DISCO RÍGIDO
DISCO RÍGIDO•   O disco rígido é a unidade de armazenamento de dados, por excelência.•   Embora hoje em dia, existam vária...
GENERALIDADESIndependentemente da sua interface de comunicação (SCSI,IDE e SATA), os discosrígidos têm especificações técn...
COMPONENTES DO DISCOTodos os discos têm na sua composição, ou estrutura física, um conjunto de componentes electrónicos co...
PROCESSO DE GRAVAÇÃO• À medida que todos os pratos rodam em simultâneo, a cabeça  de leitura e gravação, instalada em cada...
DIVISÃO OS PRATOS Para que o disco possa receber dados, é necessário que, para além da garantia do normal funcionamento do...
ESCRITA E LEITURAS DE DADOSTendo em conta a informação apresentada no parágrafo anterior, a leitura egravação de dados pro...
RENDIMENTO DO DISCOPara apuramento do rendimento final de um disco, é preciso ter em conta aconjugação das seguintes espec...
Trabalho Manual dos AlunosSérgio Gonçalves nº18   Igor Ferrão nº11   André Fernandes nº4
BIBLIOGRAFIA• Livro: Manual de Instalação e Reparação de  Computadores• Autor: António J. Branco
FICHA DISCO RÍGIDOGeneralidades:• 1-Quais são as generalidades do disco rígido?• Componentes do disco:• 2-Quais são os com...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Disco rígido

6.648 visualizações

Publicada em

Trabalho Sobre o Disco Rígido
Realizado por
Sérgio Gonçalves
Igor Ferrão
André Fernandes

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.648
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
27
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
138
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Disco rígido

