Capacitação e Formação Continuada no TIC-EDU
O Impacto das novas Tecnologias na Educação <ul><li>No tocante a aprendizagem e ao conhecimento, chegamos a uma transforma...
Aprendizagens complexas e cooperativas na formação <ul><li>As novas Tecnologias da Informação e da Comunicação não são mer...
Aprendizagens complexas e cooperativas na formação <ul><li>Não se trata de reduzir a razão ( lógos ) à razão técnica ( tec...
Aprendizagens complexas e cooperativas na formação <ul><li>Seu papel já não limita a configurações abstratas e formatações...
O Tutor na formação e na construção da Aprendência <ul><li>O Tutor e as novas Tecnologias devem estar à serviço da “paixão...
O Tutor na formação e na construção da Aprendência <ul><li>Educar e tutoriar  possuem o mesmo sentido: emancipar o ser hum...
O Tutor na formação e na construção da Aprendência <ul><li>Ser Tutor significa salvar vidas, pois educar e participar da a...
O Tutor na formação e na construção da Aprendência <ul><li>Para que se desenvolvam experiências de aprendizagem, os  apren...
O Tutor na formação e na construção da Aprendência <ul><li>Assim, a formação continuada é importante por se preocupar em r...
Referências <ul><li>ASSMANN, H; SUNG, Jung Mo.  Competência e sensibilidade solidária . 2 ed. Petrópolis: Vozes, 2001.  </...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Saberes e competências sobre o ser tutor

605 visualizações

Publicada em

Saberes e competências - apresentação

Publicada em: Educação, Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
605
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Saberes e competências sobre o ser tutor

  1. 1. Capacitação e Formação Continuada no TIC-EDU
  2. 2. O Impacto das novas Tecnologias na Educação <ul><li>No tocante a aprendizagem e ao conhecimento, chegamos a uma transformação das ecologias cognitivas ; </li></ul><ul><li>O uso das Novas Tecnologias na educação não possuem a pretensão de substituição do docente, muito menos reduzir seu esforço na organização do processo pedagógico; </li></ul><ul><li>Possuem a intenção de intensificar o pensamento complexo, interativo e transversal , criando novas oportunidades para a construção do conhecimento. </li></ul>
  3. 3. Aprendizagens complexas e cooperativas na formação <ul><li>As novas Tecnologias da Informação e da Comunicação não são meros instrumentos tecnológicos, mas feixes de propriedades ativas ( possibilidades cognitivas ); </li></ul><ul><li>Tecnologias tradicionais : serviam na instrumentação para aumentar o alcance dos sentidos e ações externas (mão, braço, movimento); </li></ul><ul><li>Novas Tecnologias: ampliam o potencial cognitivo do ser humano (cérebro/mente) possibilitando papéis pedagógicos mais complexos e cooperativos. </li></ul>
  4. 4. Aprendizagens complexas e cooperativas na formação <ul><li>Não se trata de reduzir a razão ( lógos ) à razão técnica ( techne ); </li></ul><ul><li>Trata-se de torná-las (razão e técnica) inseparáveis e em muitas instâncias, significantes do processo de aprender e do conhecer ; </li></ul><ul><li>Estamos desafiados a assumirmos um novo enfoque do fenômeno técnico na educação! </li></ul><ul><li>Significa que as novas Tecnologias da Informação se transformaram em elemento constituinte das nossas formas de olharmos o mundo! </li></ul>
  5. 5. Aprendizagens complexas e cooperativas na formação <ul><li>Seu papel já não limita a configurações abstratas e formatações simplistas, mas ao enquadramento de conjuntos complexos de informação disponíveis à Educação; </li></ul><ul><li>Em resumo, as novas tecnologias possuem um papel ativo das formas do aprender e do conhecer; </li></ul><ul><li>A partir daí, surgem implicações antropológicas e epistêmicas nessa parceria entre o ser humano, a educação e as tecnologias. </li></ul>
  6. 6. O Tutor na formação e na construção da Aprendência <ul><li>O Tutor e as novas Tecnologias devem estar à serviço da “paixão de aprender continuamente”; </li></ul><ul><li>Temos o desafio de enfrentarmos os vários analfabetismos, o que significa falta de curiosidade de aprender, e de auxiliar os interessados conjuntamente; </li></ul><ul><li>Compreender o ambiente da disciplina como espaço de troca de saberes. Afinal, Professor , Tutor e cursista contribuem efetivamente à experiência de aprendizagem como processo de personalização do conhecimento! </li></ul>
  7. 7. O Tutor na formação e na construção da Aprendência <ul><li>Educar e tutoriar possuem o mesmo sentido: emancipar o ser humano da exclusão ( apartheid neuronal) , constituindo uma tarefa social responsável e solidária; </li></ul><ul><li>Assim, a ação pedagógica do Ser Tutor abarca uma dimensão desafiadora e provavelmente exigente do ponto de vista ético e humano; </li></ul>
  8. 8. O Tutor na formação e na construção da Aprendência <ul><li>Ser Tutor significa salvar vidas, pois educar e participar da aprendizagem exige engajamento! </li></ul><ul><li>Temos que aprender a sonhar com horizontes educativos novos e amplos; </li></ul><ul><li>Perceber a relevância da subjetividade na esfera da Ead: respeito ao cursista, resgate de sua auto-estima, incentivo e apoio nas suas carências educacionais, motivação, e por fim, entender o ser humano como ser complexo, contraditório e inacabado. </li></ul>
  9. 9. O Tutor na formação e na construção da Aprendência <ul><li>Para que se desenvolvam experiências de aprendizagem, os aprendentes (tutores) devem mobilizados por um envolvimento não apenas mecânico (mera participação nos cursos de formação) ou de estarem presencialmente, mas à distância enquanto educador-sujeito ; </li></ul><ul><li>Requer uma interação social, responsável, dialogal, ética e de alteridade no processo de formação pedagógica ; </li></ul>
  10. 10. O Tutor na formação e na construção da Aprendência <ul><li>Assim, a formação continuada é importante por se preocupar em recriar condições para que Tutores-educadores e também aprendentes se sintam permanentemente desafiados e em estado de apaixonamento pela função que exercem; </li></ul><ul><li>Em suma, significa compreender a importância da formação e da construção do conhecimento; que os processos vitais (cérebro/mente) e os processos de aprendizagem (construção pedagógica, tecnologias cognitivas), são no fundo, a mesma coisa! </li></ul>
  11. 11. Referências <ul><li>ASSMANN, H; SUNG, Jung Mo. Competência e sensibilidade solidária . 2 ed. Petrópolis: Vozes, 2001. </li></ul><ul><li>______. O impacto sociocognitivo das novas Tecnologias. In: ASSMANN, H; SUNG, Jung Mo. Competência e sensibilidade solidária . 2 ed. Petrópolis: Vozes, 2001. </li></ul><ul><li>______. Epistemologia solidária. In: ASSMANN, H; SUNG, Jung Mo. Competência e sensibilidade solidária . 2 ed. Petrópolis: Vozes, 2001. </li></ul><ul><li>______. Reencantar a Educação . Petrópolis: Vozes, 1998. </li></ul><ul><li>______. Sociedade aprendente e sensibilidade solidária. In: ASSMANN, H. Reencantar a Educação . Petrópolis: Vozes, 1998. </li></ul>

×