• Salvar
Esquizofrenia
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Esquizofrenia

on

  • 7,597 visualizações

 

Estatísticas

Visualizações

Visualizações totais
7,597
Visualizações no SlideShare
7,173
Visualizações incorporadas
424

Actions

Curtidas
12
Downloads
0
Comentários
1

8 Incorporações 424

http://www.lando.mp 346
http://silviapimenta.blogspot.pt 25
http://silviapimenta.blogspot.com 23
http://www.slideshare.net 11
http://www.silviapimenta.blogspot.com 8
http://www.silviapimenta.blogspot.com.br 5
http://www.silviapimenta.blogspot.pt 4
http://silviapimenta.blogspot.com.br 2
Mais...

Categorias

Carregar detalhes

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Direitos de uso

© Todos os direitos reservados

Report content

Sinalizado como impróprio Sinalizar como impróprio
Sinalizar como impróprio

Selecione a razão para sinalizar essa apresentação como imprópria.

Cancelar
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Tem certeza que quer?
    Sua mensagem vai aqui
    Processing...
Publicar comentário
Editar seu comentário

Esquizofrenia Presentation Transcript

  • 1. Esquizofrenia Ana Mafalda Ramos – 154 Duarte Fialho – 823 Joana Silva – 1346 Sílvia Pimenta - 2564
  • 2. Origem do nome:
    • Do grego “ phrenés ”, parte do corpo identificada por fazer a ligação entre o corpo e a alma
    • Eugen Bleuler deu nome à Esquizofrenia , desordem que era conhecida anteriormente como dementia praecox
    Eugen Bleuler – psiquiatra suiço (1857-1939)
    • Bleuler entendeu que a condição não era uma demência ou exclusiva de indivíduos jovens (praecox significa precoce). Assim, ele nomeou a doença com um termo menos estigmatizante, mas ainda controverso das raízes gregas schizo (dividida) e phrene (mente).
  • 3.
    • O essencial
    • Aparece mais cedo nos homens (geralmente no fim da adolescência ou no inicio da idade adulta) do que das mulheres
    • A maioria dos doentes esquizofrénicos continua a sofrer de alguns sintomas durante toda a vida
    • Apenas 1 em cada 5 doentes recupera completamente
    • Doença cerebral crónica, grave e debilitante
    • Em cada 10 milhões de habitantes (a população de Portugal) cerca de 100 mil desenvolvem a doença
  • 4.
    • Sintomas
    • Positivos:
    • Ideias delirantes
    • Alucinações
    • Negativos:
    • Falta de emoções
    • Disfunção social
    • Discurso desorganizado
    • Comportamento catatónico
    • Cognitivos:
    • Deficiências ao nível da memória e da aprendizagem
  • 5. Subtipos de Esquizofrenia
    • Disfunção social e deficiências ao nível da memória e da apredisagem
    • Todos os seguintes sintomas são dominantes: discurso desorganizado, comportamento desorganizado ou afecto inapropriado
    TIPO RESIDUAL TIPO INDIFERENCIADO
    • Imobilidade motora evidenciada por catalepsia
    • Actividade motora excessiva
    • Negativismo extremo
    • Movimentos estereotipados
    • Ecopraxia – repetição involuntária ou a imitação dos movimentos de outras pessoas
    TIPO CATATÓNICO
    • Prognóstico mais grave, geralmente com crises muito graves e com poucas melhoras desde a primeira manifestação
    TIPO HEBEFRÉNICO
    • Preocupação com uma ou mais ideias delirantes ou alucinações auditivas frequentes;
    • Nenhum dos seguintes sintomas é dominante: discurso desorganizado, comportamento catatónico ou afecto inapropriado
    TIPO PARANÓIDE
  • 6.  
  • 7.
    • Causas
    • Factores genéticos:
    • Contudo , se o factor genético fosse a única causa da esquizofrenia, ambos os gémeos monozigóticos desenvolveriam esta doença
    • Tendência para ambos os gémeos monozigóticos desenvolverem esquizofrenia varia entre 30 e 50%, enquanto que para os dizigóticos a tendência ronda os 15%
  • 8.
    • Stress na família
    • Interacções sociais pobres
    • Desnutrição, infecções ou vírus
    • Traumatismos em idade jovem
    • De algum modo, o código genético dos indivíduos em conjunto com os factores não genéticos (ambientais) podem causar esquizofrenia
    • Factores ambientais:
