JUDO
História
O judo é uma arte marcial desportiva. Foi criado no Japão, em 1882, pelo professor de Educação Física Jigoro...
Pontuação
O objetivo é conseguir ganhar a luta valendo-se dos seguintes pontos:
 Yuko - Um terço de um ponto. Um yuko se ...
Formas de saudação (Rei)
A prática do judo é regida por cortesia, respeito e amabilidade. A saudação é o expoente máximo d...
Tipos de Queda (UKEMI)
Mae Ukemi
(à frente)
Yoko Ukemi
(de lado)
Ushiro Ukemi
(de costas)
Zempo Ukemi
(com rolamento)
Técnicas de Pega (KUMI KATA) TORI e UKE
Pega Simples TORI - Faz a acção
UKE - sofre a acção
"Hajime" and "Mate"
Hajime - C...
Técnicas de projeção (NAGE-WASA)
Te-Waza: Técnicas de braço
Ashi-Waza: Técnicas de perna
Koshi-Waza: Técnicas de anca
Masu...
Técnicas de Solo (NE-WASA)
Osaekomi-waza: Técnicas de imobilização (GATAME)
Shime-waza: Técnicas de estrangulamento
Kanset...
APENAS PARA INFORMAÇÃO - NÃO VAMOS APLICAR TÉCNICAS DE ESTRANGULAMENTO E CHAVES
Glossário de Termos Japoneses
(OBRIGATÓRIO SABER)
Anza – Sentado de pernas cruzadas
Ashi – Waza – Técnicas de perna ou pés...
Kaeshi – Waza – Técnicas de contra ataque
Kake – Execução de uma projecção
Kansetsu – Waza – Luxação de uma articulação
Ka...
Tori – Aquele que ataca ou projecta
Tsukuri – Preparação para executar uma técnica
Tsurite – Levantando a mão
Uchikomi – T...
Judo
Judo
Judo
Judo
Judo
Judo
Judo
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Judo

624 visualizações

Publicada em

judo

Publicada em: Esportes
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
624
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
14
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Judo

