Sonhos

9.534 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Tecnologia
0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
9.534
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
104
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
221
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sonhos

  1. 1. “O SONHO É A ESTRADA REAL QUE CONDUZ AO INCONSCIENTE” . Sigmund Freud
  2. 2. SONHOS UMA FUNÇÃO PSÍQUICA ENCARREGADA DE COMPENSAR, DE SUAVIZAR, DE SUBSTITUIR, MESMO UMA REALIDADE QUE NOS É HOSTIL, POR OUTRA, TOTALMENTE DIFERENTE, ONDE UM NOVO MUNDO SE DESCORTINA DIANTE DA ALMA E ONDE TODAS AS NOSSAS AÇÕES PARECEM ABSURDAS, JUSTAMENTE PORQUE AS MAIS CENSURÁVEIS, NA SOCIEDADE EM QUE VIVEMOS, GOZAM, ENQUANTO DORMIMOS, DE UMA ESPÉCIE DE LIBERDADE CONDICIONAL, QUANDO SE EXPANDEM NOS SONHOS.
  3. 3. FRAGMENTOS DA PRÉ-HISTÓRIA DOS SONHOS. OS SONHOS ESTAVAM RELACIONADOS COM O MUNDO DOS SERES SOBRE-HUMANOS NOS QUAIS ACREDITAVAM, E QUE CONSTITUÍAM REVELAÇÕES DE DEUSES E DEMÔNIOS. NO PASSADO, A LEITURA ENCONTRA SUA FONTE NA CRENÇA DE QUE OS SONHOS SÃO ENVIADOS POR DEUS, POUCO A POUCO COLADO A UMA DIMENSÃO MÁGICA (NA MELHOR DAS HIPÓTESES) OU SATÂNICA (NA PIOR).
  4. 4. FRAGMENTOS DA PRÉ-HISTÓRIA DOS SONHOS A ETIMOLOGIA DA PALAVRA "CAUCHEMAR" (PESADELO) É REVELADORA DESSE DESLOCAMENTO, "COCHER" SIGNIFICA EM FRANCÊS ARCAICO "CHEVAUCHER" (CAVALGAR): O CORPO DO SONHADOR POSSUÍDO PELO PESADELO É CAVALGADO PELOS DEMÔNIOS. AQUELE QUE SONHAVA, OS SONHOS TINHAM UMA FINALIDADE IMPORTANTE, QUE ERA, VIA DE REGRA, PREDIZER O FUTURO. ANTES DE FREUD, O CONTEÚDO DA MENSAGEM PERMANECIA INDECIFRÁVEL.
  5. 5. OS FILOSÓFOS E OS SONHOS ARISTÓTELES :OS SONHOS NÃO SÃO ENVIADOS PELOS DEUSES E NÃO SÃO DE NATUREZA DIVINA, MAS QUE SÃO “DEMONÍACOS”, VISTO QUE A NATUREZA É “DEMONÍACA”, E NÃO DIVINA. PLATÃO: “É IMPOSSÍVEL PENSAR EM QUALQUER ATO DE UM SONHO CUJA MOTIVAÇÃO ORIGINAL NÃO TENHA PASSADO, DE UM MODO OU DE OUTRO — FOSSE COMO DESEJO, ANSEIO OU IMPULSO —, ATRAVÉS DA MENTE DESPERTA.”
  6. 6. SONHOS EM FREUD O INTERESSE DE FREUD PELA INTERPRETAÇÃO DOS SONHOS TEVE SUA ORIGEM EM DUAS VERTENTES: A PRIMEIRA PROVEIO DO FATO DE QUE SEUS PACIENTES, NO TRANSCURSO DE SUAS ASSOCIAÇÕES LIVRES, CONTAVAM-LHE SONHOS E ASSOCIAVAM SOBRE ELES. A SEGUNDA ESTAVA RELACIONADA COM SUAS OBSERVAÇÕES SOBRE O DELÍRIO ALUCINATÓRIO DOS PSICÓTICOS, ONDE É MAIS EVIDENTE A REALIZAÇÃO DE DESEJOS.