  • 9. Neurotransmissores: Dopamina : neurotransmissor, tem como principal função a actividade estimulante do sistema nervoso central Glutamato : neurotransmissor excitatório do sistema nervoso, o mais comum em mamíferos. As membranas de neurónios possuem transportadores de glutamato que retiram rapidamente este aminoácido do espaço extracelular. Em caso de patologia cerebral há acumulação de glutamato podendo levar à apoptose (morte celular). Excitotoxicidade
  • 10. Zonas cerebrais afectadas:
  • 11. Quais os exames elaborados?
    • Entrevista ao paciente;
    • Entrevista aos familiares e amigos.
    Saber o tipo de sintomas e qual a sua duração
    • Recolha de sangue, análise de DNA
  • 12.
    • Tratamento
    • É tratável e controlável
    • A maioria das pessoas que se tornam esquizofrénicas necessita de ser hospitalizada durante o período de tempo em que os seus sintomas são particularmente graves
    • As pessoas podem parar o tratamento por causa dos efeitos laterais da medicação ou do pensamento desorganizado
    • Os doentes que param de tomar a medicação prescrita correm um risco elevado de sofrerem uma recaída de um episódio psicótico agudo
  • 13.
    • Medicação
    • As pessoas que seguem programas estruturados de reabilitação psicossocial e continuam com o seu tratamento médico controlam melhor a sua doença
    • Os efeitos laterais comuns dos fármacos usados para tratar a esquizofrenia são: boca seca, prisão de ventre, visão turva e sonolência
    • Os medicamentos principais para a esquizofrenia chamam-se antipsicóticos .
    • Cerca de 75 % das pessoas com esquizofrenia respondem aos medicamentos antipsicóticos convencionais (introduzidos na década de 50), como:
    • clorpromazina;
    • flufenazina;
    • haloperidol;
    • Medicamentos antipsicóticos não convencionais (década de 90):
    • Olanzapina;
    • Risperidona;
    • Clozapina.
  • 14. Como funcionam os antipsicóticos?
    • A clorpromazina e a flufenazina têm como principal objectivo o controlo dos sintomas positivos.
    • actuam ao nível das sinapses, impedindo a recepção de dopamina pelo neurónio pós sináptico.
    • Os antipsicóticos não convencionais:
    • menos efeitos adversos,
    • melhor eficácia contra sintomas quer positivos quer negativos,
    • melhoram os níveis de memória,
    • reduzem as tendências suicidas,
    • reduzem as alucinações.
    Antipsicóticos convencionais :
  • 15. Níveis de Dopamina:
  • 16. Famosos com a doença
    • John Nash (prémio Nobel de Economia)
    • Van Gogh (pintor)
    • Einstein
    • Eduard Einstein (Filho de Einstein)
    • Princesa Alice de Battenberg
    • Jim Gordon (músico)
    • Syd Barrett (guitarrista dos Pink Floyd)
    Mente Brilhante
  • 17. Acupunctura e efeitos
    • A partir de 1970, tiveram início diversos estudos científicos no sentido de comprovar a eficácia da acupuntura. A Organização Mundial de Saúde (OMS) editou uma lista com 41 doenças que apresentaram excelentes resultados com o tratamento de acupunctura
    • Selecção de pontos para esquizofrenia: 24VG e 20VG são pontos locais. Estes pontos são considerados sintomáticos para o tratamento de problemas psiquiátricos. Outros pontos podem ser usados: 23VG
  • 18. Visão médico-espírita
    • Não é apenas orgânica pois há o adoecer da relação da criatura com o Criador (não cumprimento das leis Divinas);
    • A esquizofrenia é a doença mais grave que o espírito passa no processo encarnatório – espíritos suicidas ou homicidas noutras vidas;
    • Os seus componentes genéticos são fruto da lei Causa-Efeito (a escolha genética está em sintonia com a condição espiritual do indivíduo);
    • A doença é um instrumento de cura.
    • A família do doente não é escolhida por acaso. Há uma afinidade espiritual.
    • Há pessoas diagnosticadas como esquizofrénicas, mas são médiuns – vêem e ouvem REALMENTE os espíritos desencarnados.
  • 19. Bibliografia
    • http://www.youtube.com/watch?v=24og4X-JBUY&feature=related
    • http://www.schizophrenia.com/index.php
    • http://www.mentalhealth.com/dis/p20-ps01.html
    • http://thalamus.wustl.edu/course/
    • http ://www.centroaba.com/pt/
    • http:// www.medtropolis.com/vbody.asp
    • http://www.pbs.org/wnet/brain/3d/index.html
    • http:// www.saude-mental.net / esquizofrenia  
    • http:// www.drashirleydecampos.com.br /noticias/13255  
    • http://www.nimh.nih.gov/health/topics/schizophrenia/index.shtml  
  • 20. FIM