O Art. 170 da Constituição Federal de 1988
sob a ótica da Teoria Tridimensional de
Miguel Reale.

Sílvio Corrêa da Silva J...
 A teoria tridimensional do Direito de Miguel Reale,
conhecida internacionalmente no âmbito jurídico é
uma teoria que ino...
Leciona Miguel Reale que “uma análise em
profundidade dos diversos sentidos da palavra Direito
veio demonstrar que eles co...
 A teoria tridimensional do direito realena é tida como dinâmica e
concreta, deixando claro que norma, fato e valor são e...
O art. 170 da Constituição Federal de 1988
Art. 170 - A ordem econômica, fundada na valorização do trabalho humano e na l...
 A Ordem Econômica é caracterizada pelo conjunto de
normas constitucionais que estabelecem um modelo para a
economia atra...
 O artigo 170 da CF/88 é exemplo da teoria tridimensional
realena, uma vez que o elemento normativo resta
caracterizado p...
 Em suma, se o direito é fato, valor e norma, a realidade
econômica do país deve refletir as necessidades da
coletividade...
Referências Bibliográficas
 BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil.
Brasília: Senado...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

O art. 170 da constituição federal de 1988 sob a ótica da teoria tridimensional de miguel reale

827 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
827
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O art. 170 da constituição federal de 1988 sob a ótica da teoria tridimensional de miguel reale

  1. 1. O Art. 170 da Constituição Federal de 1988 sob a ótica da Teoria Tridimensional de Miguel Reale. Sílvio Corrêa da Silva Júnior 2014
  2. 2.  A teoria tridimensional do Direito de Miguel Reale, conhecida internacionalmente no âmbito jurídico é uma teoria que inovou ao superar o normativismo jurídico que prevalecia nos meios acadêmicos e jurisprudenciais da época, dando maior ênfase ao culturalismo jurídico na construção da norma.  Culturalismo Jurídico: caracteriza o direito como um objeto criado pelo homem, dotado de um sentido de conteúdo valorativo, influenciado e definido pela cultura.
  3. 3. Leciona Miguel Reale que “uma análise em profundidade dos diversos sentidos da palavra Direito veio demonstrar que eles correspondem a três aspectos básicos, discerníveis em todo e qualquer momento da vida jurídica: um aspecto normativo (o Direito como ordenamento e sua respectiva ciência); um aspecto fático (o Direito como fato, ou em sua efetividade social e histórica) e um aspecto axiológico (o Direito como valor de Justiça)” (REALE, 2001).
  4. 4.  A teoria tridimensional do direito realena é tida como dinâmica e concreta, deixando claro que norma, fato e valor são elementos essenciais da experiência jurídica.  Pode-se dizer que a norma (N) é produzida por um órgão dotado de poder normativo (P), no caso, o Poder Legislativo que interpreta os fatos na realidade concreta do meio social (F) à luz dos valores (V1, V2, V3) compartilhados pela sociedade (intenções de valor), conforme o que seja entendido por "interesse público" (direções normativas).
  5. 5. O art. 170 da Constituição Federal de 1988 Art. 170 - A ordem econômica, fundada na valorização do trabalho humano e na livre iniciativa, tem por fim assegurar a todos existência digna, conforme os ditames da justiça social, observados os seguintes princípios: I - soberania nacional; II - propriedade privada; III - função social da propriedade; IV - livre concorrência; V - defesa do consumidor; VI - defesa do meio ambiente; VI - defesa do meio ambiente, inclusive mediante tratamento diferenciado conforme o impacto ambiental dos produtos e serviços e de seus processos de elaboração e prestação; VII - redução das desigualdades regionais e sociais; VIII - busca do pleno emprego; IX - tratamento favorecido para as empresas de pequeno porte constituídas sob as leis brasileiras e que tenham sua sede e administração no País. Parágrafo único. É assegurado a todos o livre exercício de qualquer atividade econômica, independentemente de autorização de órgãos públicos, salvo nos casos previstos em lei.  Parágrafo único. É assegurado a todos o livre exercício de qualquer atividade econômica, independentemente de autorização de órgãos públicos, salvo nos casos previstos em lei.
  6. 6.  A Ordem Econômica é caracterizada pelo conjunto de normas constitucionais que estabelecem um modelo para a economia através da formação de objetivos, atentando sempre para os limites da intervenção do Estado nessa área.  Os princípios expressos no texto do artigo 170 indicam o norte da ordem econômica, analisados de acordo com o sistema constitucional, que tem como foco a função social.
  7. 7.  O artigo 170 da CF/88 é exemplo da teoria tridimensional realena, uma vez que o elemento normativo resta caracterizado pelo próprio conteúdo do dispositivo elaborado através de um processo legislativo.  O elemento fático encontra-se na regulamentação dos princípios que regem a ordem econômica, refletindo, assim, o fato socioeconômico brasileiro. (Incisos I ao IX).  Por fim, o elemento valorativo é destacado pela valorização do trabalho humano e da livre iniciativa, com a finalidade de assegurar a todos uma existência digna, conforme os ditames da justiça social.
  8. 8.  Em suma, se o direito é fato, valor e norma, a realidade econômica do país deve refletir as necessidades da coletividade em conformidade com os hábitos e costumes da mesma. Destarte, o direito deve ser positivado através de princípios e valores que proporcionem bem-estar social, acompanhando, portanto a evolução cultural da sociedade.
  9. 9. Referências Bibliográficas  BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado, 1988.  REALE, Miguel. Noções Preliminares de Direito. 25 Edição. São Paulo: Saraiva.2001.  CARDOSO, Ricardo Lopes; SARAVIA, Enrique; TENORIO, Fernando Guilherme e SILVA, Marcelo Adriano. Regulação de da Contabilidade: Teorias e Análise de da Convergência dos Padrões Contábeis Brasileiros e ao IFRS. Rev. Adm. Pública [online]. 2009, vol.43, n.4 [citado 2014/02/10], pp 773-799. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S003476122009000400003&lng=en&nrm=iso>.  GONZALEZ, Everaldo Tadeu Quilic. A Teoria Tridimensional do Direito de Miguel Reale e o novo Código Civil brasileiro. Disponível em: < http://www.unimep.br/phpg/mostraacademica/anais/4mostra/pdfs/145.pdf >.

×