ficha de reeducação pedagógica

1.543 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.543
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
25
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
140
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

ficha de reeducação pedagógica

  1. 1. A professor: Ana Sofia Victor Página1 SECRETARIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E FORMAÇÃO DIREÇÃO REGIONAL DA EDUCAÇÃO ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DAS LAJES DO PICO Ficha de Reeducação Pedagógica Ano Letivo 2013/2014 Nome:___________________________________nº :____Turma:___ 1. Lê o texto. No ano de 1859, foi publicada uma teoria que veio pôr em causa a “ordem mundial divina” defendida pela Igreja Católica. O cientista inglês Charles Darwin publicou a obra A origem das espécies e a Seleção Natural, na qual havia trabalhado durante vinte anos. A história da criação do mundo proposta por Darwin tornou-se num best-seller da noite para o dia. Os primeiros 1.250 exemplares impressos esgotaram. Apesar de todos os protestos, a teoria darwiniana impôs-se no meio científico. As provas apresentadas pareciam contundentes: variação, seleção, estabilização da seleção e, repetidamente, o acaso. Darwin afirmava que as espécies são criadas e desaparecem a partir do "princípio da tentativa e erro"; seres vivos superiores desenvolvem-se, assim, a partir de formas menores e menos complexas. A evolução, que tem por base esse princípio, também foi considerada válida para os seres humanos. Segundo Darwin, eramos apenas mamíferos que caminham eretos. O choque do século completava-se: o homem deixava de ser visto à imagem e semelhança de Deus para passar a ser visto como um sucessor do macaco. Na época, Darwin não teve a coragem de dizer isso abertamente, mas deve tê-lo pensado. Levado pelo espírito pesquisador do tempo em que viveu, o cientista inglês passou cinco anos dando a volta ao mundo a bordo do navio Beagle. Nessa viagem, recolheu muitas informações e observações que depois viriam a ser sistematizadas e categorizadas ao longo de sua vida. Para isso, o pai da Teoria da Evolução examinou as mais variadas formações geológicas, bem como uma multiplicidade de organismos e fósseis que encontrou nos diversos continentes e ilhas que visitou.
  2. 2. A professor: Ana Sofia Victor Página2 Lei do mais forte Ao passar pelas Ilhas Galápagos, por exemplo, Darwin anotou no seu diário de pesquisas que em cada ilha do arquipélago existiam diferentes espécies de tartarugas, tordos e tentilhões. Apesar de parentes próximos, os animais encontrados em cada ilha diferenciavam- se no tamanho e na forma de alimentação. Baseando-se nessa observação, Darwin concluiu que todas as espécies semelhantes entre si haviam-se desenvolvido a partir de uma origem comum. Esse mecanismo, que levaria as espécies a modificarem-se para se adaptar ao meio ambiente, foi denominado por ele de "seleção natural", o que faz com que apenas os mais fortes sobrevivam. Nas suas viagens pelo mundo, Darwin chegou à conclusão de que o homem não surgira como criação divina. Mais do que isso, o ser humano foi considerado por ele como produto final – mas ainda provisório – de uma linha de evolução biológica. A teoria darwiniana questionava, assim, as explicações bíblicas de criação do mundo descritas no Gênesis. A ideia de um deus que faz diversas tentativas, comete erros e, mesmo sem dilúvios punitivos, tem que começar tudo de novo, definitivamente não combinava com a imagem do criador todo-poderoso encontrada na Bíblia. O ateísmo propagado pelo espírito científico abalou os fiéis. O clero, no entanto, reagiu com cautela. Afinal, dois séculos antes a Igreja já fora obrigada a reconhecer que o Sol realmente não girava em torno da Terra, indo contra bulas papais e tribunais da Inquisição. E agora mais esta: não fora Deus que tinha criado todos os seres, mas sim, acima de tudo, o acaso! Darwin privava o ser humano de sua condição especial no universo, colocando-o sob o jugo da biologia. Segundo a teoria darwiniana, também o homem precisa adaptar-se às exigências do habitat natural e, no decorrer dos séculos e milênios, fora-se modificando de acordo com o meio. 2. Completa com: há cerca, acerca de, cerca de A conferência será___________ Deus. Mas deveria ter começado ______________uma hora. Por isso, estivemos no café_____________meia hora. Vai haver _____________- trinta participantes. 3. Completa com: se não ou senão Só há um _____________nesta atividade: é preciso ter cuidado com a corda, _______________ podemos cair. Ela não aguenta _______________com o peso de um participante. _______________ficarem calmamente à espera, pode haver um acidente.
  3. 3. A professor: Ana Sofia Victor Página3 4. Completa com “m” ou “n”. a...tigo a...tena a...dar a...tipatia a...biente si...patia a...parar a...ca a...bição a...plo a...dorinha a...pliar 5. Completa com “des” ou “dez”. ...obedecer ...istir ...embro ...onesto ...oito ...anove ...abitar ...ena ...amarrar ...ordem ...embrulhar ...embaciar ...interessar ...iludir ...olador 6. Completa as seguintes palavras com “coa” ou “qua”. ...dra ...dor ...lhar ...rtel ...renta ...drado ...bitar ...xar ...rteto 7. Das duas formas apresentadas, circunda a que está correta. a) Facho ou faxo? b) Coxia ou cochia? c) Hereje ou herege? d) Majestoso ou Magestoso? e) Escasso ou escaço? f) Expontâneo ou Espontâneo? g) Misto ou mixto? h) Ferosmente ou ferozmente? i) Giz ou gis? j) Tacho ou taxo? k) Mexer ou Mecher? n) Sobrehumano ou sobre-humano? o) Re-abilitar ou reabilitar? p) Desumano ou des-humano? q) Co-habitação ou coabitação? r) Crâneo ou crânio? s) Jucoso ou jocoso? t) Custume ou costume? u) Coriano ou coreano? v) Guineense ou Guiniense? w) Azuís ou azuis? x) Heroi ou herói?
  4. 4. A professor: Ana Sofia Victor Página4 l) Manjerico ou Mangerico? m) Hormonal ou ormonal? y) Heroico ou heróico? z) Lençois ou Lençóis? 8. Completa as palavras com a ortografia correta. Atenção, que na grafia de a__ento gráfico e a__ento relacionado com o verbo __entar, há diferença. É impossível a compreen__ão deste ver__o se não percebermos o estado emo__ional do poeta. __empre a olhar para os __ifrões, é natural que se __inta can__ado ao fim do dia. De cada dia que saio do cur__o de Fran__ês tenho a sen__a__ão que com um pouco mais de esfor__o em casa vou poder compreender o que os conferen__istas vão dizer Encontrei no bol__o das cal__as do __imão a pul__eira de ouro que ele pen__ava ter perdido. Já um an__ião da minha aldeia dizia sem sombras de in__erteza: «Deitar __edo e __edo erguer dá saúde e faz cres__er». Não achas que este é um con__elho que devemos __eguir? 9. Resolve a sopa de letras.

×