ENTREVISTA Não se pode brincar com a inflação,  diz Zeina Latif,  da XP Investimentos

www. amanha. com. br

Novembro de 2...
Burocracia e concorrência acirrada fazem as
pequenas e médias empresas do Brasil procurarem
alternativas para aumentar sua...
H:  unem,  _ll= I_[ll= ll? ¡|~“ e : :là-Ibis
âllllflíàíiitvilo : lrziwll glãihíilüãlll.  'me
: ml size sim-iai: : nniuIííI...
i
Í. 
l, 
b
l

 

carga de celulares.  que tambem re-
munera o lojista com uma pequena
tarifa a cada transação. 

Talvez o...
hostil e o apoio do governo é cheio
de entraves.  a saída encontrada foi o
aumento de produtividade e otimiza-
ção de proc...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Revista Amanhã - Especial PME | Em busca de soluções

392 visualizações

Publicada em

Revista Amanhã - Especial PME | Em busca de soluções - 01/11/2014

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
392
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Revista Amanhã - Especial PME | Em busca de soluções

  1. 1. ENTREVISTA Não se pode brincar com a inflação, diz Zeina Latif, da XP Investimentos www. amanha. com. br Novembro de 2014 N° 309 Ano 28 R5 11,90 __ d* NEGÓCIOS PorqueaCamera '_ * decidiu reVçE: Q§1Í'_ d '41 r rplanqsrdç ; . Í 'É _, "¡¡-: Êt$, Í-íü: f . _" ; Í < . 5*; d a ÊâTàATgEglià. Õs suÍñer§tÇL7 ~ * * g PollqR'Ê5Ê1"i? -§ñ'mudan ' 'afõfrüàdemmmztííz - 2.' . 'J e-Ma' E¡ . .' . '_' cóm 'É' . cr- -. g 't Sufoco no caixa? Mercado em turbulência? Conheça as lições de quem foi ao_ inferno e. ^dv91tou; viv0› z A r . d4 A; W_. .___A__-É. __ _. _.-. ,_4__. .,_
  2. 2. Burocracia e concorrência acirrada fazem as pequenas e médias empresas do Brasil procurarem alternativas para aumentar sua produtividade
  3. 3. H: unem, _ll= I_[ll= ll? ¡|~“ e : :là-Ibis âllllflíàíiitvilo : lrziwll glãihíilüãlll. 'me : ml size sim-iai: : nniuIííI-: i-ir-i-nlie. :HIHIILÇBÍIGP ol¡ ¡muillziini-z nniuilm: uma: :rom-muit- ç» Elim di: mini-aí» u : Jill-i: iu; miaminqiumilíl-: Iflvn--lo~ ! Hama ¡El- Ill : mil: 'I-HÍI; 0.7: upiâlãldàli mu¡ lt-ililuvlsilllillí" noturna-ui: ¡teiaspgljañtntiâlâkniioieiãpzhlllli. .alt iiza-: uihlbzdiuclialimit-inato¡9h11; 'L' Iiiilíifioi: _min dlalíinilcfiic cio _mirins-diznzmiprzupnvnlíhinc, ,í lz-nlqliíílc tmn. e : Willi : i: ¡cliqroiqunipicmrzis iziiiuinin : irá ! SI : a : :mir-tm : i: _Ila- ! Lviucmzmixá-l 't lã-nnmlimw. asitaulí' Gibi: :irá 'lO- ¡nilliríta . F5 z _cn nie : ill-Lilia: :laligmaéizsuflíi roimcipiraemb-c nnñruciuriii. ;mami _aimdiapiziqiuianio gininiuo-«rakn-olw: . lníunnlhmãt. “na ia o Iiñíàiit uiillmiuio -' : ic dicimiiiop, N: Inicllieiiíhi : uiI-iroisiu. _citam 'mu : iii u» íui-i-ii-i-niii ~ : i: _oluq[U[: |¡r. Ln¡I= ..20r: I3B. .anti ul-icliãbnel_ 'Hllirw IDE¡ I: niâlniio : tvãzi-vilqo); ,: ulHOl(cl= ill| plI= L'f: IiI= IlIIi1|(í caiam cl: - : o-: nnip : gm ai: inipiziqivianmraúinau 'llnyect : mamiíirlhwulznalwzaieithíuin» Cilíllrílíion, ~ L- uilianiaim: cmii: mui» (u: dia : Mimi: :uma: a nioinnlliclzidr: diz»- nli-II- = _uiuqicisiuisie : inioiuizrn: ¡irãizíllãilñit : im-i: em. cio _aluminio ai: full): :. “ADIN, Ili-ilmiirzinnuianmpiuqinib Iicwâltlnlãinlit-If? 