Workshop Ph Fisiotrainer 24/03/12

374 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
374
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Workshop Ph Fisiotrainer 24/03/12

  1. 1. INAUGURAÇÃO Ph FISIOTRAINER COM WORKSHOPData: 24/03/2012Local: Academia WORKOUT TIJUCA
  2. 2. Programação HORÁRIO PROFISSIONAL ASSUNTO17h às 17:45 COFFEE BREAK 17:45 às Sr. Leonardo Novaes Apresentação da Empresa Ph Fisiotrainer e do 18:00h Diretor Comercial da Ph Fisiotrainer Projeto Musculação Terapêutica Dr. Ft DIEGO RODRIGUES Diretor Técnico da Ph Fisiotrainer Tema da Palestra: 18:00h e Fisioterapeuta da Rede Dor, IDOSOS E DOENÇAS SISTÊMICAS Especializado em Cardiorrespiratória Dr. Ft PEDRO HENRIQUE Tema da Palestra: 18:15h Diretor Administrativoda Ph Fisiotrainer, TRAUMATORTOPEDIA, Fisioterapeuta Especializado em LESÕES DO ESPORTE E LESÕES LABOARAIS Fisiologia do Exercício e Neurologia Tema da Palestra: 18:30h METOLOGIA DA MUSCULAÇÃO TERAPÊUTICA SR. LAMOUNIER DE SOUSA Relato do Paciente: 18:45h Relato do Paciente Patologia: ESCLERÓSE MÚLTIPLA Dr. Ft RICARDO DIAS Fisioterapeuta Tema da Palestra: 19h do Inst. Nacional do Câncer – Inca, CÂNCER E ATIVIDADE FÍSICA Especialista em Drenagem Linfática
  3. 3. Como trabalhamos?
  4. 4. CronologiaOrdem:1º- Necessidade de fisioterapia2º- Indicação de um médico3º- Avaliação fisioterapêutica e funcional4º- Traçado o programa de tratamento5º- Realizado o tratamento, com supervisão do profissional6º- Reavaliação e laudos.
  5. 5. Avaliação Minuciosa Capacidade de esclarecer as reais necessidades do paciente Indicador para apontar o caminho a ser seguido Base para saber se os objetivos estão sendo respeitados Apresentação do Software- Inforfisic
  6. 6. TratamentoPrepara-se a ficha de tratamento do cliente- Utilização de técnicas da fisioterapia no ambiente da academia, que é próprio para tratamentos.- Alteração do programa de tratamento se necessário.- Confecção do laudo técnico fisioterapêutico
  7. 7. FormatoQuiosque: Base de atendimento da Musculação Terapêutica, pode caracterizar-se por uma sala dentro da instituição ou um espaço onde comporte a nossa composição.
  8. 8. Formato Quiosques de trabalho:  Maca Standard  Aparelhos de eletroterapia  Aparelhos de funcional: polias altas, bolas, molas, discos, rodas e Composição etc.  Plataforma vibratória*  Tapete de funcional  Espaldar  Banco
  9. 9. Modelo de atuaçãoInteração de ambiente: O projeto consiste em poder utilizar o espaço reservado para o mesmo, determinado pelo quiosque. Espaço físico da musculação da academia Workout. Aparelhos de exercícios contra a resistência adicional. Aparelhos de características aeróbias.Profissionais: 2 profissionais em cada horário: Fisioterapeuta & fisioterapeuta Fisioterapeuta & Educador Físico
  10. 10. Modelo de atuaçãoAbordagem e responsabilidade aos clientes Os profissionais do projeto são responsáveis por seus clientes e ficam restritos ao atendimento dos mesmos , sem a obrigação de prestar atenção nos demais clientes da academia. Os materiais do quiosques pertencem a empresa, não sendo responsabilidade, nem com possibilidade de uso de clientes ou funcionários da academia.
  11. 11. Interação inter-metodologicas Musculação Rpg e Pilates terapias manuais Musculação Personal terapêutica
  12. 12. Interação inter-metodologicas Pilates: Clientes que se queixam na própria técnica, ou clientes que necessitem do método e não conhecem. Personal: Filtragem e reforço do treinamento com esse profissional RPG & Terapia manual: Ligação direta com o tratamento dos clientes (pacientes). Musculação: Agregar valor ao treinamento resistido, e quebra de tabu.
