7 aula reencarnação

15.546 visualizações

Publicada em

2 comentários
13 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
15.546
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
769
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
812
Comentários
2
Gostaram
13
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

7 aula reencarnação

  1. 1. Mocidade Espírita ChicoXavier14-06-20137º Aula - ReencarnaçãoFacilitadoras:Scheila Fássio Lima de PaivaTânia Mara Lima DiasEndereço:Rua Silviano Brandão, 419 – CentroMachado – MG
  2. 2. O que é a Reencarnação? Para que serve?Reencarnar é voltar a viver num novo corpo físico. É uma nova oportunidadede aprendizado, como prova do amor de Deus para seus filhos. Só através dareencarnação se prova a justiça e a bondade de Deus, pois é a única explicaçãoracional para as desigualdades sociais existentes no mundo. Como explicar ofato de crianças que morrem em tenra idade, enquanto outras criaturas vivemquase 100 anos? Como explicar os que nascem com saúde perfeita, enquantooutros nascem com deficiências físicas grosseiras? Somente a reencarnaçãonos dá a chave desse "mistério". Com as múltiplas experiências na carne,temos a chance de adquirir e aprimorar conhecimentos que ainda nos faltamnos campos do intelecto e da moral. Além de reatar as amizades com nossosinimigos e reparar erros do passado.
  3. 3. TIPOS DE REENCARNAÇÂO1. Reencarnação Compulsória2. Reencarnação Proposta3. Reencarnação Livre4. Reencarnação Acidental
  4. 4. Reencarnação CompulsóriaÉ aquela em que acolhe o Espírito sem prévia concordânciadele e até mesmo sem seu conhecimento. E por sua índole,própria dos Espíritos cujo grau de perturbação impede análiseclara da situação ou cujas faltas são tão graves que anulam aliberdade de escolha. E uma imposição feita pela Lei Divinapara atender aos casos cuja recuperação exige longasexpiações.
  5. 5. Reencarnação PropostaÉ aquela que leva em consideração o livre-arbítrio relativo deque dispõe o Espírito. Mentores Espirituais estudam, semimposição, seus débitos e méritos programando em seguidaos principais acontecimentos da próxima existência física,tendo em vista a liquidação ou diminuição de dívidas epossibilidades de progresso moral e espiritual.
  6. 6. Reencarnação LivreÉ aquela que é própria dos missionários. Espíritos redimidosperante a Lei Divina ou próximos da redenção no planoterreno. São os que possuem ampla liberdade de escolha.Chegam ao plano material para o desempenho de tarefaselevadas em qualquer segmentos do conhecimentohumano, tanto nas ciências como na filosofia ou religião.Neste último, tornam-se: Um Sócrates; um Buda; umKrishna, e, notadamente, Jesus de Nazaré.
  7. 7. Reencarnação AcidentalHá circunstâncias diversas que promovem alteração no planejamentoreencarnatório, que pode ocorrer sem o detalhamento necessário noscasos de reencarnações acidentais. A fecundação não estava prevista.Ocorre uma união sexual fortuita. O espírito que esteja próximo ao casalserá “atraído” pelo óvulo fecundado. Mecanismos automáticos, por vezesincompreensíveis, encarregar-se-ão de propiciar lições de aprendizagemde que o espírito, nessa circunstância, necessite. Nesses casos, encaixam-se os reencarnantes oriundos de estupros e outros “acidentes”semelhantes. O suicídio é um exemplo do algo não planejado antes daencarnação e que é uma forma de alterar o planejamento.
  8. 8. Diferença entre ressurreição e reencarnaçãoA reencarnação fazia parte dos dogmas judeus, sob o nome de ressurreição. Somente ossaduceus, que pensavam que tudo acabava com a morte. A palavra ressurreição podia, assim,aplicar-se a Lázaro, mas não a Elias, nem aos demais profetas. Se, portanto, segundo suacrença, João Batista era Elias, o corpo de João não podia ser o de Elias, pois que João tinha sidovisto criança e seus pais eram conhecidos. João podia ser, pois, Elias reencarnado, mas nãoressuscitado.Judeu: É um membro do grupo étnico e religioso originado nas Tribos de Israel ou Hebreus doAntigo Oriente.Saduceus: É a designação da segunda escola filosófica dos Judeus,ao lado dos Fariseus.
  9. 9. Em que momento a alma se une ao corpo?A união começa na concepção, mas só é completa por ocasião do nascimento.Allan Kardec: O livro dos espíritos, questão 344.
