Texto para avaliar leitura 3º ano

24.355 visualizações

Publicada em

0 comentários
10 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
24.355
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2.028
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
408
Comentários
0
Gostaram
10
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Texto para avaliar leitura 3º ano

  1. 1. Superintendência Regional de Ensino de Patrocínio Programa de Intervenção Pedagógica – PIPEF/2013 Nome: ______________________________________________________________________ Professora: __________________________________________________________________ Data: ______/______/________ A CASA E SEU DONO Essa casa é de Caco, quem mora nela é o macaco. Essa casa é de telha, quem mora nela é a abelha. Essa casa é de lata, quem mora nela é a barata. Essa casa é de cimento, quem mora nela é o jumento. Essa casa é tão bonita, quem mora nela é a cabrita. E descobri de repente que não falei em casa de gente. Elias José. 1) ___________________________________ 2) ___________________________________ 3) ___________________________________ 4) ___________________________________ 5) _____________________________________________________ _____________________________________________________
  2. 2. Superintendência Regional de Ensino de Patrocínio Programa de Intervenção Pedagógica – PIPEF/2013 Nome: ______________________________________________________________________ Professora: __________________________________________________________________ Data: ______/______/________ A CASA E SEU DONO Essa casa é de Caco, quem mora nela é o macaco. Essa casa é de telha, quem mora nela é a abelha. Essa casa é de lata, quem mora nela é a barata. Essa casa é de cimento, quem mora nela é o jumento. Essa casa é tão bonita, quem mora nela é a cabrita. E descobri de repente que não falei em casa de gente. Elias José. 1) ___________________________________ 2) ___________________________________ 3) ___________________________________ 4) ___________________________________ 5) _____________________________________________________ _____________________________________________________
  3. 3. Superintendência Regional de Ensino de Patrocínio Programa de Intervenção Pedagógica – PIPEF/2013 ORIENTAÇÕES PARA APLICAÇÃO: 1º momento:  Distribuir o texto para cada aluno. Pedir que preencham o cabeçalho.  Pedir para que leiam. Ouvir a leitura individualmente na carteira e marcar discretamente no canto da folha: LF – Lê com fluência; LSF – Lê sem fluência; LS – Lê soletrando; NL – Não lê.  Durante a leitura faça alguns questionamentos referentes ao texto como: esse texto fala de que? Quantos animais aparecem no texto? Do que o texto não fala? Quem mora na casa de cimento? 2º momento - seguir os seguintes comandos:  Grife com lápis de cor verde duas palavras que rimam;  Colorir de azul os espaçamentos em branco entre as palavras do texto;  Circule a primeira e a última palavra do texto;  Contar quantas palavras tem na primeira frase do texto e escrever o numeral;  Colorir de laranja uma palavra com três sílabas.  Fazer um X na sílaba mediana da palavra cabrita;  Colorir de amarelo o nome do animal que começa com a letra J;  Colorir de vermelho a maior palavra do texto;  Escrever as palavras no quadro: bonita, nela, lata, gente, telha. Peça para os alunos colocarem em ordem alfabética (no verso da folha). 3º momento:  Ditar as seguintes palavras: aniversário, abacaxi, amarelo, goiaba.  Ditar a seguinte frase: Cascão não gosta de banho. 4º momento:  Ler o texto novamente para os alunos, chamando atenção para as questões de entonação e compreensão. Aproveite para pedir que façam a leitura coletiva.  Fazer a transcrição dos dados para a Ficha da Turma. 5º momento:  Faça considerações à professora a partir do trabalho desenvolvido. Quanto às atividades de escrita verificar o nível de desenvolvimento que a criança se encontra (pré-silábico, silábico, silábico-alfabético e alfabético. Frase: espaçamento, direção formal da escrita, uso correto das linhas, local adequado para iniciar a escrita na folha, a estrutura de frase, letra maiúscula, parágrafo, pontuação.