  1. 1. JUDO História O judo é uma arte marcial desportiva. Foi criado no Japão, em 1882, pelo professor de Educação Física Jigoro Kano. Ao criar esta arte marcial, Kano tinha como objetivo criar uma técnica de defesa pessoal, além de desenvolver o físico, espírito e mente. A Lenda da Cerejeira e do Salgueiro Perto de Nagasaki vivia um médico filósofo chamado Shirobei-Akyama, que estava convencido que a origem dos males humanos resultava da má utilização do corpo e do espirito. Quando passeava no jardim do templo, numa manhã em que nevava, escutando o estalido dos ramos de cerejeira que quebravam sob o peso da neve, de súbito, avistou um salgueiro na margem do ribeiro cujos ramos se curvavam sob o peso da neve, mas o tronco flexível logo se desembaraçava do seu fardo, retomando a posição inicial. A solução surgiu-lhe como um relâmpago. Ao positivo devia opor-se o seu complemento – o negativo. À força devia opor-se a flexibilidade. Se um assaltante nos empurra, não lhe façamos frente pela força que podendo ser maior que a nossa nos derrubaria, mas cedamos-lhe rapidamente com um pronto e inesperado recuo. O nosso adversário ao terá assim tentado arrombar uma porta aberta e desequilibrando-se, cairá aos nosso pés. O mesmo princípio se aplica se formos puxados, podendo facilmente derrubar o nosso adversário que ficará em desequilíbrio se cedermos à sua tracção. Graduações Os judocas são classificados com as seguintes graduações de cores: Cores das Faixas em Portugal Branca Amarela Laranja Verde Azul Castanha Preta
  2. 2. Pontuação O objetivo é conseguir ganhar a luta valendo-se dos seguintes pontos:  Yuko - Um terço de um ponto. Um yuko se realiza quando o oponente cai de lado, ou quando é imobilizado por 15 segundos;  Wazari - Meio ponto. Dois wazari valem um ippon e termina o combate logo após o segundo wazari. Um wazari é um ippon que não foi realizado com perfeição. Também ganha wazari se conseguir imobilizar o oponente por 20 a 24 segundos;  Ippon - Ponto completo. O nocaute do judo, finaliza o combate no momento deste golpe. Um ippon realiza-se quando o oponente cai com as costas no chão, ao término de um movimento perfeito ou quando é imobilizado por 25 segundos.  Penalizações  Shido O shido é a penalização mais fraca do judo. É uma advertência que não gera pontos ao adversário  Chui O chui é atribuído quando se comete uma infração um pouco mais grave, ou quando é atribuído um segundo shido.  Keikoku O keikoku é atribuído quando se comete uma infração grave, ou quando é atribuído um shido quando já se tem chui, mas que não chega para terminar o combate.  Hansoku-Make O hansoku-make é atribuído quando se comete uma infração muito grave, de forma que esse combatente que sofre castigo é expulso e o outro vence COLOCAÇÃO DO FATO (JUDOGI)
  3. 3. Formas de saudação (Rei) A prática do judo é regida por cortesia, respeito e amabilidade. A saudação é o expoente máximo dessas virtudes sociais. Através dela expressamos um respeito profundo aos nossos companheiros. No judo, há duas formas de expressarmos: ritsu-rei (quando em pé) e za-rei (quando de joelhos). Esta última é conhecida por saudação de cerimônia. Quando se efetuam as seguintes saudações: Ritsu-rei Ao entrar no dojô bem como ao sair; Quando subimos no tatami para cumprimentar o professor ou seu ajudante; Ao iniciar um treino com um companheiro, assim como ao terminá-lo. Za-rei Ao iniciar, bem como ao terminar o treino; Em casos especiais, por exemplo, antes e depois dos KATA; Ao iniciar um treino no solo com o companheiro, bem como ao terminá-lo. Atitudes no dojo Nunca se deve esquecer que o dojo é um lugar tanto de cultura espiritual como de treino técnico. Deve-se cumprimentar ao chegar e ao sair, respeitando-se cuidadosamente as regras de cortesia e as regras particulares do dojo. Esforçar-se em quaisquer circunstâncias para ajudar os seus colegas e nunca ser para eles uma causa de incómodo ou de desagrado; Respeitar as graduações superiores e aceitar os seus conselhos. Por outro lado, as graduações superiores devem ajudar a progressão daqueles que estão iniciando com solicitude e cordialidade;
  4. 4. Tipos de Queda (UKEMI) Mae Ukemi (à frente) Yoko Ukemi (de lado) Ushiro Ukemi (de costas) Zempo Ukemi (com rolamento)
  5. 5. Técnicas de Pega (KUMI KATA) TORI e UKE Pega Simples TORI - Faz a acção UKE - sofre a acção "Hajime" and "Mate" Hajime - Começar Mate - Parar Exercícios básicos de Treino Randori Treino livre, "simula" ou reproduz o "Shiai" (competição), pelo qual a aplicação das técnicas é praticada contra um parceiro, atacando e defendendo, a diferença básica é que ocorre de forma mais "solta" mais "livre" que nas competições propriamente ditas. Shiai Competição. Exige muita habilidade técnica, tática, preparação física e mental. Atualmente as competições de alto nível envolvem a participação de diversos profissionais, não somente mais de um "Sensei", entre eles: preparador físico (geralmente especialista em fisiologia do exercício e/ou treinamento esportivo) nutricionista, fisioterapeutas, psicólogos, entre outros. As técnicas já dominadas no randori devem ser aplicadas sob um determinado conjunto de regras, sujeitas à pontuações que devem ser avaliadas por três árbitros (um central mais dois laterais).
