Ppt pais 2009_2010

257 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
257
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ppt pais 2009_2010

  1. 1. EB1/PE ESCOLA DE SÃO JOÃO - EXTERNATO
  2. 2. Projecto Educativo  Este é um instrumento essencial no processo de inovação e gestão da Escola. É um conjunto de orientações, elaborado pelos órgãos da Escola - Comunidade Educativa para explicitar os princípios e valores que norteiam o percurso educativo, bem como define as estratégias e metas a alcançar, ao longo de três anos (2010-2013).
  3. 3. Projecto Educativo O que pretendemos?  Os princípios que norteiam o processo educativo da nossa escola, imbuídos numa perspectiva cristã, católica e do carisma da Irmã Wilson, têm em conta um sistema de valores transcendentais ao ser humano e nas relações sociais, que ajudam a preparar as novas gerações para uma convivência de fraternidade, solidariedade, competência profissional, liberdade responsável e compromisso.
  4. 4. Projecto Educativo valores e princípios:  O desenvolvimento do educando a nível físico, cognitivo, afectivo, social, moral e religioso;  A valorização das dimensões relacionais da aprendizagem e dos princípios éticos que regulam o relacionamento com o saber e com os outros;  A valorização do ambiente e da natureza, através da educação para os valores ecológicos;  A educação da fé como parte integrante da formação da pessoa, a partir das vivências dos alunos promovendo a abertura à palavra de Deus;
  5. 5. Projecto Educativo Competências gerais  Contribuir para o desenvolvimento integral da pessoa para o saber, saber ser, saber estar e saber viver juntos.  Promover pedagogias diferenciadas para atingir o sucesso escolar, tendo em conta as diferenças individuais, sociais e culturais respeitando os ritmos de aprendizagem.
  6. 6. Projecto Curricular de Escola  O P.C.E. intitula-se Saber Ser e Saber Estar. É nossa intenção que as crianças adquiram competências no sentido de agir em comunidade, tendo por base valores essenciais a uma boa convivência social.
  7. 7. Regulamento Interno  O Regulamento desta comunidade Educativa tem como objectivo evidenciar as normas que regem a sua acção educativa.  O presente regulamento apresenta um conjunto de disposições relativas à estrutura e ao funcionamento da escola, as quais se aplicam a todos os membros da comunidade educativa.  Cada membro desta Comunidade Educativa deverá participar de forma activa e consciente no desempenho das suas funções definidas neste regulamento.
  8. 8. Regulamento Interno  As inscrições neste estabelecimento de ensino destina-se a todas as crianças desde que seja aceite o espírito do Projecto Educativo e Regulamento Interno;  A Direcção reserva-se ao direito de negar a renovação de matrícula aos alunos que por irregularidade de procedimento não se adaptem às exigências consignadas no Regulamento Interno. Condições de Admissão:
  9. 9. Alunos - Direitos  Usufruir do ensino e de uma educação de qualidade de acordo com o previsto na lei em condições de efectiva igualdade de oportunidades no acesso;  Beneficiar de actividades e medidas de apoio específico, designadamente no âmbito de intervenção dos serviços de psicologia e orientação escolar ou de outros serviços especializados de apoio educativo;  Ser avaliado no seu aproveitamento escolar com objectividade, tendo conhecimento do seu processo e critérios de avaliação, com confidencialidade dos elementos constantes do seu processo individual; Regulamento Interno
  10. 10. Alunos - Deveres Por forma a haver harmonia na escola, o aluno deve:  Ser assíduo, pontual e dedicado no cumprimento dos seus deveres e actividades escolares;  Seguir as orientações dos professores relativas ao seu processo de ensino, aprendizagem e desenvolvimento;  Tratar com correcção todos os membros da comunidade escolar;  Respeitar a integridade física e moral de todos os membros da comunidade educativa; Regulamento Interno