  7. 7. SONHOS PARA FREUD O SONHO É UM PRODUTO DA ATIVIDADE DO INCONSCIENTE E QUE TEM SEMPRE UM SENTIDO INTENCIONAL, A SABER: A REALIZAÇÃO OU A TENTATIVA DE REALIZAÇÃO - MAIS OU MENOS DISSIMULADA, DE UMA TENDÊNCIA REPRIMIDA. ASSIM, OS SONHOS REVELAM A VERDADEIRA NATUREZA DO HOMEM, EMBORA NÃO TODA A SUA NATUREZA, E CONSTITUEM UM MEIO DE TORNAR O INTERIOR OCULTO DA MENTE ACESSÍVEL A NOSSO CONHECIMENTO.
  8. 8. SOBRE O MÉTODO DE ANÁLISE DOS SONHOS DE FREUD AO REFERIR-SE AO MÉTODO DE INTERPRETAÇÃO DE UM SONHO (LEVANDO O PACIENTE A ASSOCIAR LIVREMENTE SOBRE PARTES DO SONHO) E ÀS POSSÍVEIS CRÍTICAS QUE LHE PODE FAZER, FREUD INVESTIGA AS DIFERENTES MODALIDADES DE AÇÃO DA CENSURA, EM SEU TRABALHO DE DEFORMAÇÃO DO CONTEÚDO LATENTE ANTES QUE ESTE ALCANCE A CONSCIÊNCIA DO INDIVÍDUO. ASSINALA COMO AS ASSOCIAÇÕES ARBITRÁRIAS QUE SE VÃO FAZENDO SOBRE CADA FRAGMENTO DO SONHO, ESTÃO DETERMINADAS PELOS CONTEÚDOS PROFUNDOS DO SONHO E QUE SE ENCONTRAM ENLAÇADAS A ESTES CORRETAMENTE.
  9. 9. A INTERPRETAÇÃO DOS SONHOS DESVELA, SOBRETUDO, OS CONTEÚDOS MENTAIS, PENSAMENTOS, DADOS E EXPERIÊNCIAS QUE FORAM REPRIMIDOS OU RECALCADAS, EXCLUÍDOS DA CONSCIÊNCIA PELAS ATIVIDADES DE DEFESA DO EGO E SUPEREGO E ENVIADAS PARA O INCONSCIENTE.
  10. 10. ASSINALA FREUD: “ A FORÇA MOTIVADORA PARA A FORMAÇÃO DE SONHOS É FORNECIDA PELO INCONSCIENTE. ".
  11. 11. O SONHO SE INSCREVE, PORTANTO EM DOIS REGISTROS: O QUE CORRESPONDE AO SONHO LEMBRADO E CONTADO PELA PESSOA DEPOIS DE ACORDADO, CHAMADO CONTEÚDO MANIFESTO DO SONHO. E O OCULTO, INCONSCIENTE, QUE PARA SER DESCOBERTO IMPÕE UMA INTERPRETAÇÃO PRÉVIA, CHAMADO DE CONTEÚDO LATENTE. .