  6. 6. Técnicas de projeção (NAGE-WASA) Te-Waza: Técnicas de braço Ashi-Waza: Técnicas de perna Koshi-Waza: Técnicas de anca Masutemi-Waza: Técnicas de sacrifício para trás Yokosutemi-Waza: Técnicas de sacrifício para o lado Fases da projeção  1º Kuzushi (quebra, desequilíbrio)[18]  2º Tsukuri (construção, preparação, encaixe)  3º Kake (colocação, execução)  4º Zanchin (finalização, definição)
  7. 7. Técnicas de Solo (NE-WASA) Osaekomi-waza: Técnicas de imobilização (GATAME) Shime-waza: Técnicas de estrangulamento Kansetsu-waza: Técnicas de luxação - CHAVES
  8. 8. APENAS PARA INFORMAÇÃO - NÃO VAMOS APLICAR TÉCNICAS DE ESTRANGULAMENTO E CHAVES
  9. 9. Glossário de Termos Japoneses (OBRIGATÓRIO SABER) Anza – Sentado de pernas cruzadas Ashi – Waza – Técnicas de perna ou pés Atemi-Waza – Técnicas de golpear Awase-Waza – Combinação de dois Waza-aris Dan´I – Graduação de Dan Dojo – Sala de treino Encho-Sen – Prolongamento do combate Fukushin - Juiz Fusen-Gachi – Vitória por falta de comparência Haisha - Vencido Hajime - Começar Hansoku - Infracção Hansoku – Make – Derrota por falta ou por acumulação de faltas leves Hantei – Decisão/Julgamento Hidari – Jigo – Tai – Postura defensiva esquerda Hidari – Shinzen – Tai – Postura natural esquerda Hikite – Puxar com a mão Hikiwake - Empate Ippon – Ponto completo Jigo – Hontai – Postura defensiva de pé Jigo – Tai – Postura defensiva Jiku – Ashi – Perna de apoio Jogai – Fora da área de combate Jonai – Dentro da área de combate Joseki – Presidência / mesa principal Judogi – Uniforme de Judo Kachi - Vencedor
  10. 10. Kaeshi – Waza – Técnicas de contra ataque Kake – Execução de uma projecção Kansetsu – Waza – Luxação de uma articulação Kappo – Técnicas de reanimação Kata – Formas ou ombro Katame – Waza ou Gatame - Waza – Técnicas com imobilização Katsu – Técnica de Kappo Keiko – Treino / Prática Kiken – Gachi – Vitória por abandono Kime – Execução completa Kinsa – Ligeira superioridade ou inferioridade Kinshi – Waza – Técnicas proibidas Kiotsuke – Atenção (palavra de ordem para fazer levantar uma pessoa com calcanhares unidos) Koshi – Waza – Técnicas de anca Kumikata - Pega Kuzushi - Desequilíbrio Kyusho – Ponto vital Ma`ai – Distância entre dois competidores Maitta - Desisto Ma – Sutemi – Waza – Técnicas de sacrifício de costas Mate - Espera Migi – Jigo – Tai – Postura defensiva direita Migi – Shizen – Tai – Postura natural direita Nagekomi – Repetição de técnicas, projectando Nage – Waza – Técnicas de projecção Newaza – Trabalho no chão Osaekomi – Waza – Técnicas de imobilização Osaekomi - Imobilizado Otagai – ni - Rei – Saudarem-se entre si Randori – Prática livre Renraku – Waza – Combinação encadeamento de várias técnicas Rei – Saudação Ritsu – rei – Saudação de pé Seiza - Posição de sentado formal – de joelhos sentado sobre os calcanhares Shiai - Competição Shiai – Jo – Área de competição Shido – Penalização leve Shime – Waza – Técnicas de estrangulamento Shimpan - Arbitragem Shimpan´in - Árbitros Shimpan Riji – Director de arbitragem Shisei - Postura Shizen – Tai – Postura Natural Shizen – Hontai – Postura básica natural Shomen – Frente do Dojo / Assentos superiores Shomen – Ni – Rei – Saudação em direcção a Shomen Shosha - Vencedor Shushin - Árbitro Sogo – Gachi – Vitória composta Sono – Mama – Não se mexam / manter as posições Sore – Made – Terminou o tempo Sutemi – Waza – Técnicas de sacrifício Tachi – Waza – Técnicas de pé Tai – Sabaki – Rotação do corpo / Controlo do corpo Tatami - Tapete Te – Waza – Técnicas de mão ou braço Toketa – Imobilização desfeita
  11. 11. Tori – Aquele que ataca ou projecta Tsukuri – Preparação para executar uma técnica Tsurite – Levantando a mão Uchikomi – Treino de repetição Ude – Gaeshi – Chave de braço / braço invertido Uke – Aquele que recebe a acção ou é projectado Ukemi - Queda Waza - Técnicas Waza – Ari – Grande vantagem técnica Waza – Ari – Awasete – Ippon – Dois Waza-aris pontuam Ippon de combate Yakusoku – Renshu – Prática combinada Yoko – Sutemi – Waza – Técnicas de sacrifício laterais Yoshi – Continuem (após sono-mama) Yuko – Vantagem técnica de valor moderado Yusei – Gachi – Vitória por superioridade Za – Rei – Saudação na posição joelhos Referências Bibliográficas REAY, Tony (1985), Guia Prático do Judo, Editorial Presença KANO, Jigoro (1994) Kodokan Judo, Kodokan and Kodansha International, Ltd JANICOT, Didier – POUILLART Gilbert (1999) O Judo, Editorial Estampa Sítios na Internet www.fpj.pt www.judoinfo.pt www.judokai.pt www.wikipedia.org www.adjudolisboa.pt

×