  11. 11. Encarregados de Educação - Direitos  Ter conhecimento e beneficiar do horário de atendimento dos professores;  Participar na vida da Escola;  Ser informado sobre a legislação e normas que lhes digam respeito, sem contudo ter direito à decisão de retenção ou transição do seu educando. Tal tarefa compete ao professor titular e, em último caso, ao Conselho Escolar;  Ter acesso a informações relacionadas com o processo educativo do seu educando;  Ser avisado acerca das faltas dadas pelo seu educando. Regulamento Interno
  12. 12. Medidas Educativas Disciplinares  O comportamento que contrarie as normas de conduta e de convivência e se traduza no incumprimento de dever geral ou especial, revelando-se perturbador do regular funcionamento das actividades da Escola ou nas relações na Comunidade Educativa, deve ser objecto de intervenção, sendo passível de aplicação de medida educativa disciplinar. Regulamento Interno
  13. 13.  1- Advertência ao aluno (Chamada de atenção verbal perante um comportamento perturbador do regular funcionamento da actividade da escola ou das relações na comunidade educativa);  2- Advertência comunicada ao encarregado de educação (Visa alertar os pais/encarregados de educação para a necessidade de reforçar a responsabilização do seu educando no cumprimento dos seus deveres);  3- Repreensão registada (Registo de uma censura face a um comportamento perturbador); Regulamento Interno Medidas Educativas Disciplinares
  14. 14.  4- Inibição de participar em actividades de complemento curricular (Impedimento de o aluno participar nessas actividades durante um período não superior a trinta dias);  5- Realização de actividades úteis à comunidade escolar (Desenvolvimento de tarefas orientadas para a integração do aluno na vida da escola, visando a melhoria do ambiente educativo), após a audição do encarregado de educação do aluno;  6- Suspensão da frequência da escola até cinco dias úteis (Impede o aluno de ter acesso às instalações da escola e implica a marcação de faltas); Medidas Educativas Disciplinares Regulamento Interno
  15. 15.  7- Suspensão da frequência da escola de seis a dez dias úteis;  8- Pagamento dos estragos por si causados (deliberadamente) em qualquer dependência da instituição. (Estudar caso a caso, de acordo com a especificidade, a definir pelo corpo docente.);  10- Não renovação de matrícula, no ano lectivo seguinte. Regulamento Interno Medidas Educativas Disciplinares
  16. 16. Nas unidades de pré-escolar mantém-se a gratuidade da componente educativa; Os atrasos nos pagamentos das comparticipações familiares mensais importa o pagamento de montantes adicionais de acordo com o nº de dias decorrido aquando do pagamento da comparticipação seguinte. São cobradas mensalidades pela frequência dos estabelecimentos de infância (creches e jardins de infância) e das unidades de educação pré-escolar, às crianças que não estejam a frequentar o último ano da educação pré-escolar; COMPARTICIPAÇÃO FAMILIAR MENSALIDADES
  17. 17. Alimentação  1º Escalão – Gratuito;  2º Escalão – 0,58€ por dia;  3º /4º / 5º …Escalão – 1,73 € por dia.  Quem não almoçar não tem direito ao lanche da tarde;  A criança terá de trazer o seu lanche, o qual deverá conter: 1 pacote de leite e uma sanduíche com queijo ou manteiga.
  18. 18. Pagamento Portaria nº 32/2010 de 31/05 (Artigo nº 24) 1- O pagamento das comparticipações familiares mensais devidas é efectuado até ao último dia útil dos doze primeiros dias de cada mês. 2- O atraso no pagamento indicado no ponto anterior, importa o pagamento dos seguintes montantes a) Até 10 dias, 20% da comparticipação mensal; b) De 11 a 20 dias, 50% da comparticipação mensal; c) Mais de 20 dias, 100% da comparticipação mensal. 3- Os montantes a que se refere o número anterior são devidos aquando do pagamento da comparticipação seguinte.

×