  4. 4. Superintendência Regional de Ensino de Patrocínio Programa de Intervenção Pedagógica – PIPEF/2013 FICHA PARA MAPEAMENTO DE LEITURA - 3º ANO CICLO DA AVALIAÇÃO Escola:_________________________________________________________ Turma:_________________________________________ Professora: _________________________________ Data: ___/____/_____ Nº de alunos: ____________________ Atividade: “A casa e seu dono” Nº Nome dos alunos Nívelde Escrita Rimas Espaçamento 1ªeúltima palavra Nºdepalavras Sílaba mediana Palavra trissílaba Ordem alfabética Letrado Alfabeto MaiorPalavra Nívelde Escrita 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 TOTAL LEGENDA/ CONSOLIDADO LF Lê com fluência Alfabetizados A Alfabético LS F Lê sem fluência SA Silábico-alfabético LS Lê silabando Não Alfabetizados S Silábico NL Não lê PS Pré-silábico
  5. 5. Superintendência Regional de Ensino de Patrocínio Programa de Intervenção Pedagógica – PIPEF/2013 LEITURA COMPREENSÃO DA LEITURA ESCRITA LF – Lê com fluência e expressividade, pronunciando sem dificuldades todas as palavras, mesmo aqueles que apresentam constituintes silábicos mais complexos, considerando também os sinais de pontuação. Ex.: CCVC; CCVCC – triste, brincar, transporte; CVV – quero e guerra. 1 – Identifica o gênero e a finalidade do texto 1 - Escreveu frase com coerência, coesão, obedecendo aos princípios das convenções gráficas de pontuação e sem erros ortográficos LSF - Lê com média fluência, apresentando dificuldades em palavras com constituintes silábicos complexos, desconsiderando a maioria dos sinais de pontuação. 2 – Reconhece o assunto do texto 2 – Escreveu frase com coerência, coesão, mas não obedecendo aos princípios das convenções gráficas e de pontuação e sem erros ortográficos LS – Lê pausadamente, com intervalos de tempo entre uma palavra e outra, apresentando grande dificuldade em palavras formadas por constituintes silábicos complexos e desconsidera os sinais de pontuação 3 - Localiza informação explícita no texto 3 – Escreveu com coerência e coesão, obedecendo aos princípios das convenções gráficas e de pontuação, porém com erros ortográficos que não comprometem o sentido da frase. NL – Lê com dificuldades, mesmo palavras formadas por sílabas padrão CVCV. 4 – Localiza informação implícita (inferência) no texto 4 – Escreveu sem coerência e coesão, sem obedecer aos princípios das convenções gráficas e de pontuação e com erros ortográficos que comprometem o sentido da frase. 5 – Escreveu apenas palavras soltas. 5 – Estabelece relação entre partes do texto. 6 – Escreveu de forma que não contempla os critérios elencados. Os níveis da escrita - Contribuição de Emília Ferreiro Nível pré-silábico: Nesta fase a criança não estabelece relação entre fala e escrita. Não faz correspondência entre a grafia e os sons. Usa diferentes formas de representação (garatujas, desenhos, números) para escrever. Há uma grande variação de caracteres. Coincide com um período primitivo do realismo nominal. Nível silábico: Neste nível a criança relaciona grafia e sons, de maneira que representa cada sílaba (som) por meio de uma letra. No nível silábico primitivo, ela representa a sílaba com qualquer letra, é aleatório. Quando alcança o nível silábico evoluído, ela passa a representar a sílaba com a vogal ou a consoante que aparece na sílaba. Isso ocorre porque a criança passa a representar partes sonoras estáveis das sílabas. Nível silábico-alfabético: Nesta fase a criança evolui para uma representação mais completa dos sons das palavras. É comum neste nível que na representação gráfica faltem algumas letras, o que leva alguns profissionais a confundirem nível de evolução da escrita com dificuldade de aprendizagem. São coisas distintas: a primeira é uma fase normal do desenvolvimento da escrita, a segunda pode estar relacionada a algum distúrbio como a dislexia, e tem causa neural e genética. Nível alfabético: Neste nível a criança faz a correspondência da grafia com fonemas (unidades sonoras da língua) que favorece a diferenciação das palavras pelos sons (fonemas) e sinais gráficos da língua (grafemas). Portanto, ela é capaz de fazer a correspondência entre elementos sonoros e a grafia. Nesta fase a criança ainda não é ortográfica, ou seja, ela ainda não escreve conforme os padrões da norma culta, seguindo as regras ortográficas. A ortografia é adquirida com a prática da leitura e escrita.

×