  13. 13. PARCERIA
  14. 14. Ph Fisiotrainer Dr. Ft. Diego Rodrigues de Oliveira Diretor Técnico Ph Fisiotrainer
  15. 15. Envelhecimento Sarcopenia Osteopenia-Osteoporose Fraturas Desgastes Articulares Perda de Flexibilidade Enrijecimento Vascular Declínio da Capacidade Funcional Exclusão Social Dr. Ft. Diego Rodrigues de Oliveira Diretor Técnico Ph Fisiotrainer
  16. 16. Alterações Cardiovasculares A Diminuição do Volume Sanguíneo Aumento Tec. Colágeno + Diminuição Elastina (Enrijecimento Vascular) Aumento da PA Espessamento da Parede Ventricular Aumento da FC Dr. Ft. Diego Rodrigues de Oliveira Diretor Técnico Ph Fisiotrainer
  17. 17. Bases Fisiológicas do Exercício  Intensidade  Freqüência Volume  Duração Dr. Ft. Diego Rodrigues de Oliveira Diretor Técnico Ph Fisiotrainer
  18. 18. Treinamento de Força Treinamento de Força Complementar ao Aeróbico  Força Componente Motor (Coordenativo) Componente Hipertrófico Dr. Ft. Diego Rodrigues de Oliveira Diretor Técnico Ph Fisiotrainer
  19. 19. Alteração Neuromuscular Concentra-se na capacidade do músculo de gerar tensão e na qualidade dessa contração. Mulheres expressam declínio mais acentuado da força em relação aos homens (FLECK E KRAEMER, 1999). Dr. Ft. Diego Rodrigues de Oliveira Diretor Técnico Ph Fisiotrainer
  20. 20. Exercício O exercício age positivamente na promoção da saúde global do idoso devido à sobrecarga gradativa e controlada que este treinamento envolve. De acordo com estudos de Mcardle; Katch, Katch, (2002), o processo de envelhecimento e a fragilidade física eram tratados como inevitáveis; hoje se sabe que essa opinião tradicional sofreu uma mudança drástica. Dr. Ft. Diego Rodrigues de Oliveira Diretor Técnico Ph Fisiotrainer
  21. 21. Hipertensão Arterial (HAS)Revisão da Literatura A hipertensão arterial sistêmica (HAS) é conceituada como uma síndrome multifatorial, caracterizada pela presença de níveis de pressão arterial sistólicos (PAS) e diastólicos (PAD) elevados (RONDON e BRUM, 2003). Dr. Ft. Diego Rodrigues de Oliveira Diretor Técnico Ph Fisiotrainer
  22. 22. Aumento da Resistência Periférica Dr. Ft. Diego Rodrigues de Oliveira Diretor Técnico Ph Fisiotrainer
  23. 23. Hipotensão Pós-Exercícios O treinamento físico leva à diminuição da pressão arterial de repouso (SBH, SBC, SBN, 2002). No entanto esse efeito é mais pronunciado em indivíduos hipertensos uma vez que a maioria dos estudos realizados em normotensos não mostrou modificação da pressão arterial (SILVA, 1997). Dr. Ft. Diego Rodrigues de Oliveira Diretor Técnico Ph Fisiotrainer
  24. 24. Diabetes Mellitus (DM) O Diabetes Mellitus (DM) não é uma única doença, mas um grupo heterogêneo de distúrbios metabólicos que apresentam em comum a hiperglicemia.Essa hiperglicemia é o resultado de defeitos na ação da insulina, na secreção de insulina ou em ambos (SBD,2006). Dr. Ft. Diego Rodrigues de Oliveira Diretor Técnico Ph Fisiotrainer
  25. 25. Diabetes Mellitus (DM) Variáveis Importantes Controle Glicêmico (HGT) Dose de Insulina Neuropatias autonômica Maior risco de cardiopatias Dr. Ft. Diego Rodrigues de Oliveira Diretor Técnico Ph Fisiotrainer