'Íôiíftuclàntclillarñllãv 4h11: 'Isna-pizir: 'l-'níf/ A. : :ui-inint- : L-iicidio ¡mllmi-'io rs «acharam-ita-piailcnziiia-iiuauigiragioi: mui¡ m o): :lim: _mini e ih' diÍÍI-illiihioi: Il. gravam. qua¡ . .u-, Eltílh x. ,l(qolltaltqhl FVAÊWÔ- 'IiuiroicÍni-li: ?lsÍV/ ü. dim¡- Bila' at: íinpi-i-ib Iltlllb 113.374? iziir. : em¡ ñlhioñic . l q¡ pirata 91339/16. eum¡- : LUXOÍÍÓ di» g[O'l: JlllO« CFn/ :V/ iñl : lllomm mi ? cinta-racionais. pmr-izilui: ?RJ-VA : acioineiuglvil aráiaiiio-(zszwñi grow: :- lãilltzl qm : :i : um: ¡Io r : ipi: _Manitou Il| .'I[o): -|'(o~Í1¡T| ¡inn-laiuizllnoiv o a-ipisiúêllanigiia, rqgiuiiziniuaiioi-l o na. ai: :: raiz-ilim- . m. limit-io gnlñl: :ie ilbi-iiíitiz. IlITOiI o ütsllhizíitc ciliar¡ (o a _titiqivizume : in cai-mic. :iigiroiüulunnl-*ãlllltilâlíñlt - “lí 37H. ? aalllim* ai: nmvnu. -tcigi-Ihinaiai-inimm ? zu-min -4 um: : im piíluiznro : :iciiillnzici- n: amplas» : ñ- -h ll= lúl= l~$ílliãiii= cm: izimrii-ibi: :in iam-ir: : m¡ Fziaaniziciàniíioio ai: ¡nnioizllmpiun-uniuianr; .HIIÍHÉ, .=lll|1l| ll¡lO, .cugpiüãilllolini 'lia : iniuiciclhialo--nnizioliuhic pmn-«l-iclun» ¡ivni ¡pla! :latim(u-'füliiitalllítciioiipioillà um vniioi ci: uiaiuizioio cl: :Irá ! Si 'líiinlllliííiàlñ : iwliinnmiouniaumi-ia ¡ia-mipliñllt. i'll* 207%'. :i-'iic-'ugimvñsilrâ : timing-gio-aia-Iuipioiarovoiuliuniiizuzio» birugpinl' in-Flliinl. 'n nazi n 'uma IBM: ilhas o n¡ Rito of; :in I(= I Iii: onmigiibi ' : em: ¡izi-isaíi-ifâ» ¡kw-thumb! illlimüclanílInleiülhinltiaitu iioitzit, *roxa 257mm». - oiniunií-hime-io : M: llis-Eto-oimil-mihwmiz-: iuinirani: '.1l'›'/ i1.n'(nui¡q: in¡ian( 'fclihlllxci ? tl-fintlllilowz" 'li-hi AL- nur-'i-_iunnuie llâipñlgFllllnllilr-Íhl '? rali-nã»afã-wiunmiolluieñio-qci: muita NI i5) : lülãl #4199031 HL ihnzdlâlüitllliludlchlânImrnk-onrqujat no 'ninizilknrm "guandu-ici. lviIiKo «iu a ! Rio dio ullllilàilro ai; 91mm. :in (ci-ici: :i: inicie nh- _nioiçinihi-ñi- 'much lama¡ Mon: :l fit-lia aipiaini : ml : BA-V. cio (quim-To nnioíiozml. mu. urzlle di: c; -ullliñio di; dilema: vai. é : um ; File ¡iiílâl ! Mt z Koiulphillilf: à viu : ici: !Kvilzi-"iihrclãi Iliãllfflr 'llnltiliãitl : )= di: : l (ôialltia): -. -icir-iívm-fl--ni- : mesmo ai: maio): FLgFlI : mu -loi-L-mqi-l-lnicihi u m lIlIl= iIlTi'n› nat-i¡ iaiiioiikinnic ll": ¡Õlñr Il= l «Ibi #Jimi¡icio-ciuizuauizzoui: o-: ullio clio wagner: atuarem_ um: ,unir-ralis : iL-_Inliíimiñvn di: amei: ni; cillammr. =*' Enviar: : L-wiwcinm-qainix: :in : qu: :munllêulizl cl: clmunwollvñ lllüllülllàqpllutlilhlüãlãíâifüigílñ. *lfíiu ai: _IJÍOLÇIGIIIFP di: pinzunihicñto : m: : mui: amu-nz». omni: o Íl= iio “lilo- iichiiia. 'm' : :iulblâinn n , hit- Pirai-ria, :m: picinulit: :in : intliiâiqclinnisiniio : :Mimi _aimnniuimwsdnniu-niociizak: um *à o-íimckwvzulihianzicoipninlirzi: rito-clan¡ gnipizi. aoinuiunk: :iu 2017.'. manila ai: via-ciel¡ ninu-iicituih-: i-n llhulivlt¡ LN'. GNN¡ . ma. - si: Imirim-ma: ao Ilziio o Iommi : :nlihsiihiüêinc: :i-inliiziluclluiantumci: 'iciiio-o-nlinizill' lI-iáinrasiumi-r-'l 'iuiuo : iaaviiqc a crziupçl lim _mi-ii- iilislit m» nvlcliil¡ : animação si: till: :meu«io-: ianiiiziiu-naniqniro-iam-I: Altos tributos e dificuldades para contratar são os principais vilões para os pequenos e médios empreendedores do Brasil. Burocracia e dificuldades de financiamento também estão na lista. Novas soluções buscam aumentar produtividade e otimizar custos e processos nas PMEs. l i
