Pulmao

2.211 visualizações

Publicada em

p+l+

0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.211
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
9
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
33
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Pulmao

  1. 1. Semiologia do aparelho respiratório Ivan da Costa Barros Universidade Federal Fluminense
  2. 2. Principais sintomas respiratórios • Dispnéia • Tosse / expectoração • Cianose - policitemia • Hemoptise • Baqueteamento digital • O “cor pulmonale”
  3. 3. Cardíaca Respiratória Outras • Relacionado a hipertensão • Coronariopatia • Antecedentes reumáticos • Pericardite urêmica • Outros antecedentes: • Alcoolismo • Difteria • Desnutrição • Beriberi • Hipofosfatemia • Toxinas (difiteria etc) • TOSSE SECA • ORTOPNÉIA • Dispnéia paroxística noturna • Dispnéia precedida por edema • Relacionados a ASMA e TABAGISMO • TOSSE PRODUTIVA • TORAX EM TONEL • RONCOS e SIBILOS • PODE TER EDEMA ( cor pulmonale) • Sintomas parecidos com o cardiovascular (Turgência jugular) • Arritmias atriais • Cianose / extremidades frias TRATAMENTOS OPOSTOS • ANEMIA • ACIDOSE • ANSIEDADE • ALTITUDE Dispnéia: Origem
  4. 4. Nas cardiomiopatias dilatadas ( hipertensiva e isquêmica principalmente) Aparecem juntas (edema generalizado com ortopnéia e dipnéia noturna) Etapa final de qualquer outra cardiopatia A dispnéia precede o edema. Predomina a congestão pulmonar que quando complicada com edema, cursa com melhora da dispnéia após a falência do ventrículo D Edema precede a dispnéia, é ascendente até ascite com turgência jugular importante com pulsos presentes (Sinal de Kussmaul e pulso paradoxal) DISPNÉIA E EDEMA DE ORIGEM CARDÍACA Decorrentes de aumento da pressão hidrostática (pulmonar ou sistêmica) Levam à ativação dos baroreceptores, aumento do tônus simpático e do SRAA Com oligúria diurna , edema vespertino e nictúria pela reabsorção dos edemas Sintomas respiratórios relacionados aos esforços e agravados pelo decúbito Nas síndromes restritivas por cardiomiopatias ou pericardiopatias e valvopatia direita (IT ou ET) Agravados por hipoproteinemia Alterações eletrolíticas (ingesta aumentada de sódio) Problemas renais associados FORMAS DE APARECIMENTO
  5. 5. Semiologia respiratória • As síndromes respiratórias: • Restritiva: • Causada por fibrose do pulmão • Taquipnéia é o seu principal sinal! • Obstrutiva: • Causada por bronquite crônica • Complicada com enfisema pulmonar • Aumenta o tempo expiratório !!
  6. 6. Principais tipos de tórax Tórax “em tonel”= Síndrome obstrutiva Paciente cifótico = Síndrome restritiva
  7. 7. A síndrome obstrutiva • “ Blue bloater ” (inchado azul - bronquítico) • Obeso • Cianótico • Policitêmico • Cor pulmonale • Crises sucessivas • Conhecidos nos CTI • “ Pink puffer ” (soprador rosa - enfisematoso) • Magro (longilíneo) • Rosado • Sem muita tosse • Sem cor pulmonale • Quando descompensam tem mau prognóstico
  8. 8. Exemplos típicos de pacientes DPOC a) “blue bloater” b) “pink puffer”
  9. 9. A fisiopatologia respiratória • Mecanismos de regulação respiratória • Sua disfunção aguda e crônica • O transporte de gases • A curva de dissociação da hemoglobina • A análise da gasometria arterial • A circulação pulmonar e sua regulação • Os efeitos da hipercapnia e hipoxemia.
  10. 10. Fisiopatologia respiratória • Hipóxia – estimula os receptores periféricos - O2 • Hipertensão pulmonar – canais de potássio relacionados com O2 • Ação central = hipertensão • Ação periférica = vasodilatação periférica já que os canais de potássio se relacionam com ATP e Oxigênio. Alteração da relação Ventilação / Perfusão Hipóxia Taquipnéia Hipocapnia Hipertensão pulmonar
  11. 11. O diagnóstico respiratório Funcional Etiológico Sindrômico Tratamento e Prognóstico Sinais e sintomas Anatômico
  12. 12. Como examinar ? (mito versus realidade) • Anamnese dirigida • Inspeção (geral) • Palpação • Percussão • Ausculta – murmurios – voz – ruídos adventícios •Anamnese dirigida • Inspeção / Ausculta – murmurios – voz – ruídos adventícios •Palpação (quando preciso) •Percussão(quando preciso)
  13. 13. Principais sinais clínicos das pneumopatia • Unhas e dentes amareladas pelo fumo • Cianose / baqueteamento digital • Aumento do diâmetro AP do tórax • Sinais de cor pulmonale (edema /TVJP) • Aumento do tempo expiratório • Taquipnéia, tiragem ou dispnéia • Alterações da consciência (agitação ou sonolência) • Sinais de colagenose ou de vasculite