  26. 26. Exercício Físico O exercício físico caracteriza-se por uma situação queretira o organismo de seu equilíbrio (homeostase), poisimplica no aumento instantâneo da demanda energética damusculatura ativa e, consequentemente, do organismo comoum todo. Assim, para suprir a nova demanda metabólica,varias adaptações fisiológicas são necessárias e, dentre elas,as referentes a função cardiovascular durante o exercíciofísico (BRUM, 2004). Dr. Ft. Diego Rodrigues de Oliveira Diretor Técnico Ph Fisiotrainer
  27. 27. Benefícios do Exercício Melhora da Coordenação (Adaptações Neurais) Reduz os Níveis de PA (Pressão Arterial) Aproveitamento Eficaz da Glicose (Reduz Glicemia) Potencializa a Densidade Mineral Óssea Redistribuição do Fluxo Sanguíneo Socialização do Idoso Dr. Ft. Diego Rodrigues de Oliveira Diretor Técnico Ph Fisiotrainer
  28. 28. Redistribuição do Fluxo Sanguíneo Dr. Ft. Diego Rodrigues de Oliveira Diretor Técnico Ph Fisiotrainer
  29. 29. Conclusão (HAS) Conclui-se que as adaptações agudas e crônicas do exercício físico regular são benéficas ao paciente hipertenso por proporcionarem um importante impacto sobre os níveis de repouso da pressão arterial, fazendo com que ele obtenha um maior controle de sua PA. Dr. Ft. Diego Rodrigues de Oliveira Diretor Técnico Ph Fisiotrainer
  30. 30. Conclusão (DM) Um programa de exercício físico regular, de intensidade moderada, auxilia no controle glicêmico do indivíduo com DM2, tratado ou não com insulina,sendo que seu efeito já é observado em uma sessão de exercício (Arq Bras Endocrinol Metab vol 46 nº 5 Outubro 2002). Dr. Ft. Diego Rodrigues de Oliveira Diretor Técnico Ph Fisiotrainer
  31. 31. Dr. Ft DIEGO RODRIGUES Diretor Técnico da Ph Fisiotrainer Fisioterapeuta da Rede Rio’s Dor Especializado em Cardiorrespiratória CONTATOS: www.phfisiotrainer.com.br contato@phfisiotrainer.com.br tecnico@phfisiotrainer.com.br Tel: 21 9113-0177 / 7767-1949 id: 65*101429
  32. 32. Ph Fisiotrainer Traumato-Ortopédia LaboralAtletas profissionais/amadores Dr. Ft. Pedro Henrique Diretor Administrativo Ph Fisiotrainer
  33. 33. Traumato-Ortopédia Lesões traumato-ortopédicas: São lesões ou disfunções de causa traumáticas, ou ortopédicas: Acidentes (automobilísticos, Traumas diretos) Quedas (Idosos são os mais afetados) Posturais (Adaptativas por posicionamentos) Dr. Ft. Pedro Henrique Diretor Administrativo Ph Fisiotrainer
  34. 34. Traumato-Ortopédia Dr. Ft. Pedro Henrique Diretor Administrativo Ph Fisiotrainer
  35. 35. Traumato-Ortopédia Acidentes (Jovens com maior prevalência, principalmente os automobilísticos e ligados ao esporte) Quedas (Idosos são os mais afetados, com principal consequência a fratura de Fêmur) Posturais e Adaptativas (Adaptativas por posicionamentos) Dr. Ft. Pedro Henrique Diretor Administrativo Ph Fisiotrainer
  36. 36. Laboral Posturas inadequadas por um longo tempo: Cadeiras, automóveis, cargas excessivas em posições não indicadas Ambientes não adequadas a ergonomia necessária. Quadro álgicos constantes, que na adaptação traz posturas indesejadas Dr. Ft. Pedro Henrique Diretor Administrativo Ph Fisiotrainer
  37. 37. Atletas Disfunções e lesões constantes, por uma atividade que os levam ao extremo Os atletas de fim de semana, sofrem com injúrias que aparecem, por falta de cuidados devidos São submetidos a fisioterapia repetidamente em sua vida útil, necessitando de TTO assertivos. Dr. Ft. Pedro Henrique Diretor Administrativo Ph Fisiotrainer