  10. 10. Quantas reencarnações tivemos e teremos?Não se pode precisar o número de reencarnações que uma pessoa já teve, poisisso depende do estado evolutivo em que se encontra o Espírito. Uns evoluemmais rápido por seu maior esforço, portanto necessitam de passar menor númerode vezes na carne, outros são mais lentos permanecendo mais tempo no mundode sofrimentos. Tudo dependerá de nós. Quanto mais rápido progredirmos morale intelectualmente, menos encarnações teremos que sofrer. Quando nossoEspírito tiver alcançado todos os graus de evolução moral e intelectual, seremosEspíritos puros. Um exemplo de Espírito puro é o Mestre Jesus.
  11. 11. E quando chegarmos à perfeição, o que faremos?Seremos encarregados de cumprir os desígnios de Deus, colaborando com amanutenção da ordem universal e transformando-nos em Seus mensageiros nosmais diversos mundos habitados. O trabalho nunca acabará, pois a criação divina éincessante e há diversos mundos em faixa de evolução diferentes. Os Espíritosfazem parte do conjunto de inteligências que governam o Universo, mas, emtermos de existência, estão ligados a Deus assim como as folhas em uma árvore.
  12. 12. O Espírito sempre reencarna no mesmo sexo?Não, pois o Espírito necessita vivenciar as experiências específicas aos dois sexos,como aprendizado para seu aprimoramento moral e intelectual. A escolha decada sexo, depende da prova ou expiação que se deve passar. Não é verdadeira aidéia de que a cada encarnação o Espírito mude de sexo. Às vezes, vive diversasvidas com um mesmo sexo, para só depois situar-se em outro campo dasexualidade. Também não é correto o pensamento de que a homossexualidade éproduto da mudança de sexo do Espírito antes da sua encarnação.
  13. 13. Qual a diferença entre prova e expiação?A expiação, como o próprio nome diz, é um cumprimento de pena, é um resgatede débitos passados. Está ligada geralmente a existências anteriores. As provas,são situações em que o Espírito será testado em sua capacidade de suportar asdificuldades. Se sair-se bem estará apto a subir mais um degrau na escalada rumoà perfeição. É como numa escola. O aluno assiste às aulas para ser testado com asprovas, em determinado tempo, se aprendeu mesmo as lições. Caso comporte-seinadequadamente, será punido com reprovação ou mesmo expulsão da escola,sofrendo as conseqüências de seus atos. É a expiação. Quanto mais evoluído oEspírito, menos expiação ele passa.
  14. 14. Por que não nos lembramos das nossas vidas passadas?O esquecimento temporário das vidas passadas é uma necessidade. Não devemos noslembrar das vidas passadas enquanto estamos encarnados, e nisso está a sabedoria deDeus. Se lembrássemos do mal que fizemos ou dos sofrimentos que passamos, dos inimigosque nos prejudicaram ou daqueles a quem prejudicamos, não teríamos condições de viverentre eles atualmente. Pois, muitas vezes, os inimigos do passado hoje são nossos filhos,irmãos, pais e amigos, que, presentemente, se encontram junto de nós para a reconciliação.Por isso a reencarnação é uma bênção de Deus para seus filhos. As lembranças de errospassados certamente trariam desequilíbrios de toda ordem, uma vez que estamos muitomais perto do ponto de partida do que do ponto de chegada, em termos de caminhadaevolutiva. Depois de desencarnado, normalmente nos lembramos de parte desse passado,conforme o grau evolutivo em que nos situamos.
  15. 15. Como posso saber das minhas outras encarnações?Convém, por enquanto, não saber. Allan Kardec nos mostra com coerência e bom senso, que nãodevemos buscar saber o que fomos noutras vidas. Os Espíritos estão todos sujeitos à lei deevolução e, por isso, quando se remonta ao passado, depara-se com situações morais bem pioresdo que aquela em que atualmente se encontra. Ao recordarmos experiências infelizes de outrasvidas, certamente ficaríamos perturbados mentalmente. Seria muito difícil para alguém viveruma encarnação, sabendo que fora noutras existências um assassino cruel, ou alguém quetivesse tirado a própria vida. . Assim, o esquecimento das vidas passadas ajudaria, por exemplo,um rei que agira com irresponsabilidade no passado, e que foi condenado a viver encarnadonuma favela. Ele aproveitaria sua encarnação, sem que as lembranças da boa vida que tivera operturbasse. Do mesmo modo, um antigo inimigo poderia reencarnar como nosso filho,facultando assim as condições de reparar erros e extinguir mágoas. A lembrança de outras vidasseria um tormento para a vida de relação e impediria a ação inteligente da Lei, contribuindo paraa melhoria do Espírito. Mas, não podemos nos esquecer que o esquecimento do passado éapenas momentâneo. Na vida espiritual as recordações voltam à mente do Espírito comnaturalidade, segundo as condições evolutivas de cada um. Só em casos excepcionais Deuspermite que durante a vida carnal, o homem saiba de alguns fatos ligados ao seu passado.