  1. 1. DISCO RÍGIDO
  2. 2. DISCO RÍGIDO• O disco rígido é a unidade de armazenamento de dados, por excelência.• Embora hoje em dia, existam várias tecnologias móveis para armazenamento de dados, a importância do disco rígido – interno ou externo – contínua incólume, sem abdicar do seu grau de importância no sistema informático.
  3. 3. GENERALIDADESIndependentemente da sua interface de comunicação (SCSI,IDE e SATA), os discosrígidos têm especificações técnicas comuns – capacidade de armazenamento, tempode acesso e rotações por minuto – e três componentes críticos na sua construção: • Controlador – Orienta o funcionamento do disco rígido enviando sinais aos vários motores e recebendo sinais dos sensores; • Disco – Meio físico de armazenamento; • Host adapter - Tradutor de dados. Recebe a informação do disco e converte-a de maneira a ser percebida pelo processador.Actualmente, os discos incorporam o controlador e o conjunto de pratos num únicoconjunto. Adicionalmente, as motherboards incluem na sua construção o host adapter.
  4. 4. COMPONENTES DO DISCOTodos os discos têm na sua composição, ou estrutura física, um conjunto de componentes electrónicos comuns.A abordagem seguinte é sobre cada um desses componentes comuns dos discos rígidos:• Pratos - Conjunto de unidades circulares cobertas por película magnética, montado para leitura e escrita, num sistema idêntico ao do gira-discos, em que os pratos rodam em torno de um eixo. A informação é gravada em ambos os lados que têm, cada um, o seu identificador, com início em zero (0) para o primeiro lado do primeiro prato e prosseguindo conforme a quantidade de pratos;• Braços - Peça que se move longitudinalmente, com auxílio de um mecanismo de posicionamento, tendo cada um duas cabeças de leitura e gravação, correspondendo à face superior e inferior conforme a quantidade de pratos;• Cabeça de leitura e gravação - Componente instalado na face inferior e superior de cada braço, que lê e grava os dados na superfície física de cada prato do disco;• Motor de rotação- Componente que faz rodar os pratos em torno de um eixo. A velocidade de rotação influencia directamente a rapidez de acesso aos dados;• Placa principal- (motherboard do disco) – Como em todos os dispositivos electrónicos, esta placa interliga todos os componentes do disco
  5. 5. PROCESSO DE GRAVAÇÃO• À medida que todos os pratos rodam em simultâneo, a cabeça de leitura e gravação, instalada em cada face da extremidade de cada braço, percorre a sua superfície e grava a informação onde encontrar espaço livre, através da magnetização e desmagnetização da película que cobre a superfície do prato, alterando o seu estado de zero (0) para um (1) ou vice-versa. De realçar que cada face do prato tem a sua própria cabeça de gravação e leitura.
  6. 6. DIVISÃO OS PRATOS Para que o disco possa receber dados, é necessário que, para além da garantia do normal funcionamento dos componentes descritos anteriormente, se proceda à divisão lógica da sua estrutura, sendo parte desta divisão feita pelo fabricante do disco e a outra parte pelo utilizador durante o processo de formação do disco. Vejamos, especificamente, cada uma dessas divisões: • Pistas (tracks) – Operação realizada pelo fabricante do disco que consiste em “desenhar” circunferências dispersas pela superfície de cada prato; • Sectores-Operação realizada pelo fabricante do disco que consiste em dividir o disco em fatias. Que delimitam as pistas em 512 Bytes; • Clusters-Consiste no agrupamento de sectores e é uma operação realizada pelo utilizador (melhor, pelo sistema operativo),durante o processo de formatação do disco. Segundo o sistema operativo),durante o processo de formatação do disco sendo que o espaço mínimo que um ficheiro ocupa, por muito pequeno que seja, seja é sempre um cluster; • Cilindros-Conjunto de pista, numeradas de zero (0) a nove (9), de forma para dentro, de ambos os lados de todos os pratos. Sabendo que a pista 0 é a pista 0 de cada prato o cilindro 0,é constituído pelas pistas 0 de todos os pratos; • Capacidade do disco – Calcula através da multiplicação de 512 Bytes (tamanho do sector), pelo número de cilindros, número de cabeças de leitura e gravação e número de sectores. Exemplos: para calcular a capacidade de um disco com 63cilindros, o que dá um resultado final de 2.111.864,832 (2,1 GB); • Área de gravação-Zona cujo endereço é composto pelos números do prato, da pista e do sector.
  7. 7. ESCRITA E LEITURAS DE DADOSTendo em conta a informação apresentada no parágrafo anterior, a leitura egravação de dados processa-se do seguinte modo:• Os pratos estão divididos em sectores com a capacidade de 512Bytes – já descrito anteriormente;• Cada prato está coberto por película magnética muito sensível;• À medida que os pratos rodam em simultâneo, as cabeças de leitura e gravação, movem-se, com auxilio dos braços, pela superfície, à procura de espaço livre;• Sem trocar na superfície, as cabeças magnéticas as partículas da película, alterando o estado binário de zero (0) para um (1), produzindo informação.
  8. 8. RENDIMENTO DO DISCOPara apuramento do rendimento final de um disco, é preciso ter em conta aconjugação das seguintes especificações:• Tempo de procura (seek time) -Tempo médio que a cabeça de gravação e leitura demora no acesso a cada pista;• Latência (latency) -Tempo que cada sector demora a colocar-se sob a cabeça de gravação leitura;• Tempo de acesso (access time) -Velocidade do disco resultante do somatório do tempo de procura combinado com a latência;• Velocidade de rotação (spin speed) -Velocidade de rotação dos pratos por minuto (RPM).Uma RPM mais alta significa menos tempo de acesso e procura e menor latência, logo, é um disco mais rápido.
  9. 9. Trabalho Manual dos AlunosSérgio Gonçalves nº18 Igor Ferrão nº11 André Fernandes nº4
  10. 10. BIBLIOGRAFIA• Livro: Manual de Instalação e Reparação de Computadores• Autor: António J. Branco
  11. 11. FICHA DISCO RÍGIDOGeneralidades:• 1-Quais são as generalidades do disco rígido?• Componentes do disco:• 2-Quais são os componentes do disco rígido?• Rendimento do Disco:• 3-Oque entendes por “Latência”?• Bibliografia:• 4-Descreve a bibliografia do trabalho “Disco Rígido”?

×