  38. 38. Traumato-Ortopédia Patologias Relacionadas  Entorse de Tornozelo  Cirúrgias  Fratura de Fêmur  Tratamento Medicamentoso  Hérnia Discal  Tratamentos Conservadores  Dedo em Botoeira  Fisioterapia  Osteoporose  Atividade Física  Artrose  Massoterapia  Froxidão Ligamentar Dr. Ft. Pedro Henrique Diretor Administrativo Ph Fisiotrainer
  39. 39. Traumato-Ortopédia Movimento de abdução, extensão e rotação externa. Tipo de Adução, flexão e rot. tratamento: interna Constatação da Fisioterapia lesão: trauma, (Tradicional, posicionamento RPG, Pilates, e etc. Musculação) Local de realização: Clínicas Interferência Academias médica: Cirurgia Estúdios ou TTO conservador Dr. Ft. Pedro Henrique Diretor Administrativo Ph Fisiotrainer
  40. 40. Traumato-OrtopédiaGeralmente coloca-se tudo misturado, analisar á real necessidade do paciente. RPG Pilates Eletroterapia Dr. Ft. Pedro Henrique Diretor Administrativo Ph Fisiotrainer
  41. 41. Traumato-OrtopédiaConsiderar: Estruturas que influenciam a Déficit na angulação estabilidade articular fisiológica- alinhamento Musculatura envolvida na articulação Dr. Ft. Pedro Henrique Diretor Administrativo Ph Fisiotrainer
  42. 42. Traumato-OrtopédiaMobilização/manipulação Atuar na musculatura Movimento Manipulação Dr. Ft. Pedro Henrique Diretor Administrativo Ph Fisiotrainer
  43. 43. Traumato-OrtopédiaProcura-se: 3º- Trabalhar na amplitude 4º- Trabalhar conseguida e com os itens fortalecimento que remetem a da musculatura função do envolvida individuo: fortalecimento e exercícios específicos 1º- Analgésia da estrura e 2º- Aumento da manutenção da mobilidade, aumento mobilidade da AM e integridade muscular Dr. Ft. Pedro Henrique Diretor Administrativo Ph Fisiotrainer
  44. 44. Traumato-Ortopédia 1º- Eletroterapia, termoterapia e exercícios específicos. (Ministrando medicamentos) 2º- Manobras e manipulações e exercícios específicos sem resistência ou com resistências baixas. 3º- Manobras, exercícios de flexibilidade e fortalecimento na musculatura relacionada e inicio de movimentos gerais da articulação. Fortalecimento com resistências plenas e atividades simulando as operações do dia-dia. Dr. Ft. Pedro Henrique Diretor Administrativo Ph Fisiotrainer
  45. 45. Traumato-Ortopédia 1º- Analgésia da estrura e manutenção da mobilidade. Dr. Ft. Pedro Henrique Diretor Administrativo Ph Fisiotrainer
  46. 46. Traumato-Ortopédia2º- Aumento da mobilidade, aumento da AM e integridade muscular Dr. Ft. Pedro Henrique Diretor Administrativo Ph Fisiotrainer
  47. 47. Traumato-Ortopédia  Trabalhar na amplitude conseguida e fortalecimento da musculatura envolvida Dr. Ft. Pedro Henrique Diretor Administrativo Ph Fisiotrainer
  48. 48. Traumato-Ortopédia Dr. Ft. Pedro Henrique Diretor Administrativo Ph Fisiotrainer
  49. 49. Traumato-Ortopédia Dr. Ft. Pedro Henrique Diretor Administrativo Ph Fisiotrainer
  50. 50. Dr. Ft PEDRO HENRIQUE Diretor Administrativo da Ph Fisiotrainer Fisiologista do Exercício Especialista em Grupos Especiais e em Neurociência CONTATOS: www.phfisiotrainer.com.br contato@phfisiotrainer.com.br administrativo@phfisiotrainer.com.br 21 7862-8799 / id 83*74868

×