  16. 16. Qual o tempo que separa as encarnações?Não há tempo definido, pois depende da necessidade do Espírito em depurar-se,expandindo seus conhecimentos intelectuais e morais, passando por provas eexpiações.Quanto mais endividado com a Lei de Deus, menos tempo permanece o Espíritono mundo espiritual. Digamos que aqui seja o local onde se pagam as contas e seconseguem novas oportunidades de crédito Se tem muitas dívidas e deseja novoscréditos, ele vem mais freqüentemente e em menor espaço de tempo, pois querse ver livre dos débitos e abrir novas possibilidades para sua felicidade como filhodo Altíssimo. Portanto, o tempo que separa as encarnações depende da condiçãoevolutiva do Espírito.
  17. 17. Os líderes umbralinos também organizam encarnações?As encarnações dos Espíritos obedecem, como tudo, a uma lei. É evidente que tudose fundamenta em uma ordem universal e seria acreditar no caos e na desordempensar que coisas tão importantes como a programação da vida de um ser imortalpudesse ser feito por entidades sem nenhum compromisso com o Bem, com a leide Deus. As encarnações obedecem a um projeto divino, mesmo queaparentemente possa parecer o contrário, em algumas situações. Nada acontecesem que o Criador de todas as coisas o queira. Os Espíritos superiores trabalhamem Seu nome e realizam todas as suas obras, desde os planos mais primitivos atéos mais elevados.
  18. 18. Uma alma que atingiu a perfeição, não volta a reencarnar?A reencarnação é uma necessidade da alma imperfeita que, através dasexperiências na matéria, aprende o que necessita para sua definitiva libertação daignorância e conquista do direito de viver na Vida Eterna. Os Espíritos puros nãonecessitam mais dessa experiência, pois já atingiram seu objetivo. Só reencarnamnos mundos materiais para cumprirem missões de grande importância, nasregiões onde houver necessidade. O maior exemplo de encarnações missionáriasé Jesus.
  19. 19. Provas da Reencarnação1 – Nas origens das faculdades extraordinárias dos indivíduos.2 - Nos fenômenos das experiências de quase-morte.3 - Nos fenômenos de transcomunicação instrumental4 - Nas comunicações mediúnicas5 - Nas lembranças das existências pretéritasEssas são algumas provas da reencarnação.
  20. 20. ReflexãoPerante a ReencarnaçãoNão perderás tempo, reclamando contra a vida.Na hipótese de que te empenhes realmente pela aquisição doconhecimento espírita, reflete na lei da reencarnação.És um espírito eterno envergando temporária forma física, à maneira deum servidor vestindo uniforme de trabalho, francamente deteriorável epassageiro.Observa os próprios hábitos e tendências e perceberás o que foste nasexistências passadas.Analisa os que te rodeiam, no círculo doméstico-social e identificarás comquem te comprometeste para sanar os próprios débitos ou traçar aprópria senda de elevação.
  21. 21. Estuda o quadro que te emoldura as atividades e anotarás de que ponto deves partir emdemanda à melhoria.Sobretudo, é preciso ponderar que se ninguém nasce para o mal, muito menos renascerápara reconstruí-lo ou reafirmá-lo.Um aluno repete o currículo de lições no objetivo de ganhar a frente, não para acomodar-se à retaguarda.Convence-te de que retornamos à Terra com o fim de ampliar os valores do bem, cada vezmais.Indispensável corrigir-nos naquilo que erramos.Replantar dignamente a leira do destino que relegamos outrora ao relaxamento.Levantar aqueles que impelimos à queda.Amar os que aborrecemos. Acender alegria nos corações que encharcamos de lágrimas.Estás hoje no lugar e na posição em que podes claramente doar à vida, na pessoa dosoutros, tudo aquilo que és capaz de sentir, pensar, falar ou fazer de melhor.Autor: EmmanuelPsicografia de Chico Xavier
  22. 22. Nascer, morrer, renascer ainda e progredir sempre, tal é a lei.Allan KardecFIM

×