  12. 12. UM SONHO É UMA REALIZAÇÃO (DISFARÇADA) DE UM DESEJO (SUPRIMIDO OU REPRIMIDO). Sigmund Freud
  13. 13. AO ESCUTAR SONHOS DIZ FREUD: 1-NÃO NOS DEVEMOS PREOCUPAR COM O QUE O SONHO PARECE DIZER-NOS, SE ELE É INTELIGÍVEL OU ABSURDO, CLARO OU CONFUSO, JÁ QUE O QUE ESTAMOS BUSCANDO PODE NÃO SER O MATERIAL INCONSCIENTE. 2- DEVEMOS RESTRINGIR NOSSA TAREFA A EVOCAR IDÉIAS SUBSTITUTIVAS PARA CADA ELEMENTO, NÃO DEVEMOS REFLETIR SOBRE ELAS NEM PONDERAR SE TEM ALGO RELEVANTE, E NÃO DEVEMOS FICAR PREOCUPADOS COM QUANTO ELAS DIVERGEM DO ELEMENTO ONÍRICO. 3- DEVEMOS AGUARDAR ATÉ QUE O MATERIAL INCONSCIENTE OCULTO, QUE ESTAMOS PROCURANDO, VENHA A TONA POR SI MESMO. (1916-1917, P.114)
  14. 14. DICAS SOBRE A ANÁLISE DE SONHOS O QUE É INTERPRETADO PSICANALITICAMENTE NÃO É O SONHO, MAS SEUS RELATOS, ASSIM NA SITUAÇÃO ANALÍTICA, O PSICANALISTA ASSUME UMA DAS FUNÇÕES DO SONHO: A DE UM ACORDADOR. NÃO SE ANALISA SONHO DE ANALISANDOS NO INÍCIO DA ANÁLISE. É NECESSÁRIO CONHECER O CONTEXTO DO SONHADOR QUE O LEVA A TER ESTE OU AQUELE SONHO. TODO SONHO TEM UM OBJETO NEUTRO QUE É AQUILO QUE APARECE NO SONHO DESPERCEBIDO EM TODOS OS SONHOS, MESMO QUE O CENÁRIO SEJA MODIFICADO. O OBJETO NEUTRO É A CHAVE DA “DOENÇA”. É AQUILO QUE FOI DESLOCADO NA HORA DA TRAUMA(COR, CHEIRO, OBJETO, ENTRE OUTROS).
  15. 15. DICAS SOBRE A ANÁLISE DE SONHOS NÃO SE INTERROMPE SONHO DE ANALISANDO RELATANDO SONHO. O SONHO É O MANTENEDOR DO SONO. O SONHO DEVE SER ANALISADO DE ACORDO COM O SONHO DE VIDA. NO SONHO O SER HUMANO É SEMPRE O CONTRÁRIO DO QUE É NO ESTADO DE VIGÍLIA. AS PRODUÇÕES ONÍRICAS SÓ PODEM MODIFICAR O CONTEÚDO DOS SONHOS, MAS NÃO O CONTEÚDO DOS AFETOS. UM NEURÓTICO NUNCA TEM SONHO PSICÓTICO. NÃO SE TRABALHA ANÁLISE DE PESADELOS ANTES QUE A TRANSFERÊNCIA TENHA SE ESTABELECIDO.
  16. 16. DICAS SOBRE A ANÁLISE DE SONHOS CASO SE PERGUNTE SE É POSSÍVEL INTERPRETAR TODOS OS SONHOS, A RESPOSTA DEVE SER NEGATIVA. NÃO SE DEVE ESQUECER QUE, NA INTERPRETAÇÃO DE UM SONHO, TEM-SE COMO OPONENTES AS FORÇAS PSÍQUICAS QUE FORAM RESPONSÁVEIS POR SUA DISTORÇÃO. SE UM SONHADOR JÁ ESTÁ FAMILIARIZADO COM A TÉCNICA DA INTERPRETAÇÃO, EVITE DAR-LHE QUAISQUER INSTRUÇÕES E DEIXE-O DECIDIR COM QUE ASSOCIAÇÕES ELE DEVERÁ PRINCIPIAR. (1923, P. 109) SE FOR MUITO DIFÍCIL ACOMPANHAR O PRIMEIRO RELATO DE UM SONHO QUE ME É FEITO PELO PACIENTE, EU LHE PEÇO PARA REPETI-LO. (1900,P.111)
  17. 17. O CENÁRIO DOS SONHOS O CENÁRIO DOS SONHOS SERÁ CORRESPONDENTE A ESTRUTURA DO SUJEITO. O SONHO DE PESSOAS HISTÉRICAS SÃO SEMPRE BONS. NADA LHES ACONTECEM. O SONHO DO OBSESSIVO-COMPULSIVO TEM EM SEU CENÁRIO CAIXÕES, CEMITÉRIOS, CORPOS- ESCREMENTOS. O SONHO NOS FÓBICOS É A FOBIA REAL. OS REPRIMIDOS LIBERAM SUAS ENERGIAS NOS SONHOS EROTÍCOS.
