Brincar matematica

673 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
673
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
26
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • FAZER UMA REFLEXÃO NEGATIVA DE CADA UMA DAS CATEGORIAS
  • FAZER UMA REFLEXÃO NEGATIVA DE CADA UMA DAS CATEGORIAS
  • Brincar matematica

    1. 1. Polo Quitandinha - Petrópolis Formadoras: Cecilia Pinheiro Patrícia Marinho O papel do brincar e do jogar na matem tica e osá Direitos de Aprendizagem
    2. 2. A presença de uma trama entre diferentes modos de conhecimento matemático no brincar pode revelar como a criança estabelece relações complexas entre a reprodução do conhecimento escolar e o uso de sua potencialidade criativa para construir e resolver situações-problema Página 25 Caderno de Apresentação
    3. 3. O jogo como objeto de ensino aprendizagem Para que uma atividade seja considerada como jogo é necessário que ela tenha alguns elementos: -Uma base simbólica - regras -Jogadores -Um investimento/ risco e Incerteza inicial quanto aos resultados.
    4. 4. A BASE SIMBÓLICA Permite que a criança represente os objetos ou acontecimentos fora do seu campo de percepção atual, por meio de símbolos ou signos diferenciado. A partir desta diferenciação , o sujeito pode recordar-se, através dos significantes, dos significados afastados no tempo e /ou espaço.
    5. 5. São normas que são seguidas automaticamente pelos sujeitos, provavelmente por sua experiência e conhecimento prévia AS REGRAS Combinadas com o grupo. Podem mudar de acordo com a ocasião e objetivo e até mesmo conveniência
    6. 6. Formular situações-problema, que requerem tomadas de decisão é uma intervenção essencial para o desenvolvimento do jogo como objeto de ensino aprendizagem. Outro aspecto importante na situação do jogo é buscar o engajamento espontâneo dos sujeitos na atividades proposta. A SITUAÇÃO DO JOGO
    7. 7. Os jogadores podemser... AS CRIANÇAS ATUANTES (participantes diretos) PROFESSOR (mediador)
    8. 8. A incerteza é o sentimento que faz com que o sujeito continue a participar da atividade, e que atrelado ao engajamento espontâneo com que iniciou a tarefa possa ter maior aproveitamento deste tempo.. A probabilidade deverá influenciar na intensidade de participação e no desenvolvimento de suas estratégias e táticas. A incerteza
    9. 9. As crianças jogando desenvolvem atividades e conceitos matemáticos. As crianças jogando desenvolvem atividades e conceitos matemáticos. A criança ao jogar tenta procedimentos que não tentaria em situações reais fora do seu mundo ludo- imaginário, utilizando também conceitos matemáticos que não são tratados na escola. A criança ao jogar tenta procedimentos que não tentaria em situações reais fora do seu mundo ludo- imaginário, utilizando também conceitos matemáticos que não são tratados na escola. Há um processo de criação ou resolução de problemas que as lança a colocar em cena suas capacidades cognitivas. Há um processo de criação ou resolução de problemas que as lança a colocar em cena suas capacidades cognitivas. O professorcomo elaboradore propositor de jogos para favorecer aprendizagens matemáticas parte do princípio que...
    10. 10. Conhecimento das possibilidades do jogo
    11. 11. Atividade matemática no jogo
    12. 12. ENGAJAMENTO ESPONTÂNEO XJOGO COMO ATIVIDADE PEDAGÓGICA MATEMÁTICA ENGAJAMENTO ESPONTÂNEO XJOGO COMO ATIVIDADE PEDAGÓGICA MATEMÁTICA
    13. 13. ENGAJAMENTO ESPONTÂNEO XJOGO COMO ATIVIDADE PEDAGÓGICA MATEMÁTICA ENGAJAMENTO ESPONTÂNEO XJOGO COMO ATIVIDADE PEDAGÓGICA MATEMÁTICA
    14. 14. Eixos do Ensino da Matemática
    15. 15. É imprescindível trabalhar mantendo articulação entre estes eixos, retomando seus temas ao longo dos anos de escolaridade. Cada um destes eixos não é um ponto estanque no currículo. Eles devem dialogar e acontecerem efetivamente de forma ativa em sala de aula, não limitando seu entendimento somente ao conceito de conteúdo, mas ampliando esta visão, desdobrando os conceitos que eles oferecem para serem desenvolvidos.
    16. 16. Direitos de aprendizagem • Ao longo da história da Educação podemos perceber grandes avanços em relação a garantia de acesso e permanência das crianças na escola. Chegamos a um momento, onde precisamos ir além , pensando em como garantir além disto, o direito de aprendizagem dos alunos. Precisamos ter as crianças na escola, diminuir a evasão e a dar o direito que tenham uma progressão de ensino e aprendizagem, além da escolar.
    17. 17. Para refletir? * Os jogos com objetivo pedagógico podem ser uma ferramenta na introdução, ampliação e consolidação destes Direitos? * Para quem são estes Direitos de Aprendizagem? Quem deve garantí-los? * Você acredita que sua prática pedagógica muda quando passa a ter consciência destes Direitos de Aprendizagem?
    18. 18. Tarefa de casa Aplicar um jogo com a turma e preencher o registro com as informações: •Nome do jogo: •Eixo de aprendizagem: • Objetivo do professor: •Registro de como ocorreu a aplicação do jogo, inclusive como o fechamento da tarefa foi executado junto aos alunos: TRAZER O REGISTRO E O JOGO PARA UM SEMINÁRIO

    ×