDE CAMPO GRANDE SECRETARIAMUNICIPALDE EDUCAÇÃO SUPERINTÊNCIADE GESTÃO POLÍTICAS EDUCACIONAIS DIVISÃO DE TECNOLOGIAEDUCACIONAL Módulo III - Qualidade na Educação: a pesquisa como princípiocientífico e educativo MediadoraPedagógica: Neiva Valadares Cursista:Soraya Góes Lemos
  2. 2. I. Por que "Educar pela pesquisa"? A pesquisa é fundamento docente e discente. Por trás estão teorias da aprendizagem que reforçam a autoria e autonomia do aprendiz e evitam o reprodutivismo. II. Desmitificando o conceito Desmitificar a pesquisa há de significar também o reconhecimento da sua imisção natural na prática, para além de todas as possíveis virtudes teóricas, em particular da sua conexão necessária com a socialização do conhecimento. Quem ensina carece pesquisar; quem pesquisa carece ensinar. *Imisção: tomar a si.
  3. 3. 2. Horizontes múltiplos da pesquisa Compreendida como capacidade de elaboração própria, a pesquisa condensa-se numa multiplicidade de horizontes no contexto científico (Demo, 1985b).  Empírico  Não empírico  Metodológica  Prática 3.Descoberta e criação Em metodologia científica, descobrir e criar não são a mesma coisa: O cientista nada cria, apenas detecta relações.A lei da gravidade, por exemplo, é descoberta formidável, mas não significa intervenção na realidade ou criação de relações novas. Na descoberta criou-se conhecimento novo, não realidade nova, embora a partir daí se possa inventar usos novos do conhecimento.
  4. 4. 4.A pesquisa como diálogo  Dialogar com a realidade talvez seja a definição mais apropriada de pesquisa, porque a apanha como princípio científico e educativo. Quem sabe dialogar com a realidade de modo crítico e criativo faz da pesquisa condição de vida, progresso e cidadania.
  5. 5. A pesquisa é parte importante do princípio educativo, precisa ser estruturada de modo que o educando produza com criatividade, diálogo com o seu meio, disciplina e um compromisso com o que se produz. 1. A questão curricular. O professor é um pesquisador, socializador de conhecimentos, indivíduos capaz de motivar o novo pesquisador no aluno. O importante é compreender que sem pesquisa não há ensino. I. A pesquisa como princípio científico
  6. 6. 2. A questão da teoria e prática A prática não se restringe à aplicação concreta dos conhecimentos teóricos, por mais que isto seja parte integrante. Deve instrumentalizar-se da teoria, para conhecer a fundo maneiras de conceber a realidade, produzir alternativas e conflitantes, amadurecendo posições por elaboração própria.
  7. 7. 3. “Dar conta de um tema” Primeiro é necessário aprender a aprender, que trás como significado não imitar, copiar, reproduzir. A verdadeira aprendizagem é aquela construída com esforço próprio através da elaboração pessoal.
  8. 8. 4. A questão da avaliação A avaliação pode conter o desafio da própria pesquisa, como realimentação do processo de produção científica, como busca de redirecionamentos, superações, alternativas, como respeito a compromissos assumidos com a sociedade em planos e políticas.Não basta a avaliação da competência formal.
  9. 9. II. A pesquisa como princípio educativo No ambiente lúdico da criança é possível visualizar atitude de pesquisa e fomentá-la via processo educativo, como postura questionamento criativo, desafio de inventar soluções próprias, descoberta e criação de relacionamentos alternativos, sobretudo motivação emancipatória 1. Educação, pesquisa e emancipação Emancipação é o processo histórico de conquista e exercício da qualidade de atos consciente e produtivos.Emancipação precisa ser motivada, não pode ser conduzida.
  10. 10. 2. Limitações do apenas ensinar É essencial recuperar a atitude de pesquisa, assumindo-a como conduta estrutural, a começar pelo conhecimento de que sem ela não há como ser professor em sentido pleno.
  11. 11. 3. Limitações de apenas aprender Essencial é motivar a elaboração própria, fomentar o trabalho fora do ambiente de aula. A consciência crítica deve fundar a criatividade da decisão própria, não a farsa da decisão previamente imposta.
  12. 12. 4. Vazios da escola formal Reivindicar a pesquisa na escola formal significa, por coerência, refazer algo da autocrítica. Precisa atualizar-se sempre, para corresponder ao progresso da ciência e aos desafios da sociedade.
  13. 13. Referência Demo, Pedro. Pesquisa: princípio científico e educativo. 12. ed. São Paulo: Cortez, 2006. p. 45 - 97

×