Formas de Remuneração    dos Sócios Outubro/2012	                    	          Vicente Sevilha Junior	  
Pro Labore	  
Pro Labore•  Pago a administradores •        A correta definição da   e diretores pela                remuneração de pro  ...
Pro LaboreConsiderações:-  É obrigatório            -  É fator determinante no                               valor dos ben...
Pro Laborequanto custa para a empresa?                         	                             	  -  Lucro Real: 20% de INSS...
Pro Laborequanto custa para o sócio?                         	  -  IRRF: de 0% à 27,5%     	  -  INSS: 11%
Pro Laborequanto custa para osócio? (IRRF)             	                 	  
Pro Laborequanto custa para osócio? (INSS)             	                 	  
Pro Laborequanto custa para osócio? SIMULAÇÕES             	                 	  
Pro Laborequanto custa para o sócio?               	                   	  
Pro LaboreCusto Empresa + Sócio             	                 	  
Pro LaboreCusto Empresa + Sócio             	                 	  
Pro LaboreRecuperação no LRsupondo que haja lucro tributado a 34%                      	                          	  
Distribuição de Lucros     ou Dividendos	  
Distribuição de Lucros•  É isenta de Imposto de •  Pode ser   Renda e de INSS;            desproporcional à               ...
Distribuição de LucrosCuidados•  Prefira distribuir em      •  Evite pagar despesas   períodos não mensais           dos s...
Distribuição de LucrosCuidados•  Existe lei que veda      •                             	                                 ...
Juros Sobre Capital Próprio	  
Juros Sobre Capital Próprio-  A empresa poderá deduzir do lucro real, os juros                            	     pagos ou c...
Juros Sobre Capital Próprio - Limites-  O montante dos Juros s/ Capital Próprio dedutíveis                             	  ...
Juros Sobre Capital Próprio -Notas-  1. No cálculo da remuneração sobre o PL não será                                     ...
Juros Sobre Capital Próprio - Taxas                	                    	  
Juros Sobre Capital Próprio – Tributação:-  O sócio PF sofre, no momento do recebimento ou                           	    ...
Juros Sobre Capital Próprio –Tributação:-  A sócio PJ (Lucro Real) sofre, no momento do                             	     ...
Juros Sobre Capital Próprio – Tributação:                             	  -  A sócio PJ (Lucro Presumido) sofre, no momento...
Juros Sobre Capital Próprio –Tributação:                                	  -  Se o beneficiário for          	            ...
Empréstimos, Mútuos eConta Corrente de Sócios	  
Empréstimos, Mútuos e C/CSócios•  É preciso contrato     	                              	  •  Incide IOF•  Pode ser questi...
Vicente Sevilha Jr.•  Bacharél em Ciências                  College (Boston, MA)   Contábeis – USF/SP;              •    M...
Vicente Sevilha Jr. •  Autor do Livro:    “Assim Nasce      	      Uma Empresa”        	      www.assimnasceumaempresa.com...
Formas de Remuneração dos Sócios:                           	  -  Perguntas e Respostas     	  -  Contatos vicente@sevilha...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Formas de remuneração dos sócios template sevilha

2.368 visualizações

Publicada em

Nesta apresentação, são abordadas as principais formas de remuneração dos sócios, e os impactos tributários de cada uma delas.

Publicada em: Economia e finanças
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.368
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
18
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Formas de remuneração dos sócios template sevilha