  4. 4. i Í. l, b l carga de celulares. que tambem re- munera o lojista com uma pequena tarifa a cada transação. Talvez o produto que mais tenha apelo como solução para as pequenas e medias, sempre lutando pelo fluxo de caixa, seja a antecipação de receitas: o lojista pode adiantar o recebimento dos valores das vendas feitas no credi- to e no parcelado na máquina. Mas a Cielo foi alem, com o Crediário. uma evolução natural do famo- so carnê. "É uma facilidade para o cliente da loja e mais fluxo de cai- xa para o lojista. que vende a prazo (em até 48 vezes) e recebe o valor integral no dia seguinte. O varejis- ta. principalmente aquele que não tem uma financeira propria. pas- sa a contar com um produto que o permite financiar seus clientes. portadores de cartão. sem preci- sar desembolsar o seu dinheiro em caixa". explica Santana. As soluções de pagamento da Cielo não se restringem ao ponto de venda. se estendendo também para os canais e-commerce e mo- bile. Em mobile payment. o Cielo Mobile é uma solução pioneira ao transformar smartphones e ta- blets em maquinas de vendas, al- cançando importantes segmen- tos da economia onde antes o pagamento eletrônico não era co- mum. Já no e-commerce - de olho na necessidade de pequenos e medios empresários interessados em abrir uma loja online -, a Cielo desenvolveu uma parceria com o Terra. que oferece a pequenos e médios varejistas toda a estrutura necessaria para abrir uma loja vir- tual com facilidade. Outro serviço que deve tra- zer maior praticidade às PMEs sera fruto de uma joint venture da Cielo com a Linx, lider em tecnologia de gestão empresarial para o varejo. Trata-se do conceito de IPOS (Inte- grated Point of Sale). que fornecerá uma solução integrada e flexível que embarca automação comercial. software de gestão e plataforma de pagamentos eletrônicos. para os pequenos varejistas brasileiros. Esse produto deve chegar ao mercado no primeiro semestre de 2015. e busca um nicho identificado pela Cielo. Em pesquisa realizada pela empresaaolongode 2013,com mais Atenta ao mercado. Cielo investe em soluções multiplataforma Imagem: Divulgação/ Cielo de 800 proprietários ou responsaveis pela gestão de estabelecimentos dos segmentos de alimentação e vestuário, 52% dos entrevistados disseram não possuir automação co- mercial. O estudo mostrou ainda que 50% desses lojistas fazem controles manuais (anotações em caderno), 30% utilizam planilhas eletrônicas e 6% não realizam nenhum tipo de controle. Alem disso. cerca de 70% añrmam não ter um catalogo de pro- dutos estruturado. Gestão otimizada Mesmo com novas soluções para diminuir burocracias e de- safogar o fluxo de caixa. ha' muito trabalho a ser feito na gestão das pequenas e medias. Sérgio Edu- ardo da Silva, diretor da Recoatex. empresa de 29 funcionarios em Blumenau. Santa Catarina, lamenta as diñculdades que teve em conse- guir financiamento quando neces- sario. Fundada em 1990. a empresa fornece entretelas para as goias de camisas de grandes empresas têxteis de Santa Catarina, como Hering e Malwee. e ainda punhos. fitas e colarinhos para pequenas e medias camisarias do estado. "Pode ser o melhor projeto. mas sempre falta alguma docu- mentação", añrma. criticando bu- rocracias de linhas como o Finame do BNDES. "O maquinário. nos ñ- nanciamos direto com a importa- dora". Ate mesmo o investimento em aperfeiçoamento de pessoal foi todo realizado por conta propria. Em outros momentos, o financia- mento foi direto na rede bancária privada. "com menos burocracia, mas com limites menores" e em cooperativas de credito. com “juros mais condizentes". justiñca. Se o ambiente de negocios e
