Lições Bíblicas para EBD Plenitude da Fé 1º Trimestre 2012 - Lição 1

3.181 visualizações

Publicada em

Publicada em: Espiritual
2 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.181
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
15
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
19
Comentários
2
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Lições Bíblicas para EBD Plenitude da Fé 1º Trimestre 2012 - Lição 1

  1. 1. Lição Bíblica Nº1<br />Abel, atitude que agradou ao Senhor.<br />Versículo-Chave<br />Gênesis 4:4 “E Abel também trouxe dos primogênitos das suas ovelhas, e da sua gordura; e atentou o Senhor para Abel e para a sua oferta”.<br />Texto de Referência<br />Gn. 4:1-10<br />1 E conheceu Adão a Eva, sua mulher, e ela concebeu e deu à luz a Caim, e disse: alcancei do Senhor um homem.<br />2 E deu à luz mais a seu irmão Abel; e Abel foi pastor de ovelhas, e Caim foi lavrador da terra.<br />3 E aconteceu ao cabo de dias que Caim trouxe do fruto da terra uma oferta ao Senhor.<br />4 E Abel também trouxe dos primogênitos das suas ovelhas, e da sua gordura; e atentou o Senhor para Abel e para a sua oferta.<br />5 Mas para Caim e para a sua oferta não atentou. e irou-se Caim fortemente, e descaiu-lhe o semblante.<br />6 E o Senhor disse a Caim: por que te iraste? e por que descaiu o teu semblante?<br />7 Se bem fizeres, não é certo que serás aceito? E se não fizeres bem, o pecado jaz à porta, e sobre ti será o seu desejo, mas sobre ele deves dominar.<br />8 E falou Caim com o seu irmão Abel; e sucedeu que, estando eles no campo, se levantou Caim contra o seu irmão Abel, e o matou.<br />9 E disse o Senhor a Caim: onde está Abel, teu irmão? e ele disse: não sei; sou eu guardador do meu irmão?<br />10 E disse Deus: que fizeste? A voz do sangue do teu irmão clama a mim desde a terra.<br />Introdução<br />O primeiro casal, Adão e Eva, tiveram muitos filhos, sendo os dois primeiros, Caim e Abel. Caim tornou-se lavrador, Abel, pastor de ovelhas (Gn 4:1,2).<br />Embora a Bíblia não dê muitos detalhes da infância e juventude destes irmãos, a narrativa do texto sagrado fornece informação suficiente para acreditarmos que ambos conheciam a Deus, fato que viabilizou a prática da oferenda ao Criador. A oferta excelente de Abel foi uma atitude que agradou ao Senhor. <br />I – As oferendas de Caim e Abel<br />O tema do sacrifício de sangue como algo fundamental para o correto relacionamento com Deus se acha expresso nas ofertas de Caim e Abel, dando sequência à lição fundamental que Deus ensinou ao lidar com o pecado de Adão e Eva (Gn 3:21).<br />O homem, quase que instintivamente, necessita retribuir o favor recebido do Senhor. Os dois filhos de Adão, ao reconhecerem que todas as coisas foram criadas por Deus, resolvem oferecer uma parcela daquilo que Deus lhes proporcionou. Caim, uma porção do fruto da terra por ele cultivada, Abel, dos primogênitos das suas ovelhas (Gn 4:3,4). Ambos criam em Deus. Sem dúvida aprenderam a respeito Dele com seus pais, e devem ter sabido sobre o ocorrido no Jardim do Éden (Gn 3:23,24). Suas oferendas indicam o reconhecimento de sua condição alienada e seu desejo de ter o favor de Deus. O Senhor expressou satisfação para com a oferta de Abel, mas não para com a de Caim. O Gênesis não relata o motivo de tal aprovação e rejeição por parte do Senhor, mas, sem dúvida, eram evidentes a ambos os homens. O motivo de Deus aprovar somente a oferenda de Abel é esclarecido por escritos bíblicos posteriores. Na carta aos Hebreus, o escritor alista Abel como o primeiro homem de fé, e mostra que isto resultou em seu sacrifício ser de “maior valor” do que o de seu irmão (Hb 11:4). E, Caim é descrito em 1 João 3:12 como sendo do maligno, por causa de suas más obras.