Pilhas

4.645 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.645
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
76
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
80
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Pilhas

  1. 1. PILHA!
  2. 2. Origem da pilha A história da pilha tem um começo muitointeressante que não tem nada a ver com a química oua física. Tudo começou numa aula de anatomia naUniversidade de Bolonha, na Itália.
  3. 3. Era o ano de 1767 e os alunos observavam atentos enquanto oprofessor Luigi Galvani retirava a pele de um sapo para mostrar oprocesso de dissecação. De repente, ele tomou um susto ao ver que o sapo morto semexera. Como bom cientista, ele não acreditava em saposfantasmas e resolveu investigar por que aquilo acontecia. Entãoconcluiu que o bisturi de aço e a bancada de zinco haviamproduzido uma corrente elétrica que contraíra os músculos do sapo.Depois ele escreveu um livro sobre o assunto, mas a questão nãoparece ter ido muito além desse ponto. Coube ao seu inimigo acadêmico Alessandro Volta, umprofessor de física da Universidade de Pádua, o aperfeiçoamentoda descoberta. Pesquisando mais sobre o assunto, Volta descobriua origem da eletricidade atmosférica e inventou o electróforo e ocondensador. Ele também percebeu, a partir das experiências deGalvani, que dois metais diferentes, mergulhados em ácidosulfúrico, produzem corrente elétrica, e assim surgiu o elementovoltaico, ou volt, que teve esse nome em sua homenagem.
  4. 4. Foi desse modo que, em 1800, Volta produziu aprimeira pilha elétrica do mundo. Ela era composta deuma série de discos de prata e zinco, colocados empares e intercalados com folhas de papelão saturadasem água e sal. A corrente era produzida quando o discode prata do todo se conectava com um arame ao discode zinco que ficava embaixo. Em 1801, Napoleão Bonaparte assistiu àapresentação dos experimentos de Volta e congratulou-o com uma medalha, uma pensão vitalícia e uma moedacunhada em sua homenagem. Se Galvani não estivessemorto, certamente morreria de raiva com o sucesso deseu adversário.
  5. 5. Destino certo das pilhas As pilhas e baterias de uso doméstico apresentam um grandeperigo quando descartadas incorretamente. Na composição dessaspilhas são encontrados metais pesados como: cádmio, chumbo,mercúrio, que são extremamente perigosos à saúde humana.Dentre os males provocados pela contaminação com metaispesados está o câncer e mutações genéticas. Só para esclarecer, as pilhas e baterias em funcionamento nãooferecem riscos, uma vez que o perigo está contido no interiordelas. O problema é quando elas são descartadas e passam pordeformações na cápsula que as envolvem: amassam, estouram, edeixam vazar o líquido tóxico de seus interiores. Esse líquido seacumula na natureza, ele representa o lixo não biodegradável, ouseja, não é consumido com o passar dos anos. A contaminaçãoenvolve o solo e lençóis freáticos prejudicando a agricultura e ahidrografia.
  6. 6. Justamente por serem biocumulativas é que surgiu a necessidadedo descarte correto de pilhas e baterias usadas. Como a própria ilustração já diz, o que não pode ser feito é odescarte desses materiais no lixo comum. Já existem leis queobrigam os fabricantes a receberem de volta pilhas e baterias, edesta forma dar a elas o destino adequado. Seria fundamental quetambém colocassem advertências na própria embalagem doproduto, avisando dos eventuais perigos oferecidos pelo descarteincorreto do material. Para reciclar pilhas e baterias é necessário fazer umreprocessamento, ou seja, após o uso são transformadasnovamente em matéria-prima. Esse reprocessamento é bastantetóxico. O material é triturado, misturado com ácidos, prensado etorrado. Depois de torrado, este material vira um granulado queainda é moído resultando em um pó escuro que vira matéria primapara as indústrias de coloríficos.
  7. 7. O que você consumidor pode fazer? O ideal éseparar o lixo tóxico do restante, dessa formavocê facilita a coleta e posterior armazenagem ematerros especiais. Mas se optar pelo envio aofabricante, estará alertando-o de sua preocupaçãoe, quem sabe dessa forma, ele tome consciênciade sua responsabilidade como produtor e dêdestino correto ao seu produto após o uso.
  8. 8. Nome :Vitória Vaz Série/ turma :2ºBFonte:- http://www.mundoeducacao.com.br/quimica/descarte-correto-pilhas-baterias-usad-http://www.jornalocampeao.com/index.php? option=com_content&view=article&id=3199:como-surgiu-a-pilha- &catid=46:todas&Itemid=79

×