  1. 1. Formas de Remuneração dos Sócios Outubro/2012     Vicente Sevilha Junior  
  2. 2. Pro Labore  
  3. 3. Pro Labore•  Pago a administradores •  A correta definição da e diretores pela remuneração de pro prestação de serviços labore é ponto à empresa tratando-se,   fundamental para a portanto, de   análise da viabilidade remuneração pelo do negócio; trabalho; •  Incidência tributária•  Valor determinado em elevada. assembléia de quotistas;
  4. 4. Pro LaboreConsiderações:-  É obrigatório -  É fator determinante no valor dos benefícios   previdenciários, como-  Pode ser apenas   aposentadoria creditado e não pago-  Pode ser diferente entre -  INSS já autou por valores inferiores à os administradores remuneração de subordinados
  5. 5. Pro Laborequanto custa para a empresa?    -  Lucro Real: 20% de INSS, mas pode deduzir como despesa-  Lucro Presumido: 20% de INSS-  Simples Nacional*: 0% de INSS
  6. 6. Pro Laborequanto custa para o sócio?  -  IRRF: de 0% à 27,5%  -  INSS: 11%
  7. 7. Pro Laborequanto custa para osócio? (IRRF)    
  8. 8. Pro Laborequanto custa para osócio? (INSS)    
  9. 9. Pro Laborequanto custa para osócio? SIMULAÇÕES    
  10. 10. Pro Laborequanto custa para o sócio?    
  11. 11. Pro LaboreCusto Empresa + Sócio    
  12. 12. Pro LaboreCusto Empresa + Sócio    
  13. 13. Pro LaboreRecuperação no LRsupondo que haja lucro tributado a 34%    
  14. 14. Distribuição de Lucros ou Dividendos  
  15. 15. Distribuição de Lucros•  É isenta de Imposto de •  Pode ser Renda e de INSS; desproporcional à participação de cada  •  Depende da existência   sócio no capital social comprovada mediante escrituração contábil •  Não é dedutível no regular; Lucro Real
  16. 16. Distribuição de LucrosCuidados•  Prefira distribuir em •  Evite pagar despesas períodos não mensais dos sócios para abater     de lucros•  Pior ainda se for mensal e em valor igual todo •  Fuja da distribuição mês antecipada de lucros
  17. 17. Distribuição de LucrosCuidados•  Existe lei que veda •    Lei 8.212./91 art. 52, Lei 4.357/64, art 32, com as modificações da lei distribuição de lucros   11.051/2004 (discute-se a sua constitucionalidade) e o art. 889 do quando a empresa RIR 1999 possui débitos tributários
  18. 18. Juros Sobre Capital Próprio  
  19. 19. Juros Sobre Capital Próprio-  A empresa poderá deduzir do lucro real, os juros   pagos ou creditados individualmente aos sócios, a   título de remuneração do capital próprio, calculados sobre as contas do patrimônio líquido e limitados à variação pro rata dia da Taxa de Juros de Longo Prazo - TJLP
  20. 20. Juros Sobre Capital Próprio - Limites-  O montante dos Juros s/ Capital Próprio dedutíveis   limita-se ao maior dos seguintes valores: (RIR/1999, art. 347, § 1o):  a.  50% do lucro líquido do período de apuração, após a dedução da CSLL; oub.  50% dos saldos de lucros acumulados e reservas de lucros de períodos anteriores.
  21. 21. Juros Sobre Capital Próprio -Notas-  1. No cálculo da remuneração sobre o PL não será   considerado o valor da reserva de reavaliação de   bens (Lei no 9.249, de 1995, art. 9o, § 8o; e Lei no 9.959, de 2.000, art. 4o);-  2. O valor dos juros poderá ser imputado ao valor dos dividendos obrigatórios.-  3. A Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP) foi instituída pela Lei no 9.365, de 1996 e atualmente é de:
  22. 22. Juros Sobre Capital Próprio - Taxas    
  23. 23. Juros Sobre Capital Próprio – Tributação:-  O sócio PF sofre, no momento do recebimento ou   crédito dos JCP a retenção de 15%, valor   considerado como devido exclusivamente na fonte;-  A empresa pagadora não recolhe contribuição ao INSS sobre os juros pagos ou creditados e pode abatê-los como despesa na apuração do Lucro Real*.
  24. 24. Juros Sobre Capital Próprio –Tributação:-  A sócio PJ (Lucro Real) sofre, no momento do   recebimento ou crédito dos JCP a retenção de 15%,   o valor dos juros deverá ser considerado como receita financeira e o imposto retido será considerado como antecipação do devido no encerramento do período de apuração;
  25. 25. Juros Sobre Capital Próprio – Tributação:  -  A sócio PJ (Lucro Presumido) sofre, no momento do   recebimento ou crédito dos JCP a retenção de 15%, os juros recebidos integram a base de cálculo do imposto de renda e o valor do imposto retido na fonte será considerado antecipação do devido no período de apuração;
  26. 26. Juros Sobre Capital Próprio –Tributação:  -  Se o beneficiário for   residente ou domiciliado no exterior, em País que não tribute a renda ou que tribute à alíquota inferior a 20%, a alíquota do imposto será de 25% (art. 8° da Lei 9.779/99).;
  27. 27. Empréstimos, Mútuos eConta Corrente de Sócios  
  28. 28. Empréstimos, Mútuos e C/CSócios•  É preciso contrato    •  Incide IOF•  Pode ser questionado
  29. 29. Vicente Sevilha Jr.•  Bacharél em Ciências College (Boston, MA) Contábeis – USF/SP; •  Mestre em Gestão da•  Especializado em Qualidade pelo Latin Política e Estratégia pela   American Quality Associação dos   Institute. Diplomados da Escola •  Ganhador dos prêmios: Superior de Guerra –  Top Empreendedor da (ADESG/SP); Revista Top Of Business em•  Especializado em 2010 Negócios de Alto –  Medalha do mértio Impacto pelo Babson contábil em 2011 –  Prêmio Estadão PME 2012.
  30. 30. Vicente Sevilha Jr. •  Autor do Livro: “Assim Nasce   Uma Empresa”   www.assimnasceumaempresa.com.br
  31. 31. Formas de Remuneração dos Sócios:  -  Perguntas e Respostas  -  Contatos vicente@sevilha.com.br-  Material Adicional: www.youtube.com/sevilhacontabilidade

×