<br />II – A oferta excelente de Abel<br />O que levou Deus a se agradar mais da oferta de Abel? Não podemos afirmar que Abel tivesse qualquer presciência de que sua oferta seria tão apreciada pelo Senhor, pois ambos, tanto Caim, quanto Abel ofereceram o melhor daquilo que possuíam, e aguardavam a aceitação do Senhor.<br />A partir da queda do homem o sangue passou a ser requerido por Deus como meio de remissão dos pecados (Gn 3:21; Ex 12:7, 13; Ex 24: 8; Lv 6:30; 7:1-2; Hb 9: 19-28), a fim de possibilitar à humanidade a condição de perfeição de que Adão e Eva usufruíam antes da sua rebelião. Em vista disso, a oferenda de Abel, das primícias de seu rebanho, certamente era apropriada, e, sem dúvida, foi também um fator na expressão da aprovação por parte de Deus. Ao Dador da vida, Abel apresentou uma vida como sua dádiva, embora fosse apenas uma das primeiras ovelhas nascidas de seu rebanho. Podemos fazer um comparativo com o descrito em Jo 1:36.<br />Ao ter sua oferta aprovada por Deus, Abel passou a ser perseguido por seu próprio irmão. Jesus mostra que Abel foi o primeiro mártir e alvo de perseguição religiosa, colocando-o na posição de primeiro profeta a ter seu sangue derramado por apresentar boas obras (Lc 11:50,51). O escritor da carta aos Hebreus apresenta Abel como o primeiro herói da fé, entre a “nuvem de testemunhas” dos tempos pré-cristãos (Hb 11:4; 12:1).<br />III – A inveja de Caim<br />A oferta vegetal de Caim, o fruto de seus próprios esforços, foi uma oferta de auto justiça e recusa a viver sob a aliança revelada por Deus. Assim como a tentativa de Adão em usar as folhas de figueira como proteção para seu corpo fora rejeitada, o mesmo se deu com a oferta de Caim; porém a oferta de sacrifício de sangue de Abel foi agradável a Deus. O sacrifício de animais feito por Deus no Jardim do Éden (Gn 3:21) estabeleceu a necessidade de sacrifício de sangue como um meio de se aproximar Dele. O correto relacionamento com o Deus da aliança mostrou-se, assim, como um assunto de vida ou morte, e não uma mera questão de bons esforços da parte do ser humano (Ex 12:13).<br />Caim, ao perceber que sua oferta não obteve aceitação por parte do Senhor, resolve agir loucamente, intentando contra seu irmão (Gn 4:6). Ele desprezou o conselho do Senhor (v.7) e matou seu irmão.<br />Caim teve que pagar um alto preço por seu pecado. Em virtude do pecado de Caim contra o seu irmão, Deus o amaldiçoa em toda a terra, retira a sua habilidade para o cultivo da terra e o sentencia a uma vida como fugitivo e errante (Gn 4:11,12). Isto indica claramente que a falta de amor fraterno destina a pessoa a esterilidade e ausência de propósito na vida. A falta de amor fraterno e a inveja também foi uma realidade na vida de José (Gn 37:3,4;45:4). Busquemos em Deus a capacidade de amarmos uns aos outros como o Senhor nos amou.<br />Conclusão<br />O tema do amor fraterno ocorre muito cedo na Escritura; desde o início fica claro que Deus coloca uma alta prioridade na maneira como irmãos se relacionam. Somos nós responsáveis pelos outros? “Sem sombra de dúvida”, é a resposta de Deus. Nós não somente somos guardadores do nosso irmão, como também somos responsáveis pelo nosso tratamento e pela nossa maneira de relacionar-se com todos os nossos irmãos (de sangue e espirituais).<br />Questionário<br />O que as oferendas de Caim e Abel indicam?<br />Qual o motivo da oferta de Abel ter sido mais apropriada que a de seu irmão?<br />O que a falta de amor fraterno causa às pessoas?<br />Glossário<br />Amor fraterno: Afeto, zelo entre irmãos.<br />Dádiva: Presente, oferta, doação.<br />Comentário<br />Pr. Daniel Junior<br />Autoria: Pb. Sergio<br />

×