  18. 18. O CENÁRIO DOS SONHOS O SONHO DOS ANSIOSOS SÃO SEMPRE SONHOS DE ANGÚSTIA. O SONHO DOS PSICÓTICOS SÃO SIMPLES. PORQUE SE RELACIONAM AO SEXO COMO IMUNDÍCIE; DESPEDAÇAR; SER ENGOLIDO; DESFAZER-SE. OS MAIS ADOECIDOS NÃO SONHAM, POIS A CAPACIDADE DE SIMBOLIZAÇÃO ESTÁ SERIAMENTE COMPROMETIDA.
  19. 19. FREUD POSTULA QUATRO POSSIBILIDADES DE ONDE PROCEDE O DESEJO QUE SE REALIZA NO SONHO: 1. PODE SER DESPERTADO DURANTE O DIA E NÃO SER SATISFEITO. TRATA-SE DE UM DESEJO RECONHECIDO E INSATISFEITO: PROCEDE DO SISTEMA PRÉ-CONSCIENTE. 2. PODE SER DESPERTADO DURANTE O DIA, MAS HAVER SIDO REPUDIADO: PERMANECE COMO UM DESEJO INSATISFEITO E REPRIMIDO. ESTE DESEJO LOCALIZA-SE NO SISTEMA INCONSCIENTE, DEPOIS DE PASSAR PELO PRÉ-CONSCIENTE.
  20. 20. 3. PODE SER UM DESEJO QUE SURJA DURANTE A NOITE, SEM NENHUMA RELAÇÃO COM A VIDA DESPERTA, EMERGINDO DO REPRIMIDO. ESTE DESEJO PERMANECE NO INCONSCIENTE, SEM POSSIBILIDADE DE PASSAR AO SISTEMA PRÉ- CONSCIENTE. 4. DESEJOS QUE PROVÊM DOS IMPULSOS SURGIDOS DURANTE A NOITE: A SEDE, A NECESSIDADE SEXUAL, ENTRE OUTROS. APARENTEMENTE, A PROCEDÊNCIA DO DESEJO NÃO INFLUI DE NENHUMA MANEIRA NA GÊNESE DE UM SONHO. PORÉM É NECESSÁRIO QUE SE CUMPRA UMA CONDIÇÃO FUNDAMENTAL PARA QUE O DESEJO, PROCEDA DE ONDE PROCEDA, SEJA CAPAZ DE PROVOCAR UM SONHO.
  21. 21. “MINHA SUPOSIÇÃO É QUE UM DESEJO CONSCIENTE SÓ PODE TORNAR-SE UM INDUZIDOR DE SONHO SE OBTIVER SUCESSO EM DESPERTAR UM DESEJO INCONSCIENTE DO MESMO TEOR E CONSEGUIR REFORÇO DELE”. (...) “um desejo que é representado num sonho deve ser um desejo infantil.” Sigmund Freud
  22. 22. PELO DESEJO DE MANTER O ESTADO DE DORMIR, TODOS OS SONHOS SÃO SONHOS DE COMODIDADE. POR ESTE MOTIVO "DURANTE TODO O NOSSO ESTADO DE SONO, SABEMOS COM TANTA CERTEZA QUE ESTAMOS SONHANDO QUANTO SABEMOS QUE ESTAMOS DORMINDO" . Sigmund Freud
  23. 23. EXISTEM QUATRO TIPOS DE FONTES DE SONHO DURANTE O SONO: 1-EXCITAÇÕES SENSORIAIS EXTERNAS (OBJETIVAS): TODO RUÍDO INDISTINTAMENTE PERCEBIDO PROVOCA IMAGENS ONÍRICAS CORRESPONDENTES (EX.: TROVOADA, CANTAR DE UM GALO...); SENSAÇÕES DE FRIO, CALOR.…(EX.: VONTADE DE URINAR, PARTES DO CORPO DESCOBERTAS...). 2-EXCITAÇÕES SENSORIAIS INTERNAS (SUBJETIVAS) DOS ÓRGÃOS DOS SENTIDOS: EXCITAÇÕES SUBJETIVAS DA RETINA, ALUCINAÇÕES HIPNAGÓGICAS OU FENÔMENOS VISUAIS IMAGINATIVOS.