  14. 14. Unha amarela O exame da veia Jugular
  15. 15. Baqueteamento digital Causas de baqueteamento: Pulmonares: • Carcinoma brônquico • Empiema • Abscesso pulmonar • Bronquiectasia Cardíacas: • Cardiopatia congênita • Endocardite infecciosa Outras: • Cirrose • Colite ulcerativa • Doença celíaca • Doença de Crohn
  16. 16. Cianose central Se aguda - Sempre urgência clínica !! Cianose central pO2 de 60 mmHg Cianose central É generalizada e acomete mucosas !!
  17. 17. Inspeção (aparelho respiratório) • Tipo de tórax • Padrão respiratório (torácico ou abdominal) • Tiragem intercostal – cornagem - sudorese • Circulação colateral • Cianose central – policitemia • Tórax instável • Batimentos intercostais, abaulamentos
  18. 18. Oclusão de veia cava superior Circulação colateral em paciente com hipertensão porta Tórax de paciente com síndrome consumptiva esplenomegalia Inspeção (tórax)
  19. 19. Exame das mamas • Inspeção – pele (retrações, circulação colateral, mamilos) • Temperatura • Sensibilidade (mastodínia) • Consistência (sinais de flutuação) • Nódulos (sólidos ou císticos) • Secreção (observar manchas na roupa) • Adenomegalia satélite ?
  20. 20. Como examinar
  21. 21. Algumas anormalidades mamárias Mastite aguda Nódulo de mama Retração mamária Galactorréia Ca mama em homem
  22. 22. Palpação além das mamas • Temperatura da pele • Batimentos • intercostais, da fúrcula esternal e do epigástrio • Íctus VE e VD • Frêmitos brônquico e cardíaco • Atritos • Dor a compressão da parede torácica
  23. 23. Percussão • Sempre dos ápices para as bases • Dedos nos espaços intercostais • Delimitar: • Áreas de macicez e timpanismo • Limites inferiores dos pulmões • Macicez hepática – hepatimetria • Espaço de traube
  24. 24. Ausculta • Sempre comparar os dois lados • Observar a relação inspiratória e expiratória • Murmurio brônquico e bronco vesicular • Murmurio vesicular (ins >> expiração) • Procurar por ruídos adventícios • Estertores, sibilos e roncos • O atrito pleural
  25. 25. Ausculta – aspectos fisiológicos • O murmurio brônquico é audível no ápice direito (maior diâmetro do brônquio direito) • Existe broncofonia nessa mesma área. • A pneumonia do ápice direito só pode ser confirmada na presença de MV , de estertores crepitantes e de macicez a percussão
  26. 26. Variações fisiológicas do exame pulmonar Área onde se observa BRONCOFONIA Pectorilóquia afônica e Aumento do FTV Fisiológicos ! Tórax em visão AP Ápice direito
  27. 27. Ruídos adventícios • Cornagem e estridores • Roncos e sibilos • Crepitações • Tele inspiratórias (antigo crepitante) • Holo inspiratórias (antigos subcrepitantes) • Correlacionar estertores úmidos e secos) • Atritos pleuropericárdicos
  28. 28. Principais síndromes respiratórias Inspeção Palpação Percussão Ausculta Condensação pulmonar  expansi- bilidade  FTV maciço  MV Pneumotórax  expansi- bilidade  FTV timpânico  MV Derrame pleural  expansi- bilidade  FTV maciço  MV Atelectasia pulmonar  expansi- bilidade  FTV maciço  MV
  29. 29. A ausculta da voz no exame pulmonar Normal D>E Ápice > base Condensação pulmonar E>D ou Broncofonia - sílabas perceptíveis Pneumotórax Voz distante Derrame pleural Egofonia – no limite superior voz caprina Atelectasia pulmonar Voz distante (brônquio ocluído)
  30. 30. Pneumonia / condensação
  31. 31. Derrame pleural “Parábola de Demoiseau”
  32. 32. Atelectasia pulmonar
  33. 33. Pneumotórax
  34. 34. • 2- “ Blue bloater ” (inchado azul - bronquítico) • Obeso • Cianótico • Policitêmico • Cor pulmonale • Crises sucessivas • Conhecidos nos CTI Abordagem ao paciente pneumopata – Restritiva: • Causada por fibrose do pulmão ou problemas da caixa torácica e pleura • Taquipnéia é o seu principal sinal! – Obstrutiva: • Causada por bronquite crônica • Aumenta o tempo expiratório !! • Complicada com enfisema pulmonar Insuficiências respiratórias Aguda, crônica e crônica agudizada Acidose respiratória por retenção de CO2 Hipoventilação alveolar •1- “ Pink puffer ” (soprador rosa - enfisematoso) • Magro (longilíneo) • Rosado • Sem muita tosse • Sem cor pulmonale • Quando descompensam • tem mau prognóstico • Dispnéia , Tosse / expectoração, Cianose – policitemia, Hemoptise, Baqueteamento digital, O “cor pulmonale”. Exame clínico, radiológico, provas funcionais Ver quadro específico !

×