  5. 5. hostil e o apoio do governo é cheio de entraves. a saída encontrada foi o aumento de produtividade e otimiza- ção de processos. Para isso. o inves- timento foi feito em um sistema que se ajuste às necessidades da empre- sa e auxilie no processo de gestão. Recorrendo a Senior. tradicio- nal desenvolvedora de ERPs (Enter- prise resource planning, nome dado aos sistemas de gestão empresa- rial). a Recoatex encontrou no sof- tware Go Up um aliado importante. Para Sérgio. o fator principal na escolha da ferramenta Go Up foi o custo e benefício do serviço. alem da facilidade de gerenciamento na nuvem. "Essa tecnologia nos proporciona um custo mais baixo de manutenção. pois não requer investimentos em equipamento. alem de possibilitar o acesso em qualquer computador ou smart- phone com a internet". explica. Implantado em novembro de 2012. sem necessidade de inves- timentos em hardware. o Go Up permite a emissão de notas ñscais. boletos. e consulta de planilhas, re- motamente. em qualquer lugar. "O que mais ajudou foram os relatórios que o programa oferece. com dados. curvas de preço. etc. Eles auxiliam na tomada de decisões. Com os núme- ros conseguimos enxergar e enten- der o incremento no faturamento. "Antes eram planilhas de Excel e feeling. sem muito planejamento a médio e longo prazo". lembra Sergio. Conforme o gerente de pro- duto da Senior. Fernando da Silva. o Go Up foi desenvolvido com base na percepção que que os tradicio- nais softwares de ERP geravam um custo muito alto para as PMEs. Ja' com dois anos de mercado, mas tendo como base os 18 anos de ex- pertise da Senior. o objetivo do Go "h". _g l. 4 . .ghlüf-lwiglyàij f *JNIHÍRHIKlInfÍII Up e' que o cliente cresça_ a ponto de a propria Senior possa ofere- cer suas soluções para empresas maiores. segundo Fernando. "Com funcionalidades espe- cíñcas para empresas deste porte. a entrega e focada e o tempo de implantação chega a ser reduzido em 50°/ o, alem do software ter um custo médio cerca de 30% menor. O mercado de PMEs costuma ser carente nas entregas de boas praticas. pois muitas vezes a cultu- ra de gestão não esta arraigada nas empresas. Um dos principais pontos que demandam tempo num proces- so de implantação é o levantamento dos processos do cliente. "Quando levamos um produto já configurado e formatado para atender esse pro- cesso. o entedimento e aderência é mais fácil. Nosso foco Fica em trazer as informações para dentro do siste- ma e o treinamentoja que o proces- soja esta montado" ilustra Fernando, Esse diagnostico é confirmado pelo dirigente da Recoatex. "Erros operacionais deixaram de existir e. principalmente. ganhamos tempo nas tomadas de decisões e lança- mento de dados". concorda Sérgio. l INFORME ESPECIAL Solução na nuvem Fundada em 1986. quando contava com apenas duas pessoas. a Cigam e' uma das pioneiras, e hoje, uma das cinco maiores do Brasil em serviços de ERP. ou SlGE - Sistema Integrado de Gestão Empresarial. na tradução. Robinson Klein. diretor de Mer- cado da empresa. lembra que no inicio deste mercado, apanas as grandes empresas tinham capaci- dade para investir. Mas o mercado evoluiu em novos nichos, e hoje a Cigam tem linhas focadas de maneira distinta para as micro e pequenas empre- sas e para as medias. Para as micro- empresas, o grande destaque do portfolio e o SIGE Cloud, "Nas microempresas, ha di- ficuldade para investimento em equipamentos caros. infraestru- tura e para o treinamento de pes- soal. Por isso o serviço de cloud se encaixou muito bem para empre- sas deste porte. Esta é a facilidade do SlGE Cloud: alem de ser uma solução mais barata. em três mi- nutos a empresa ja está usando". explica o diretor. Foto: Divulgação/ Senior

×