  24. 24. 3-ESTÍMULOS SOMÁTICOS INTERNOS (ORGÂNICOS): DISTÚRBIOS DOS ÓRGÃOS INTERNOS (EX.: CAUSA SONHOS DE ANGÚSTIA) 4-FONTES PSÍQUICAS DE ESTIMULAÇÃO : MATERIAL IMPORTANTE PARA CHEGAR NO INCONSCIENTE, NECESSÁRIO PARA O TRATAMENTO PSICANALÍTICO
  25. 25. O TEXTO TRATA A MANEIRA PELA QUAL O ANALISTA DEVE UTILIZAR A ARTE DA INTERPRETAÇÃO DE SONHOS NO TRATAMENTO PSICANALÍTICO DOS PACIENTES. O PRIMEIRO SONHO DE UMA PACIENTE SE MOSTRA ADMIRAVELMENTE ADEQUADO PARA A INTRODUÇÃO DAS PRIMEIRAS EXPLICAÇÕES, OUTROS SONHOS PRONTAMENTE APARECERÃO, TÃO LONGOS E OBSCUROS, QUE SEU SIGNIFICADO COMPLETO NÃO PODERÁ SER EXTRAÍDO NO LIMITADO PERÍODO DE UM DIA DE TRABALHO.
  26. 26. A INTERPRETAÇÃO QUE POSSA SER REALIZADA EM UMA SESSÃO DEVE SER ACEITA COMO SUFICIENTE E NÃO SE DEVE CONSIDERAR PREJUÍZO QUE O CONTEÚDO DO SONHO NÃO SEJA INTEIRAMENTE DESCOBERTO. TODO IMPULSO DE DESEJO QUE CRIA HOJE UM SONHO REAPARECERÁ NOUTROS SONHOS, ENQUANTO NÃO TIVER SIDO COMPREENDIDO E RETIRADO DO DOMÍNIO DO INCONSCIENTE.
  27. 27. A INTERPRETAÇÃO DE SONHOS NÃO DEVE SER PERSEGUIDA NO TRATAMENTO ANALÍTICO COMO ARTE PELA ARTE, MAS QUE SEU MANEJO DEVE SUBMETER-SE ÀQUELAS REGRAS TÉCNICAS QUE ORIENTAM A DIREÇÃO DO TRATAMENTO UM TODO. MENCIONAREI UM TIPO ESPECÍFICO DE SONHO QUE, CONFORME O CASO, OCORRE APENAS NO DECURSO DO TRATAMENTO PSICANALÍTICO, E PODE DESCONCERTAR OU DESORIENTAR OS PRINCIPIANTES. TRATA-SE DOS SONHOS CORROBORATIVOS QUE, POR ASSIM DIZER, ‘VÃO NO RASTRO’; SÃO FACILMENTE ACESSÍVEIS À ANÁLISE E SUA TRADUÇÃO SIMPLESMENTE APRESENTA O QUE O TRATAMENTO JÁ INFERIU, DURANTE OS ÚLTIMOS DIAS, DO MATERIAL DAS ASSOCIAÇÕES DIÁRIAS.
  28. 28. SONHAR É O PROTÓTIPO DE TODA CRIATIVIDADE PSÍQUICA DO SER HUMANO. Sérgio Costa TODO SONHO É SUBSTANTIVADO E SUBJETIVADO. NUNCA ADJETIVADO. Sérgio Costa

×